Ao contrário do que sugere o senso comum, seguro de vida não é só para quem tem filhos, quem se aproxima da aposentadoria ou não tem reservas.

Mesmo os investidores disciplinados não devem abrir mão desse produto, justamente para proteger o patrimônio que estão construindo. Isso vale inclusive para os jovens e aqueles que não tem filhos. Entenda por quê:

1. O seguro protege o patrimônio de quem ainda não conseguiu juntar muito

Investidores jovens e/ou iniciantes normalmente ainda têm um patrimônio pequeno. Assim, pode ser que não consigam deixar a soma necessária para os filhos em caso de morte. Especialmente se eles ainda forem pequenos e tiverem gastos com educação.

Mesmo em caso de invalidez permanente, esse patrimônio ainda em construção pode ser insuficiente para manter o investidor e sua família para o resto da vida.

O seguro de vida, nessas situações, serve justamente para proteger esse patrimônio em formação.

Ele garante os recursos necessários nessas adversidades, preservando os recursos já acumulados e impedindo que eles sejam rapidamente consumidos pelo segurado ou sua família.

2. O seguro protege o jovem que ainda não tem dependentes

Jovens casais ou mesmo solteiros que não tenham filhos e já se sustentem também precisam de seguro de vida. Afinal, eles são seus próprios dependentes.

Nesses casos, a proteção em caso de morte não é tão relevante, mas a proteção para invalidez é fundamental. Se o jovem perde sua capacidade de gerar renda, ainda que temporariamente, pode consumir rapidamente o pouco que conseguiu juntar.

O seguro de vida garante a renda e o padrão de vida nessas situações, principalmente se considerarmos que as despesas médicas podem ser pesadas.

3. O seguro protege o investidor que tem muitos investimentos de risco

Investidores de perfil mais arrojado e jovens que desejam aproveitar o longo prazo de que dispõem para turbinar sua acumulação de recursos podem ter boa parte do patrimônio em aplicações de risco, como renda variável ou investimentos de baixa liquidez.

Em caso de morte ou invalidez do investidor, o resgate repentino desses investimentos pode não ser possível. Ou pode acabar ocorrendo em um momento de baixa do mercado, sacrificando parte da poupança ali acumulada.

A indenização do seguro, nessas situações, evita que o investidor ou sua família precise fazer um mau negócio para se manter, preservando o patrimônio investido.

Interessado em seguro de vida? Conheça a Genial Seguros e peça uma cotação!

Publicado por Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Contentários