Destruir seu cartão de crédito é uma das primeiras ideias que vêm à cabeça quando se fala em organização e planejamento financeiro.

A medida extrema pode até fazer sentido para pessoas muito endividadas, com descontrole financeiro ou até mesmo compulsão por compras.

Mas se você tem o mínimo de organização e equilíbrio ao consumir, saiba que é perfeitamente possível ter uma vida financeira saudável com um ou até dois cartões de crédito. Melhor ainda: o plástico pode ser um grande aliado no seu planejamento financeiro.

Ele permite que você decida quais as melhores datas para fazer seus pagamentos, ajuda os disciplinados a planejar grandes compras, comprar pela internet (podendo, por exemplo, aproveitar descontos) e acumular pontos em programas de fidelidade.

No entanto, o mau uso pode transformar esse simples, mas poderoso pedaço de plástico em um inimigo mortal. Eis o que você deveria evitar ao máximo no uso do cartão de crédito para não se afundar:

1. Pagar uma anuidade desnecessária

Anuidades podem ser facilmente reduzidas, ou até zeradas, por meio de uma simples negociação com a operadora do cartão, principalmente nos casos em que não há qualquer benefício diferencial que justifique uma cobrança elevada.

Além disso, você sempre pode migrar – ou ameaçar migrar – para uma das opções de cartão de crédito sem anuidade disponíveis hoje no mercado.

2. Emprestar seu cartão

Não estou falando do uso do seu cartão de crédito para seu filho fazer uma compra eventual ou seu cônjuge ir ao mercado fazer as compras da semana para a família.

Estou falando de empréstimos menos responsáveis, para parentes mais distantes ou amigos que correm o risco de não pagarem o que devem. Alguém que pede o seu cartão de crédito emprestado pode muito bem estar enfrentando problemas financeiros, ainda que você não saiba.

Emprestar dinheiro para conhecidos é sempre complicado, pois o risco de perder o dinheiro e o amigo é grande. Mas o cartão de crédito tem agravantes. A pessoa pode gastar mais que o combinado e você pode ficar sem ter como pagar o total da fatura.

Resultado: é você quem fica endividado, pagando altos juros e, na pior das hipóteses, com o nome sujo.

Essa dica pode parecer óbvia, mas veja: “empréstimo de nome” para contrair crédito, especialmente o empréstimo de cartão de crédito, é uma prática até que comum no Brasil. Segundo a última pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) sobre o tema, 21% brasileiros já pediram nome emprestado.

Destes, 31% fizeram isso por já estarem com o nome sujo (e, portanto, com restrições de acesso ao crédito) e 24% lançaram mão do recurso porque já haviam estourado o limite do cartão de crédito ou do cheque especial.

3. Não checar a fatura antes de pagar

É conveniente sempre conferir sua fatura item por item, mesmo aqueles pagamentos que estejam no débito automático. Só assim você reconhecerá cobranças indevidas ou que te peguem de surpresa, como uma súbita elevação no valor da anuidade.

O hábito também ajuda no reconhecimento rápido de fraudes. Cobranças de compras que você não fez podem significar que seu cartão foi clonado. Reportar o problema imediatamente à operadora, cancelar o cartão e pedir uma fatura corrigida pode poupar você de maiores problemas.

4. Pagar com atraso ou apenas um pouco

Essa talvez seja a pior coisa que você pode fazer com seu cartão de crédito. O valor que você não paga neste mês é rolado para o mês seguinte e sofre cobrança de juros altíssimos. O crédito rotativo é a linha de crédito mais cara para a pessoa física no Brasil.

Segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), os juros médios do crédito rotativo eram de 13,73% ao mês, o equivalente a 368,27% ao ano no último mês de outubro.

A dívida não paga pode virar uma bola de neve gigantesca e impagável. E se você só pagar o mínimo da sua fatura todo mês, jamais conseguirá quitá-la.

Caso você não consiga pagar a fatura integralmente, é melhor negociar com seu banco um empréstimo a taxas menores. Assim é possível quitá-la e conseguir um fôlego financeiro, pagando menos juros. Mas não se esqueça de suspender o uso do cartão até você se recuperar.

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários