Foram tempos difíceis. Um candidato da esquerda pela primeira vez assume o comando do País, uma crise global que quebra um banco nos Estados Unidos, o impedimento de uma presidente, uma recessão jamais vista, juros altíssimos, dólar assombrando e recheando esse enredo de horrores um Brasil passado a limpo, com a prisão de ex-ministros, ex-presidentes, empresários, parlamentares e muitos políticos andando na corda bamba.

Mas ainda assim, o Ibovespa, o principal índice que mede o comportamento das ações mais negociadas na bolsa de valores, a B3, foi o melhor investimento em oito desses 15 anos. A começar por 2003, ano em que o índice acumulou mais de 90% de alta.

Bolsa

Nesse período, seu pior momento foi em 2008, o ano em que quebrou o Lehman Brothers, o banco de investimento americano que foi o símbolo do pânico da crise das hipotecas americanas. Mas, logo no ano seguinte, o Ibovespa acumulou um ganho em 12 meses de 82,66%.

Quando vi este estudo lembrei de uma fonte que conhecia profundamente o mercado de ações brasileiro e fez fortuna comprando ações de boas empresas. “Vale a pena comprar ações com juros tão altos”, perguntei certa vez. “Diga qual é a taxa de juro que eu acho empresas que pagam mais em dividendos”, respondeu ele.

Sua tese era de que a Bolsa no longo prazo sempre iria superar a renda fixa e traria ganhos porque na verdade ela reflete a economia real. “E a economia vai para a frente, apesar dos percalços pelo caminho. Não fosse assim ainda viveríamos nas cavernas”, repetia ele como um mantra.

Uma imagem bastante diferente do especulador que enxerga a Bolsa como um cassino e “aposta” todas as suas “fichas” na dica mais recente que ouviu.

Investimento

Para ele, não era “aposta”, era investimento e por isso gostava de conhecer bem as empresas que investia.

Quando morreu já era um banqueiro e investidor reconhecido. E hoje, vendo essa retrospectiva do mercado, tenho que dar razão a ele. Para aqueles, que como essa fonte enxergam o mercado de ações como um caminho para se associar a boas empresas, esse é um investimento mais seguro do que o dólar, por exemplo, que no mesmo período só liderou o ranking dos mais rentáveis em dois anos.

Edmundo Valadão foi um investidor de verdade, criou uma fortuna acreditando sempre que as empresas bem geridas seriam sempre um bom investimento, independentemente do governo, dos juros e das crises pelo caminho.

Idealizadora do MyNews, primeiro canal de jornalismo feito exclusivamente para o YouTube, Mara é jornalista especialista em economia e investimentos. Tem passagens pelos jornais Valor Econômico, Folha de S. Paulo e revista Veja, além de ter sido colunista da CBN e comentarista de jornais da Globo e GloboNews. Apresenta o programa “Economia é Genial” todas as quintas-feiras no canal MyNews, às 20h30.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *