O investimento em títulos públicos do Tesouro Direto é uma das aplicações financeiras mais acessíveis do Brasil. Isso porque já é possível começar a partir de R$ 30 reais.

Além disso, o Tesouro Direto conta com a garantia do Tesouro Nacional, o que faz dessa modalidade de aplicação financeira uma das mais seguras do mercado.

Embora tenha se popularizado nos últimos anos, muitas pessoas ainda apresentam dúvidas em relação ao Tesouro Direto. Se esse é o seu caso, continue a leitura. A seguir, explicaremos o que são os títulos públicos, porque é um bom negócio aplicar nessa modalidade e os motivos pelos quais você deve fugir da caderneta de poupança. Acompanhe a seguir.

O que são os títulos públicos?

São papéis emitidos pelo governo federal para financiar diversas atividades relacionadas às áreas da saúde, educação, infraestrutura e outros investimentos necessários no país. Portanto, quem compra um título público empresta dinheiro ao governo em troca de uma remuneração. O Tesouro Direto é uma aplicação de renda fixa.

Há três tipos de títulos disponíveis no mercado financeiro. São eles:

  • Tesouro Selic: trata-se de um ativo pós-fixado cuja  rentabilidade é indexada à Selic, a taxa básica de juros da economia. Atualmente, a Selic é de 6,5% ao ano. O investimento é indicado para os momentos de alta da Selic e é uma boa opção para a formação da reserva de emergência, visto que  pode ser resgatado a qualquer momento sem risco de perder capital. A liquidez (facilidade para transformar o ativo em dinheiro) dessa aplicação é de um dia útil;

  • Tesouro IPCA: esse também é um ativo pós-fixado e os ganhos estão atrelados ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Dessa maneira, quanto maior a inflação, maior também será a rentabilidade do investimento. Ele oferece a vantagem de garantir ao investidor ganhos percentuais acima da inflação. Por causa dessa característica, é um produto indicado para os investidores que tenham objetivos de longo prazo, como a aposentadoria, a compra de uma casa própria, etc. O título pode perder valor e o investidor perder capital, se fazer o resgate antes do vencimento;

  • Tesouro Prefixado: a rentabilidade dessa aplicação financeira é definida por meio da determinação de um percentual previamente conhecido. Esse investimento é indicado nos casos de baixa da Selic. Porém, vale destacar que quanto maior o prazo, maior o risco do ativo, pois não se sabe como estarão as condições econômicas do Brasil em um período maior de tempo. Assim como no Tesouro IPCA, há marcação de mercado. O título pode perder valor e o investidor perder dinheiro caso faça resgate antes do investimento.

Aplicar no Tesouro Direto é um bom negócio?

Investir no Tesouro Direto é um bom negócio por diversos motivos. Primeiramente por ser acessível. Lembra que dissemos que você já pode começar a investir com apenas R$ 30?

Outro ponto positivo é o fato de ser indicado para os iniciantes. Fazer a aplicação inclui procedimentos  simples e não há a necessidade de estudar a situação de diversos segmentos da economia, o que é extremamente importante quando se aplica em  renda variável.

Além disso, outra vantagem proporcionada por esses ativos é a possibilidade de compor uma cartela diversificada de investimentos. Como já destacamos acima, existem diversos títulos públicos no mercado e o investidor pode escolhê-los de acordo com as necessidades e o seu perfil de investidor.

Por que os títulos públicos valem a pena neste ano?

Há alguns anos, o Brasil enfrenta uma grave crise econômica e a retomada não tem acontecido da forma esperada. Investir no Tesouro Direto é uma boa ideia para proteger o investidor das oscilações da economia que podem acontecer em 2019. Os custos são baixos, apresenta rentabilidades acima da poupança e é um investimento garantido pelo governo, por isso, com risco remoto de calote.

Por que investir no Tesouro Direto e não na previdência?

O Tesouro Direto conta com a cobrança regressiva do Imposto de Renda: quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado até o vencimento, menor será a tributação. Vale lembrar que  imposto é cobrado apenas sobre os rendimentos.

O mercado oferece hoje dois tipos de previdência privada: VGBL e PGBL.  Os planos contam com incentivos tributários para estimular a poupança de longo prazo. No PGBL, por exemplo, é possível deduzir do imposto de renda até 12% da renda bruta tributável anual do participante. Por outro lado, os planos de previdência cobram uma taxa de administração sobre o valor investido, destinada a arcar com a gestão profissional da aplicação. Alguns cobram ainda uma taxa de carregamento, geralmente no ato do investimento. A depender do produto escolhido, as taxas podem comprometer a rentabilidade.

Como informamos, os Títulos do Tesouro são garantidos pelo governo. Já nos planos previdenciários, não há garantias do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Por que sair da poupança?

A caderneta de poupança é uma aplicação fácil de ser feita, prática e segura. No entanto, ela é pouco rentável e deixou ser uma boa opção nos dias atuais. No atual cenário, o desempenho dela é de apenas 70% da Selic, o que equivale a 4,55%. Apesar de não contar com a cobrança de impostos sobre os rendimentos, o desempenho da poupança é muito inferior ao da maioria dos investimentos, principalmente, aqueles de longo prazo. Quem ainda opta por investir na poupança corre o risco de perder poder de compra, principalmente, nos períodos de alta da inflação.

Por outro lado, os investimentos realizados em títulos públicos são igualmente seguros e oferecem ativos com rentabilidades superiores. Há o Tesouro Selic, com rentabilidade de 6,5% ao ano, o Tesouro IPCA, que remunera um percentual acima da inflação e os títulos prefixados que, atualmente, podem apresentar ganhos anuais de até 8,7%.

Como você pôde conferir, investir em Tesouro Direto é sim um bom negócio. Caso tenha dúvidas sobre qual tipo de título adquirir, ente em contato com a Genial, que lhe ajudará a descobrir o produto ideal para o seu perfil. Ficou interessado e quer saber mais sobre o Tesouro Direto? Acesse o post  Tesouro Direto: Um Guia Completo e Definitivo.

abra sua conta

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *