Seja bem-vindo ao eBook que vai ajudar você a escolher a melhor instituição para investir o seu dinheiro!

Sumário

O mercado financeiro é o ambiente em que investidores e tomadores de recursos financeiros se encontram. As negociações entre essas partes contam com a intermediação de bancos e corretoras. 

Portanto, sempre que pensar em fazer algum tipo de investimento, você precisa escolher uma instituição financeira para intermediar o seu Dinheiro com o mercado financeiro. Mas afinal, quem pode oferecer os melhores produtos, taxas e, por fim, a melhor experiência na sua jornada de investimentos? 


Essa é uma dúvida muito comum entre os investidores e, neste eBook, vamos apresentar as diferenças entre bancos e corretoras quando o assunto são os investimentos, dando assim subsídios para que você possa fazer escolhas que irão atender, exclusivamente, aos interesses do seu patrimônio. 


Na prática, essa escolha é fundamental para garantir melhores Resultados financeiros. Por isso, vale a pena saber mais sobre o assunto. Aproveite a leitura!

Corretoras

Bancos x corretoras: As principais diferenças

A desbancarização

Mitos sobre as corretoras

É seguro investir em corretoras de valores?

O atendimento oferecido pelos bancos

O atendimento oferecido pelas corretoras

As opções oferecidas pelas instituições

Como as corretoras geram melhores investimentos

0102030405060708

 Bancos x corretoras:  
 As principais diferenças 

Um diferencial das corretoras em relação aos bancos está nas taxas cobradas. Muitas delas sequer cobram pelo cadastro do cliente, permitindo que ele tenha acesso aos mais diversos produtos e conheça suas vantagens para somente então fazer o investimento. Há casos de isenção em relação a taxas no Tesouro Direto e outros títulos, algo que permite que a rentabilidade se torne maior ao longo do tempo.
 
Corretoras geralmente trabalham com ofertas de diferentes instituições financeiras, enquanto os bancos costumam se concentrar em um volume menor de aplicações. Isso se deve ao fato de que bancos já possuem um número muito grande de clientes.

 
De uma maneira simplificada, podemos dizer que a principal diferença se dá no esforço que cada um emprega na busca por espaço no mercado. Como os bancos já reúnem milhares de correntistas, eles não oferecem investimentos tão atrativos quanto as corretoras, que fazem uso da oferta de aplicações interessantes para conquistar novos clientes.

 
Trataremos mais detalhadamente sobre essas diferenças nos tópicos seguintes.

voltar para o sumário

Corretoras 

Seja bem-vindo ao 
Guia de Completo da Aposentadoria 
Privada

 Bancos x corretoras:  
 As principais diferenças 

 Mitos sobre 
 as corretoras 

Ainda assim existem receios em relação a esses novos agentes que têm ganhado espaço no mercado. Um deles diz respeito à segurança. Como os bancos são instituições tradicionais, muitos consumidores logo os associam a riscos menores, criando o mito de que investir em corretoras não é tão seguro quanto em um banco. O que não é verdade porque, institucionalmente, quem garante a proteção do investidor em casos de falência das corretoras é o mesmo agente que atua em relação aos bancos, ou seja, o sistema financeiro.
 
O Fundo Garantidor de Crédito (FGC), por exemplo, é quem se responsabiliza por investimentos de renda fixa como as Letras de Crédito e os Certificados de Depósito Bancário, independentemente se o investimento é feito por meio de uma corretora ou por um banco. O limite é de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira.

 
Assim, se você investir em um CDB pelo banco, quem garantirá a proteção do dinheiro não será ele, e sim o FGC. Ou seja, o banco atua como intermediário na negociação, da mesma maneira que aconteceria se o investimento fosse realizado em uma corretora.

 
Outro mito diz respeito aos altos custos com o investimento em corretoras. Como são empresas independentes que precisam se diferenciar dos bancos para atrair clientes, o comum é que aconteça o contrário, ou seja, que essas instituições ofereçam soluções mais baratas para o consumidor. Boa parte das corretoras sequer cobram a realização do cadastro. Além disso, é possível contar com descontos que dificilmente são concedidos pelos bancos, como em taxas de títulos de renda fixa.


Existe ainda o mito da especialização, que sugere ser necessário entender muito de economia para investir nas corretoras. O fato é que, ainda que todo tipo de conhecimento seja válido, certamente não existe a necessidade de se aprofundar em relação ao mercado financeiro para investir bem. Como a ideia das corretoras é democratizar o acesso a seus produtos, é natural que elas ofereçam oportunidades diferentes, muitas delas simplificadas para o investidor iniciante. É o caso do Tesouro Direto, que funciona como um empréstimo feito ao governo federal a ser pago com juros. Para investir nele, basta escolher o tipo de aplicação nas plataformas e acompanhar sua evolução. 

 A 
 Desban
- 
 cari
zação 

voltar para o sumário


 Desban 
 cari
zação

O termo desbancarizar tem origem no exterior e refere-se a um processo em que instituições alternativas passaram a ganhar espaço em um mercado antes restrito aos grandes bancos. Os motivos vão desde a insatisfação com o atendimento oferecido por instituições bancárias até a busca por maior variedade de produtos e serviços.
 
Com a desbancarização, o investidor deixa de ser dependente dos bancos para movimentar dinheiro, podendo encontrar soluções diversificadas e mais adequadas para o perfil pessoal.

 
Nesse cenário, começaram a surgir instituições financeiras de pequeno e médio porte, como as fintechs e as corretoras de valores, especializadas em oferecer condições melhores do que os bancos. A diferença entre elas é que as fintechs atuam sob um modelo de negócios mais enxuto, concentrado em uma estrutura tecnológica, enquanto as corretoras já atuam sob um modelo mais amplo, o que permite a elas intermediar compra e venda de ativos, gerir carteiras de ativos e fundos de investimentos e montar equipes especializadas na orientação de seus clientes.

 
A desbancarização é vista como um movimento positivo, pois permite que o mercado se torne mais focado nas demandas do consumidor e menos concentrado nos interesses dos bancos. O fato é que, anualmente, os principais bancos do país têm apresentado receitas líquidas bilionárias, enquanto seus clientes não veem grandes vantagens nas soluções oferecidas por eles. Alguns, inclusive, têm encontrado dificuldades para fazer o dinheiro render. Isso mostra que alguma coisa está errada nessa relação. É nesse contexto que o surgimento de novos agentes tem mudado a maneira como as pessoas investem.

 
Qualquer pessoa que tenha aberto uma conta ou solicitado um empréstimo em uma instituição bancária deve ter notado a burocracia existente nesses processos. É preciso fazer uma série de procedimentos que vão desde a assinatura de papéis, passando por confirmação de dados e a análise de informações até que a autorização seja dada. 


E mesmo assim nem sempre há garantias de que o serviço financeiro será viabilizado. O mesmo costuma ocorrer em relação aos investimentos. Sempre que você precisa comprar um título em grandes instituições bancárias, a burocracia costuma aparecer, dificultando a sua ação. Essa dificuldade apresentada pelos bancos é um dos motores da desbancarização.

 
Na lei da oferta e da procura, sempre que uma demanda começa a chamar a atenção, surge a oportunidade para que novos agentes apareçam e transformem a realidade daquele mercado. É justamente isso o que tem feito com que corretoras e fintechs apresentem serviços cada vez mais interessantes para as pessoas e transformem o cenário em que atuam.

voltar para o sumário

 É seguro investir em 
 corretoras de valores? 

Como visto acima, do ponto de vista do risco institucional, praticamente não existem diferenças entre fazer investimentos em bancos ou corretoras. Se o investidor teme perder dinheiro ao aplicá-lo nesse tipo de instituição, a verdade é que o risco é o mesmo em relação ao banco.
 
Quem se responsabiliza pela regulamentação do mercado financeiro é o Banco Central do Brasil (BCB ou BACEN). Para garantir que as diferentes instituições que fazem parte desse sistema atuem na legalidade, sejam elas bancos, corretoras de valores ou fintechs, o BACEN atua dando autorização de funcionamento às operações. Assim, basta acessar o site para fazer uma busca simples e conhecer as empresas que atendem às exigências da autarquia.

 É seguro investir em 
 corretoras de valores? 

voltar para o sumário

 O Atendimento 
 Oferecido Pelos Bancos 

Em relação ao atendimento, os serviços prestados pelos bancos costumam ser mais generalistas, enquanto os oferecidos pelas corretoras são mais especializados.
 
Mas por que isso ocorre? A resposta está no trabalho de quem se responsabiliza pela venda de títulos. Os investimentos são somente parte das funções do gerente bancário. Além disso, ele tem que se dedicar a uma série de outras atividades que consomem o seu tempo e dizem respeito a inúmeras pessoas. É por isso que o atendimento tende a ser mais frio para o cliente comum e mais personalizado para os chamados clientes de alto padrão.

 
Vale destacar que nos bancos os gerentes trabalham por metas, ou seja, eles precisam cumprir determinados objetivos a cada mês. Isso faz com que a oferta de ativos não seja tão focada no investidor, mas dividida entre sua rentabilidade e os interesses do próprio banco. Nesse ponto é preciso ter atenção, pois os bancos tendem a faturar não somente com a venda de ativos, mas também com tarifas de serviços inclusas nas operações.


Agora, considere o trabalho diário desse tipo de profissional, com todas as atividades às quais ele precisa se dedicar. É evidente que para ele não é tão interessante perder tempo oferecendo investimentos de baixo custo para os clientes, sendo muito mais vantajoso tentar negociar ativos com maior retorno para quem possui alta renda.
Esse cenário justifica a quantidade de reclamações que instituições, como o Procon, recebem diariamente a respeito dos principais bancos do país. Muitas delas referentes não somente a atendimento ruim, mas também a dívidas abusivas e procedimentos que ferem o direito do consumidor.


Já no caso das corretoras, ocorre o contrário. Como o foco do serviço dos profissionais é o universo dos investimentos, naturalmente, a atuação tende a ser mais personalizada, porque é importante para essas instituições que os clientes atinjam os melhores resultados possíveis e assim sejam fidelizados, ajudando a atrair novos clientes.
Consequentemente, a quantidade de denúncias e reclamações contra corretoras é significativamente menor do que em relação aos maiores bancos do país, justamente aqueles que concentram a maior fatia do mercado.


Nas corretoras, o atendimento é especializado. O que significa que, independentemente do perfil do cliente, os profissionais se dedicarão a encontrar soluções compatíveis com seus interesses, de modo a fazer com que os diferentes produtos financeiros presentes no mercado sejam interpretados de acordo com as necessidades de cada consumidor.

 O atendimento 
 Oferecido   Pelos Bancos 

 As Opções Oferecidas  Pelas Instituições 

voltar para o sumário

É natural que os bancos ofereçam menos opções que as corretoras em termos de investimentos. Isso se deve ao costume de reservar as melhores ofertas para o público de maior renda e apresentar uma quantidade limitada de opções para os demais segmentos, dando prioridade aos seus próprios produtos.

As corretoras, pelo contrário, permitem que públicos de todas as classes sociais tenham acesso aos diferentes tipos de investimentos existentes, mesmo quando têm origem em outras instituições financeiras. Em virtude dessa variedade, as corretoras têm como oferecer produtos com maiores benefícios. Produtos como CDB com remuneração consideravelmente alta, como 115% ou 120% do CDI geralmente são opções restritas a clientes com muito dinheiro nos bancos comerciais. Nas corretoras, por sua vez, esses investimentos ficam à disposição de qualquer tipo de investidor.


Os bancos também tendem a apresentar como investimentos soluções que não podem ser caracterizadas dessa forma. É o caso dos títulos de capitalização, que na realidade funcionam como um tipo de aplicação que traz muitos benefícios para o banco, mas não oferece grandes vantagens para o cliente. Aplicando nesses títulos, o cliente concorre a prêmios, ou seja, ele pode ganhar ou não, e tem um rendimento baixo se comparado a outros produtos financeiros. Enquanto isso, a instituição mensalmente pode retirar determinado valor da conta desse correntista para comprar títulos, garantindo recursos enquanto o título estiver em vigência.


Além disso, de uma maneira geral, corretoras de valores focam mais em ofertar produtos do que bancos. Esse é um diferencial que permite ao investidor acesso a alternativas diferenciadas. No mundo dos investimentos, existe o conceito do tripé: liquidez, segurança e rentabilidade. Quando você investe, precisa priorizar um ou, no máximo, dois desses elementos em função de seus objetivos.

 
Assim, por exemplo, se você quer compor uma reserva de emergência, o ideal é recorrer a títulos com boa liquidez e segurança, para fazer o resgate com maior facilidade e evitar que riscos, como a inflação, diminuam o valor do seu dinheiro. Caso seu foco seja a aposentadoria, a rentabilidade é mais interessante.


Entretanto, é possível reunir os três elementos formando uma carteira diversificada de investimentos, ou seja, investindo em diferentes ativos. É por isso que a variedade oferecida pelas corretoras é fundamental. É ela que permitirá a você identificar os investimentos mais adequados para aplicar com sucesso.

 As opções oferecidas   pelas instituições 

voltar para o sumário

Como as Corretoras Geram 
 Melhores Investimentos

Em geral, o primeiro passo dado pelas corretoras na relação com o cliente é definir o perfil de investidor. Isso não acontece sem motivo. É preciso, primeiramente, ter clareza a respeito das características que cada pessoa tem para que, em função disso, a oferta de produtos seja feita de forma direcionada e os objetivos sejam alcançados. Quando isso ocorre, o cliente tem como escolher os produtos financeiros mais adequados para a sua realidade e dessa forma atingir resultados melhores. Consequentemente, o sucesso desse cliente faz com que a empresa se mostre confiável para o mercado e conquiste novos clientes.
 
O processo de desbancarização tem gerado resultados interessantes justamente porque os interesses das corretoras estão muito próximos das necessidades dos consumidores. A tendência é que, com o tempo, os resultados de aplicações de longo prazo comecem a aparecer com maior clareza e esse processo se intensifique.


Vale lembrar que o ideal é que os investimentos sejam realizados com critérios. As opções presentes no mercado são diferentes em relação a prazos de vencimento, rentabilidade, segurança e liquidez. Assim, é preciso que o investidor saiba escolher de acordo com metas a serem atingidas e que esteja preparado para não fazer o resgate antes da hora.

 
Se você pretende garantir o futuro de um filho recém-nascido, por exemplo, pode investir em uma solução de longo prazo, como o Tesouro IPCA+, no qual é possível aplicar mensalmente para, após 20 ou 25 anos, retirar o dinheiro emprestado ao governo acrescido de juros previamente determinados. 


Caso a necessidade seja de médio prazo, como a compra de um imóvel, investir em LCI pode ser a solução, uma vez que esse tipo de investimento vence entre 3 e 5 anos e pode fazer o seu dinheiro render no período sem a incidência de Imposto de Renda.

 
Se a necessidade for mais imediata, opções, como o Tesouro Selic, oferecem a liquidez necessária para que, assim que for necessário, você tenha como resgatar o dinheiro sem problemas. 


Também em relação ao mercado de ações, os serviços das corretoras apresentam diferenciais. Com elas, é possível montar uma carteira de investimentos de maneira racional, fazendo com que a busca pela maior rentabilidade não seja feita de maneira irresponsável. Com a assessoria prestada e recursos como o Home Broker, a plataforma de investimentos que coloca o investidor em contato com a B3, é possível agir de maneira simplificada e eficiente.

 
É por esse motivo que instituições desse tipo dão mais atenção do que os bancos não somente ao perfil, mas também aos objetivos do cliente. Em função da necessidade de encontrar as melhores soluções, as corretoras investem em atendimento de qualidade, profissionais especializados e na oferta de um leque maior de opções.

 
De maneira geral, o cenário que se apresenta é de maior participação de novos agentes no mercado financeiro. Se, antes, o protagonismo dos bancos não significava sucesso para os clientes, agora, já é possível pensar em soluções mais direcionadas e, portanto, mais qualificadas para o investidor, independentemente do perfil.

 
Para o futuro, a tendência é que, ao ter acesso a um volume maior de produtos financeiros e a serviços de mais qualidade prestados pelas corretoras, o brasileiro entre de cabeça no universo dos investimentos e, consequentemente, passe a ter uma relação mais inteligente com o próprio dinheiro.

 Como as   Corretoras Geram 
 Melhores Investimentos 

A Genial é a plataforma de investimentos que oferece os melhores produtos do mercado, assessoria sem custo 
e faz o seu dinheiro render mais.

+ DE 32 BILHÕES
EM ATIVOS

+ DE 200 MIL
CLIENTES

“O jeito de  investir mudou.  Por isso, eu 
mudei para a  Genial.”

Guga Kuerten
Tricampeão de
Roland Garros

A Genial é a plataforma
 de investimentos que oferece os melhores produtos do mercado, assessoria sem custo 
e faz o seu dinheiro render mais.

+ DE 200 MIL
CLIENTES

+ DE 32 BILHÕES
EM ATIVOS

eBook online

Luciano Faustino

CMO da Genial Investimentos

CMO da Genial Investimentos

Vem ser Genial. Abra sua conta.
É simples, rápido e grátis.

*campos obrigatórios

Vem ser Genial. 
Abra sua conta.
É simples, rápido e grátis.

Bancos

X

X

Uma informação importante sobre o tema: como as corretoras oferecem uma variedade maior de ofertas, elas naturalmente informam melhor a respeito dos riscos que cada produto apresenta e sobre as garantias existentes. Quem protege o Tesouro Direto, por exemplo, é o Tesouro Nacional. Já o Fundo Garantidor de Créditos se responsabiliza por Letras de Crédito e CDB, entre outros, até o limite de R$ 250 mil. Quanto às ações, a garantia é dada pelas empresas

emissoras desses títulos no mercado. Essas são informações fundamentais que muitas vezes são ignoradas pelos bancos.

O fato é que investir por meio de corretoras é tão seguro quanto investir em bancos, com a diferença que esses novos agentes têm se especializado em apresentar ofertas muito mais interessantes para seus clientes por serem mais direcionadas.

voltar para o sumário

 O Atendimento Oferecido 
 Pelas Corretoras 

 O atendimento 
 Oferecido  Pelas corretoras 

Um diferencial das corretoras em relação ao atendimento é a assessoria prestada. Na maioria das instituições, ela não tem custos e permite que o investidor tenha acesso a informações pertinentes sobre os títulos disponíveis mesmo sem tanto dinheiro como os clientes de alto poder aquisitivo.

Enquanto os gerentes de banco se dividem entre inúmeras obrigações no dia a dia, os assessores de investimentos atuam diretamente sobre os interesses dos clientes, fazendo orientações e buscando soluções para que as aplicações tenham resultados melhores. O fato é que o sucesso das corretoras está diretamente relacionado à satisfação dos clientes com seus investimentos, enquanto os bancos são instituições que não dependem dessa relação para manter a taxa de lucro. 


As corretoras também tendem a apresentar mais funcionalidades nos canais de atendimento do que os bancos, pois essa é uma maneira de conquistar clientes. Enquanto os bancos costumam criar dificuldades na resolução de problemas, as corretoras têm investido cada vez mais na construção de canais de atendimento sofisticados, capazes de personalizar o relacionamento. Um exemplo disso está nos sites dessas instituições. 


A maioria deles permite o contato via chat, simplificando processos.
Existe também a figura do agente autônomo de investimentos, um profissional que tem autorização para operar pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) como um intermediário entre os clientes e os analistas de investimentos das corretoras. Esse agente autônomo mostra aos investidores como funciona o mercado financeiro, esclarece dúvidas, apresenta os diferentes produtos disponíveis e viabiliza todo o processo burocrático para que a ação do investidor seja simplificada. 


Na prática, trata-se de um profissional que atua como um elo entre o investidor e o mercado financeiro, criando meios para gerar sucesso na compra e venda de ativos.

“O trabalho em equipe é o combustível que leva pessoas comuns a atingir resultados descomunais”

Andrew Carnegie

“Teamwork is the fuel that allows common people to attain uncommon results”

A nossa satisfação para levar você ao mundo dos investimentos é enorme. Trabalhamos em conjunto alinhados a um único objetivo: proporcionar conteúdo didático sobre educação financeira a partir de uma experiência agradável de leitura. Adquirindo conhecimento, o seu dinheiro passa a ganhar vida e gera cada vez mais frutos!

 Quem  cuida  melhor 

 do seu dinheiro? 

Esta instituição é aderente ao código ANBIMA de regulação e melhores práticas para atividade de distribuição de produtos de investimento no varejo. Os instrumentos financeiros discutidos, apresentados ou oferecidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Esta comunicação não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor, não devendo servir como única fonte de informações no processo decisório do investidor que, antes de decidir, deverá realizar uma avaliação minuciosa do produto e respectivos riscos face a seus objetivos pessoais e à sua tolerância a risco (Suitability), preferencialmente por meio de profissional qualificado. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido. O conteúdo apresentado não se trata de recomendação, indicação e/ou aconselhamento de investimento, sendo única e exclusiva responsabilidade do investidor a tomada de decisão. A Genial não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão de estudos, relatórios, indicativos, previsões ou investimentos apresentados neste e-mail. Este e-mail também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados, investimentos, produtos ou desdobramentos neles abordados. As informações contidas neste e-mail foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes consideradas confiáveis, sendo válidas na data de sua publicação. Todos os detalhes a respeito do produto, como classificação de risco, características, rentabilidade e qualquer outra informação estarão ao dispor do cliente ao clicar no produto desejado, ocorrendo dessa forma, o redirecionamento para sítio eletrônico específico. A Genial é uma instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil, que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma plataforma digital amigável, assessoria financeira isenta, transparente e qualificada. Caso tenha qualquer reclamação, dúvida ou elogio, entre em contato com nossa Ouvidoria por meio do telefone 0800 605 8888.