Quem sempre quis investir em empresas como Apple, Google ou Amazon vai ter mais opções agora, com as recentes mudanças na oferta de alguns produtos ao investidor do varejo, como os BDRs.

Os BDRs são uma das formas que o investidor brasileiro tem de aproveitar as oportunidades e investir em ativos negociados no exterior. A sigla é uma abreviação para Brazilian Depositary Receipts, em tradução livre, Certificado de Depósito Brasileiro, e simplifica a vida de quem quer diversificar a carteira com papéis de outros países.

O mercado de capitais brasileiro tem aumentado a oferta de produtos sofisticados aos pequenos investidores, e os BDRs são fruto deste momento. Em agosto de 2020, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou a oferta dos BDRs aos investidores do varejo, ou seja os investidores comuns (não qualificados), a partir de setembro deste ano.

Neste post, vamos explicar o que são os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) e como você poderá usá-los como instrumento para investir em ações de empresas estrangeiras e brasileiras negociadas no exterior, em ETFs e em títulos de dívida de outros países.

O que são os BDRs?

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são certificados que representam ações de empresas emitidas no exterior. Imagine, por exemplo, a possibilidade de investir em ações da Amazon, negociadas na Bolsa de Valores norte-americana Nasdaq, mas pagando em reais.

É isso que os BDRs possibilitam: a aplicação de recursos em certificados de ações não negociadas diretamente na B3, a Bolsa brasileira, com facilidade e em moeda local.

Mas quem adquire um BDR não compra diretamente as ações, mas sim um título que representa esse ativo. Quem compra a ação, neste caso, é o depositário, uma instituição financeira que investe nessas ações no exterior. O depositário também é responsável por fazer a emissão dos BDRs no Brasil, logo ele faz a intermediação de toda a operação.

Já quem guarda essas ações é outra instituição financeira: a custodiante, cujo papel é servir de local para depósito e bloqueio das ações que são objetivo do BDR, o certificado em que você investe.

Na prática, essa estrutura garante ao investidor de BDRs a segurança de que os ativos representados pelo certificado realmente existam e estejam sob propriedade da instituição depositária, ou seja as ações de companhias estrangeiras funcionam como lastro  dos certificados.

Após adquirir essas ações no exterior, a instituição financeira depositária precisa registrar na CVM um programa de distribuição de Brazilian Depositary Receipts, cumprindo todas as exigências regulatórias relacionadas à emissão desses certificados e à divulgação de informações sobre as empresas ao mercado.

Dominando a Bolsa de Valores

Tipos de Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Você não precisa ser especialista em BDRs para incluir esse ativo na sua carteira, mas é fundamental ter conhecimento sobre o funcionamento desse instrumento antes de aplicar os seus recursos. Por isso, agora, vamos citar os tipos de Brazilian Depositary Receipts que você encontra no mercado brasileiro. Os tipos e níveis de BDRs existem para diferenciar a forma como esses ativos são ofertados localmente.

BDR patrocinado

Quando a empresa emissora das ações contrata uma instituição depositária para fazer a emissão dos ativos no mercado brasileiro. Logo, a companhia tem interesse em ter presença entre os investidores nacionais.

BDR não patrocinado

Quando o lançamento dos certificados no Brasil é feito de forma independente pela instituição depositária, sem qualquer vínculo com a companhia emissora das ações. Esse é o tipo mais comum no mercado brasileiro.

Níveis de BDRs

Os BDRs são classificados em níveis, segundo os critérios de distribuição definidos pela CVM e o volume de informações que devem ser disponibilizadas ao investidor. Os BDRs patrocinados estão divididos em três níveis, e os BDRs não patrocinados têm apenas um.

Vantagens dos BDRs

As vantagens do investimento em BDRs é a possibilidade de investir em ações de empresas não listadas na B3, como a Amazon, citada no início deste post. Além de ser um instrumento para acompanhar a movimentação de mercados mais sofisticados e com maior oferta de ativos, os BDRs são uma forma de diversificar geograficamente o portfólio de ativos, diminuindo a exposição do seu patrimônio aos riscos de mercado relacionados à economia brasileira, por exemplo.

O anúncio recente das mudanças nas regras para trazer os BDRs ao investidor do varejo também incrementa o leque de possibilidades do segmento, pois, além das ações, serão disponibilizados ETFs (fundos de índice) e títulos de dívidas estrangeiras.

Os BDRs também poderão ser emitidos por empresas brasileiras listadas em Bolsas fora do Brasil, ou seja ações de companhias brasileiras negociadas na NYSE, por exemplo, poderão ser também ofertadas na B3, via Brazilian Depositary Receipt.

Grandes nomes nacionais, como Petrobras e a holding do Itaú Unibanco, são exemplos de empresas que atendem a esses critérios e poderão ter ações negociadas via BDRs.

Outro ponto positivo dos BDRs é a possibilidade de investir em moeda nacional, sem a necessidade de realizar uma operação de câmbio ou abrir conta em uma corretora no exterior.

Como representam ações negociadas em moeda estrangeira, os BDRs oscilam também conforme a variação do câmbio referente ao valor do ativo negociado em relação ao real, logo podem ser um instrumento de proteção (hedge) ao investidor. 

De acordo com levantamento do jornal Valor Econômico, em junho de 2020, havia cerca de 550 BDRs em negociação na B3. Entre as empresas emissoras estavam gigantes globais, como Apple e Netflix.

Como investir em BDRs (Brazilian Depositary Receipts)?

Os BDRs são negociados pelo home broker no ambiente da B3, portanto para investir nesses ativos é necessário ter conta em uma corretora de valores, como a Genial Investimentos.

Os tickers dos BDRs são, em geral, acompanhados do número 34. A título de exemplo, o ticker de negociação da Amazon na B3, citada neste post, é AMZO34. O lote mínimo para os BDRs é de dez papéis por operação, mas é possível adquirir BDRs também no mercado fracionário, basta adicionar a letra F ao fim do ticker.

Ainda no exemplo da Amazon, para comprar o Brazilian Depositary Receipt da empresa no fracionário, basta buscar o ticker AMZO34F no home broker.

Importante pontuar que os BDRs são tributados em 15% no Imposto de Renda, sobre o ganho obtido nas negociações. Além disso, os dividendos recebidos pelo investidor brasileiro estão sujeitos às regras de tributação específicas de cada país.

Abra sua conta na Genial Investimentos e tenha acesso a investimentos no exterior pelos BDRs!

Abra sua conta na Genial Investimentos - Banner Post

Publicado por Genial Investimentos

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *