Ao deixar de pagar a fatura do cartão de crédito ou pagar apenas o mínimo, você entra automaticamente no crédito rotativo.

Trata-se da linha mais cara do mercado, com juros médios de nada menos que 484,57% ao ano, segundo dados informados pelas instituições financeiras ao Banco Central. Isso equivale a uma taxa mensal de 15,85%.

Um uso prolongado do rotativo pode tornar uma pequena dívida impagável, devido à ação dos juros compostos. É um efeito bola de neve.

Antes de entrar nessa armadilha, você pode tentar recorrer a outras linhas de crédito, bem mais baratas. Ou ainda, tentar trocar uma dívida já existente no rotativo do cartão por outra com juros menores, em uma renegociação.

Recentemente, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu que o rotativo do cartão de crédito não deverá durar mais do que 30 dias. Após esse período, as instituições financeiras deverão oferecer um parcelamento ao cliente.

A medida entrará em vigor apenas em abril. A intenção é evitar que as pessoas permaneçam por um longo período com uma dívida de juros tão altos.

Embora os juros dos empréstimos e financiamentos em geral sejam altos no Brasil, qualquer juro menor já faz uma grande diferença no valor total pago pelo devedor ao final do prazo.

Mesmo o parcelamento da fatura do cartão, que também tem juros altos, é mais barato e, portanto, melhor do que o rotativo.

Na Calculadora do Cidadão, do Banco Central, é possível simular o custo total do rotativo do seu cartão de crédito e compará-lo com outras linhas de crédito, mais em conta.

Na simulação a seguir, foram consideradas as taxas de juros médias das linhas de crédito informadas pelas instituições financeiras ao Banco Central em dezembro de 2016, data do último dado.

Simulamos em quantas parcelas seria quitada uma dívida de 500 reais no rotativo do cartão de crédito pagando-se, mensalmente, apenas o mínimo da fatura, de 75 reais.

Além de informar o custo total da dívida, a ferramenta calcula também o custo total do crédito consignado – linha mais barata do mercado –, do crédito pessoal e do cheque especial – linha mais cara depois do rotativo do cartão. Para cada uma delas, é informado o número de parcelas para quitar a dívida.

Confira a simulação

Linha de crédito Custo total (R$) Juros (R$) Nº de parcelas Taxa (% ao mês) Taxa (% ao ano)
Rotativo do cartão de crédito 1.241,29 741,29 16,6 15,85 484,57
Crédito Consignado 533,23 33,23 7,1 2,16 29,26
Crédito Pessoal 650,31 150,31 8,7 7,55 139,40
Cheque Especial 886,62 386,62 11,8 12,90 328,63

Fonte: Calculadora do Cidadão do Banco Central

No rotativo do cartão, o valor referente aos juros é maior que o valor da dívida em si: 741,29 reais. No crédito consignado, seria possível quitar a dívida pagando apenas 33 reais de juros, e na metade do tempo. O consignado é uma modalidade que desconta o pagamento da dívida diretamente do salário do devedor.

O crédito pessoal é mais caro que o consignado, mas ainda é bem mais barato que o rotativo do cartão e o cheque especial.

Experimente simular a sua dívida com os juros do seu cartão de crédito na Calculadora do Cidadão e veja o passo a passo para renegociar suas dívidas e sair do vermelho.

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários