Passadas as festas, a importância do planejamento para não descontrolar as finanças não diminui. É hora de se ocupar com os gastos de início de ano: IPTU, IPVA, material escolar, matrículas e, mais adiante, imposto de renda.

O ideal é que você tenha separado parte do seu 13º salário, bônus ou restituição de IR para destinar a essas despesas.

Mesmo que não seja o caso, se você tem dinheiro guardado em aplicações financeiras conservadores, ainda estará no melhor dos mundos.

Parcelar também é uma opção, mas para isso é preciso planejar seus próximos meses, para não acabar se descontrolando com a despesa adicional.

Uma boa dica é ver quanto você gastou no ano passado, para não se surpreender quando as contas chegarem.

Como aproveitar os descontos dos impostos

Quem tem dinheiro em caixa pode aproveitar os descontos para pagamento de impostos à vista. Os estados e municípios muitas vezes oferecem desconto para pagamento à vista de IPVA e IPTU, além da opção de parcelamento.

Para saber se o desconto vale a pena, basta comparar o percentual de desconto com a rentabilidade que seria possível obter em uma aplicação financeira de prazo equivalente ao do parcelamento oferecido.

Considere, por exemplo, um desconto de 10% para pagamento à vista ou um parcelamento em três vezes, sem o desconto.

Quanto você receberia numa aplicação financeira conservadora em três meses? Digamos que 0,8% ao mês, líquido. Em três meses, equivale a uma rentabilidade de 2,42%, portanto menos do que o valor do desconto. Nesse caso, aproveitá-lo é vantajoso.

No caso do imposto de renda, os juros para o parcelamento equivalem à taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. Assim, para o parcelamento valer a pena, é preciso que suas aplicações tenham um rendimento líquido superior à Selic – o que é raro.

Parcelar pode valer a pena?

Para quem não tem reservas em aplicações financeiras conservadoras, restam as alternativas do parcelamento ou do endividamento para pagar à vista. Muitos bancos oferecem linhas específicas para pagar impostos de início de ano.

Contrair um empréstimo no banco é vantagem se o gasto total, incluindo os juros do crédito, for menor que o gasto total com o parcelamento. Pode ser que o juro embutido nas prestações do parcelamento oferecido por estados e prefeituras seja mais barato.

Gastos escolares

Muitos pais antecipam a matrícula escolar com desconto ainda no ano anterior. Quem deixa para pagar já no ano corrente pode ficar sem o desconto. Mas pode ainda ser possível conseguir desconto para quem se matricular cedo em cursos e outras atividades extras.

Quanto ao material escolar, não tem jeito: a saída é pesquisar, pesquisar e pesquisar muito.

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários