renda variável pode trazer oportunidades de rentabilidades mais interessantes que as da renda fixa, com maiores riscos. No entanto, na hora de escolher um investimento, há investidores que ficam em dúvida entre escolher os fundos de investimento ou as ações. 

Ambas as opções podem ter as vantagens e desvantagens. Sendo assim, qual é a melhor alternativa? Nós, da Genial, queremos ajudar você a tomar a melhor decisão possível. Por isso, preparamos este conteúdo. 

Nos tópicos a seguir, você conhecerá melhor cada uma dessas alternativas de investimento. Então continue a leitura e descubra se fundos ou ações combinam mais com a sua carteira! 

Ações 

Investir diretamente em ações é uma das maneiras de você se expor a esse mercado. Entenda melhor esse tipo de investimento! 

O que é uma ação? 

Ação é a menor fração do capital social de uma empresa. Há companhias que têm um capital fechado, de modo que apenas alguns poucos sócios detêm suas ações. Já outras decidem fazer o IPO (Initial Public Offer, ou oferta pública inicial).  

Com isso, suas ações são distribuídas para uma grande quantidade de investidores, que as adquirem por meio da bolsa de valores

Existem as ações do tipo ON (ordinárias nominativas), conhecidas também como ações ordinárias. Elas dão ao investidor o direito de votar nas assembleias de acionistas. Vale notar que o peso do voto é proporcional à quantidade de ações que cada pessoa possui. 

As ações PN (preferenciais nominativas), por sua vez, são conhecidas como ações preferenciais. Elas dão ao investidor preferência no recebimento de proventos. Estes se referem à parte do lucro que a companhia distribui entre os acionistas. 

Essa distribuição pode ocorrer em frequências variadas — mensalmente, trimestralmente, semestralmente ou anualmente, dependendo da política adotada pela empresa. 

Como comprar ações? 

A compra de ações é feita por meio da bolsa de valores. Para você acessar esse ambiente, é preciso usar o home broker ou plataformas específicas. Algumas funcionam em smartphones e tablets, e outras funcionam em computadores. 

Para você usar um home broker, necessitará abrir uma conta em uma corretora de valores. Trata-se de uma instituição financeira cujo foco são os investimentos. Depois da abertura, basta transferir dinheiro da sua conta bancária para a sua conta de investimentos. 

Ao abrir a conta, a plataforma da corretora apresentará a você um questionário, por meio do qual é feito o teste de suitability. Depois de responder às perguntas, a plataforma indica qual é o seu perfil de investidor. 

Saber se o seu perfil é conservador, moderado ou arrojado é essencial para a sua escolha de investimentos. Sempre considere isso, uma vez que seu perfil indica qual é o nível de risco que você tem a disposição de correr. 

Ações são mais adequadas para perfis moderados ou arrojados. Para comprar os papéis do seu interesse, procure-os a partir do ticker da empresa. Esse é o código que identifica a ação. Depois, informe a quantidade desejada e envie a ordem de compra. 

As vantagens de investir em ações 

O investimento direto em ações tem algumas vantagens. Por exemplo, quando você escolhe as ações que quer comprar, é possível montar uma carteira de investimentos completamente alinhada com os seus interesses. 

Além disso, investir diretamente em ações pode dar a você a oportunidades de investimentos com menor duração de tempo através das oscilações diárias. Há pessoas, por exemplo, que fazem day trade. Trata-se de um tipo de operação em que uma posição é iniciada e finalizada no mesmo dia. 

A especulação pode ser feita com ações e é uma maneira de fazer investimentos com objetivos de ter resultados no curto prazo — expondo-se a maiores riscos. Geralmente, não vale a pena fazer isso com os fundos de investimento, e você entenderá os motivos mais adiante. 

Outro benefício das ações é a distribuição de proventos, como dividendos e juros sobre o capital próprio (JCP) — especialmente no longo prazo. Os dividendos, inclusive, são isentos de Imposto de Renda, o que os torna muito atrativos. 

É interessante notar também que existe uma isenção de IR sobre o lucro obtido na venda de ações. Você pode se beneficiar dela, desde que faça operações que começam e terminam em dias diferentes e o volume de venda de ativos dentro do mês seja inferior a R$20 mil. 

As desvantagens de investir em ações 

Uma das desvantagens de investir de forma direta em ações está relacionada com a dificuldade que muitas pessoas têm de montar uma carteira. Afinal, a seleção desses papéis requer uma análise cuidadosa. 

Por exemplo, quando o interesse é lucrar no curto prazo, geralmente recorre-se à análise técnica, também chamada de análise gráfica. Com isso, é possível verificar padrões nos preços e encontrar oportunidades que ofereçam chances de lucro. 

Por outro lado, se o interesse é lucrar no longo prazo, muitos investidores recorrem à análise fundamentalista. Ela inclui uma verificação complexa da saúde financeira e organizacional da companhia. 

Você pode ver que, qualquer que seja o caso, é essencial saber analisar ações. E não se trata de analisar apenas uma empresa. Para montar uma carteira de investimentos sólida, é preferível investir em uma boa quantidade de ativos para diluir o risco. 

Assim, a necessidade de tempo e conhecimento sobre o mercado pode ser uma desvantagem do investimento direto. Em especial, para investidores iniciantes. Com isso, os riscos também aumentam. Afinal, erros estratégicos trazem perigo de prejuízo. 

Outra desvantagem podem ser os custos, a depender da quantidade de operações feitas. As negociações na bolsa de valores estão sujeitas à taxa de corretagem e aos emolumentos, por exemplo. 

A tributação nas ações 

A tributação nas ações depende de alguns fatores. Por exemplo, operações de day trade estão sujeitas a um Imposto de Renda de 20% sobre o lucro. Para calcular o ganho líquido, é preciso verificar a diferença entre o preço de venda e o de compra e subtrair as taxas. 

Em operações que duram mais de um dia, o IR sobre o lucro é de 15%. E, como você viu, há isenção de imposto em vendas abaixo de R$20 mil no mês.  

O imposto sobre a venda de ações deve ser pago até o último dia útil do mês seguinte, por meio de DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais). Já em relação aos juros sobre capital próprio, há Imposto de Renda retido na fonte. 

Fundos de investimento em ações 

Outra maneira de se expor ao mercado de ações é investir em fundos. A seguir, entenda como funciona essa modalidade de investimento! 

O que é um fundo de investimento? 

Um fundo de investimento tem um funcionamento parecido com o de um condomínio. Os moradores se unem para custear a estrutura que todos usam. Assim, eles não precisam dedicar tempo e atenção a fatores como a manutenção e a limpeza do local, certo? 

No caso de fundos, os investidores aportam seus recursos, os quais passam a ser administrados por um gestor. Este profissional se encarrega de fazer a alocação de recursos, comprando e vendendo valores mobiliários conforme a estratégia prevista. 

O gestor obedece a um regulamento, sempre respeitando as políticas de investimento do fundo. No caso dos fundos de ações, o profissional usa sua experiência e seu conhecimento para selecionar os melhores papéis. 

Por isso, se você investe em um fundo, seu dinheiro é distribuído em uma carteira de ativos. Na maioria dos casos, esse portfólio é diversificado. Nesse sentido, o manejo de risco dos fundos pode ser otimizado. 

Esse é um dos fatores que inviabilizam o day trade com fundos de investimento. Eles podem apresentar volatilidade menor do que as ações. Com isso, os fundos de ações podem ser mais interessantes como investimentos de longo prazo

Como investir em fundos de investimento? 

Para investir em fundos, você precisa adquirir cotas deles. Assim como no caso das ações, é necessário ter conta em uma corretora de valores. Dessa forma, você pode acessar uma plataforma de investimentos onde os fundos de ações são negociados. 

Ao investir, é preciso ter em mente os custos de manter o seu dinheiro investido. Um deles é a taxa de administração, que remunera o gestor. Alguns fundos apresentam também uma taxa de performance, que é cobrada quando o desempenho do fundo supera o benchmark. 

As vantagens dos fundos de investimento 

Como vimos, com os fundos de ações você não precisa ter um conhecimento avançado do mercado financeiro para ter uma carteira diversificada. Afinal, ao comprar cotas de um fundo, o investidor se expõe às decisões do gestor. 

Assim, você não precisa fazer análises profundas da saúde financeira das empresas. Em fundos diversificados, há outra vantagem: o manejo de risco. Mesmo que uma ou mais ações da carteira do fundo tenham um desempenho ruim, as outras ajudam a equilibrar o resultado geral.  

A atuação do gestor profissional também é vantajosa. Há investidores que, mesmo tendo um bom conhecimento do mercado financeiro, adquirem cotas de fundos de investimento. Isso poupa tempo ao terceirizar a estratégia e a atualização do portfólio. 

As desvantagens dos fundos de investimento 

Ao investir em um fundo de ações, o seu dinheiro é distribuído em ativos selecionados por um gestor. Desse modo, não é possível personalizar a sua carteira para que ela seja perfeitamente alinhada com os seus interesses.  

Algumas pessoas consideram desvantajoso o fato de não poderem definir exatamente a composição da sua carteira de investimentos. Além disso, ao investir em um fundo de ações existem custos específicos. 

Por exemplo, é preciso arcar com uma taxa de administração. Às vezes, pode haver também outras taxas, como você viu. Por fim, é preciso dar atenção ao prazo de resgate e à liquidez. Em alguns casos, não é tão fácil ou rápido resgatar as cotas. 

A tributação nos fundos de ações 

Um dos impostos que incidem nos fundos de ações é o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Mas ele só se aplica caso o investidor mantenha o dinheiro investido por menos de 30 dias. Nesse caso, a alíquota varia de 96% a 0% do 1° ao 30° dia de investimento, respectivamente, incidindo sobre o lucro. 

Quanto ao Imposto de Renda, os fundos de ações estão sujeitos a uma alíquota de 15% sobre o lucro, independentemente do prazo de investimento. Vale notar que o IR é retido na fonte, diferente do investimento direto em ações. Além disso, fundos de ações não tem come-cotas e o IR é pago somente no resgate. 

Saiba Mais: O que é come-cotas? Entenda a tributação dos fundos

Fundos de investimento ou ações: qual é a melhor alternativa? 

Agora você já entende como funcionam as ações e os fundos de investimentos. Considerando as características que viu até aqui, pode escolher o que fazer. Para ter uma boa escolha, é preciso analisar os fatores apresentados e confrontá-los com os seus objetivos.  

Para cada objetivo e prazo existe um investimento mais adequado. Por exemplo, com algumas ações, é possível obter lucro no curto prazo. Outras podem ser mais interessantes no longo prazo, principalmente por conta da distribuição de proventos. 

Quanto aos fundos de investimento, podem não ser tão vantajosos no curto prazo. Mas, no longo prazo, eles podem proporcionar um bom lucro em virtude da valorização de suas cotas. Por isso, é preciso ponderar a escolha. 

Outro fator importante é avaliar qual das alternativas se encaixam melhor nas suas necessidades. Por exemplo, se você não tem tempo disponível ou conhecimento necessário para avaliar ações, os fundos podem ser mais interessantes. 

Por outro lado, se o seu objetivo é escolher os ativos individualmente, a escolha individual de cada ação pode ser mais assertiva. Lembre-se que, nesse caso, é possível até mesmo contar com o apoio de carteiras recomendadas

Por fim, dependendo da sua estratégia, pode ser interessante ter os dois. É possível diversificar em ações e cotas de fundos na sua carteira. Desse modo, você consegue fazer o manejo do risco, equilibrando o risco e a rentabilidade. 

Conclusão 

Investir em fundos de investimento ou em ações é uma decisão pessoal. Ela depende da estratégia e da situação de cada investidor. Logo, vale a pena considerar as informações deste artigo para montar uma carteira sólida, que contribuirá para os seus objetivos financeiros! 

O que acha de dar agora mesmo o primeiro passo para investir? Abra uma conta na Genial e comece a compor a sua carteira de investimentos! 

Comentários