Sumário


Investir em Ações é uma das possibilidades mais conhecidas do mercado financeiro. A prática pode trazer boas oportunidades de retorno e chama especial atenção em um contexto de taxa Selic em baixa. Afinal, a renda fixa está rendendo menos.

Contudo, antes de aportar dinheiro na bolsa de valores é essencial conhecer o investimento. Você não deve esquecer que a renda variável envolve maiores riscos. Assim, o retorno acima da média de aplicações seguras depende de conhecimento e estratégia.

Quer saber tudo o que precisa? Confira um conteúdo completo neste e-book que nós, da Genial Investimentos, preparamos para você! 
 

Passos para

Introdução

Afinal, o que é uma Ação?  

Quais são os tipos de Ações disponíveis?  

Qual é o ticker de cada tipo de Ação?    

Quais são os primeiros passos para investir em Ações?  

Como ocorre o ganho com o investimento em Ações?  

01020304

Introdução  

A bolsa de valores tem chamado a atenção dos investidores, especialmente por causa da taxa Selic em queda. O problema é que muitas pessoas ainda não sabem como aproveitar as oportunidades que ela apresenta — por exemplo, investir em Ações.

Para tomar decisões alinhadas ao seu perfil, é necessário aumentar seus conhecimentos sobre o tema. Também é fundamental conhecer quais são os primeiros passos para aproveitar as Ações. Então será possível começar seus investimentos já em 2021.

Por isso, nós, da Genial Investimentos, separamos os conceitos mais relevantes que você precisa conhecer. Confira!

voltar para o sumário

Afinal, o que é uma Ação?  

Previdência
P
rivada

Como declarar o

Imposto
de Renda 2019


Antes de ver os passos essenciais para começar a investir em Ações, vale a pena começar a entender melhor o assunto. Para isso, é central conhecer alguns conceitos e elementos importantes desse ativo. Em primeiro lugar, está a resposta sobre o que é uma Ação.

Basicamente, podemos dizer que se trata de uma parte do capital social de uma empresa que é negociada na bolsa de valores. Também pode ser definida como a menor parte negociável de uma companhia. A partir de sua aquisição, o investidor se torna um acionista.

A principal função das Ações para os negócios é permitir uma captação de recursos para investimentos, expansão e melhorias. Em troca, os proprietários abrem mão de parte do controle. Já os investidores podem ter lucro com os resultados da companhia.

Quais são os tipos de Ações disponíveis?  

voltar para o sumário

Contrato de Índice Futuro

Outro fato relevante quando se fala em Ações é saber que há mais de um tipo de papel. Como o funcionamento deles é diferente, você deverá escolher os que fazem sentido para a sua carteira. Quais são eles?

As Ações ordinárias são aquelas encontradas e negociadas com maior frequência na bolsa. Sua principal característica é que dá direito a voto nas assembleias da empresa. Por exemplo, para eleger o conselho administrativo.

Já as Ações preferenciais não apresentam esse direito, mas oferecem uma vantagem ao dar preferência no recebimento de lucros. Se ocorrer a liquidação da empresa, os acionistas preferenciais também têm preferência em casos de pagamento.

Por fim, há o tipo de Ação units. Ele se refere a uma espécie de pacote que contém diversos papéis. Assim, são uma junção de Ações ordinárias e preferenciais.

voltar para o sumário

Qual é o ticker de cada tipo de Ação? 

Na bolsa de valores, você precisa saber o ticker de um ativo para negociá-lo. Trata-se de um código que identifica cada Ação, cota de fundo etc. No caso dos papéis, ele é formado por 4 letras que representam o nome da empresa.

Depois das letras há um número. No caso, ele ajuda a saber qual é o tipo de Ação. Ações ordinárias vêm com o 3 ao final (como a PETR3), enquanto as preferenciais apresentam o 4 (como em PETR4). No caso das units, o número será 11.

Contudo, é preciso ficar atento em relação às units, pois o algarismo também é utilizado em outras modalidades. Por exemplo, cotas de Fundos Imobiliários e ETFs (Fundos de Índice).

Passo a passo para declarar as contribuições feitas no plano VGBL:

voltar para o sumário

Quais são os primeiros passos para investir em Ações?

Para começar a aproveitar um investimento da renda variável é preciso seguir alguns passos que vão da preparação até a tomada de decisão. Assim, você aumenta as chances de obter bons resultados e está pronto para aproveitar boas oportunidades disponíveis.

Como saber o que fazer? Separamos 6 passos que você precisa conferir. Veja!

 
1. Planejamento e organização financeira: cuidar bem do seu dinheiro é uma condição inicial e indispensável para quem deseja investir — ainda mais se for em Ações. Portanto, nossa primeira dica é dar atenção à organização e ao planejamento financeiro de modo geral.

Nesse momento, comece pelo acompanhamento e reconhecimento sobre a situação das finanças. Monitore os gastos e os ganhos e entenda para onde tem ido o seu dinheiro. Quanto maior for o seu controle, maior é o potencial de organizar e economizar.

A partir disso, você deve elaborar um planejamento financeiro. Crie um orçamento e defina, por exemplo, o quanto cada área da sua vida deve receber e onde é possível realizar economias. A intenção é tomar decisões sobre o seu dinheiro para que haja a disponibilidade de investimento.


2. Reconhecimento do perfil de investidor: investir em Ações significa se envolver com uma alternativa da renda variável e que, portanto, apresenta mais riscos. No entanto, cada investidor tem uma tolerância diferente quanto aos riscos que está disposto a correr. É por isso que você precisa conhecer o seu perfil.

Basicamente, ele serve para indicar qual é a tolerância ao risco que um investidor apresenta. Há três perfis principais:

Declaração de resgates ou rendas de PGBL e VGBL

Conclusão

voltar para o sumário

eBook online

voltar para o sumário

6

Como você viu, começar a investir em Ações em 2021 pode ser vantajoso para você. A tarefa demanda uma análise do seu perfil de risco e dos seus objetivos. Além disso, é importante ter conhecimentos sobre o mercado.

Assim, você poderá montar a sua carteira em busca dos melhores resultados e do que faz sentido para as suas necessidades e para a sua realidade!

Quer contar com a melhor estrutura e ajuda profissional na hora de investir? 

Abra a sua conta e venha ser Genial!

Facebook Genial Investimentos
Twitter Genial Investimentos
Instagram Genial Investimentos
YouTube Genial Investimentos
LinkedIn Genial Investimentos

Siga a gente nas redes sociais!

Facebook Genial Investimentos

Baixe o nosso aplicativo

Fale com a gente

CENTRAL DE ATENDIMENTO
Logo Genial Investimentos
Autorregulamentação ANBIMA
Certificação B3

Acesse o disclaimer.
GENIAL INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS S.A.
CNPJ: 27.652.684/0001-62
www.genialinvestimentos.com.br

2020 Genial

Acesse o disclaimer.
GENIAL INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS S.A.
CNPJ: 27.652.684/0001-62
www.genialinvestimentos.com.br

2020 Genial

ABRA SUA CONTA
Logotipo Genial Investimentos

Investir é inteligente.
Lucrar é Genial.

Capítulo 1

Capítulo 2

Capítulo 3

Capítulo 4

Capítulo 5

Capítulo 10

07

Quais são as vantagens de investir na bolsa?  

08

Como escolher as melhores Ações para investir?  

10

Qual a importância de contar com uma boa corretora ao investir?  

11

Conclusão  

09

Quais são as alternativas para ter Ações na carteira?  

  • Conservador: é o investidor que prioriza a segurança e a liquidez, mesmo que reduza um pouco a rentabilidade que pode ser obtida;

  • Moderado: é quem tem uma tolerância um pouco maior a riscos, desde que eles estejam atrelados a maiores possibilidades de ganhos;

  • Arrojado: é o tipo que tem o maior apetite ao risco e é capaz de corrê-los de forma controlada e com foco em aumentar a perspectiva de rentabilidade.

É preciso saber em qual tipo você se encaixa para determinar se investir em Ações faz sentido. Mesmo investidores conservadores, que buscam a segurança, podem aportar recursos nessa alternativa.

A diferença está no percentual de exposição que cada perfil terá. Também há especificidades sobre as empresas que serão selecionadas e o prazo do investimento. Com a identificação do perfil, você poderá pensar em tudo isso.

Convém lembrar que para melhor manejo de risco é interessante ver as Ações como uma alternativa de longo prazo. Ainda que seja possível especular no curto prazo, os resultados menos arriscados demandam tempo para maturação dos investimentos.

3. Definição de objetivos de curto, médio e longo prazo: depois de descobrir o seu perfil de investidor, é o momento de estabelecer quais passos dar rumo ao futuro desejado. Então o mais recomendado é definir o que você espera atingir em curto, médio e longo prazo.

Isso é necessário, primeiramente, porque permite escolher investimentos adequados para cada demanda. É possível, por exemplo, selecionar empresas com maior
pagamento de dividendos para ter uma renda passiva.

4. Formação da reserva de emergência: antes de começar a investir na bolsa de valores é preciso montar a sua reserva de emergência. Ela nada mais é do que um montante suficiente para cobrir o seu custo de vida durante determinado período.

Não existe um tamanho definitivo para ela, mas, no geral, ela deve ter o equivalente de 6 a 12 meses da sua renda média. Assim, caso aconteça algum imprevisto, é possível recorrer à reserva. Outra vantagem dela é ajudar você a manter o foco nos seus aportes em outros investimentos.

5. Planejamento para investimentos frequentes: com a sua reserva de emergência completa, é hora de começar a pensar nos investimentos em ações na bolsa de valores. Nesse sentido, você deve definir o quanto deseja investir inicialmente, em busca dos primeiros resultados.

Contudo, só é possível fazer o seu patrimônio crescer de forma acelerada e consistente se você investir com frequência. Portanto, é preciso montar um orçamento que contemple um valor mensal para dedicar aos aportes.

É possível começar com frações menores e aumentar o dinheiro investido progressivamente. Assim, você tem a chance de fortalecer o seu patrimônio e de alcançar os seus objetivos mais facilmente. Além do mais, é interessante considerar os reinvestimentos, em caso de receber proventos.

6. Identificação das oportunidades: depois de criar o seu planejamento, o próximo passo para começar a investir em Ações em 2021 é identificar onde estão as melhores oportunidades. Ou seja, é preciso traçar uma estratégia para o seu patrimônio e encontrar os ativos que se encaixam nela.

A avaliação de empresas é essencial nesse processo. É preciso tomar decisões que sejam baseadas em dados. Com isso em mente, você encontrará o que faz sentido para a sua carteira e para os seus interesses.


Como ocorre o ganho com o investimento em Ações? 

Contrato de Índice Futuro

Além de saber como investir em Ações, você precisa entender como ocorrem os ganhos com esse investimento. Basicamente, eles se dão de duas formas principais.

Confira!

Ganho de capital 

A primeira maneira de ter lucro com Ações é pela valorização dos papéis. É o que acontece quando você adquire os ativos por um preço e, algum tempo depois, a cotação está maior. Ao vendê-los, você poderá ter ganhos com a diferença. O lucro é chamado de ganho de capital.

Dividendos 

A outra forma de obter ganhos com Ações é pelo recebimento de proventos. Eles se referem a vantagens que as empresas dão aos seus acionistas. Os proventos podem vir como dinheiro depositado na sua conta na corretora ou como papéis ou direitos de subscrição.

Em relação aos proventos normalmente recebidos em dinheiro, os principais são os dividendos e os juros sobre capital próprio. A maior diferença entre eles é que o primeiro é isento de Imposto de Renda para o investidor, enquanto o segundo apresenta IR retido na fonte.

Em ambos os casos, os proventos consistem em uma divisão proporcional de uma parte dos lucros entre os acionistas. Ou seja, você recebe de acordo com a quantidade de Ações que tem.  

Todas as empresas são obrigadas, por lei, a distribuírem parte dos seus resultados. No entanto, a frequência e o percentual de distribuição dependem de cada empresa. Com a distribuição dos lucros, o investidor pode ter uma renda passiva.

Investimento x especulação   

Você acabou de ver duas formas de obter lucro com investimentos de longo prazo. No entanto, o investimento não é a única alternativa na bolsa. Também é possível especular em busca de ganhos em operações de curto prazo. Há diversas formas de praticar a especulação ou trade.

No
day trade, por exemplo, as ordens de compra e venda são emitidas no mesmo pregão. Já o swing trade pode levar semanas para que a venda seja feita. O position trade é o mais longo e pode durar alguns meses.

Note que especular não é investir. Trata-se de uma estratégia diferente, que parte do acompanhamento de preços e é uma alternativa mais volátil. O período menor faz com que o comportamento se torne menos previsível e os riscos são maiores.

voltar para o sumário

Capítulo 6

voltar para o sumário

Quais são as vantagens de investir na bolsa?

Começar a investir em Ações em 2021 se justifica pelas diversas vantagens que estão atreladas a essa decisão. Desde que o seu perfil de investidor comporte os riscos previstos para a alternativa, há algumas questões positivas que podemos destacar.

Um dos primeiros aspectos é a diversidade. Há muitas empresas disponíveis, presentes em setores variados e de tamanhos distintos. Ao escolher esses ativos, portanto, é possível ter um portfólio com perfil de risco variado.

Outra questão está relacionada ao aumento de potencial de ganhos. Como estamos falando da renda variável, você pode obter um desempenho acima da renda fixa. Contudo, vale destacar que se trata de uma possibilidade. Ou seja, não há ganhos garantidos.

Por falar em renda fixa, com a Selic em baixa, suas alternativas deixam de atrair investidores que buscam ganhos mais significativos. Assim, quem deseja rentabilizar a carteira pode considerar ter parte do capital em renda variável — começando a investir em Ações em 2021.

Como você viu, outra vantagem das Ações são as oportunidades de ganhos. Por causa das formas de rendimento, é possível obter uma renda passiva e relativamente frequente com proventos. No período de acumulação, eles podem ser reinvestidos, aumentando seu patrimônio.

Por falar na questão patrimonial, os ativos têm foco no longo prazo. Então, se você gerenciar os aportes e escolher empresas que faça sentido para esse objetivo, é possível consolidar a sua carteira e ter mais tranquilidade no futuro.

Afinal, é nessa fase em que ocorre a maturação do investimento, além de haver a consolidação de todo o desempenho obtido.

Declaração de resgates ou rendas de PGBL e VGBL

Capítulo 7

voltar para o sumário

Capítulo 8

Como escolher as melhores Ações para investir?

Está convencido de que 2021 é o ano em que você aproveitará as Ações na bolsa de valores? Agora é o momento de entender como você deve selecionar os melhores papéis, entre os que estão disponíveis.

Primeiramente, é preciso saber que não existe uma fórmula única. Lembre-se de que cada investidor tem seu perfil e seus objetivos. A escolha dos papéis também depende dele. Por exemplo, empresas maiores podem passar mais segurança, enquanto as menores podem ter maior potencial de crescimento.

Além disso, é necessário saber que a escolha deve ocorrer de maneira racional, com base em informações que retratem a qualidade da empresa. Portanto, veja a seguir como encontrar quais são as Ações que se destacam no mercado!

Realize a análise de fundamentos 

A análise fundamentalista ou de fundamentos considera alguns pilares estruturais dos negócios. Ela se baseia em indicadores que apontam a saúde financeira da empresa. Entre eles, podemos citar o dividend yield, que calcula o pagamento de dividendos em determinado período.

Outro sinal importante é o índice de endividamento — que mostra o comprometimento de patrimônio e muitos outros. Também é preciso avaliar a gestão do negócio, como a composição do conselho, a experiência dos líderes etc.  

Tudo isso serve para entender qual é o nível de força do negócio e quais são as chances de ele sobreviver e gerar resultados em longo prazo. O ideal é escolher empresas cuja análise fundamentalista indique alinhamento com seus objetivos e com seu perfil de investidor.

Diversifique 

Investir na renda variável requer um manejo de risco. Um cuidado essencial nesse sentido é diversificar suas escolhas. Imagine: colocar todo o seu capital em uma empresa só o deixa muito exposto a dificuldades e crises dela.

Mas, de outro lado, distribuir seu patrimônio em companhias diferentes — e de setores variados — dilui seus riscos. Assim, a carteira se torna mais forte e pode aproveitar potenciais mais amplos sem correr maiores riscos.

Considere recorrer às carteiras recomendadas

Se você estiver em busca de praticidade, há a chance de aproveitar as chamadas carteiras recomendadas. Basicamente, elas são portfólios montados com Ações selecionadas por analistas certificados no mercado financeiro.

Os profissionais realizam uma análise fundamentalista e consideram também as condições presentes e futuras do mercado. A partir disso, indicam uma carteira composta por papéis que podem ser mais interessantes.

Fuja do efeito manada 


Na bolsa de valores, é importante saber controlar suas emoções. O efeito manada é um comportamento por meio do qual você toma uma decisão baseado nas atitudes de outras pessoas. Ou seja, não é uma escolha racional e ponderada.

No mercado financeiro, ele é bastante comum e ocorre especialmente em períodos de queda da bolsa. Muitas pessoas decidem vender as suas Ações por medo, sem uma estratégia por trás. Assim, o risco de realizar prejuízo aumenta muito.


Estamos falando da escolha direta de Ações para compor sua carteira, mas você sabia que essa não é a única forma de investir nos papéis?  

Veja quais são as suas outras oportunidades para começar a investir em Ações em 2021!

ETFs 

Primeiramente, é preciso entender que
fundos de investimento são alternativas coletivas, que funcionam como condomínios. Nesse caso, cada investidor adquire cotas de participação e um gestor profissional decide onde alocar os recursos, de acordo com a estratégia.

Entre as alternativas, temos os Fundos de Índice ou
Exchange Traded Funds (ETFs). São opções que buscam replicar determinado índice do mercado. Apesar de não se limitarem às Ações, os ETFs mais comuns investem no mercado acionário.

Por exemplo, o BOVA11 é um Fundo de Índice que replica o Ibovespa. Ele é o principal índice da bolsa brasileira, apresentando critérios para definir as Ações mais negociadas. O ETF investe na mesma proporção e nas empresas que o compõem.

Fundo de Ações 

Outra possibilidade para investir são os
Fundos de Ações. Como o nome prevê, o foco deles está no investimento em papéis. A diferença em relação aos ETFs é que os fundos desse tipo costumam ter gestão ativa. Ou seja, o objetivo do gestor é superar um benchmark.

De modo geral, os fundos apresentam portfólio diversificado. Então podem ser uma alternativa para ampliar sua carteira. Diferente dos ETFs, as cotas de Fundos de Ações não são negociadas na bolsa, mas na plataforma das corretoras de valores.

Fundo ESG 


Entre os Fundos de Ações, podemos citar os
Fundos de estratégia ESG como um caminho para o investimento. Ele também serve para investir nesses ativos, mas apresenta particularidades em relação aos critérios de escolha.

Basicamente, uma abordagem ESG prioriza negócios sustentáveis, com boa governança e impacto social. O investimento, então, é feito com propósito e foca em negócios que atendam a tais critérios. Trata-se de uma alternativa interessante para quem tem tais valores ao investir.

BDR 

Se você quiser diversificar ainda mais sua carteira, é possível começar a investir em Ações em 2021 por meio do
Brazilian Depositary Receipt (BDR). Ele é uma alternativa focada no mercado externo, pois permite se expor a Ações e outros ativos internacionais sem sair do Brasil.

Toda a negociação é feita em Reais e na bolsa brasileira, graças à atuação de uma empresa que faz o intermédio. A instituição depositária adquire as Ações no país de origem e, então, emite os BDRs com lastro nesses papéis.

Quais são as alternativas para ter Ações na carteira?

Capítulo 9

voltar para o sumário

Contrato de Índice Futuro

Agora você sabe quase tudo o que precisa para começar a investir em Ações. Para efetivar os seus investimentos, é indispensável ter conta em uma corretora confiável. Como a Genial Investimentos.

O processo funciona assim: com a conta aberta, você acessa o home broker. Depois, transfere o dinheiro, escolhe a Ação pelo ticker, digita a quantidade de papéis que deseja e emite a ordem de compra. A compra pode ser feita em lotes ou unidades (no mercado fracionário, adicionando F ao final do ticker).

Qual a importância de contar com uma boa corretora ao investir?

Capítulo 11

voltar para o sumário0605

investir em

ações

em

2021

Sobre a Genial Investimentos  

12

Capítulo 12

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Descomplicamos o mercado financeiro para você tomar boas decisões na hora de investir. Acreditamos que investir pode ser fácil e rápido. Somos 100% digitais, mas sempre humanos.

Aqui na Genial Investimentos, nosso principal investimento é sempre você!  

Abra sua conta conosco! 

Sobre a Genial Investimentos  

voltar para o sumário
Luciano Faustino

CMO da Genial Investimentos

Luciano Faustino

CMO da Genial Investimentos