Aos pais que não estão acostumados com o mundo dos investimentos, nem com o sobe desce do mercado financeiro e mesmo assim desejam começar pela renda variável sem grandes sustos, selecionamos duas modalidades de investimentos para iniciar o processo de independência do seu filho.  

Como escolher e comprar 

Este artigo é o quarto de uma série dedicada a apresentar produtos financeiros para tornar seu filho investidor. Pela minha ordem de preferência, começamos a Jornada do Filho Investidor apresentei primeiramente o projeto Genominha  assinado pelo Analista da Genial Investimentos Filipe Villegas, Em seguida, falamos sobre fundos imobiliários e ETFs e aqui, falaremos sobre os Fundos Multimercado e os Fundos de Previdência.

Para as crianças, são interessantes fundos com risco moderado ou arrojado, pois os de perfil conservador não condizem com o contexto de mercado mencionado acima. Tenho ressalvas quanto aos Fundos de Previdência; explico as razões mais adiante.  

 1 – Fundos Multimercado  

Os Fundos Multimercado são uma categoria de fundos de investimentos em que pessoas físicas e jurídicas realizam aportes em uma cesta de produtos financeiros. No caso dos multimercado, esses ativos podem ser produtos de renda fixa, câmbio, ações, derivativos, entre outros.

O risco do investimento está ligado aos tipos de produtos que contém dentro da cesta do fundo escolhido, ou seja, pode ser um fundo conservador, moderado ou arrojado, dependendo da composição da carteira. Complicou? 

Imagine três cestas divididas pelas características de vários produtos: 

  • Na cesta 1, há mais produtos de renda fixa de títulos públicos, privados e de crédito privado, que podem ter ou não determinado percentual em renda variável. Ou seja, aqui, há uma previsibilidade de ganho.  
  • Na cesta 2, há produtos de renda fixa, mas também existe uma concentração maior de ações, fundos imobiliários e outros produtos em renda variável. 
  • Na cesta 3, há produtos voltados totalmente para a economia real, que costumam ter bastante oscilação de preço e portanto tendem a uma rentabilidade maior. 

Em resumo, os fundos multimercado reúnem várias classes de produtos dentro de um mesmo fundo. Apesar de ser  uma forma de diversificar, não é o suficiente. Para os pais que não lidam bem com o sobe e desce do mercado de ações, os fundos de perfil moderado costumam ser uma boa opção.  

Entre as principais vantagens desses fundos está a diversificação, já que com uma única cota é possível investir em diferentes ativos, com riscos e chances diversas de rentabilidade, sem a necessidade de manter um percentual mínimo do portfólio alocado em uma única categoria de produtos. Por isso são considerados fundos flexíveis, com possibilidade de adaptação  da estratégia a diferentes contextos econômicos.  

Outro ponto a favor dos multimercados é a gestão profissional. As decisões sobre os investimentos e desinvestimentos são tomadas e revisadas constantemente por uma equipe de profissionais, cujo  trabalho é pago por meio de  cobrança de taxas de administração. Recomendo sempre procurar taxas baixas e alinhadas ao desempenho do fundo. 

Como os seus filhos podem se beneficiar dos multimercado? Imagine uma criança que, entre janeiro de 2013 e julho de 2020, investiu mensalmente  R$ 200,00 no fundo multimercado Occam Retorno Absoluto (risco arrojado). No fim do período, ela teria acumulado R$ 36.181,04 em patrimônio; já em um investimento indexado ao CDI, ela teria acumulado um retorno de R$ 25.164,10.  

Evolução patrimonial - Occam Institucional (moderado) e Occam Retorno Absoluto (arrojado)
Evolução patrimonial – Occam Institucional (moderado) e Occam Retorno Absoluto (arrojado)  

Em pouco mais de sete anos, seu filho teria um patrimônio considerável  investindo mensalmente  R$ 200, e sem aplicação inicial em valor superior. Imagine como esse capital poderia impactar a vida do seu filho hoje?

Agora, projete isso para o futuro, para mais sete anos de investimentos mensais com pequenos valores e inclua o seu filho nessa jornada de educação financeira. O resultado, com certeza,  será uma vida mais tranquila e um adulto mais preparado para lidar com as oportunidades que a vida trouxer.  

A tributação dos Fundos Multimercado é realizada conforme suas características, dependendo se for de  longo ou curto prazo, e podem ser cobradas  taxas de administração e performance. Você deve checar todas  as taxas antes de investir. Veja abaixo:  

Tributação – Fundos Multimercado de longo prazo: 

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias; 
  • 20% para aplicações com prazo entre 181 e 360 dias; 
  • 17,5% para aplicações com prazo entre 361 e 720 dias; 
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias. 

Tributação – Fundos Multimercado de curto prazo: 

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias; 
  • 20% para aplicações com prazo de mais de 180 dias. 

Sistema come-cotas: a cada seis meses (em maio e novembro), é cobrada uma tributação antecipada, o “come-cotas”: 15% nos fundos de longo prazo e 20% nos de curto prazo. Como se trata de uma antecipação, ao resgatar as cotas, o investidor pagará apenas a diferença entre o valor já cobrado e o imposto devido. A cobrança é somente sobre a rentabilidade. 

2 – Fundos de Previdência 

Eu citei anteriormente que tinha algumas ressalvas sobre os Fundos de Previdência. Vou falar sobre isso antes de apresentar as características dessa classe de ativos. É comum as pessoas associarem os Fundos de Previdência a segurança, apesar de serem também classificados como uma modalidade dos Multimercado.  

Acredito que os Fundos de Previdência são boas opções em casos muito específicos: para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda, pois é possível deduzir da contribuição anual; para o planejamento sucessório, antecipando a transferência dos bens dos pais para os filhos; e, finalmente, para quem deseja aplicar recursos sem cogitar o sacá-los em menos de dez anos, já que a carga tributária para períodos inferiores é bem elevada.  

Se você se encaixa nos exemplos acima ou se, apesar das ponderações apresentadas, acredita que faz sentido colocar esse produto na carteira do seu filho, recomendo cuidado para não cair nas pegadinhas do mercado tradicional: os fundos de previdência dos grandes bancos. Esses produtos, em geral, são os verdadeiros micos do mercado financeiro, com muitas  taxas, baixa rentabilidade e sem preocupação com seu plano de independência financeira. 

Agora, sim, vamos às características dos Fundos de Previdência. Assim como os Multimercado, eles também podem investir em ativos da renda fixa e da renda variável. Portanto, para as crianças, a recomendação é sempre optar por Fundos de Previdência de risco moderado ou arrojado, que podem oferecer uma rentabilidade acima do CDI nas aplicações de longo prazo. Essa categoria de fundos, em geral, tem dois custos principais: a taxa de carregamento e a taxa de administração.  

Na primeira, é descontado um valor para cada contribuição realizada no período de acumulação;  já a segunda é cobrada sobre um percentual do patrimônio do fundo. Novamente, a dica aqui é avaliar as regras para aplicação e os valores dessas taxas, pois essas cobranças vão consumir parte do patrimônio do seu filho.  

Comparativo dez anos - Fundos de Previdência - Moderado
Comparativo dez anos – Fundos de Previdência – Moderado 

No gráfico acima, você pode observar a evolução dos mesmos R$ 200 aplicados mensalmente,  pelo período de dez anos, em quatro diferentes fundos de previdência de risco moderado. O fundo com maior rentabilidade entre eles, o Icatu Seg Composto, acumulou, entre 2010 e 2020, o total de R$ 42.230,87. Como o seu filho poderia utilizar esses recursos hoje e no futuro?  

Agora, veja abaixo os mesmos R$ 200,00 aplicados em um fundo de perfil arrojado. O fundo com maior rentabilidade no exemplo, o Leblon Icatu Previdência, acumulou R$ 49.006,53 no período . 

Comparativo dez anos – Fundos de Previdência – Arrojado 

Eu recomendo os Fundos de Previdência aos pais que desejam aplicar parte dos recursos da criança pensando na aposentadoria. Investindo um pouquinho desde a infância, os pequenos certamente terão uma velhice mais tranquila e sem preocupações com a sustentabilidade da previdência pública.  

IMPORTANTE: Nos fundos de previdência, não tem a cobrança do come-cotas. 

Duas tabelas de tributação: progressiva e regressiva 

A cobrança de Imposto de Renda em previdência privada segue  duas tabelas de tributação: a progressiva e a regressiva. O participante tem o direito de escolher a mais adequada ao seu perfil. 

A tabela progressiva é a mesma que incide sobre os salários e outras rendas, como aluguéis. Quanto maior o valor resgatado, maior será a alíquota do Imposto de Renda, que vai de zero a 27,5%. Essa tabela é revista e atualizada pelo governo de tempos em tempos. 

Já a tabela regressiva, exclusiva dos planos de previdência privada, tem alíquotas decrescentes, de acordo com o tempo que os recursos permanecem aplicados no planoAs alíquotas mais elevadas, para os prazos de aplicação mais curtos, são mais altas do que as incidentes nos demais investimentos financeiros. 

O IR cobrado é de 35% para investimentos de prazo inferior a dois anos. Já nos investimentos tradicionais, a maior alíquota, para prazos inferiores a seis meses, é de 22,5%. 

Em compensação, a menor alíquota, válida para aplicações de prazo superior a dez anos, é de apenas 10%, contra uma alíquota mínima de 15% nos demais investimentos, válida depois de dois anos de aplicação. 

Se o participante optar pela tabela regressiva e falecer durante a fase de acumulação, a alíquota máxima que pode ser cobrada na transferência do montante acumulado para os beneficiários é de 25%. 

Na hora de escolher a tabela do seu plano, é preciso atenção a um ponto: a tabela progressiva pode, posteriormente, ser trocada pela regressiva, mas o contrário não é possível. A escolha pela tabela regressiva é irretratável. 

Por todas essas razões, pense bem se faz sentido escolher um Fundo de Previdência para o seu filho.  

IMPORTANTE: Fundos de Previdência de grandes bancos tendem a uma rentabilidade muito abaixo das opções que existem nas plataformas de investimentos sobretudo ao que se refere às taxas de administração dessas carteiras.  

Lembre-se: A segurança está atrelada aos produtos e não às instituições, portanto, olhe os ativos que têm dentro dos fundos..  

Como investir em fundos pela Genial? 

O investimento em fundos é realizado através da plataforma das corretoras, e não pelo home broker. A minha corretora e a dos meus filhos é a Genial Investimentos. Eu mostrei todas as etapas para abrir uma conta para seus filhos no meu último post (INSERIR LINK).  

Se seu filho já tem conta, vou mostrar como investir pela plataforma em poucos passos. Primeiro, siga as instruções para  acessar os Fundos Multimercado. Em seguida, na área logada, acesse o menu principal, na lateral esquerda, e selecione “Investir”. Na sequência, selecione a opção “Fundos”: 

Menu principal > Investir > Fundos

Será exibida uma nova tela com todos os fundos disponíveis na Genial. Na opção  “Pesquisa”, digite o nome do fundo desejado. No exemplo, eu busquei pelo Occam Institucional, o mesmo utilizado no exemplo acima.  

Veja que, além das informações sobre a rentabilidade e o valor mínimo para investimento, também é exibida a classificação de risco do fundo, neste caso, moderado.  

Classificação do Fundo de Investimento

O mesmo procedimento pode ser realizado para os Fundos de Previdência. Após selecionar a opção “Investir”, escolha a opção “Previdência” e, na sequência, busque pelo fundo desejado, assim como fizemos no exemplo anterior: 

Investir em Previdência

As crianças têm o benefício do tempo, mas não podem abrir mão de alinhar os investimentos aos valores da família e, claro, de diversificar. Por isso, nos próximos artigos, vamos falar de outros produtos financeiros que se encaixam perfeitamente nessa jornada: os Fundos Imobiliários e as ETFs. 

Em casa, eu estimulo meus filhos a pensarem e pesquisarem sobre o produto antes de investirem. Priorizamos a economia real e escolhemos sempre ativos que possam contribuir para o desenvolvimento do país, mas que estejam casados com nossos valores familiares.

Se seu filho ainda não compreende esse princípio, comece por ele e, depois, transmita esse hábito. Crianças só aprendem pelo exemplo. Ao gerir o próprio dinheiro, seu filho poderá aprender a administrar  gastos, priorizar desejos e ter paciência, habilidades fundamentais da educação financeira.  

Ao focar no longo prazo, manter a disciplina e a frequência, os seus filhos poderão ter um bom alicerce financeiro, construído em família e fundamentado  em princípios que os acompanharão por toda a vida.  

Lembre-se: ser rico não é ter dinheiro, mas sim  ter a capacidade de gerar riqueza. Nós, pais e mães, temos o dever de ensinar nossos filhos a gerir a própria vida com responsabilidade, para que possam arcar com suas escolhas.

Abra sua conta na Genial Investimentos - Banner Post

Publicado por Genial Investimentos

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *