Se você já sabe que investir em ações significa se tornar sócio de uma empresa, então pode estar se perguntando como é possível comprar ações de grandes companhias estrangeiras.

Organizações como o Google e a Netflix têm impactado a realidade das pessoas de maneira significativa nos últimos anos. Quem não deseja se tornar sócio de corporações que ano a ano têm transformado as atividades humanas das mais variadas formas? É por isso que vale a pena ir mais a fundo no tema e saber como investir em empresas estrangeiras.

Companhias de capital aberto

Antes de partir para o mercado de ações, saiba que nem todas as empresas disponibilizam seus ativos para comercialização. Elas devem ser de capital aberto para negociar na bolsa de valores.

Basicamente, funciona assim: a empresa começa a ocupar espaço no mercado e seus gestores visualizam a possibilidade de crescer vendendo parte de sua participação no negócio para financiar projetos.

Quando uma companhia se lança no mercado financeiro, dizemos que se trata de uma Oferta Pública Inicial ou IPO, do inglês Initial Public Offering. Consequentemente, é natural que startups, por exemplo, abram capital para arrecadar fundos e assim viabilizar seu crescimento. Foi isso o que aconteceu com o Facebook, que no ano de 2012 fez uso desse recurso para alavancar seu crescimento.

Somente quando uma empresa abre seu capital, ou seja, quando faz o IPO, torna-se possível investir em ações dessa companhia.

Para o investidor brasileiro interessado em investir em ações estrangeiras, o importante é saber que as grandes companhias estão nos Estados Unidos, onde operam a Nasdaq e a NYSE, movimentando o maior mercado de ações do mundo, com empresas como a Apple, a Microsoft e a Pfizer. No Japão, a bolsa de Tóquio abriga empresas de renome como a Canon, a Toyota e a Sony; e no Reino Unido, há a presença de organizações como a Shell, o grupo HSBC e a Britsh Petroleum na conhecida bolsa de Londres.

Com a modernidade, surgiram recursos como o Home Broker, uma plataforma capaz de simplificar ações no mercado financeiro e reduzir distâncias. Esse sistema permite que,  você tenha como operar na bolsa de valores do conforto do seu lar.  Entretanto, quando esse processo envolve países diferentes, inevitavelmente surgem trâmites burocráticos que precisam ser compreendidos. Saiba mais sobre eles na sequência.

Corretoras estrangeiras

Em geral, as bolsas de valores do mundo todo trabalham de forma parecida: é preciso que o investidor faça o cadastro em uma instituição para fazer sua custódia, ou seja, atuar como um elo entre o cliente e a bolsa.

Neste ponto, surgem as dificuldades. Essas instituições costumam fazer exigências que muitas vezes inviabilizam o sucesso dos investimentos para quem é estrangeiro. Algumas dessas exigências são a comprovação da residência no país onde operam e o cadastro do cliente em bancos que não existem no Brasil.

Tudo isso envolve custos. Taxas, impostos e tarifas incidentes nessas operações precisam ser considerados como um todo, pois se forem muito elevados, podem interferir na rentabilidade. Como boa parte das grandes empresas estão presentes em países onde se negocia em Dólar, o fator cambial também tende a dificultar o processo, principalmente em épocas em que o Real está desvalorizado.

Assim, de uma maneira geral, podemos dizer que é perfeitamente possível investir em ações nas maiores bolsas de valores do mundo por meio de corretoras estrangeiras, entretanto, em virtude dos gastos e das exigências dos agentes envolvidos, o fato é que esse acesso é mais difícil para investidores de pequeno e médio porte, sendo viável para quem tem um volume muito grande de dinheiro ou para brasileiros com residência no exterior.

Entretanto, isso não impede o acesso do investidor a ativos das empresas mais conhecidas. Existe também a opção de aplicar em fundos de investimento.

As BDRs

BDR é sigla para Brazilian Depositary Receipts. Trata-se de uma espécie de certificado sobre ações de grandes companhias estrangeiras, como a Apple e a Exxon Mobil. Essas ações são negociadas na B3, sob responsabilidade de instituições nacionais autorizadas.

As BDRs costumam aparecer como minoria em fundos de investimentos, ou seja, como uma pequena parte em um conjunto onde constam outros ativos.

Por lei, os fundos de investimento multimercado podem conter no máximo 20% de patrimônio com origem estrangeira. Fundos de investimento de outra natureza podem chegar a 10%.

Do ponto de vista burocrático, investir em BDR costuma ser mais vantajoso do que abrir conta em corretoras ou bancos estrangeiros, uma vez que neste caso, o investidor não precisa se adaptar aos critérios de instituições internacionais.

Além disso, como os fundos de investimento têm na diversificação uma de suas características, isso permite que o investidor corra menos riscos e pague menos taxas ao longo do processo.

Na prática, para investir em BDR, basta o interessado procurar fundos de investimento que em seu conjunto reúnam ações de empresas estrangeiras. Uma vantagem desse modelo de negócio é poder contar com um gestor que será o responsável por escolher os papéis mais interessantes para o fundo, tornando o processo mais criterioso.

Vale lembrar que essa é uma solução para investidores de médio e grande porte, pois ainda envolve gastos.

Como investir em ações de empresas estrangeiras

Em resumo, a partir do momento em que uma empresa abre seu capital, ela disponibiliza parte do seu negócio a novos sócios no mercado financeiro. Para ter acesso a ele, mesmo estando em outros países, os investidores precisam se adequar às regras de funcionamento da bolsa onde a companhia opera.

Sendo assim, para o investidor brasileiro, as opções são procurar fundos de investimento nos quais existam ações das empresas com as quais pretende se associar ou então fazer o cadastro em uma corretora estrangeira.

Enfim, investir em ações de empresas estrangeiras por meio de corretoras internacionais pode ser uma opção caso você tenha recursos e condições favoráveis, como a residência fora do país. Do contrário, pode ser mais interessante recorrer a fundos de investimento e compor um conjunto de ativos mais amplo.

Quer saber mais sobre investir em ações? Então aprenda também o que é Ibovespa e saiba tudo sobre o assunto. Na Genial Investimentos é possível você investir em ativos estrangeiros. Quer saber mais? Abra sua conta e comece agora a expor o seu dinheiro nas maiores empresas do mundo.

abra sua conta

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *