A reforma da previdência é um ponto chave para as contas públicas e a forma como o próximo presidente encaminhará a resolução desse problema nacional será um catalisador de um tempo de prosperidade ou de retrocessos para o País.

Isto porque os governos esticaram demais a corda fiscal e os gastos da previdência estão no topo desses gastos e, principalmente, da trajetória da dívida pública.

O próximo presidente terá uma base aliada capaz de aprovar as reformas necessárias para modernizar a gestão pública, ajustar o orçamento e reduzir os crescentes déficits fiscais? Que tipo de reformas ele, ou ela, encaminhará?

Essas respostas darão o tom dos mercados de juro, câmbio e ações, mas mais do que isso vão ditar o ritmo de atração de investimentos. E o Brasil precisa muito de investimentos para reduzir esse desemprego brutal, aumentar a eficiência da economia e crescer de forma consistente nos próximos anos.

Por isso, muita atenção as respostas dos candidatos para os principais desafios econômicos brasileiros. Respostas pragmáticas e realistas tendem a sinalizar um futuro promissor para esse grande País que vem sofrendo duramente. No entanto, não são respostas doces de serem ouvidas.

Respostas populistas têm o poder de deixar os políticos mais simpáticos e desfrutarem de lugares nos corações dos eleitores. Mas na prática essas promessas fazem pouco pelo país e só vendem ilusão.

Idealizadora do MyNews, primeiro canal de jornalismo feito exclusivamente para o YouTube, Mara é jornalista especialista em economia e investimentos. Tem passagens pelos jornais Valor Econômico, Folha de S. Paulo e revista Veja, além de ter sido colunista da CBN e comentarista de jornais da Globo e GloboNews. Apresenta o programa “Economia é Genial” todas as quintas-feiras no canal MyNews, às 20h30.

Contentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *