Se você tem o desejo de se tornar um investidor, mas sempre adia o primeiro passo em direção a esse propósito, talvez a solução seja lançar mão de alguns truques.

O seu problema tem nome: procrastinação, o hábito de fugir das tarefas que nossas mentes consideram chatas e difíceis, mesmo quando sabemos que elas são importantes. Falei um pouco sobre as origens e as razões da procrastinação neste texto aqui.

Quem procrastina tem dificuldade de começar ou manter o foco em uma tarefa, preferindo fazer algo mais agradável e divertido. Às vezes o procrastinador até arruma umas desculpas, como “não tenho tempo”.

Acredita-se que a procrastinação seja instintiva e tenha se originado na necessidade de poupar energia e focar na sobrevivência imediata na época em que os seres humanos viviam pouco e os alimentos eram escassos. Daí nossa preferência por prazeres e alívios imediatos.

Devido a essa forte ligação com nosso lado mais intuitivo e emocional, a procrastinação tende a ser difícil de driblar. Mas você pode usar alguns truques para “enganar” seu cérebro e se obrigar a fazer o que é preciso.

Aí vão alguns truques que podem te ajudar a finalmente pôr a vida financeira em ordem, começar a poupar e se tornar um investidor:

1. Transforme seus sonhos em objetivos claros

Pode parecer contraditório, mas ter sonhos na verdade nos ajuda a manter a disciplina e o foco. Mas não estou falando de ficar sonhando acordado e deixando a vida passar. É preciso traduzir seus sonhos em objetivos concretos, com valor financeiro definido e prazo para acontecer.

Por exemplo, se você sonha em viajar o mundo, você precisa definir qual o próximo lugar que você quer visitar, ou se deseja dar uma volta ao mundo de uma vez. Pesquise quanto vai custar essa brincadeira – pode ser que você precise inclusive tirar um período sabático – e comece a poupar para esse objetivo.

O mesmo raciocínio vale para qualquer objetivo, financeiro ou não. Se você quer emagrecer, precisa saber a que peso e percentual de gordura quer chegar e ter um plano de exercícios e dieta adequado.

Se deseja que sua casa seja um lugar agradável e aconchegante, precisa controlar a realização das tarefas domésticas, eventualmente reorganizar alguma coisa e até mudar os móveis de lugar.

Objetivos bem definidos dão propósito à nossa vida, mesmo quando as tarefas para alcançá-los são desagradáveis e trabalhosas.

Uma coisa que pode te ajudar a traçar seus objetivos é fazer uma lista das coisas que você gostaria de fazer antes de morrer, uma “bucket list”. Falei um pouco sobre isso neste post, onde também digo o que tem na minha bucket list.

Sonhos como viajar de carro até Ushuaia ou assistir ao show da sua banda predileta na primeira fila podem ser transformados em objetivos financeiros claros e muito motivadores.

2. Quebre grandes objetivos em pequenas “submetas” de prazos mais curtos

Se o objetivo estiver muito distante – como a viagem da sua vida ou mesmo a aposentadoria – sua vontade de gastar em vez de poupar, ou mesmo de deixar a poupança para o mês que vem possivelmente vai falar mais alto.

Quando o prazo é longo, o procrastinador acaba deixando tudo para a última hora. Não é difícil encontrar pessoas que trabalham bem sob pressão, mas se embananam quando tem prazos longos demais.

A demora para alcançar um objetivo também pode ser muito frustrante. Uma solução é criar pequenas metas de prazos curtos, uma espécie de “submeta” no meio do caminho para cada objetivo. Assim fica mais fácil começar a tarefa, e a sensação de recompensa pelo dever cumprido chega mais cedo.

Por exemplo, se você estabeleceu que até o fim do ano deverá ter montado um orçamento, quitado as dívidas e começado a poupar uma quantia mensalmente, determine que, neste fim de semana, você vai montar sua planilha de receitas e despesas.

3. Dê a si mesmo um presente por cada meta atingida

A cada meta ou “submeta” alcançada, dê a si mesmo algum tipo de recompensa. Suponha que você deseje abrir conta em uma instituição financeira para investir. Depois de alguma pesquisa, você chegou a cinco nomes que parecem adequados.

Sua próxima meta é dar uma olhada nos sites dessas instituições, procurar saber a opinião de outras pessoas e investigar as possíveis reclamações para finalmente escolher uma. Uma tarefa que pode levar certo tempo.

Você pode estabelecer, por exemplo, que ao terminar o dever de casa de uma instituição, você vai fazer uma pausa de uma hora – contada no relógio! – para jogar um pouco de videogame antes de passar para a próxima.

Outra forma de se recompensar é estabelecer que você só vai fazer determinada atividade prazerosa depois de terminar suas obrigações. É aquela coisa que as avós falam sobre pôr o dever antes da diversão.

Assim, você pode estabelecer que só vai comprar os sapatos novos de que tanto precisa – ou que tanto deseja – depois de quitar todos os seus parcelamentos no cartão de crédito.

4. Automatize o máximo de tarefas possível

Às vezes adiamos tanto uma tarefa que nos esquecemos de realizá-la. Por isso, automatize seus afazeres o máximo possível a fim de tirar certa carga do seu cérebro.

Se você está disposto a poupar parte dos seus ganhos todo mês, o melhor caminho é programar a caderneta de poupança para debitar automaticamente a quantia desejada da sua conta corrente assim que cair o seu salário. Assim você não corre o risco de esquecer ou gastar tudo “sem querer”.

Mas não é só a poupança que tem essa possibilidade. “A pessoa pode fazer um investimento programado ou fazer com que algo sempre relembre a ela que é hora de investir”, diz a psicóloga Vera Rita de Mello Ferreira, especialista em Psicologia Econômica e Finanças Comportamentais.

5. Escolha uma ordem lógica para suas tarefas

Quando você precisa fazer algo chato ou difícil, comece pela parte mais fácil e agradável. Programe-se também para fazer as tarefas mais complicadas nas horas em que você costuma ter mais energia.

Se durante a semana você não é ninguém à noite, mas aos sábados sobram tempo e energia, não hesite: separe um sábado para estudar e tomar uma decisão financeira importante, e procure relaxar nas noites dos dias úteis.

Se você deixar o trabalho pesado para a noite de uma quarta-feira, corre o risco de não conseguir atingir a meta ou, pior, tomar as piores decisões. Nesses casos, a procrastinação é boa e protege você.

6. Bloqueie as distrações

“Hoje em dia, os estímulos para perdermos o foco são muitos e agravam a procrastinação”, observa Vera Rita de Mello Ferreira.

Netflix, Facebook, YouTube, Tumblr, Buzzfeed, 9Gag, Spotify. A lista de serviços com conteúdo divertido ou engraçadinho para nos desconcentrar hoje em dia é enorme, principalmente quando precisamos desempenhar uma tarefa no computador ou no celular.

Mas mesmo que a sua internet pare de funcionar, a sua cama aconchegante vai sempre estar ali, ou quem sabe uma rede ou um livro muito eletrizante. Na hora de procrastinar, até ficar olhando para o teto parece mais interessante.

Se você se propõe a atingir uma meta ou “submeta” – “hoje vou estudar um novo tipo de investimento” – tente bloquear as distrações o máximo possível. Desconecte a internet ou peça para alguém na sua casa mudar a senha, desligue o celular e tranque-o na gaveta e não trabalhe de pijamas sentado na cama.

Caso você precise estar conectado, minimize o ruído: tire o áudio das mensagens para apenas olhá-las quando estiver realmente livre, e fique logado apenas nas contas de e-mail e redes sociais que forem necessárias naquele momento.

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Contentários