• A Produção industrial sobe 0,9% mom em janeiro ante dezembro (série com ajuste sazonal), interrompendo dois meses de taxas negativas consecutivas. O resultado veio em linha com a mediana das expectativas (Broadcast). Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve recuo de 0,9%.
  • Na comparação o mês anterior, houve queda de 3,1% mom na indústria extrativa e crescimento de 1,5% mom na indústria de transformação (puxada pelo desempenho positivo da categoria de Bens de Capital e Bens de Consumo Duráveis).
  • Na comparação com o mês anterior, as principais influências positivas vieram de máquinas e equipamentos (11,5%), veículos automotores, reboques e carrocerias (4,0%), metalurgia (6,1%) e produtos alimentícios (1,6%). Coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,3%) avançaram pelo terceiro mês seguido.
Produção Industrial, Variação mensal (MoM)
Produção Industrial, sazonalmente ajustada
Produção Industrial, Var. interanual (YoY)
Grupos Econômicos
Categorias de Uso - YoY, MA3M
Bens de Consumo, YoY, MA3M.

Evolução Recente

Para fevereiro, os indicadores antecedentes indicam melhora. A Sondagem da Indústria (FGV) sinaliza alta do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em fevereiro: de 100,9 em janeiro para 101,4 em fevereiro na série com ajuste sazonal. Houve melhora no índice que mede a situação atual, porém um leve recuo no índice que mede as expectativas para os próximos meses. O índice cheio apresentou o segundo resultado consecutivo acima do nível neutro de 100 desde maio de 2018.

O PMI (IHS Markit) atingiu 52,3 em fevereiro (51,0 em janeiro), esse resultado indica que o setor industrial brasileiro se acelerou em fevereiro. A alta deveu-se a um aumento nos volumes de novos pedidos e do nível de empregos. Um ponto negativo da leitura de fevereiro foi a queda nas exportações com aumento nos custos dos insumos. Também, as empresas brasileiras citaram aumento nos prazos de entregas de insumos, fator que se manter ao longo de março devido aos efeitos prejudiciais do coronavírus na China e nas cadeias de abastecimento em todo o mundo.

Equipe Macro

José Márcio Camargo
Tiago Tristão
Eduardo Ferman

Publicado por Tiago Tristão

Doutor em economia pela PUC-RJ é analista de atividade econômica na Genial Investimentos.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *