Há uma infinidade de tipos de fundos de investimento no mercado. Esse tipo de aplicação é aquele em que o seu dinheiro é gerido por terceiros, no caso, especialistas do mercado financeiro e gestores que trabalham com diversos ativos para trazer a maior rentabilidade possível para você.

Entre tantas alternativas, uma delas se destaca: sãos os fundos de investimentos que investem em cotas de outros fundos. Parece confuso, mas é isso mesmo. São chamados de Fundos de Fundos (FoFs) ou Fundos Multigestores. Para identificá-los, a denominação deve ser a seguinte: “Fundo de investimento em cotas de fundos de investimento”.

Como funcionam os Fundos de Fundos (FoFs)?

Esses fundos mantêm, no mínimo, 95% de seu patrimônio investido em cotas de fundo de investimento de uma mesma classe, segundo a CVM. Só não funciona da mesma forma com os fundos multimercado, que podem investir em cotas de fundos de classes distintas.

Os 5% restantes de seu patrimônio podem ser aplicados em títulos  públicos federais ou títulos de renda fixa bancários, como os CDBs. Com os fundos multigestores, é possível ter acesso a fundos renomados e até restrito a milionários.

Esse tipo de investimento possibilita essa facilidade ao investidor que não possui alto grau de investimento. Com esses fundos, o investidor também pode ter seu capital exposto a variados tipos de fundos sem precisar lidar com vários ativos e pagar imposto mais de uma vez. Abaixo você verá todas as vantagens desse tipo de fundo.

1) Valor inicial baixo para investir

Os Fundos de Fundos podem ter investimento mínimo de grau muito baixo, começando com aproximadamente R$ 100.

2) Muito acessível

O fato de os fundos de fundos serem financeiramente acessíveis às pessoas físicas é extremamente relevante, já que se você fosse investir por si só, sem uma gestora por trás, o acesso seria muito restrito e o aporte teria que ser muito maior. Muitas vezes, há fundos renomados que só permitem a entrada de investidores qualificados e profissionais, categorias que elevam o grau de investimento à casa dos milhões de reais.

3) Invista como um milionário

A estratégia dos fundos de fundos, ou multigestores, é a mesma usada pelos investidores milionários, que costumam constituir para si fundos exclusivos. Ou seja, esses grandes executivos e suas famílias são cotistas únicos e exclusivos de um fundo que investe em outros fundos renomados. Porém. os custos para manter um fundo exclusivo são altos, batendo a quantia mínima de pelo menos 10 milhões de reais para investir.

No entanto, os fundos de fundos disponíveis no mercado têm essa mesma estratégia de investir em fundos renomados. Mas o mais interessante é que você não precisa ter milhões na conta. Por isso essa ideia que você pode investir como um milionário! Você divide as cotas entre milhares de cotistas e ainda passa a investir em ótimos fundos.

4) Ideal para diversificação

Assim como qualquer fundo de investimento, os fundos de fundos prezam muito pela diversificação. Ela é importante e algo a se levar em conta na hora de investir para reduzir e compensar os riscos dos investimentos. Diversificar por si mesmo por ser difícil porque é preciso equilíbrio. Os fundos de fundos costumam oferecer diversificação na medida certa, que como vimos é realizada por um gestor profissional.

5) Eficiência tributária

Se você começasse a investir em vários fundos por conta própria, ficaria louco de ver tanto dinheiro sendo transferido para o Imposto de Renda (IR) em cada um dos fundos. Mas com os fundos multigestores há isenção de imposto de renda quando o gestor transfere parte do dinheiro para aplicar em outro fundo.

Isto é, não há cobrança de IR no rebalanceamento da carteira do fundo multigestor. O cotista só será cobrado pelo ganho total obtido. Os fundos de fundos sofrem cobrança de IR sobre os ganhos de acordo com uma tabela regressiva, com alíquotas que variam de 22,5% a 15%, dependendo de quanto tempo você mantiver o dinheiro aplicado.

abra sua conta

Publicado por Leonardo Pinto

Leonardo é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, com passagens por grandes veículos da imprensa brasileira, como TV Cultura, Veja e Estadão. Especializou-se em jornalismo econômico, com aprovação pela FGV, no curso de trainee promovido pelo Grupo Estado.

Contentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *