Confira dicas para criar o seu código e usá-lo com segurança para prevenir-se de golpes e fraudes.

A senha é um dos principais mecanismos de proteção no ambiente virtual. Por meio dela, é possível barrar o acesso indevido de terceiros a um dispositivo ou a uma conta on-line. Quando se trata de produtos e serviços bancários, a senha adquire um caráter ainda mais relevante: contribuir para a segurança do seu patrimônio financeiro.

Na medida em que cada vez mais pessoas usam os canais digitais para a realização de transações bancárias, os chamados cibercriminosos aprimoram as estratégias para a prática de golpes e fraudes relacionados à violação de dados. 

Por isso, cercar-se de cuidados na hora de realizar atividades pela internet é fundamental. A cautela deve começar pela escolha de uma senha que seja considerada forte.

Mas, afinal, o que é uma senha forte?

A “força” de uma senha está relacionada à dificuldade imposta para que terceiros possam descobri-la. Neste sentido, algumas orientações para criar um código forte são:

  • Não utilize a data de nascimento, o número de telefone, a placa do carro ou documentos, como RG e CPF;
  • Não use nomes de pessoas ou palavras comuns;
  • Evite sequências numéricas, de letras ou teclas;
  • Dê preferência a uma senha longa – que pode misturar mais de uma palavra,  letras, números e caracteres especiais -, mas que seja única e possível de memorizar. Uma frase inteira seguida de um número é uma boa alternativa.

Considerando estas informações, é possível definir um código que ofereça maior segurança às contas pessoais. Mas os cuidados não param por aí, é preciso redobrar a atenção na hora de utilizar a senha.

Cuidados com o uso da senha

Uma senha forte dificulta o trabalho de invasores mas, após criá-la, outros procedimentos devem ser adotados como forma de prevenção aos golpes e às fraudes. Confira oito ações importantes:

  • Não deixe sua senha anotada em papéis junto com os cartões;
  • Não deixe sua senha anotada em nenhum aplicativo de notas no seu smartphone
  • Não revele a sua senha para terceiros;
  • Não informe sua senha em sites que não sejam o do banco no qual é correntista;
  • Evite usar o celular de outra pessoa para acessar sua conta bancária, pois a senha pode ficar gravada;
  • Se alguém solicitar a sua senha bancária por telefone (mesmo dizendo que é funcionário do banco), não forneça;
  • Mantenha o seu smartphone protegido por senha e evite emprestá-lo a outras pessoas;
  • Não aceite ajuda de terceiros para a realização de transações bancárias;
  • Evite acessar sites desconhecidos e clicar em links recebidos por e-mail,  WhatsApp, mensagem de texto (SMS) ou redes sociais. Estes endereços podem direcioná-lo a sites falsos criados por fraudadores com o intuito de roubarem seus dados;
  • Caso perca ou tenha o smartphone furtado, avise o seu banco de forma imediata.

Conheça as estratégias dos cibercriminosos

As fraudes e os golpes pela internet estão cada vez mais elaborados. Conhecer a forma como os cibercriminosos atuam também ajuda na hora de prevenir-se. Os ataques mais comuns são:

  • Ataque de força bruta: combinações de números, letras e caracteres especiais são testadas para a violação da senha. Por isso, é importante não recorrer às sequências do teclado, nem aos documentos e data de nascimento na hora de criar o seu código de segurança.
  • Ataques de dicionário: são testadas palavras comuns, por isso, o uso de uma frase inteira é mais seguro do que um nome, por exemplo.
  • Ataques de phishing: consiste no envio de links que redirecionam o usuário a um site falso. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), este tipo de golpe aumentou 80% durante a pandemia da Covid-19. Uma orientação para evitar este transtorno é nunca clicar diretamente no link recebido. É possível testá-lo abrindo uma nova aba e digitando o endereço para conferir se ele realmente existe.
  • Engenharia social: estratégia de manipulação em que o criminoso convence a vítima a repassar informações confidenciais, como a senha bancária. O golpe do telefonema do falso funcionário do banco é um exemplo. A Febraban alerta que as instituições financeiras não fazem este tipo de solicitação por telefone.

O uso dos canais digitais do bancos garante agilidade, praticidade e conforto aos clientes. Tomar os cuidados necessários na hora de escolher e usar a senha bancária contribuem para tornar esta experiência ainda mais positiva.

O Grupo Genial utiliza tecnologia de ponta para cuidar da segurança dos seus dados. Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a gente!

Créditos da imagem de TheDigitalWay por Pixabay

Comentários