Confira orientações para prevenir-se de golpes e realizar estas operações com mais tranquilidade.

Realizar pagamentos e transferências bancárias tornou-se muito mais prático e cômodo com o uso dos canais digitais. Por meio da internet, é possível quitar um boleto sem a necessidade de enfrentar fila nos bancos. Já o Pix permite o envio do dinheiro de forma imediata, sem que o destinatário precise esperar. 

Mas tanta facilidade também exige uma maior atenção. Criminosos têm desenvolvido estratégias, cada vez mais elaboradas, para aplicar golpes financeiros pela internet. Por isso, é importante tomar cuidado na hora de realizar movimentações financeiras pelo site ou aplicativo do banco. 

Aprender a identificar as ações dos criminosos e saber quais medidas podem contribuir para aumentar a segurança ao usar os canais digitais dos bancos ajudam na prevenção contra golpes e fraudes.

Golpe do boleto falso: saiba como agir

Um dos crimes praticados através da internet é o chamado golpe do boleto falso. Os criminosos emitem cobranças semelhantes às que são feitas por bancos, operadoras de telefonia e grandes empresas e as enviam por e-mail ou WhatsApp. 

Muitas vezes, a cobrança apresenta os dados pessoais da vítima, o que a faz acreditar que trata-se de um boleto verdadeiro. No entanto, existe uma falha no código de barras para obrigar a pessoa a digitar os dados e, assim, efetuar o pagamento diretamente para o golpista.

Alguns cuidados para não se tornar vítima desse golpe:

  1. Ignore cobranças pelo WhatsApp. Bancos e empresas não utilizam o aplicativo para enviar boletos;
  2. Cobranças recebidas por e-mail devem ser checadas. Desconfie daquelas que solicitam clicar em um link ou baixar algum arquivo. Entre em contato com a empresa por telefone para confirmar se a informação é verídica;
  3. Erros ortográficos, manchas e borrões são indícios de um boleto falso;
  4. Se o código de barras não consegue ser lido pela câmera do celular, as chances do boleto ser falso é maior;
  5. Caso o boleto recebido seja de serviços que são pagos mensalmente, confira se as informações coincidem com a das cobranças recebidas anteriormente;
  6. Verifique o código de barras. Ele deve começar com o número relativo ao banco para o qual será feito o pagamento e terminar com o valor da cobrança. No site da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) é possível conferir o número de cada banco que atua no país.

Caso tenha sido vítima do golpe do boleto falso, é necessário entrar em contato com a empresa citada na cobrança e o banco para o qual foi feito o pagamento, informando o ocorrido. Também é preciso acionar a Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência. 

Caso a empresa ou o banco não se responsabilizem pelo vazamento de dados, o consumidor deve acionar o Procon que atende o seu município.

Novas regras para o Pix 

Criado pelo Banco Central (BC), o Pix é um meio de pagamento digital que possibilita a transferência de recursos entre contas de forma imediata, a qualquer hora do dia. Lançado em 2020, em pouco tempo ganhou a adesão de milhões de usuários, o que fez a ferramenta cair no radar dos criminosos.

Diferentes fraudes envolvendo o Pix vem sendo descobertas, o que fez com que o BC decidisse limitar para R$ 1 mil o valor das transferências realizadas por pessoas físicas no horário entre 20h e 6h. A medida entrará em vigor em novembro.

De acordo com o BC, o cliente poderá solicitar o aumento do limite, mas o banco terá o prazo de 24 horas para autorizar a solicitação. Também será possível cadastrar previamente contas que estão autorizadas a receber valores acima de R$ 1 mil.

As mudanças nas regras de uso do Pix buscam aumentar a segurança e coibir ações de criminosos, segundo o BC.

Principais golpes envolvendo o Pix: como se proteger

Nos últimos meses, os relatos de diferentes golpes com o uso do Pix têm sido noticiados. Entre os mais recorrentes estão:

  • Clonagem do WhatsApp: há diferentes abordagens, mas, em geral, o criminoso se passa por um profissional que realiza perguntas à vítima, dizendo que é para fazer um cadastro ou uma pesquisa. Ao final da conversa, diz que, para validar as informações, é preciso que a pessoa confirme o código que será enviado por telefone. No entanto, esse código permite que a conta do WhatsApp seja instalada em outro aparelho. O criminoso, então, rouba o perfil da vítima e passa a pedir transferência por Pix para os seus contatos.
  • Perfil falso do WhatsApp: o golpista cria um novo perfil com fotos das redes sociais da vítima e solicita para os contatos uma transferência por Pix, alegando algum tipo de emergência. Esse golpe pode acontecer tempos depois que a pessoa teve o WhatsApp clonado.
  • Perfil falso de hotel: o criminoso cria um perfil falso nas redes sociais para um hotel que existe e afirma que a reserva só é feita mediante a transferência por Pix. Após o pagamento, não há nenhuma resposta.
  • Bug do Pix: falsas mensagens são divulgadas, afirmando que há um bug no sistema do Pix que permite ao usuário receber um prêmio com alto valor em dinheiro, quando se realiza uma transferência para determinada chave Pix.

Como usar o Pix com segurança

Diante das artimanhas usadas por golpistas, é válido adotar os seguintes cuidados:

  1. Use o Pix com parcimônia. Como a transferência é imediata, não realize a operação sem pensar duas vezes, seja para fazer uma compra ou um pagamento para algum conhecido;
  2. Desconfie de serviços e lojas que aceitam apenas o Pix como forma de pagamento; 
  3. Caso receba um pedido de transferência bancária de um conhecido ou familiar via WhatsApp, telefone para a pessoa a fim de certificar-se que a solicitação é real;
  4. Não clique em links enviados por e-mail, redes sociais, WhatsApp e outros aplicativos que direcionam para cadastros de chave do Pix;
  5. Não informe dados pessoais por telefone, mesmo que a pessoa afirme que é funcionário do seu banco;
  6. Habilite a verificação em duas etapas do aplicativo do banco;
  7. Evite realizar transações bancárias utilizando wi-fi aberto ou celulares de terceiros.
  8. Mantenha o smartphone sempre atualizado para a correção de eventuais brechas e o aumento da segurança.

Os canais digitais dos bancos foram desenvolvidos para facilitar o dia a dia e aprimorar a experiência dos clientes. Por isso, é importante tomar os cuidados necessários para garantir um serviço eficiente e seguro. 

A segurança dos correntistas é uma prioridade do Banco Genial. Quer saber mais sobre os nossos serviços? Entre em contato com a gente!

Comentários