Os efeitos da ação humana na natureza têm sido amplamente debatidos em todas as esferas sociais, e nos setores empresariais não poderia ser diferente. A preocupação com o meio ambiente e a herança que deixaremos para as próximas gerações é pauta em vários países, promovendo conceitos como “economia verde” e ESG como o futuro dos negócios

No Brasil, a discussão ganhou maior notoriedade nos últimos anos na esfera corporativa com o impacto do aquecimento global, o desmatamento de importantes biomas, como a Amazônia e o Pantanal, e as discussões de diversidade e ética no âmbito empresarial. 

Diante de políticas ineficazes no combate a esses problemas, grupos de empresas e de investidores nacionais e internacionais têm se unido para defender uma agenda para o desenvolvimento sustentável. Outro ponto que despertou a atenção em relação à sustentabilidade são os efeitos da pandemia, que têm promovido grandes reflexões acerca dos riscos das atividades e hábitos de consumo dos seres humanos/ ou das pessoas/ ou da população mundial. Segundo o Relatório Global de Riscos do Fórum Econômico Mundial de 2020, os cinco maiores riscos empresariais de longo prazo se relacionam diretamente com questões ambientais.

Você está inserido no setor de investimentos? Acompanhe a leitura e entenda o que é o ESG e como funcionam os fundos de investimento que usam esses critérios nas suas análises. 

Quer saber mais sobre ESG? Acesse nosso e-book online O que é ESG e qual sua influencia sobre os investimentos

O que significa ESG? 

A sigla ESG significa Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança Corporativa, ou ASG, no Brasil) e faz referência aos debates estratégicos no ambiente empresarial fundamentados na sustentabilidade das empresas. Para isso, os negócios devem seguir os três critérios que compõem a sigla:

  • Ambiental: as operações da empresa devem ser reformuladas de modo a minimizar os impactos ambientais do negócio, por exemplo, emissão de CO², descarte de lixo, utilização da água e outros recursos naturais e a preservação do meio ambiente. 
  • Social: a empresa deve promover conforto, segurança e bem-estar aos colaboradores no ambiente de trabalho, além de incentivar a diversidade do quadro de funcionários
  • Governança: adoção de um conselho e uma diretoria diversos, de ações de combate a fraudes e de outras boas práticas de governança corporativa, como priorizar o código de ética da organização. É um item essencial para a adaptação da empresa ao conceito ESG. 

Todos esses fatores são analisados por investidores antes de decidirem qual empresa receberá o investimento. Hoje, investidores já não se satisfazem apenas com a performance financeira do negócio e levam em conta a conduta da gestão empresarial frente a questões éticas e socioambientais.  

Nesse sentido, os critérios ESG são um importante guia para quem busca investir em sustentabilidade. Diversas iniciativas lideradas por empresas ou órgãos multilaterais foram constituídas ao longo das últimas décadas para promover o debate do tema em um fórum mais amplo.

Um dos principais é o Princípios para o Investimento Responsável (PRI), uma iniciativa da ONU cujo objetivo é promover investimentos responsáveis em todo o mundo, além de manter um registro dos gestores signatários. Hoje, o PRI já conta com mais de 3.000 signatários em todo o mundo, somando mais de USD 100 trilhões de ativos sob gestão. 

Agora que você já conhece o conceito de ESG, descubra as vantagens e desvantagens de investir nesse tipo de ação.

Vale a pena investir em empresas que são avaliadas como ESG? 

Apesar de ser uma promessa para o futuro dos investimentos, a dúvida é legítima. Afinal, o conceito de ESG e a sustentabilidade nos negócios é uma realidade nova para o Brasil em comparação ao resto do mundo. Contudo, investir em empresas sustentáveis apresenta vantagens difíceis de serem superadas.

Vantagens do ESG

Para atender aos critérios do ESG, as organizações devem promover uma série de ações para alinhar suas operações à responsabilidade socioambiental e à ética corporativa. Com isso, surgem algumas vantagens em investir nessas empresas:  

Competitividade de longo prazo 

A previsão é que o consumo baseado na sustentabilidade seja cada vez maior, a ponto de, eventualmente, forçar as empresas a se adaptarem aos critérios ESG ou a saírem do mercado. Assim, as empresas que já estão alinhadas apresentam certa vantagem competitiva, ou seja, possuem superioridade frente aos concorrentes. 

Investimento socialmente positivo 

Além da possibilidade de lucro, os investimentos socialmente responsáveis tornam os investidores mais conscientes dos problemas das comunidades em que estão inseridos, o que pode acelerar o processo de conscientização social e, consequentemente, a promoção de uma sociedade mais saudável.  

Mais fundamentos para aplicação 

Com o ESG, além dos critérios financeiros, outros fundamentos podem ser utilizados para analisar um investimento — a longo prazo, critérios socioambientais e de governança corporativa serão essenciais.

Performance superior 

Há um reconhecimento crescente de que fatores ESG têm papel significativo na determinação de risco e retorno. Em uma pesquisa feita por pesquisadores de Oxford, 80% dos estudos revisados demonstram que práticas de sustentabilidade prudentes têm influência positiva na performance financeira das companhias. 

Desvantagens do ESG

Mesmo com o boom de informações sobre ESG no Brasil nos últimos meses, ainda são poucos os veículos de investimento que comunicam de forma transparente os impactos gerados pelo seu portfólio e como as políticas estão aderentes a diretrizes com enfoque na responsabilidade socioambiental. 

A partir disso, surge o greenwashing — outro ponto de importante atenção. O termo faz referência a instituições que promovem discursos ou campanhas assumindo uma posição de organização sustentável, mas,  na verdade, suas operações caminham para o sentido contrário.

O que avaliar em um fundo ESG? 

Os fundos de investimento ESG reúnem ativos de empresas que seguem os critérios ambientais, sociais e de governança corporativa, permitindo que os investidores apliquem nesses negócios de forma indireta. Contudo, uma vez que não há uma clara determinação de quais são essas empresas, é preciso se atentar a alguns pontos: 

  1. Investigue se o fundo foi estruturado como ESG ou se apenas mudou de nome, mantendo negócios que não cumprem os critérios socioambientais; 
  2. Entenda qual o real nível de conhecimento do gestor sobre os critérios do ESG; 
  3. Confira se o gestor do fundo ESG é signatário do PRI ou se as empresas que compõem o fundo são signatárias de pactos globais;  
  4. Avalie  os ativos do fundo e leia atentamente os materiais de divulgação, além das cartas periódicas. 

Ao investir em fundos de investimento, tanto as possibilidades de ganho quanto de perdas são elevadas. Assim, é importante que você comece a investir em fundos de investimento somente após adquirir um vasto conhecimento de mercado.

Afinal, vale a pena mesmo investir em fundos ESG? 

Apesar de ser novidade no Brasil, o mercado ESG tem sido debatido há algum tempo, e diversos investidores já têm aplicado nesses fundos. Hoje, segundo a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), já são mais de US$ 30 trilhões de ativos sustentáveis no mundo — e a tendência é só aumentar. 

Em uma pesquisa de 2018, produzida pelo portal estadunidense Morningstar, dados apontam um crescimento de 144% no número de fundos ESG nos últimos 15 anos, isso apenas nos EUA. Com a maior popularização da sustentabilidade no mercado de investimentos, a adesão de novos investidores deve continuar pelos próximos anos. 

Agora que você conhece o potencial dos fundos ESG em números, entenda como identificar empresas alinhadas ao conceito e como fazer o seu primeiro investimento.

Como identificar empresas alinhadas ao ESG? 

Uma vez que não há entidades que certifiquem se as empresas, de fato, seguem os critérios ESG, é preciso estar atento para não investir em empresas que promovem o greenwashing. Por isso, reunimos algumas dicas de como identificar se um negócio está, de fato, alinhado a esses preceitos. Confira. 

  • Utilize filtros para investir: antes de escolher as empresas nas quais investir, é importante fazer essa filtragem. Assim, é mais fácil encontrar quais cumprem os critérios. 
  • Use índices de sustentabilidade: por exemplo, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores brasileira lista empresas segundo diversos critérios, inclusive o da sustentabilidade. 
  • Priorize empresas certificadas: Diversas certificações, como a ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental), comprova o alinhamento às práticas de desempenho ambiental positivo.  
  • Invista em títulos verdes: também chamados de green ou sustainable bonds, eles servem para financiar projetos com impacto socioambiental positivo. Para investir, basta comprar um título de dívida e, então, receber um retorno em juros após o fim do projeto. 

A Genial descomplica o mercado financeiro para você tomar boas decisões na hora de investir. Abra sua conta agora mesmo! Pode ser sua chance para você mudar seu futuro e ajudar o planeta!

Abra sua conta na Genial Investimentos - Banner Post

Publicado por Genial Investimentos

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *