O private equity é um tipo de investimento que pode interessar quem deseja acompanhar o desenvolvimento de empresas mais de perto. Afinal, ele se destaca como uma maneira de investir em negócios. 

Como o investimento direto pode ser inacessível para muitos interessados, os fundos de private equity tornam-se uma alternativa para conseguir se expor a essas opções. Mas você sabe como ele funciona e quais são suas regras? 

Neste conteúdo, você aprenderá sobre o fundo de private equity e conhecerá as informações sobre esse tipo de investimento. 

O que é um fundo de private equity? 

Em tradução livre, a expressão em inglês “private equity” pode ser interpretada como “patrimônio privado”. Já no mundo dos investimentos, ele tem uma denominação bem específica. 

Private equity, nesse universo, diz respeito ao investimento direto em empresas privadas. O foco do investimento está em companhias que não têm capital aberto – ou seja, não possuem ações disponíveis na bolsa de valores. Nesse caso, o investimento direto é a principal forma de participar dos resultados do negócio. 

No private equity, um investidor compra uma parte da empresa, tornando-se um sócio. Com isso, ele possui mais gerência sobre o negócio, toma decisões administrativas e possui outros direitos. 

Portanto, o investimento em private equity diz respeito a tornar-se sócio de uma empresa, adquirindo uma parte do negócio. Como você pode imaginar, esse tipo de investimento traz determinadas limitações para o investidor individual. 

Isso ocorre, primeiramente, porque adquirir uma parte de uma empresa requer um investimento considerado alto. Logo, quem não tem um grande capital pode ficar sem acesso ao private equity. Ainda, o sócio possui responsabilidades de administração e gerência do negócio, o que demanda um envolvimento mais atento. 

Nesse contexto, os fundos de private equity tornam-se uma alternativa que dilui essas complicações. Eles são fundos de investimento que possuem participações diretas em empresas privadas

Com isso, o investidor deve adquirir cotas do fundo para participar do investimento. A partir desse ponto, ele se expõe ao crescimento dessas empresas, sem ter que participar da gestão ou comprar uma parte da sociedade

Genial Investimentos - Abra sua conta

Private equity: como funcionam esses fundos? 

Você entendeu que os fundos de private equity são veículos de investimento que focam em investir em empresas privadas. Agora, é importante saber como eles funcionam na prática. 

Um fundo de investimento é um veículo financeiro administrado por um gestor profissional. Esse gestor tem a responsabilidade de formar uma carteira de investimentos — que pertence ao fundo — para atingir os objetivos propostos. 

O fundo é lançado no mercado e suas cotas são disponibilizadas a investidores interessados. Os preços das cotas podem variar com a evolução do patrimônio ou com a oferta e demanda dos investidores. 

Existem diversos tipos de veículos financeiros, que podem variar conforme a estratégia de alocação de recursos e objetivos propostos. Você pode encontrar, por exemplo, fundos de ações, cujo foco é investir em papéis de empresas listadas na bolsa. 

Outro tipo de fundo bastante conhecido é o imobiliário. Ele investe em ativos do mercado de imóveis, que podem ser os bens físicos ou títulos lastreados nesse ramo. 

Como você deve imaginar, os fundos de private equity montam a sua carteira com participações societárias de empresas privadas. Logo, o próprio fundo se torna um sócio dessas empresas, tendo em vista que ele tem um CNPJ próprio. 

Os investidores podem comprar cotas dos fundos e se expor a essas participações. Um dos grandes diferenciais dos fundos de private equity diz respeito às responsabilidades dos gestores profissionais

Além de montar a carteira e adquirir sociedades, eles também têm a incumbência de participar da gestão das empresas. Como resultado, os gestores podem tomar decisões administrativas e financeiras nesses negócios. 

Vale a pena saber que os fundos de private equity são restritos aos investidores qualificados. Assim, é preciso ter um patrimônio investido maior do que R$ 1 milhão ou ter uma certificação profissional do mercado financeiro

Quais são as vantagens e desvantagens de investir nessa alternativa? 

Como você viu, os fundos de private equity podem ser alternativas para quem deseja se expor aos resultados das participações societárias com mais facilidades. No entanto, como qualquer investimento, existem vantagens e desvantagens que devem ser consideradas. 

Confira a seguir os principais pontos a esse respeito! 

Praticidade 

A primeira vantagem que você precisa conhecer sobre os fundos de private equity é a praticidade. Ela é ainda mais relevante quando comparada ao investimento direto em empresas privadas. 

Imagine que você quer se expor a determinado mercado e acompanhar o potencial crescimento de uma empresa que não abriu capital na bolsa de valores.  

Porém, tornar-se sócio desse negócio pode ser uma tarefa bastante difícil. Afinal, é preciso negociar com os demais sócios, realizar propostas de participação, fazer todos os procedimentos burocráticos para entrar na sociedade e cumprir outras obrigações

Com um fundo de private equity todas essas etapas são puladas. Na prática, seu trabalho será escolher um fundo adequado para seus objetivos financeiros e realizar a aquisição de cotas, na quantidade que desejar. 

A partir disso, você passa a se expor às empresas da carteira do fundo, pode participar de seu crescimento e lucrar com as boas decisões dos gestores — apesar de não existirem garantias. 

Gestão profissional 

Outro benefício de investir em um fundo de private equity é a possibilidade de contar com uma gestão profissional. Como você aprendeu, o fundo é administrado pelos gestores que devem ter experiência e qualificação para atuar no mercado financeiro. 

Além de escolher quais são as empresas que o fundo terá participação, eles participarão ativamente da gestão desses negócios. Afinal, o fundo será sócio da companhia, tendo poderes e responsabilidades em relação à sua condução. 

No investimento direto, todas essas responsabilidades recairiam sobre você. Afinal, é o investidor que se torna um sócio e deve participar da gestão da empresa. 

Mas lembre-se de que os gestores sempre estão limitados às regras e objetivos propostos pelo fundo. Todas essas informações são divulgadas ao público, então é fundamental analisar os dados antes do investimento. 

Com isso, será possível verificar qual é o objetivo do fundo, sua forma de investimento e outras questões. Ainda, você poderá avaliar a experiência e a capacidade do gestor, considerando resultados já obtidos e sua qualificação profissional. 

Diversificação 

Os fundos de private equity também podem auxiliar a diversificação de investimentos. Essa é uma estratégia bastante popular no mercado financeiro, principalmente para diluir riscos e aumentar o potencial de ganhos. 

A diversificação se baseia em ter uma carteira de investimento exposta a diferentes riscos, considerando ativos e mercados distintos. A ideia é não concentrar recursos, evitando deixar todos os ovos em uma só cesta, como diz o jargão do mercado. 

Imagine que você utiliza todo o seu capital para investir em uma empresa. Contudo, os resultados não são os esperados, ela perde valor de mercado e você tem prejuízos. Perceba que nesse caso, todo o seu capital foi afetado. 

Por outro lado, se houvesse diversificação, apenas uma parte de seu capital estaria alocado nessa empresa. Assim, no mesmo cenário de desvalorização, você teria um prejuízo menor — e que, em certos casos, poderia ser compensado com outros investimentos. 

Vale saber que os fundos de private equity proporcionam mais diversificação em dois sentidos. Primeiro porque o portfólio do fundo pode ter participação em empresas diferentes, trazendo uma diversificação entre os próprios negócios investidos. 

Além disso, comprar cotas desses fundos tende a ser mais barato do que adquirir diretamente uma participação societária. Dessa forma, você consegue se expor ao private equity com menos capital, podendo utilizar o restante em outros investimentos — o que ajuda a promover a diversificação do portfólio. 

Risco 

Uma desvantagem que você deve considerar ao investir em um fundo de private equity é o risco atrelado a essa alternativa. Como esse investimento pertence à renda variável, não há garantias ou previsibilidade nos resultados. 

Ainda que o gestor tome todas as precauções e tenha um bom histórico de investimentos na carreira, pode haver resultados negativos. Ademais, vale saber que o próprio investimento em private equity pode ter um risco elevado. 

Tenha em mente que as empresas estão sujeitas a problemas em suas operações, já que elas estão expostas aos movimentos de seus setores e da própria economia. Logo, você tem que considerar todos esses riscos antes do investimento. 

Dessa forma, será possível decidir de maneira mais adequada para atingir os seus objetivos financeiros e respeitar o seu perfil de investidor. 

Custo 

Também tenha em mente que o custo para investimento em um fundo de private equity pode ser mais elevado que outros veículos, como os fundos de ações. Apesar de você já ter aprendido que a alternativa é mais acessível que o investimento direto em private equity, ela pode não ser viável para muitos investidores. 

Como você conferiu, esse tipo de fundo é reservado para investidores qualificados. Portanto, é preciso ter um capital investido considerável ou ser certificado no mercado financeiro. 

Além disso, o valor de aplicação inicial também pode ser mais elevado do que outros fundos do mercado. Então, ainda que não seja necessário adquirir diretamente a participação em uma empresa, será necessário dispor de capital suficiente para o aporte. 

Restrições 

Por fim, uma desvantagem que você pode encontrar é a restrição de investimento. Nesse contexto, vale lembrar que os gestores dos fundos são os responsáveis por selecionar e realizar os investimentos nas empresas. 

Dessa maneira, sua exposição está restrita aos negócios da carteira do fundo escolhido. Ou seja, você terá uma diversidade de opções, mas está vinculado ao fundo e às decisões dos gestores no momento do investimento. 

Se você quiser mais autonomia ao investir em private equity, os fundos de investimento desse tipo podem não ser adequados. 

Quais são os custos do investimento em fundos de private equity? 

Além do preço da própria cota dos fundos de private equity, o investidor deve se atentar a outros custos envolvidos nesse investimento. Lembre-se de que esses gastos podem afetar diretamente o resultado líquido do aporte. 

Para remunerar o trabalho dos gestores e financiar o funcionamento da estrutura do fundo, esses veículos cobram uma taxa de administração. Esse é um percentual calculado sobre o patrimônio do fundo, sendo cobrado proporcionalmente de cada investidor de modo automático. 

Também pode existir a taxa de performance. Ela é uma cobrança realizada apenas quando os resultados obtidos pelo gestor ultrapassam um benchmark previamente definido. A ideia é remunerar o bom trabalho dos profissionais envolvidos. 

Por fim, é essencial considerar o Imposto de Renda (IR) cobrado sobre o ganho de capital na venda das cotas. A alíquota aplicada é de 15% sobre o lucro auferido na venda das cotas em mercado secundário

Porém, existem fundos de private equity que são classificados como veículos voltados para infraestrutura, pesquisa e inovação. Nessa situação, não há cobrança de IR para pessoas físicas, a fim de estimular o investimento. 

Afinal, como investir em um fundo de private equity? 

Como você já sabe, para investir em um fundo de private equity é preciso comprar cotas do veículo. Já que elas representam a menor fração do patrimônio, você estará vinculado às movimentações da carteira dessa forma. 

As cotas desses fundos são negociadas por meio da bolsa de valores quando se classificam como fundos de investimento em participações (FIP). Então elas também estão expostas à oferta e demanda de investidores, podendo haver variação de preços nesse sentido. 

Se o fundo estiver disponível na bolsa, você deve pesquisar o ticker no home broker disponibilizado pela corretora de valores. Lá você encontrará informações como quantidade negociada, preço e outras informações.  

Assim que encontrar a cota do fundo que você deseja, basta emitir a sua ordem de compra, utilizando o seu saldo disponível na corretora. 

Genial Investimentos - Abra sua conta

Quando a operação for liquidada, as cotas farão parte da sua carteira de investimento e você estará exposto às suas variações de preços. 

Porém, há fundos de private equity que têm suas cotas negociadas por meio de plataformas de corretoras de valores. Nesse caso, a cada aquisição ou venda são emitidas ou resgatadas cotas dos próprios fundos. 

Na modalidade, não há exposição à oferta e demanda, podendo haver uma variação menor de preços, apesar de essa não ser uma garantia de resultados positivos. 

Vale ressaltar que é essencial fazer uma análise completa das alternativas disponíveis e sempre considerar seus objetivos financeiros e perfil de investidor antes do investimento. Dessa maneira, você tomará uma decisão mais adequada para suas expectativas e outras características pessoais. 

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Lançamento App 30

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!