Quando o investidor decide investir em uma empresa, é importante analisar os seus fundamentos e indicadores. Nessa hora, é comum se perguntar o que é o ROI. Muito utilizado na análise fundamentalista, ele pode pautar suas decisões. 

Mas você sabe o que é uma análise fundamentalista, quais são indicadores e como eles funcionam? Entender esses pontos o ajudará a investir em empresas com fundamentos que atendam a seus objetivos. 

Por isso, neste texto você aprenderá o que é a análise fundamentalista e como calcular o ROI de empresas. Confira a seguir! 

O que é uma análise fundamentalista? 

A análise fundamentalista é um estudo feito para avaliar determinados pontos sobre a saúde financeira e administrativa de uma empresa. Assim, ela utiliza a verificação de fundamentos das companhias, daí vem o seu nome. 

O principal objetivo da análise fundamentalista é identificar empresas sólidas e com potencial para trazer bons resultados. Portanto, você pode compará-las a outras opções e pautar seus investimentos nessas companhias. 

Negócios com bons fundamentos são aqueles que têm bom desempenho, com potencial entre as opções do mercado financeiro. Isso não quer dizer, necessariamente, que têm grandes chances de rápida valorização, mas que pode gerar resultados positivos no futuro. 

É por isso que a análise fundamentalista é utilizada, principalmente, para embasar investimentos de longo prazo. Escolhendo empresas com bons fundamentos, o investidor pode ter mais segurança de rentabilidade e pagamento de dividendos. 

Esse tipo de análise utiliza indicadores para observar a realidade da companhia. Existem diversos fundamentos — entre eles o ROI (Return Over Investiment). Nos próximos tópicos você entenderá como ele funciona e como fazer o seu cálculo. 

O que é o ROI? 

O ROI, como você viu, é um dos indicadores utilizados para fazer uma análise fundamentalista. Ele é a sigla para Return Over Investiment, ou Retorno Sobre Investimento, em português. Esse indicador é utilizado para determinar qual foi o resultado financeiro de um investimento. 

Dessa maneira, ele pode ser positivo, quando houve lucro, ou negativo, quando houve prejuízo com o aporte. Seu cálculo considera, então, a correlação direta entre entradas e saídas. O ROI pode ser aplicado tanto para determinar os retornos do passado quanto os que podem ser obtidos no futuro.  

Assim, de forma mais prática, é possível determinar quanto um investidor ganhou ou perdeu com um investimento. Do mesmo modo, pode-se fazer essa previsão para os futuros investimentos, desde que haja dados para isso.  

Além de embasar decisões do investidor, o ROI é uma métrica da própria administração do negócio. Ele é utilizado em diversas áreas. Por exemplo, quando uma empresa quer entender qual foi o retorno de investimentos que fez em estratégias de marketing. 

O que ele traz de informação para o investidor? 

Para o investidor, o ROI ajuda a ver quanto de retorno um investimento pode dar. Além disso, se a empresa possui projetos de expansão, ela costuma divulgar qual é o custo e os ganhos esperados. Desse modo, as informações são usadas para compreender as expectativas de valorização. 

Com o ROI também é possível analisar como o investimento que será feito contribuirá para obter os resultados esperados. Logo, se há um objetivo específico, é possível utilizar o ROI para verificar se aquele investimento poderá atingi-lo. 

Outro ponto interessante, ainda falando sobre objetivos, é que o ROI permite traçar metas mais realistas. Calculando esse indicador o investidor poderá entender realmente quanto é possível ganhar com um investimento. 

Ainda, o ROI pode fornecer mais objetividade para a tomada de decisão. Assim, você embasa melhor a sua análise e consegue ter fatores numéricos ao escolher por uma determinada empresa. O ideal é usar diversos indicadores em conjunto para basear a escolha. 

Como calcular o ROI? 

Agora que você já conhece o que é o ROI e que informações ele pode trazer, é preciso entender como fazer seu cálculo. Para isso, basta subtrair o ganho gerado com o investimento pelo valor investido. 

O resultado dessa subtração deve ser dividido novamente pelo valor investido. Segue a fórmula do ROI: 

ROI = (ganho gerado – valor investido) / valor investido. 

Essa conta é mais fácil de ser visualizada com um exemplo. Imagine que você fez um aporte de R$ 50 mil e obteve um retorno de R$ 70 mil. Logo, temos o cálculo: (70.000 – 50.000) / 50.000.  

O ROI desse investimento é 0.4. Para demonstrar o ROI como um percentual, basta multiplicar esse resultado por 100. No caso do exemplo, ele seria de 40%. 

Vale ressaltar que o ROI pode ser negativo. Isso significa que o retorno foi menor que o próprio investimento, gerando um prejuízo. Já um ROI positivo significa que os ganhos superaram o valor investido, trazendo lucro. 

Fazendo diversos cálculos, o investidor consegue comparar diferentes aportes e como eles se comportaram. Nessa hora, é importante saber que a variável de valor investido deve considerar todos os custos. Fazendo isso, você chegará a dados mais próximos da realidade. 

Quais outros indicadores utilizar com o ROI? 

Como você já sabe, para fazer uma boa análise fundamentalista – e identificar a viabilidade de um investimento, é preciso utilizar diversos indicadores. Apesar de muito importante, o ROI não é o único fundamento que deve ser verificar ao realizar um aporte. 

Outros dados essenciais são encontrados no balanço patrimonial da empresa. Ele funciona como um resumo das finanças das companhias, sendo um documento divulgado por elas. O relatório demonstra a relação entre os ativos e os passivos da sociedade. 

Mais uma fonte de informação são os demonstrativos financeiros. Aqui existem alguns documentos divulgados para que os investidores tenham conhecimento da saúde financeira da empresa. O mais conhecido é o Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE). 

Com ele é possível verificar objetivamente se a empresa está atuando com lucro ou prejuízo. Então, se ela teve mais ganhos do que custos, seus resultados foram positivos e elas podem dividir esses lucros com os investidores. 

Um indicador que também pode ser utilizado é o Preço/Lucro, conhecido como P/L. Ele traz a relação entre o preço pago pela ação e o lucro projetado. Assim, o investidor pode avaliar se o investimento é atrativo. 

Conseguiu entender o que é ROI e como ele funciona? Lembre-se que fazer análises antes de escolher aportes é muito importante para escolher os ativos ideais. Além disso, suas escolhas devem ser pautadas nos seus objetivos e perfil! 

Quer contar com uma plataforma acessível para fazer seus investimentos? Então abra uma conta com a Genial

Comentários