Se você quer saber de quanto foi a inflação acumulada em um determinado período, há uma ferramenta on-line para isso.

A Calculadora do Cidadão, do Banco Central, permite que você saiba a inflação acumulada no último mês ou em qualquer prazo escolhido, por diversos índices. Você também pode corrigir qualquer valor pelo índice selecionado.

Para isso, basta ir até a área Correção de Valores, escolher a aba Índices de Preços, escolher o índice de preços desejado e os meses inicial e final (ambos incluídos no cálculo). Em seguida, insira o valor que você quer corrigir e clique em “Corrigir valor”.

O resultado traz o índice de correção do período, o valor percentual correspondente e o valor corrigido na data final.

Por exemplo, se você quiser saber a inflação oficial para o mês de setembro, divulgada na última sexta-feira (7), e corrigir uma quantia de 100 reais, escolha o IPCA, preencha os meses inicial e final com “09/2016” e o valor a ser corrigido com “100,00”.

Após solicitar o cálculo, o índice de correção informado será 1,0008, o percentual será 0,08% e o valor corrigido, 100,08 reais. Ou seja, a inflação no mês foi de 0,08%.

Você pode fazer isso para períodos maiores. Por exemplo, para saber a inflação oficial nos últimos 12 meses, basta informar, no mês inicial, “10/2015”, e no mês final, “09/2016”.

A Calculadora do Cidadão também conta com uma versão para dispositivos móveis, disponível para iOS, Android e Windows Phone.

Alguns índices de inflação são mais sensíveis às variações de preços dos alimentos que outros

É preciso ficar atento aos períodos em que os dados são coletados para o cálculo de cada índice, bem como à data de divulgação dos indicadores.

Por exemplo, há índices de inflação que medem os preços do primeiro ao último dia do mês, enquanto outros fazem medições da metade de um mês à metade do mês seguinte.

Além disso, se o índice do mês que você deseja ainda não tiver sido divulgado, a calculadora não trará resultado. Por exemplo, se você quisesse o índice de setembro no dia 5 de outubro, não conseguiria resultados, pois ele ainda não estaria disponível.

Conheça cada índice de inflação disponível na Calculadora do Cidadão:

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

Índice de inflação oficial, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde janeiro de 1980.

Período de coleta: em geral, do dia 1 ao dia 30 do mês de referência.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E)

Segue a mesma metodologia do IPCA e também é calculado pelo IBGE, mudando apenas o período de coleta e a periodicidade de divulgação. Comumente usado para reajustar o IPTU. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde janeiro de 1992.

Período de coleta: do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês de referência.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

Periodicidade de divulgação: trimestral.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)

Índice calculado pelo IBGE que costuma ser usado na negociação de reajustes salariais. É mais sensível à alteração dos preços dos serviços e produtos mais básicos, como os alimentos. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde abril de 1979.

Período de coleta: em geral, do dia 1 ao dia 30 do mês de referência.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 5 salários mínimos.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Brasil ou IPC)

Índice calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) que mede a variação de preços de bens e serviços finais. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde janeiro de 1990.

Período de coleta: feita diariamente.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 33 salários mínimos.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M)

É uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP), calculado pela FGV.

O IGP é a média ponderada de três índices de preços calculados pela FGV: o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação de preços no atacado; o IPC; e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

O IGP-M é usado para a correção de valores contratuais, como os aluguéis imobiliários e as parcelas de certos financiamentos habitacionais. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde junho de 1989.

Período de coleta: do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de referência.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 33 salários mínimos, no caso do IPC.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI)

É uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP), calculado pela FGV. Também é usado para a correção de valores contratuais, como a dívida dos Estados com a União. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde fevereiro de 1944.

Período de coleta: entre o primeiro e o último dia do mês de referência.

Abrangência: Nacional, para famílias com renda mensal de 1 a 33 salários mínimos, no caso do IPC.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Índice de Preços ao Consumidor – São Paulo (IPC-SP)

Também chamado de IPC-Fipe, é o mais antigo índice de inflação do país. Calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), mede a inflação ao consumidor apenas no município de São Paulo.

Usado como indexador de contratos da Prefeitura de São Paulo. Dados disponíveis na Calculadora do Cidadão desde novembro de 1942.

Período de coleta: entre o primeiro e o último dia do mês de referência.

Abrangência: Apenas o município de São Paulo, para famílias com renda mensal de 1 a 10 salários mínimos.

Periodicidade de divulgação: mensal.

Veja também como usar a Calculadora do Cidadão também para calcular o rendimento da poupança.

Quer investir melhor seu dinheiro? Veja como a GENIAL pode te ajudar!

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários