O mercado cripto está sendo sacudido desde o início da semana com a possibilidade de insolvência da FTX e a recente confirmação de que a Binance iria comprar a exchange rival. 

A notícia veio em meio a uma série de problemas da FTX para conseguir sobreviver. A empresa havia travado saques de clientes e seu token nativo FTT já tinha perdido mais de 30% do valor de mercado.

Apesar do otimismo inicial com a notícia da aquisição, não levou muito tempo até que a Binance anunciasse sua desistência da operação de compra da FTX após a empresa realizar uma due diligence [análise dos números empresariais] da exchange rival.

Muita coisa tem acontecido em pouco tempo e é fácil se perder com tantas notícias, por isso, preparamos esse conteúdo completo que vai te ajudar a entender a situação desde o início. Continue a leitura e acompanhe nossa linha do tempo!

Linha do tempo FTX: entenda o derretimento da exchange

A FTX é uma corretora de criptomoedas (exchange) das Bahamas que foi fundada em maio de 2019 pelo empresário e investidor americano Sam Bankman-Fried.

Em julho de 2021, a exchange foi avaliada em US$ 18 bilhões após levantar US$ 900 milhões em uma rodada de investimentos com mais de 60 investidores, como Softbank e Sequoia Capital.

Em janeiro de 2022, a empresa anunciou o FTX Ventures, um fundo de risco de US$ 2 bilhões.

Ainda em janeiro deste ano, a empresa passou a ser avaliada em US$ 32 bilhões depois de uma rodada de financiamento que levantou US$ 400 milhões.

Polêmica entre FTX e o seguro FDIC

Em agosto de 2022, o Federal Deposit Insurance Corporation (FDIC) publicou uma carta de cessação e desistência acusando a FTX de fazer representações falsas e enganosas sobre o seu seguro.

O FDIC é uma agência do governo dos EUA que assegura depósitos, examina e supervisiona as instituições financeiras quanto à segurança, solidez e proteção ao consumidor.

A carta foi enviada para outras 4 corretoras além da FTX e foi publicada após tweet do então presidente da exchange, Brett Harrison, ter sugerido que os fundos de investimentos da empresa eram assegurados pela agência.

Segundo o FDIC, ao contrário dos depósitos mantidos em bancos dos EUA, as criptomoedas armazenadas em corretoras não são protegidas pelo governo.

Após a publicação da carta, Harrison excluiu o tweet e Bankman-Fried esclareceu em um tweet que a exchange não tem seguro FDIC.

No mês seguinte, Brett Harrison anunciou que deixaria de ter um papel ativo na Exchange, mas iria permanecer como um consultor. A empresa não anunciou um substituto imediato para o cargo.

O início do fim: caso Alameda/FTX

No dia 02 de novembro, o CoinDesk obteve acesso aos resultados do segundo trimestre da Alameda Research, uma outra empresa fundada pelo empresário Sam Bankman-Fried.

Analisando os resultados, o CoinDesk informou que uma grande parcela dos ativos da Alameda Research era composta por FTT, o token nativo da FTX. Segundo o levantamento, a participação do FTT representava cerca de 40% do patrimônio da empresa.

No dia 7 de novembro, o CEO da Binance, Changpeng Zhao, revelou que a empresa pretendia vender inteiramente suas participações na FTT. 

A Binance havia recebido FTT como parte de uma venda de sua participação na FTX em 2021 e o CEO da empresa citou as “revelações recentes que vieram à tona” como o principal motivo para a Binance se desfazer dos tokens FTT que possuía.

Agências de notícia como Bloomberg e TechCrunch relataram que qualquer venda da Binance provavelmente impactaria muito o preço do FTT, uma vez que o token apresentava baixo volume de negociação.

O anúncio de venda dos tokens feito pela Binance e as disputas entre Zhao e Bankman-Fried no Twitter levaram o token a um declínio que impactou também outros criptoativos, resultando em uma crise na FTX.

E assim chegamos aos acontecimentos mais recentes da FTX…

Em 8 de novembro, o CEO da Binance anunciou que a empresa havia firmado um acordo não vinculativo para comprar a FTX. No dia do anúncio, o FTT perdeu 80 por cento do seu valor.

Em 9 de novembro, a aquisição da FTX pela Binance foi relatada pela Bloomberg como “improvável” devido ao mau estado das finanças da exchange rival. E na noite desse mesmo dia a Binance anunciou sua desistência da operação de compra.

O empresário Changpeng Zhao publicou uma série de tuítes explicando de forma mais detalhada o porquê de não prosseguir com o negócio.

“Como resultado do processo corporativo de due diligence [análise dos números empresariais], bem como das últimas notícias sobre fundos mal administrados de clientes e das supostas investigações de agências dos EUA, decidimos que não daremos continuidade à potencial aquisição da FTX.com”

Essa história ainda não está no seu fim e seguiremos acompanhando e atualizando essa publicação com as informações mais recentes. 😉

Esse artigo foi feito em parceria com a equipe de analistas de investimentos da Genial Analisa. 

Se você deseja ficar por dentro de tudo que acontece no mercado cripto, cadastre-se no Expresso Cripto, nossa newsletter semanal com relatórios, análise técnica, notícias e carteira cripto!

Vexter

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa