Nos últimos dias, o Bitcoin, junto com as principais criptomoedas do mercado, experimentou uma grande queda – saindo do patamar dos US$ 20 mil. Foi a primeira vez, desde julho deste ano, que a maior moeda digital chegou a ser negociada na casa dos US$ 19 mil.

Esses altos e baixos recentes vêm assustando alguns investidores, principalmente os mais inexperientes no universo dos ativos digitais. Afinal, o que podemos esperar desse mercado? Quais as perspectivas dentro do cenário atual?

Frente a um ano tão desafiador, todos esses questionamentos se fazem muito válidos. Todo investidor deseja saber se investir em criptomoedas vale a pena em 2022 – e daqui para a frente também. Para isso, preparamos esse artigo para ajudá-lo a responder às principais perguntas sobre o assunto. Basta seguir a leitura!

Por que investir em criptomoedas?

A criptomoeda mais popular e valiosa hoje em dia é, sem dúvida nenhuma, o Bitcoin. Ocupando o topo da lista de melhores moedas digitais do mercado, ele é considerado o “ouro digital” do mundo.

Em 2021, o Bitcoin acumulou diversas altas e chegou a alcançar máximas históricas, apresentando um cenário bastante promissor para os investidores. Esse ano, no entanto, o panorama está um pouco diferente.

Fatores relacionados ao contexto econômico mundial, aliados à guerra na Ucrânia e a problemas enfrentados por alguns projetos no setor das criptomoedas geraram um movimento de insegurança nos investidores, que vêm experimentando quedas nos preços dos ativos digitais e no mercado de renda variável. Ainda assim, podemos listar vários aspectos que tornam as criptomoedas interessantes e promissoras para quem almeja o médio e o longo prazo. Veja só:

Oferta limitada

A alta da inflação é uma realidade e um problema atual ao redor do mundo. O dinheiro continua a ser emitido sem que a economia acompanhe esse movimento – o que reduz o seu valor e o poder de compra das pessoas.  

Por possuírem políticas restritas de emissão, as criptomoedas estão menos sujeitas à desvalorização. O Bitcoin, por exemplo, possui uma oferta limitada a 21 milhões de unidades – essa escassez, inclusive, é um ponto que desperta o interesse dos investidores.  

Tudo isso pode fomentar o uso dos ativos digitais como reserva de valor a médio e longo prazo.

Descentralização

As criptomoedas não são controladas por nenhum governo ou instituição, podendo ser transacionadas ao redor do mundo. Elas são negociadas nas blockchains, plataformas seguras e protegidas por criptografia, o que torna todo o processo transparente e confiável.  

Elas não ficam na posse de nenhum banco ou instituição, ao contrário do real e do dólar, por exemplo. Esse último, apesar de ser considerado o principal ativo do sistema financeiro tradicional, vem tendo sua importância questionada recentemente – principalmente após a pandemia do coronavírus e a guerra da Ucrânia.

Perspectiva de regulação

Um dos maiores mercados do mundo, os EUA, vem avançando cada vez mais no que diz respeito à regulação das criptomoedas. Cada vez mais aberto aos ativos digitais, o país vem puxando um movimento que atrai os olhares dos investidores – e da população em geral – para as moedas virtuais, o que pode resultar em um horizonte de valorizações a médio e longo prazo.

Diversificação

Uma das principais vantagens de investir em criptomoedas é a possibilidade de diversificação da carteira. Existem inúmeras opções de investimentos dentro desse universo, que vão de projetos relacionados à tecnologia a projetos que envolvem times de futebol e séries de TV, por exemplo.

A estratégia de diversificação é ideal para quem deseja minimizar os riscos envolvidos nas negociações, potencializando, assim, as chances de ganho.

O que saber antes de investir em criptomoedas

Apesar de todos os pontos positivos, é importante ter em mente as desvantagens desse tipo de investimento antes de começar a colocar a mão na massa. 

A baixa aceitação das criptomoedas, por exemplo, é um ponto negativo: por mais que as empresas estejam começando a aderir cada vez mais a esse tipo de pagamento, muita gente ainda tem receio de negociar utilizando os ativos digitais, o que faz com que sua aceitação ainda não seja tão alta no mercado.  

Além disso, a alta volatilidade das criptomoedas é um ponto que merece a atenção de todo investidor – afinal, estamos falando de investimentos de alto risco. Não é todo mundo que possui perfil para investir nesse mercado, que, apesar de promissor, pode trazer perdas significativas a curto prazo devido às oscilações nos preços.

As criptomoedas também não são regularizadas em alguns países ainda e, recentemente, esse mercado sofreu proibições na China. Somado a isso, as consequências econômicas da guerra da Ucrânia e os problemas relacionados a alguns projetos do setor das criptomoedas também contribuíram para o aumento do receio dos investidores, trazendo quedas no valor dos ativos digitais.

Afinal, investir em criptomoedas vale a pena?

Não é novidade que o primeiro semestre de 2022 foi bastante desafiador para o mercado das criptomoedas, especialmente para o Bitcoin, que registrou uma queda de quase 60% nos primeiros seis meses do ano.

Apesar disso, para alguns analistas, as perspectivas para os ativos digitais são animadoras. A transição da economia tradicional para a digital já vinha acontecendo há um tempo e, agora, está cada vez mais forte – devido, principalmente, à pandemia e à guerra da Ucrânia.

É provável que o Bitcoin passe por mais alguns períodos de queda ao longo do ano, tendo em vista que há uma forte tendência de novas altas nas taxas de juros nos EUA. 

Esse cenário deve continuar impactando o preço dos ativos de risco – como ações e criptomoedas – originando novas quedas, mas isso não é visto de forma negativa pelos investidores de longo prazo, que já estão de olho nas futuras altas das criptomoedas a médio e longo prazo.

Vale lembrar que em 2024 ocorre mais um halving do Bitcoin, o que possivelmente trará novas altas históricas para a criptomoeda a partir do segundo semestre do ano que vem.

Portanto, para quem possui um perfil mais arrojado e tolerante a riscos, investir em criptomoedas pode sim ser bastante interessante, mesmo em momentos de baixa. É preciso ter em vista que as projeções do mercado servem para auxiliar os investidores a investir com mais assertividade, mas não representam garantias de ganhos ou perdas.

E aí, depois desse artigo você acha que investir em criptomoedas vale a pena? Conte para a gente sua percepção deixando um comentário aqui no blog!

Vexter

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa