Se você conhece um pouco sobre o mundo dos investimentos, provavelmente já se deparou com as principais modalidades de operação na Bolsa de Valores: Day Trade, Swing Trade, Position Trade e Scalping Trade. Essas estratégias se diferenciam pelo prazo de duração das operações (curto, médio ou longo) e objetivos dos traders – profissionais que estudam a movimentação do mercado para trabalhar operando ativos financeiros.

Ao longo desse artigo, vamos explorar mais sobre a operação conhecida como Swing Trade. Essa estratégia permite ao investidor acompanhar a movimentação do ativo por um tempo um pouco maior em comparação à modalidade Day Trade. Vamos lá?

Afinal, o que é Swing Trade?

Quando um trader opta por operar nessa modalidade, ele tem em mente que o prazo para negociação de seus investimentos gira em torno de dias a semanas. Dessa forma, ele acompanha o ativo por um período maior de tempo que o Day Trader e o Scalper. Isso significa que essa é uma estratégia de curto a médio prazo indicada para quem não tem disponibilidade de acompanhar o mercado durante todo o pregão, por exemplo.

Operando Swing Trade, você pode investir seu dinheiro no mercado de ações, no mercado futuro e no mercado de opções, trabalhando com menos riscos e um potencial de ganho maior. Como você não precisa acompanhar o mercado e se dedicar às operações durante todo o pregão, é possível conciliar o trabalho de Swing Trader com outras atividades ao longo do dia. 

Para isso, é importante que você saiba fazer uma análise dos gráficos da Bolsa de Valores para ler corretamente o mercado. Te explicaremos melhor sobre esse assunto ao longo do artigo.

Quais são as diferenças entre Day Trade, Swing Trade, Scalping Trade e Position Trade?

Como sabemos, dentre os quatro principais tipos de operação, apostar no mercado como Swing Trader é uma estratégia para quem preza por mais versatilidade e não dispõe de muito tempo para acompanhar as oscilações do mercado. Entretanto, quem opera como Day Trader negocia todas as suas ações no mesmo dia, ao longo do pregão. Isso significa que esse investidor tem um perfil mais agressivo, opera ativos de maior liquidez e, para isso, precisa dedicar mais tempo à atividade.

Scalper Trader, por sua vez, é um tipo de Day Trader. Aqui, o investidor também possui um perfil agressivo e visa realizar movimentações rápidas com alvos bem definidos. Se comparado ao Day Trader, se dedica a fazer um número maior de operações em menores espaços de tempo (mais de 15 operações por dia). Por isso, é necessário conhecer bem o mercado e ser ágil. A relação entre risco e potencial de ganho, geralmente, é proporcional – o que significa que, ao operar mais rápido, o trader se arrisca menos e, consequentemente, obtém retornos financeiros mais baixos por operação.

No caso do Position Trader, como o próprio nome diz, o investidor assume uma posição na Bolsa. Devido a essa característica, opera a longo prazo – entre 1 e 12 meses em média. Entretanto, nesse tipo de operação, o trader tem a possibilidade de montar uma carteira de dividendos, o que não é possível nas outras modalidades devido ao tempo de permanência.

É interessante que os traders utilizem a análise técnica para avaliar oportunidade e oscilações do mercado, sem deixar de lado, também, a análise fundamentalista. Ela pode trazer informações sobre o ritmo de crescimento e solidez das empresas e dos ativos nos quais se pretende investir.

Como operar como Swing Trader?

Se você já identificou que atuar como Swing Trader tem mais a ver com o seu perfil, listamos agora alguns requisitos que precisam ser levados em conta antes de começar a atuar nessa modalidade:

1- Abrir uma conta em uma corretora de investimento: caso você ainda não possua uma, esse é o primeiro passo. Investir nessas instituições pode ser mais vantajoso para você do que investir nas instituições bancárias. Isso porque, além de poderem apresentar taxas menores, as corretoras possuem um leque maior de produtos para os mais variados perfis. 

2- Reserve um recurso para operar. Lembre-se de que, para começar a investir, as contas devem estar em dia.

3- Estude análise gráfica: saber avaliar os gráficos da Bolsa de Valores, as tendências e oscilações dos ativos é importante para operar com confiança e melhores estratégias.

4- Defina estratégias: sem uma visão clara de onde e como você pretende chegar, você corre o risco de tomar decisões que podem não ser as mais acertadas para você.

5- Tenha disciplina e esteja preparado para correr riscos: os traders precisam desenvolver essas habilidades para lidar melhor com o mercado financeiro, que está em constante mudança e é incerto. Caso queira ter uma noção de quanto será possível ganhar por dia, verifique o nosso artigo sobre quanto ganha um trader.

Quais são os riscos desse tipo de operação?

Como em qualquer outra operação, o risco maior está no fato de ir com muita sede ao pote sem dedicar um tempo para conhecer o mercado e definir seus objetivos e metas. Duas outras possibilidades para minimizar os riscos são também diversificar os seus investimentos ao montar sua carteira, investindo tanto em renda fixa quanto variável, e colocar a ordem de stop ao comprar o ativo operando como Swing Trader. Assim, você consegue delimitar quanto está disposto a perder, caso isso aconteça.

Sugerimos, agora, que você separe uma parte do seu tempo para estudar os gráficos da Bolsa de Valores. A análise técnica é fundamental para qualquer trader que queira operar com mais confiança em suas estratégias. 

Caso você ainda tenha dúvidas sobre o assunto, a Vexter está aqui para te ajudar. Por meio da nossa plataforma, você tem a possibilidade de conversar com outros especialistas do mercado financeiro e aprender mais sobre o assunto com o nosso curso de Análise Gráfica. Bons estudos!

Vexter

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!