CDB 220% do CDI com liquidez diária.

Investir traz a oportunidade de planejar e realizar sonhos, ter um futuro econômico tranquilo, criar uma reserva para emergências e aumentar o patrimônio. Mas, para compor a carteira, é preciso conhecer seu nível de tolerância ao risco. Por exemplo, você tem um perfil conservador? 

Quem é classificado dessa forma deve priorizar características como segurança e liquidez, considerando as opções de mercado. Para tanto, vale a pena entender como a classificação funciona e o que ela representa. 

A seguir, nós da Genial separamos o que você precisa saber sobre o perfil conservador e os investimentos que podem ser adequados a ele. Confira! 

Quais são os tipos de perfil de investidor? 

Antes de pensar no perfil conservador, é preciso compreender que o perfil de investidor corresponde a uma indicação do nível de risco tolerado no momento de investir. Logo, ele serve para orientar a escolha entre os produtos disponíveis no mercado financeiro. 

De modo resumido, os perfis são: 

  • conservador: prioriza a segurança do investimento, mesmo que isso diminua a rentabilidade; 
  • moderado: embora dê importância à segurança, compreende ser preciso correr mais riscos para aumentar o potencial de rentabilidade; 
  • arrojado: é aquele menos sensível às flutuações do mercado. Aceita mais riscos, pois prioriza os ganhos de médio e de longo prazo. 

O que é o perfil conservador? 

Como você viu, o perfil de investimento conservador é uma das classificações existentes e inclui quem tem o menor nível de tolerância ao risco. Considerando o tripé dos investimentos (segurança, liquidez e rentabilidade), veja como esse investidor se posiciona! 

Segurança 

Como tem menor apetite ao risco, o investidor de perfil conservador prioriza a segurança. Seu objetivo é manter o dinheiro protegido ao longo do tempo, evitando oscilações e perdas. 

Por isso, é comum que ele busque aplicações de renda fixa. Os investimentos dessa classe têm regras conhecidas de rentabilidade, o que aumenta o nível de previsibilidade. 

Por outro lado, os investimentos em renda variável possuem rentabilidade imprevisível. Logo, oferecem maior risco ao investidor. Assim, é esperado que um investidor conservador não tenha tolerância a essa classe. 

Liquidez 

A liquidez envolve a capacidade de transformar um ativo (bem ou investimento) em dinheiro. Portanto, significa a facilidade de resgatar o valor em espécie após fazer a operação. Quanto mais rápido é o resgate, maior é a liquidez. 

Entretanto, nem todos os investimentos são líquidos. Existem aplicações que estabelecem datas para o resgate e, às vezes, retirar o dinheiro antes pode significar perdas ou mudanças no retorno financeiro. 

Pessoas com perfil bastante conservador podem priorizar alternativas de renda fixa que ofereçam liquidez diária, por exemplo. Assim, é possível resgatar o investimento e receber o dinheiro em até um dia. 

Rentabilidade: 

Já a rentabilidade está relacionada ao valor a ser recebido. Trata-se do potencial que um investimento apresenta de oferecer retorno financeiro e de fazer o seu dinheiro render. A regra no mercado financeiro diz que, quanto maior o risco de uma aplicação, mais rentável ela é. 

Ou seja, como o investidor conservador prioriza um investimento seguro, o retorno tende a ser menor que aquele oferecido por opções mais arriscadas.  

Quais são os tipos de investimentos para o perfil conservador? 

Como você viu, o investidor que possui perfil conservador prioriza a segurança. Portanto, as opções em renda fixa serão mais compatíveis com a menor disponibilidade para correr riscos com a operação. 

Esse perfil também considera a liquidez como um fator relevante na hora de investir. Já que nem todos os investimentos em renda fixa oferecem facilidade para resgatar o dinheiro, é essencial ficar atento ao prazo e escolher opções adequadas aos seus objetivos. 

Por fim, o investidor conservador tende a colocar a rentabilidade em segundo plano. No entanto, não significa que ele não encontrará investimentos com bons retornos financeiros. É possível avaliar as ofertas do mercado e encontrar maior potencial em títulos de maior prazo, por exemplo. 

Considerando essas características, veja investimentos conservadores que podem fazer parte do seu portfólio! 

Títulos públicos 

Os títulos públicos são emitidos pelo Tesouro Nacional e negociados na plataforma Tesouro Direto. Eles servem para o Governo Federal captar recursos e podem ser de três tipos: 

  • Tesouro Selic: é pós-fixado e paga o percentual da Selic; 
  • Tesouro IPCA: paga um percentual fixo mais a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a taxa de inflação. 

Todos os títulos públicos são integralmente garantidos pelo Tesouro Nacional. Logo, são os investimentos mais seguros que o mercado pode oferecer. 

Além disso, todos têm liquidez diária, pois há a garantia de recompra dos títulos. Porém, o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA só garantem a rentabilidade combinada se o título for levado ao vencimento. Desse modo, o Tesouro Selic é mais adequado para resgate antecipado. 

Certificado de depósito bancário (CDB) 

Para entender o que é CDB, pense em um empréstimo. Na prática, essa aplicação consiste em “emprestar” dinheiro ao banco para que ele, com esses recursos, realize suas próprias atividades de crédito. 

A maior parte dos CDBs disponíveis no mercado está atrelada a um percentual da taxa DI, que tem valor sempre muito próximo à Selic. Mas eles também podem ser prefixados ou híbridos, como os demais títulos da renda fixa. 

O CDB possui cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), uma entidade privada que administra um mecanismo de proteção aos investidores. Ademais, é possível encontrar CDBs com liquidez diária ou apenas no vencimento. 

Fundos DI 

Os fundos DI são fundos de investimento de renda fixa que buscam replicar o desempenho da taxa DI. Para isso, eles investem prioritariamente em títulos públicos do tipo Tesouro Selic. Portanto, oferecem previsibilidade e têm liquidez diária. 

O investimento nos fundos DI se baseia na aquisição de cotas — e os recursos são movimentados por um gestor profissional. Eles também são considerados seguros e podem fazer parte de um portfólio conservador. 

Como você viu, o perfil conservador é uma classificação voltada para investidores que priorizam a segurança e a liquidez. Com isso em mente, é possível escolher investimentos conservadores compatíveis com esses interesses na hora de montar a carteira. 

Gostou de conhecer essa classificação? Se quiser começar a investir hoje mesmo, abra sua conta e seja Genial!

Comentários