Muitas pessoas acreditam que somente quem tem um salário elevado consegue economizar e construir uma reserva financeira. Porém, é possível juntar dinheiro ganhando pouco!

Ter esse conhecimento permite o acúmulo de capital, além de ser necessário para alcançar os seus objetivos financeiros. Ao reunir disciplina e perseverança, você verá que há formas de economizar e até começar a fazer seus recursos financeiros renderem. 

Ficou interessado em saber como juntar dinheiro ganhando pouco? Confira 10 estratégias fáceis de adotar, mesmo que o seu salário seja baixo! 

É hora de cuidar das suas finanças e a Genial quer te ajudar! Baixe agora uma cópia da nossa planilha de controle financeiro pelo QR-CODE ou através do link baixo.

1. Avalie a situação atual das suas finanças 

Para iniciar o processo que ajudará você a economizar, é fundamental fazer uma avaliação das suas finanças. Essa análise consiste em identificar todas as suas fontes de renda e despesas atuais, bem como a existência de créditos a receber de terceiros ou dívidas que precisam ser pagas. 

Esse passo é fundamental para ter um retrato da sua situação financeira e saiba a quantidade de dinheiro que você movimenta mensalmente. Para tanto, é importante verificar a quantia que entra no seu orçamento, considerando os descontos de impostos e outras deduções. 

Assim, será possível identificar em que áreas da vida você gasta mais, se suas despesas superam seus ganhos e quais são as perspectivas futuras. Com esse conhecimento, ficará mais claro quais práticas devem ser adotadas para fazer sobrar mais dinheiro no final do mês. 

2. Elabore um planejamento mensal 

Uma das dicas mais relevantes para quem deseja economizar, mesmo ganhando pouco, é fazer um planejamento mensal. Ele envolve organizar as suas finanças pessoais com base no levantamento da sua realidade financeira. 

Essa organização permite conhecer e ter o controle sobre o seu fluxo de caixa pessoal, uma vez que você poderá estabelecer limites para as suas despesas mensais. Por muito tempo, esse tipo de controle e planejamento era feito com o uso de papel e caneta. 

No entanto, surgiram diferentes ferramentas que podem ajudar nessa tarefa, como planilhas, softwares e aplicativos de controle financeiro. Para criar o seu planejamento financeiro, é válido anotar as seguintes informações: 

  • gastos fixos: são aqueles que não variam de um mês para o outro, como aluguel, internet, seguro do carro, mensalidade escolar, assinaturas de streaming e outros; 
  • gastos semivariáveis: são despesas que você tem todos os meses, mas os valores se alteram conforme o consumo. Por exemplo, água, energia elétrica e compras de mercado; 
  • gastos variáveis: são referentes a despesas feitas ocasionalmente, a exemplo de compra de roupas, passeios, presentes e outras; 
  • receitas: junção de todos os valores que você e sua família recebem, como salário, aluguéis, renda extra de atividades não eventuais e outros ganhos. 

Feito isso, é hora de planejar as suas finanças para conseguir pagar todos os seus compromissos financeiros e poupar dinheiro. Mantendo o controle e o planejamento mensal, você saberá se está cumprido o orçamento ou se é preciso cortar ou diminuir os gastos, por exemplo. 

É hora de cuidar das suas finanças e a Genial quer te ajudar! Baixe agora uma cópia da nossa planilha de controle financeiro pelo QR-CODE ou através do link baixo.

3. Organize seus hábitos financeiros 

Depois de avaliar o seu orçamento e identificar as suas receitas e despesas, será a oportunidade de analisar os seus hábitos financeiros. Com essa prática, você poderá compreender a capacidade de gastar e identificar o que pode ser economizado. 

As despesas variáveis costumam ser as que possibilitam mais flexibilidade para fazer economia. Nesse sentido, mudar alguns costumes de consumo é fundamental para reduzir os seus gastos mensais. 

Por exemplo, muitas pessoas contratam planos de telefonia celular, internet e TV a cabo em pacotes com mais serviços que o necessário. Em alguns casos, a troca por planos mais básicos pode gerar uma economia considerável. 

Outra situação semelhante é o pagamento de tarifas bancárias. Quem é correntista de um banco tradicional costuma pagar mensalmente por uma cesta de serviços que nem sempre são utilizados. 

Se esse é o seu caso, pode ser interessante verificar se o banco oferece alternativas mais adequadas ao seu perfil, reduzindo a tarifa cobrada. Uma alternativa a isso é procurar instituições que ofereçam serviços bancários sem a cobrança de taxas — como bancos digitais e fintechs.  

4. Elimine as suas dívidas 

Após realizar uma avaliação completa do seu orçamento, será mais fácil determinar se você tem dívidas e qual é a situação delas. Quando há pendências financeiras em seu nome, é mais difícil conseguir economizar dinheiro, por isso é preciso identificá-las e planejar a quitação dos débitos. 

A inadimplência gera encargos como juros de mora e multas. Nesse sentido, pouco adiantará juntar dinheiro se o seu endividamento estiver aumentando em decorrência dos atrasos, concorda? 

Na verdade, o crescimento do saldo devedor de uma dívida pode superar facilmente a remuneração de diversos investimentos disponíveis no mercado. Por isso, antes de começar a economizar, é essencial pagar esses débitos, pois isso facilitará o planejamento financeiro. 

Então verifique todas as suas obrigações que estão em atraso e entre em contato com os credores para negociá-las. Muitas vezes, é possível obter descontos e conseguir condições mais favoráveis de pagamento para eliminar os débitos existentes. 

Após resolver essas pendências financeiras, é pertinente evitar contrair novas dívidas. Essa decisão ajudará você a organizar as finanças e criar o hábito de poupar. 

5. Considere fazer uma divisão orçamentária 

Outra estratégia que pode contribuir no seu planejamento de como juntar dinheiro mesmo ganhando pouco é realizar divisões no orçamento. Existem diversos modelos para criar essa segmentação, sendo comum fracionar as suas despesas em 3 principais categorias: gastos essenciais, investimentos e desejos pessoais. 

Um exemplo bastante conhecido é o modelo 70-20-10. Nele, 70% da sua renda mensal devem ser direcionados para gastos essenciais, 20% para investimentos e 10% para desejos pessoais. Reduzindo os seus gastos, é possível mudar o percentual alocado em cada categoria. 

Imagine conseguir diminuir os seus custos essenciais para 50%, aumentar o potencial de investimentos para 40% e manter 10% para os desejos pessoais. Tenha em mente que quanto maior for a quantia destinada aos investimentos, mais retorno e renda extra você poderá obter. 

As porcentagens podem ser ajustadas conforme a sua realidade e seus objetivos. Contudo, é interessante guardar e investir pelo menos 10% da sua receita mensal e, sempre que possível, tentar aumentar o montante destinado a essa finalidade. 

6. Defina metas de economia 

Conseguindo organizar os seus hábitos financeiros e determinando as divisões orçamentárias, é importante definir metas claras de economia. A ideia é decidir quanto você pretende poupar a cada mês — e tentar fazer isso antes de começar a gastar o dinheiro que receber. 

Por exemplo, ao perceber que é possível poupar 10% das receitas mensais, separe esse montante para que ele não seja usado nas despesas do dia a dia. Nos meses seguintes, tente aumentar esse percentual, e vá progredindo ao longo do tempo. 

Mesmo que inicialmente a quantia definida seja modesta, ter metas é essencial para manter a motivação e direcionar o planejamento. Lembre-se, no entanto, de estabelecer valores possíveis no orçamento, para não gerar frustrações e desmotivar os seus planos nesse sentido. 

Tenha em mente que pode ser difícil conseguir guardar um grande capital logo nos primeiros meses. Mas à medida que você conseguir economizar e organizar seu orçamento, suas metas de poupança podem aumentar. 

Genial Investimentos - Abra sua conta

7. Utilize o cartão de crédito com responsabilidade 

Nem todas as pessoas conseguem poupar e respeitar um planejamento ou divisão orçamentária para juntar dinheiro, ainda mais ganhando pouco. Uma das situações que levam ao descontrole dos gastos é o uso do cartão de crédito como meio de pagamento. 

Esse é um recurso comumente utilizado para fazer compras de alto valor na modalidade parcelada. Porém, quando utilizado de forma irrestrita, o cartão de crédito pode se tornar um vilão das finanças. 

O motivo é que essa modalidade de crédito tende a dar uma falsa sensação de que você tem dinheiro disponível. Além disso, a inadimplência desse tipo de dívida costuma ter as maiores taxas de juros do mercado. 

Portanto, ao utilizar o cartão de crédito, é preciso reservar uma quantia do seu orçamento para quitar a fatura, quando ela chegar. O descontrole ocorre quando uma pessoa gasta toda a receita com o pagamento de outras despesas, ficando sem recursos para pagar as compras no cartão.  

Diante disso, as operadoras oferecem a possibilidade de um pagamento mínimo da fatura para evitar a inadimplência e a negativação do nome do devedor. Nessa alternativa, o saldo remanescente é cobrado na próxima fatura, acrescido de juros rotativos. 

Logo, a depender da quantia devida e dos juros cobrados, esse hábito poderá gerar uma dívida difícil de ser paga. Para evitar situações como essa, vale a pena utilizar o cartão de crédito com responsabilidade, analisando a necessidade de fazer a compra com esse meio de pagamento. 

8. Procure comprar à vista 

Uma forma de evitar o uso do cartão e o seu superendividamento é criar o hábito de pagar suas compras à vista. Nessa situação, você só conseguirá concluir uma aquisição se tiver dinheiro disponível para pagá-la integralmente. 

Na hipótese de não ter todo o montante para pagar a compra, poderá ser interessante adiá-la, até que consiga juntar o dinheiro necessário. Assim, você evitará o endividamento e contribuirá para estimular o hábito de guardar recursos para cumprir seus objetivos. 

Essa mudança no seu dia a dia também poderá evitar a realização de compras por impulso. Afinal, se você gastar toda a sua receita com itens supérfluos, ficará sem recursos para pagar suas contas essenciais. 

Isso não significa que você não possa comprar produtos que estejam na sua lista de desejos. Porém, é essencial verificar se esse gasto está dentro do seu orçamento e se ele não prejudicará outros objetivos. 

9. Busque alternativas de conseguir uma renda extra 

Em algumas situações, quando se tem um salário muito baixo, economizar dinheiro não será o suficiente para alcançar os seus sonhos e metas financeiras. Nesse sentido, é válido explorar novas alternativas para aumentar seus ganhos. 

Há diversas oportunidades no mercado para quem precisa buscar uma renda extra, mas é preciso considerar opções adequadas à sua realidade, certo? Isso inclui saber quanto tempo você tem para dedicar a outra atividade e se precisará fazer algum investimento para colocá-la em prática. 

Existem alternativas para desenvolver trabalhos em casa, usando a internet, e até a possibilidade de atuar com entregas de mercadorias — de carro, moto ou bicicleta. Também é possível usar suas habilidades em gastronomia ou oferecer aulas online.  

O importante é encontrar uma atividade que se enquadre em seu perfil e que se encaixe em sua rotina. Independentemente de qual é o seu hobby ou quais são suas habilidades, vale a pena verificar a possibilidade de conseguir uma renda extra com eles. 

10. Torne o investimento um hábito 

Depois de começar a economizar — ou ao obter renda extra —, há a possibilidade de pensar em formas de fazer seu dinheiro trabalhar por você. Na prática, para alcançar esse resultado, é preciso fazer investimentos. 

Ao investir dinheiro, você terá ajuda para aumentar o seu patrimônio, sem que isso envolva um esforço físico. Para entender melhor esse conceito, considere que um indivíduo poupe uma quantia mensal do salário, sem investir. 

Se essa pessoa economizar R$ 100 todos os meses, ao final de um ano terá acumulado R$ 1,2 mil. Porém, é necessário lembrar que o dinheiro parado tende a perder valor em decorrência dos efeitos da inflação. 

Em contrapartida, se essa pessoa optar por investir os R$ 100 mensais, seja em renda fixa ou variável, é possível que ela tenha um retorno, superando o total acumulado. Isso acontece porque os investimentos podem gerar rendimentos diante dos juros compostos, da distribuição de proventos (dividendos e bonificações) ou com a sua valorização. 

Nesse contexto, os mesmos R$ 1,2 mil investidos poderão se tornar um valor muito maior se o investidor mantiver o hábito de fazer aportes periodicamente. Ao investir, as chances de conseguir juntar dinheiro e fazer o seu capital crescer serão maiores. 

Chegando até aqui, você conferiu 10 estratégias de como juntar dinheiro mesmo ganhando pouco. Então não deixe de adotá-las para aprimorar o controle sobre o seu orçamento, reduzir gastos, poupar mais e, por fim, conseguir investir para ter uma vida financeira mais tranquila. 

Genial Investimentos - Abra sua conta

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Lançamento App 30

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!