CDB 220% do CDI com liquidez diária.

Os produtos de renda fixa conseguem atrair diversos perfis de investidores. Nessa classe de investimento, os títulos públicos estão entre as principais opções. Mas você sabe quais são as vantagens e desvantagens do Tesouro Direto?

Essa é uma alternativa que costuma estar entre as mais buscadas pelos investidores, principalmente por sua segurança e previsibilidade de retorno. Todavia, existem características que podem não agradar. Por isso, é essencial considerar todos os aspectos antes de investir.

Quer conhecer mais sobre o Tesouro Direto? Acompanhe a leitura para conhecer os prós e contras dos títulos públicos!

O que é o Tesouro Direto?

Para conhecer as vantagens e desvantagens da plataforma, é essencial que você entenda o que é o Tesouro Direto. Essa explicação é ainda mais importante porque é comum encontrar investidores que confundem o seu significado.

O Tesouro Direto consiste no programa criado pelo Governo Federal para a negociação de títulos públicos. Ou seja, é por meio dele que os investidores conseguem acessar as alternativas de aplicações como o Tesouro Selic, Tesouro IPCA+ e Tesouro Pré-fixado.

Criada pelo Tesouro Nacional, em 2002, o objetivo da plataforma foi democratizar o acesso ao mercado de investimentos para as pessoas físicas. Além disso, ela atua como um meio de captar recursos para o financiamento de projetos do Governo.

Assim, em oposição ao que muitos acreditam, o Tesouro Direto não é um investimento em si. Na verdade, ele é o instrumento pelo qual diversos títulos públicos podem ser negociados — esses sim são considerados investimentos.

Quais as vantagens de investir em títulos do Tesouro Direto?

Como você entendeu, é por meio do Tesouro Direto que os investidores têm conseguido adquirir títulos públicos para a sua carteira de investimentos. Mas, você conhece as vantagens dessas aplicações?

Saiba mais!

Segurança

A segurança é uma das principais características dos títulos do Tesouro Direto. O motivo para isso é que quem os emite e remunera o investidor é o próprio Governo Federal. Assim, as chances de um possível calote aos investidores são menores que em alternativas de crédito privado.

Desse modo, os títulos do Tesouro são considerados os investimentos de menor risco do mercado. Isso significa que quem fez a aplicação nesses títulos têm uma maior tranquilidade em saber que dificilmente deixará de receber os lucros devidos.

Acessibilidade

Como você viu, um dos objetivos da plataforma é democratizar o mercado de investimentos.  Por isso, há alternativas no programa que permitem que o investidor aplique a partir de R$ 30. Dessa forma, o ambiente é um dos mais democráticos.

Além disso, ele apresenta diferentes alternativas que conseguem agradar os mais distintos perfis de investidor. Os conservadores, por exemplo, podem escolhê-la pela segurança. Os investidores arrojados, por sua vez, encontram oportunidades de trazer um maior equilíbrio ao portfólio.

Praticidade

Outro aspecto positivo da plataforma está em sua praticidade. Com ela, o investidor não precisa ir presencialmente a uma instituição financeira para fazer sua aplicação. Assim, é possível investir nesses títulos pela internet, em um site ou aplicativo.

Para isso, você precisa ter CPF e uma conta em uma corretora de valores. Isso porque ela funciona como um agente de custódia. Logo, são instituições como a Genial Investimentos que mediam as transações com o Tesouro.

Após essa definição, você pode acessar a sua conta e solicitar seu cadastro no Tesouro Direto. A instituição pede alguns documentos para a conta em seu nome. Com essas fases concluídas, já é possível avaliar as oportunidades e as características de cada título disponível e aplicar.

Liquidez diária

Um investimento de alta liquidez é aquele em que o investidor consegue transformá-lo em dinheiro novamente de forma rápida. Como vantagem, a liquidez diária está presente em todos os títulos do Tesouro Direto.

Ou seja, se você optar por resgatar o valor antes do encerramento do prazo, o Governo o comprará de volta e o dinheiro será recebido em até um dia útil. Contudo, é preciso saber que a taxa de juros prometida é garantida apenas no vencimento.

Rentabilidade

Além dos pontos que você viu acima, a rentabilidade também pode ser uma vantagem de se investir na plataforma do Tesouro Direto. Afinal, os títulos apresentam previsibilidade de retorno e são alternativas mais rentáveis que a caderneta de poupança, por exemplo.

Mas vale ressaltar que o rendimento varia de acordo com o título escolhido. São três os tipos principais:

  • Tesouro Prefixado: a rentabilidade é fixa e apresentada no momento do aporte;
  • Tesouro Selic: os rendimentos acompanham a taxa básica de juros da economia, Selic — que pode aumentar ou diminuir ao longo do tempo;
  • Tesouro IPCA: há uma taxa fixa e uma pós-fixada (que acompanha o índice de inflação).

E as desvantagens?

Como você viu, o investimento em títulos públicos apresenta características interessantes para o investidor. Mas, além de conhecer as vantagens do Tesouro Direto, também é preciso avaliar aspectos que podem ser considerados como desvantagens.

Saiba mais!

Marcação a mercado

A liquidez diária é um dos principais pontos positivos dos títulos públicos. No entanto, como vimos, os retornos só são garantidos no vencimento. Isso traz risco de perdas em resgates antecipados, principalmente no Tesouro Prefixado e no Tesouro IPCA.

A dinâmica se dá porque esses títulos estão suscetíveis à marcação a mercado — que consiste na variação de preços do título a cada dia. Por isso, os títulos prefixados e atrelados à inflação podem flutuar para cima ou para baixo, dependendo do momento econômico.

E, quanto maior o prazo do título, maiores costumam ser as oscilações de preço. O Tesouro Selic não fica tão vulnerável a esse cenário porque é pós-fixado. Assim, ele já acompanha naturalmente a  economia e rende diariamente 100% da taxa Selic do período.

Taxa de custódia  – B3

A B3 faz a custódia dos títulos públicos dos investidores, possuindo as informações e movimentações de cada conta e para isso cobra uma taxa referente à guarda desses papéis.

A cobrança é paga semestralmente e incide sobre o valor total aplicado nos títulos, ocorrendo no primeiro dia útil de janeiro e de julho, ou quando ocorre o chamado evento de custódia (pagamento de juros, venda ou vencimento do título). O valor é descontado diretamente da conta do investidor na corretora ou banco. A taxa atualmente é de 0,20% ao ano. Além disso, para os investidores que  possuem valores investidos até R$ 10 mil reais no Tesouro Selic, estes contam com a isenção da taxa de custódia da B3.

Tributação

Outra possível desvantagem dos títulos do Tesouro Direto está na incidência do Imposto de Renda (IR) sobre os lucros. Nesse caso, a alíquota segue a tabela regressiva. Para aplicações com duração menor que 180 dias, a porcentagem é de 22,5%. Quando superam os 721 dias, o IR será de 15%.

Como investir no Tesouro Direto?

Você acredita que o Tesouro Direto tem alternativas que se adéquam ao seu planejamento financeiro? Diante disso, é necessário ter uma conta em uma corretora, como a Genial Investimentos.

Após estar apto para fazer suas aplicações, basta escolher os títulos. Como você viu, há diversas modalidades que podem funcionar nas mais distintas estratégias de investimento. Por isso, é essencial conhecer a melhor opção para o seu perfil.

Entender as vantagens e desvantagens do Tesouro Direto ajuda a considerar se as alternativas dessa plataforma fazem sentido para você. Portanto, ao conhecer suas principais características, será possível fazer investimentos mais assertivos!

Quer aproveitar a previsibilidade e a segurança da renda fixa? Abra sua conta na Genial Investimentos!

Comentários