Fazer escolhas inteligentes na hora de investir é essencial para melhorar o potencial de resultados do seu dinheiro. Além de conhecer o funcionamento de cada produto ou ativo financeiro, é necessário considerar as suas características pessoais. É por isso que existe o perfil de investidor.  

Tal classificação serve para orientar a tomada de decisão, de modo que a composição da carteira seja mais atraente. Então faz sentido saber quais são os tipos de perfis e quais são os investimentos que podem estar associados a cada um, certo? 

Considerando esses pontos, nós, da Genial Investimentos, separamos tudo o que você precisa saber sobre o perfil de investidor. Continue a leitura e descubra!  

O que é o perfil de investidor?  

O perfil de investidor é uma classificação que indica sua personalidade e preferências ao investir. Ele está relacionado, principalmente, ao seu nível de tolerância ao risco. Logo, serve como um guia para a tomada de decisão, como você verá nos próximos tópicos. 

Visite no canal no YouTube

Quais são os tipos de perfis de investidor?  

De acordo com a classificação de perfil, há três tipos de investidores principais. Não é incomum que alguém apresente característica dos três, mas a definição do perfil é baseada nos pontos predominantes.  

Veja quais são os tipos de investidores!  

1. Conservador  

O investidor com perfil conservador busca ter segurança em sua carteira de investimentos, por não ser muito tolerante ao risco. Assim, ele procura aplicações que ofereçam menos volatilidade e mais previsibilidade, ainda que isso reduza o potencial de rendimentos.  

Quem se encaixa nesse perfil também costuma buscar uma liquidez mais elevada. Com isso, é possível acessar os recursos de acordo com as necessidades, sem precisar aguardar o prazo de vencimento. 

2. Moderado  

O perfil moderado inclui os investidores que têm uma tolerância ao risco um pouco maior. Então são pessoas que estão dispostas a correr um pouco mais de riscos, buscando um potencial também maior de ganhos.  

Em geral, investidores moderados podem aceitar um maior nível de volatilidade ou uma liquidez menor. Contudo, ainda mantêm parte significativa da carteira em segurança.  

3. Arrojado  

O perfil arrojado contempla os investidores que têm o maior nível de tolerância ao risco. Portanto, são as pessoas que conseguem suportar um alto nível de volatilidade e oscilações mais intensas sobre os aportes financeiros.  

Isso não significa que investidores arrojados estejam dispostos a arriscar o patrimônio sem propósito. O objetivo é correr riscos de maneira controlada e estratégica, em busca da rentabilização de carteira.  

O investimento em ações para o longo prazo é um exemplo. Elas envolvem maior risco, logo, priorizá-las é característica de alguém arrojado. Ainda assim, são pensadas formas de manejar o risco, como fazer a análise fundamentalista ou seguir carteiras recomendadas.  

Como descobrir o seu perfil de investidor? 

Identificar o perfil de investidor depende de uma avaliação sobre objetivos financeiros, conhecimento do mercado e prazos dos seus planos. Sendo assim, não basta se identificar com a descrição básica de um perfil. 

A melhor forma de descobrir sua classificação é fazer o teste de suitability — ou API (análise de perfil do investidor). Ele é disponibilizado por instituições financeiras que realizam investimentos, como a corretora de valores.  

Inclusive, elas são obrigadas a aplicar o questionário entre os clientes. Nele, são feitas diversas questões sobre seus interesses e sua visão a respeito das finanças e dos investimentos. A partir do resultado, você saberá em qual perfil de investidor se encaixa. 

Em certos casos, os resultados do teste interferem na disponibilidade de produtos. Pode ser que a corretora retire os investimentos que tenham risco acima da sua tolerância, por exemplo. 

Por que é importante investir de acordo com o perfil de investimentos? 

Independentemente de qual seja o perfil no qual você se encaixa, conhecê-lo é muito importante na hora de investir. Com esse entendimento, é possível definir a melhor estratégia para adotar na sua composição de carteira.  

Por exemplo, se você for um investidor moderado, focar demais em investimentos conservadores pode dar a sensação de desperdício de oportunidades. Afinal, você consegue tolerar riscos um pouco maiores e isso pode ser aproveitado para rentabilizar o portfólio. 

Ao mesmo tempo, considerar o perfil de investidor é fundamental para ficar mais confortável com os investimentos. Um conservador que investe de modo arrojado pode ter grandes prejuízos ou ficar bastante incomodado com a volatilidade alta. 

Desse modo, conhecer as características do perfil oferece uma orientação concreta sobre quais produtos escolher e qual estratégia de investimentos adotar. Isso aumenta as chances de você ficar satisfeito e de se sentir tranquilo com as escolhas realizadas.  

Como montar a carteira de acordo com o seu perfil?  

Considerando que o perfil de investidor é determinante para as escolhas de investimentos, é importante entender como adotá-lo para tomar as decisões sobre o portfólio. Nesse sentido, vale a pena conhecer as dicas a seguir.  

Confira!  

Tenha uma reserva de emergência  

O primeiro passo para investir, independentemente do seu perfil, é criar a sua reserva de emergência. Ela serve para oferecer segurança financeira em caso de imprevistos, permitindo que você mantenha seu padrão de vida.  

Ter a reserva também é fundamental para investir com consistência. Como você terá menos dificuldades para manter seu orçamento, fica mais fácil provisionar recursos para realizar aportes frequentes.  

Além disso, é uma forma de evitar o resgate antecipado (e possivelmente prejudicial) dos ativos — principalmente os de longo prazo ou de maior risco. Do contrário, você poderia precisar realizar prejuízo para ter acesso ao dinheiro. 

O ideal é que a reserva de emergência corresponda a 6 meses dos seus custos mensais. Além de juntar o dinheiro, é necessário aplicá-lo para que ele continue rendendo e você não perca valor para a inflação. Mas, nesse caso, a rentabilidade não é o ponto principal a considerar.  

A tomada de decisão deve envolver investimentos que unam liquidez e segurança. Logo, esse investimento será sempre conservador. Assim, você protege o seu capital e tem a chance de retirar o dinheiro quando for necessário.  

Conheça as alternativas disponíveis no mercado  

Para compor o restante da sua carteira com base no perfil de investidor é fundamental saber quais são as alternativas disponíveis. Existem duas classes principais: a renda fixa e a renda variável. Na renda fixa, é possível conhecer antecipadamente as regras de remuneração.  

Na renda variável, isso não acontece. Logo, a renda fixa costuma ser mais procurada por investidores conservadores e a renda variável, para moderados e arrojados. No entanto, como você verá, é possível mesclar as classes em um portfólio diverso. 

Veja a seguir as possibilidades de investimentos mais comuns em cada perfil. Mas saiba que as alternativas não são sugestões de alocação.  

São apenas os investimentos mais comuns em cada perfil. Acompanhe! 

Perfil Conservador Perfil ModeradoPerfil Arrojado
Tesouro PrefixadoDebênturesFundos cambiais
Tesouro SelicDebêntures incentivadasFundos multimercado
Certificado de depósito bancário (CDB)Certificado de recebíveis imobiliários (CRI) Fundos de investimento em
participações (FIP)
Letra de crédito imobiliário (LCI)Certificado de recebíveis do agronegócio (CRA)Certificados de depósitos de valores mobiliários (BDR)
Letra de crédito do agronegócio (LCA)Fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC)Mercado futuro (derivativos)
Letra de câmbio (LC)Certificado de operações estruturadas (COE)Opções
Fundos DITesouro IPCA+
Fundos de renda fixaAções
Fundos de ações
Fundos de investimento imobiliário (FII)
Fundos de índice (ETF)
Fundos de Previdência

Mas atenção: apesar dessa divisão didática, as alternativas não são limitadas a cada perfil. Investimentos podem servir a todos os perfis, a depender dos seus objetivos. Lembre-se de que há outros critérios que participam da escolha e permitem que você monte uma carteira única. 

Aumente seu conhecimento sobre o mercado financeiro 

Na hora de avaliar se um investimento realmente faz sentido para você e seu perfil de investidor, é preciso ter um entendimento completo das características do ativo. Portanto, é interessante buscar formas de expandir seus conhecimentos. 

Com os livros para investidores é possível explorar conceitos-base e estar apto para aplicá-los em sua estratégia. Também pode valer a pena realizar cursos livres sobre o assunto, com uma trilha de aprendizado mais completa. 

Também vale a pena acompanhar notícias, tanto do mercado financeiro quanto do cenário macroeconômico. Até mesmo filmes podem trazer conhecimento, com histórias sobre os maiores investidores do mundo e suas estratégias.  

Diversifique o portfólio  

Na hora de escolher o que fará parte da sua carteira de investimentos, uma estratégia é especialmente importante: a diversificação de investimentos. A ideia é expor seu patrimônio a riscos diferentes para equilibrá-lo, de modo que não ocorra uma concentração de alocação.  

A diversificação costuma envolver a escolha de investimentos descorrelacionados, ou seja, que tendem a seguir em direções opostas. Assim, diante de um movimento do mercado, seu patrimônio não sentirá todo o impacto.  

Em relação ao perfil de investidor, uma possibilidade é pensar em proporções quanto ao apetite ao risco. Para os conservadores, faz sentido investir mais em renda fixa, mas uma pequena parte do patrimônio pode ser alocada em renda variável, por exemplo.  

Para os moderados, pode ser interessante dividir entre renda fixa e variável, com um equilíbrio que depende dos objetivos. Entre os arrojados, a maior parte segue para a renda variável, mas fazer investimentos em renda fixa é útil para objetivos de curto prazo.  

Assim, você pode ver que é possível escolher investimentos mais seguros ou de maior risco em qualquer perfil. Não são os investimentos isolados que marcam seu perfil de investidor, mas o conjunto geral da carteira. 

O perfil é o único fator para considerar ao investir?  

Você percebeu que o perfil de investidor é essencial para tomar decisões de investimento. Contudo, é importante saber que esse não é o único critério relevante para utilizar. Na hora de decidir como alocar seus recursos, devem-se usar outros pontos fundamentais — como os objetivos.  

Entender o que você deseja alcançar em curto, médio ou longo prazo é fundamental para escolher de acordo. Assim, é preciso considerar não apenas seu apetite ao risco, mas seus planos, o quanto você tem disponível para investir, o seu nível de conhecimento do mercado, etc.  

Para completar, é necessário pensar em quais são as alternativas disponíveis em sua corretora de valores. Ao escolher a Genial Investimentos, você terá uma grande disponibilidade de produtos e ativos financeiros, então é possível avaliar o que faz sentido para o seu portfólio. 

Como unir perfil de investidor e tripé de investimentos? 

Uma estratégia que pode ajudar a basear sua decisão é a de considerar o tripé de investimentos. Ela reúne os três aspectos que compõem um investimento: a segurança, a liquidez e a rentabilidade. 

Porém, só é possível maximizar até dois fatores simultaneamente, em detrimento do terceiro. Portanto, um investimento seguro e líquido tem menor potencial de rentabilidade, enquanto um investimento líquido e rentável provavelmente é menos seguro, por exemplo. 

Essas características, unidas aos seus objetivos e ao seu conhecimento de mercado, devem ser aliadas ao perfil de investidor. Assim, você terá uma orientação ainda mais completa para saber como realizar os investimentos, de acordo com as suas características. 

O seu perfil de investidor é definitivo?  

Apesar de o perfil de investidor ser uma característica tão importante, ela não é fixa. Não é porque você se encaixa em determinado perfil de investidor hoje que, necessariamente, permanecerá nele ao longo do tempo.  

Uma mudança pode acontecer por motivos distintos. Por exemplo, se os seus objetivos financeiros mudarem. Em geral, a sua tolerância ao risco varia com o que você espera alcançar.  

Se estiver disposto a investir no longo prazo, pode fazer sentido ter uma disposição maior aos riscos.  Afinal, eles poderão ser diluídos com o tempo. Então isso pode levá-lo a ter um perfil moderado ou arrojado.  

Já se o seu objetivo é usufruir da renda passiva conquistada, por exemplo, colocar todo o patrimônio em alto risco pode deixar de fazer sentido, tornando-o um pouco mais conservador.  

Outra questão que influencia no perfil é o nível de conhecimento. Quanto mais se entende do mercado financeiro, maior é a confiança para correr riscos. Em determinadas situações — especialmente no começo — uma postura conservadora pode ser fruto da falta de experiência.  

Portanto, é possível mudar de perfil de investidor com o passar do tempo. Tudo depende das suas características e do seu relacionamento com o dinheiro e com o mercado financeiro. Vale a pena realizar a avaliação com periodicidade para contemplar possíveis mudanças.  

Como você viu, o perfil de investidor serve para orientar quais investimentos escolher, de acordo com a sua tolerância ao risco e com os seus objetivos. Sabendo usá-lo a seu favor, sem deixar de considerar outros fatores relevantes, é possível ter apoio na tomada de decisão! 

Quais são as dicas da Genial?

  1. Ajude outros investidores a conhecerem o perfil e a importância dessa análise. Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e marque seus contatos!
  2. Você é novo aqui é deseja fazer o teste? Abra agora uma conta na Genial Investimentos para saber o seu perfil e começar a investir!

Comentários