Suas finanças estão preparadas para as dificuldades que surgem sem anúncio? Se a resposta for “não” ou se não não tiver certeza, é hora de repensar. Em especial, após a crise de 2020 — que mostrou por que se preparar. Por isso, o ideal é compor uma reserva de emergência para 2021. 

Com esse valor, que também servirá para os próximos anos, você terá mais proteção e poderá lidar melhor com o que foge aos planos. Porém, será necessário seguir alguns passos para atingir o objetivo. 

Se quiser saber o que fazer para ter a sua reserva, veja as 6 dicas que nós, da Genial Investimentos, separamos! 

O que é a reserva de emergência? 

Podemos começar definindo a reserva de emergência como um montante financeiro que fica disponível para o uso em imprevistos e urgências. Ou seja, o dinheiro não é um complemento do orçamento e nem serve para fazer uma compra supérflua. 

Ele funciona como um colchão de segurança para o seu orçamento. Afinal, situações inesperadas podem gerar custos que afetam todo o equilíbrio das finanças. 

Por que ela é importante? 

Ter uma reserva de emergência é essencial em seu cotidiano. Como você viu, ela serve para atender a imprevistos e, portanto, diminui o peso do que acontece fora dos planos. Se o carro precisar de um conserto mais caro ou se alguém ficar doente, por exemplo, há recursos disponíveis. 

A reserva também está relacionada à segurança e à tranquilidade do dia a dia. Ela permite que você se mantenha por um tempo mesmo se perder todas as fontes de renda. Logo, é possível ter um pouco mais de conforto para se recuperar de uma situação de crise. 

Dependendo dos objetivos de curto, médio e longo prazo, ela pode ser uma ferramenta que apoia um plano de investimentos financeiros. Ter uma reserva disponível para as principais necessidades ajuda a começar a investir dinheiro e até alcançar a independência financeira. 

Como montar sua reserva de emergência em 6 passos? 

Agora que você sabe o que é a reserva e sua importância, precisa entender como criar a sua. O processo pode ser feito em 6 passos.  

Confira! 

1. Elabore um bom planejamento financeiro 

Antes de pensar em fazer qualquer mudança ou criar um hábito é preciso ter dimensão da situação atual da sua vida financeira. Você deve saber o quanto ganha, o quanto gasta e onde estão os principais gargalos, como os maiores custos. 

A partir disso, deve montar um planejamento financeiro. A ideia é criar uma estratégia para otimizar o uso dos seus recursos e, assim, preparar o cenário para compor a sua reserva de emergência. Desse modo, é possível se planejar para guardar dinheiro e usá-lo de outras formas. 

2. Crie um orçamento e controle as finanças 

Quando falamos em planejamento financeiro, o orçamento é uma das principais ferramentas para colocá-lo em prática. Ele serve como um mapa de distribuição de recursos e ajuda a definir qual é a melhor maneira de atender a todas as necessidades do cotidiano. 

Porém, não basta elaborar o orçamento. É preciso garantir que ele seja cumprido, o que exige um bom controle financeiro. Depois de determinar o quanto será gasto com cada parte do dia a dia, você deve acompanhar e registrar todas as movimentações. 

É possível fazer isso em uma planilha ou mesmo em um aplicativo pelo celular. Identifique todas as movimentações e compare com o que estava previsto. Assim, há como saber se uma despesa se mostra exagerada, o que permite tomar decisões para garantir o cumprimento do orçamento. 

3. Estabeleça metas de economia para o mês 

Guardar dinheiro não costuma ser uma tarefa que acontece tão naturalmente. Então é essencial se dedicar para colocar a economia em prática. Para ter um direcionamento sobre o que fazer para compor sua reserva de emergência, é interessante definir objetivos financeiros. 

Em geral, a reserva de emergência deve corresponder a 6 vezes do seu gasto mensal. Sabendo disso, você já tem um objetivo de quanto será preciso juntar. No entanto, ainda é crucial entender como chegar a esse resultado. 

A recomendação é criar metas menores, estabelecendo o tempo necessário até montar a reserva e os valores economizados mensalmente. Assim, você terá um plano de ação que ajuda na conquista dos objetivos. 

4. Evite as compras por impulso 

A mudança de hábitos também é parte importante da construção da reserva de emergência. Afinal, aprender a economizar agora permitirá que, depois que o montante estiver completo, você possa poupar para investir e fazer aportes frequentes, por exemplo. 

Nesse sentido, uma das medidas mais eficientes é evitar compras por impulso. Em vez de usar o cartão de crédito para tudo, prefira o pagamento à vista e reflita antes de cada aquisição. Isso reduz o impacto do fator emocional nas compras e reduz os custos desnecessários. 

5. Tenha disciplina 

Montar a sua reserva de emergência é uma tarefa que leva tempo e que requer, principalmente, disciplina. Não adianta ter um planejamento perfeito, um orçamento completo e objetivos claros se você não se comprometer com tudo isso. 

Portanto, é indispensável ser disciplinado no dia a dia. Lembre-se de que transformar ou criar hábitos não é imediato, sendo necessário ter consistência. Procure não desistir diante do primeiro obstáculo ou do primeiro sacrifício que tiver que fazer. 

Mantenha o foco em seus objetivos e saiba que ter uma reserva poderá ajudá-lo de diversas maneiras. No futuro, a disciplina desenvolvida ajudará a compor uma boa carteira de investimentos. 

6. Invista sua reserva 

Além de juntar o dinheiro para a sua reserva de emergência é importante proteger esse patrimônio. Evitar que ele seja impactado pela inflação, por exemplo, é fundamental para prevenir a perda do poder de compra. 

Desse modo, o ideal é investir sua reserva. Como pode ser necessário ter que usá-la a qualquer momento, é importante escolher investimentos seguros e com alta liquidez. Em geral, as aplicações da renda fixa apresentam essas características. 

Entre as alternativas, há o Tesouro Selic e Certificados de Depósito Bancário (CDB) com liquidez diária, entre outras possibilidades. 

Ao seguir os passos que mostramos, você poderá montar sua reserva de emergência em 2021 e obter todos os seus benefícios. Então, já comece a se preparar para conhecer e planejar melhor as suas finanças. 

Que tal ajudar outras pessoas a terem vidas financeiras melhores? Compartilhe nosso artigo em suas redes sociais e marque seus contatos! 

Comentários