O mercado financeiro possui características bastante específicas, que variam conforme a classe e o tipo de investimento. Para fazer boas escolhas no momento de investir, é importante dominar alguns conceitos e, entre eles, está a marcação a mercado.

No geral, esse mecanismo é responsável pelas variações no preço de determinados investimentos. Por isso, o resgate antecipado de títulos de renda fixa, por exemplo, pode gerar um resultado diferente do contratado — inclusive, causando prejuízo para o investidor.

Como ninguém investe esperando ter perdas financeiras, é preciso ficar atento! Continue a leitura deste artigo preparado por nós, da Genial Investimentos, e entenda como a marcação a mercado afeta os títulos de renda fixa e cotas de fundos de investimento.

Vamos lá?

O que é a marcação a mercado?

A marcação a mercado é um mecanismo que se aplica aos títulos de renda fixa e às cotas de fundos de investimento, incluindo aqueles de renda variável. Ela é utilizada para atualizar diariamente o preço de determinados investimentos.

Ao investir em um título de renda fixa, por exemplo, o investidor sabe com antecedência qual é a lógica de rentabilidade da aplicação. No entanto, esse retorno só é garantido ao levar o investimento até a sua data de vencimento.

Mas diversos motivos podem fazer com que um investidor precise resgatar antecipadamente um título que está na sua carteira. Caso ele decida se desfazer de um título antes do vencimento, a marcação a mercado serve como uma ferramenta de atualização dos preços.

A variação pode ser tanto para cima quanto para baixo e existem alguns aspectos que afetam a marcação a mercado. O primeiro deles é o contexto econômico, que envolve fatores como eventos políticos, inflação e taxa Selic.

Outro aspecto relevante é a oferta e demanda por determinado investimento. O lançamento de novos títulos no mercado também gera a variação nos preços, como você verá.

Ademais, a liquidez dos investimentos é mais um elemento relacionado à frequência com que a marcação a mercado acontece. Ela ocorre de forma mais rápida para aqueles ativos que apresentam maior liquidez, como os títulos do Tesouro. Nesse caso, a precificação é baseada no fechamento dos preços ao fim do dia.

Inclusive, a plataforma do Tesouro Direto divulga os preços diariamente pelo sistema de compra dos títulos. Já os investimentos que apresentam uma liquidez menor costumam ser marcados a mercado conforme a estimativa de preço justo para a sua negociação.

Por que a marcação a mercado existe?

Como você viu, a marcação a mercado permite que você saiba quanto receberia hoje se vendesse determinado título ou cota. No caso de um fundo de investimento, ela ajuda a saber por quanto seria possível vender, hoje, as cotas do seu portfólio.

O principal objetivo desse mecanismo é tornar os preços mais transparentes. Assim, você tem a chance de analisar os ganhos que podem ser obtidos a cada dia. Isso o ajuda a decidir com mais segurança se vale a pena vender um título ou mantê-lo na carteira, por exemplo.

A marcação a mercado também existe para garantir condições mais justas e menos prejudiciais para os investidores, já que ela busca a equidade entre eles. Afinal, o mecanismo visa refletir as valorizações e desvalorizações do investimento com o tempo.

Sobre as cotas de fundos de investimento, a marcação a mercado é importante para impedir a transferência de riqueza entre os cotistas. Dessa forma, é possível garantir que cada investidor receberá os recursos de acordo com a sua verdadeira participação. Interessante, não é mesmo?

Como funciona a marcação a mercado nos títulos de renda fixa?

Agora você sabe que quem compra um título de renda fixa público ou privado recebe uma rentabilidade já definida no ato do investimento. Nesse sentido, as três formas de ganhos são:

  • pós-fixados: a rentabilidade acompanha as variações de um indicador de mercado, como a taxa Selic ou o Certificado de Depósito Interbancário (CDI);
  • prefixados: o retorno segue um percentual anual fixo;
  • híbridos: a rentabilidade segue as duas características anteriores, ou seja, há uma taxa prefixada mais a variação de um índice, normalmente atrelado à inflação.

Porém, se você já investiu em renda fixa, talvez tenha notado que a quantia aplicada muda diariamente. E as variações nem sempre parecem condizentes com a rentabilidade contratada, não é mesmo?

Isso ocorre porque o preço de mercado de cada título varia diariamente. Como consequência, o montante que você investiu em cada título também é atualizado. Desse modo, se você estiver analisando um investimento com liquidez diária, por exemplo, tenha cuidado para saber se há exposição à marcação a mercado.

Se houver, cabe ressaltar que a rentabilidade contratada só é garantida no dia do vencimento, certo? Ainda, vale notar que a marcação a mercado é mais presente nos títulos prefixados e híbridos. Isso ocorre porque eles contam com uma taxa fixa, o que altera a atratividade da aplicação em determinado momento.

Exemplos práticos

Para entender melhor como esse mecanismo funciona na renda fixa, suponha que a expectativa do mercado seja de um aumento na taxa básica de juros. Como a Selic afeta direta ou indiretamente a rentabilidade dos títulos de renda fixa, o rendimento das novas aplicações emitidas tende a aumentar, concorda?

Contudo, os títulos prefixados que já estão na sua carteira têm taxas menores, já que o retorno foi definido em um período de Selic menor. Como consequência, o preço deles no mercado cai.

Então se você decidir vendê-los nessa situação, pode receber menos do que ganharia se o levasse até o vencimento, pois o resgate da aplicação acontecerá pelo preço de mercado.

O contrário também é verdadeiro: se a expectativa for de queda dos juros, os novos títulos que serão emitidos terão menor rentabilidade. Nesse cenário, as aplicações prefixadas a taxas maiores podem ter um preço de negociação mais elevado.

Assim, se você vender um título nesse momento, poderá lucrar mais do que se esperar até o vencimento. Em ambos os cenários, as mudanças nos preços de mercado só o afetarão se você decidir vender ou resgatar sua aplicação antes do dia que ela vence.

Nesse caso, a venda ou resgate do título ocorrerá pelo preço de mercado, o que pode acarretar uma rentabilidade diferente da que foi contratada. Mas se sua intenção for ficar com os investimentos até o vencimento, você não precisa se preocupar com esse mecanismo.

Novas regras

Em 2023, novas regras começaram a valer para a divulgação dos preços relacionados à marcação a mercado. A principal alteração envolve a forma de apresentação do preço atualizado dos investimentos.

Até 2022, apenas o Tesouro Direto apresentava a atualização diária de preços dos títulos, como você viu. Com as mudanças, todas as instituições financeiras deverão apresentar o saldo atualizado pela marcação a mercado.

A medida foi proposta pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA). O objetivo é que o investidor possa observar o valor atualizado do investimento, caso ele faça o resgate antecipado.

É preciso que a atualização seja feita, pelo menos, uma vez por mês. Contudo, a corretora de valores pode atualizar as informações com mais frequência. Vale notar, ainda, que essa alteração envolve, inicialmente, os seguintes investimentos:

  • debêntures;
  • certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio (CRIs e CRAs);
  • títulos públicos adquiridos via tesouraria.

Ademais, a nova regra deve ser aplicada aos investimentos realizados por pessoas físicas. Quem é investidor qualificado (ou seja, quem possui ao menos R$ 1 milhão investido ou certificação profissional) poderá escolher entre a atualização pela marcação a mercado ou marcação na curva.

Como funciona a marcação a mercado nas cotas de fundos?

Em relação aos fundos de investimento, vale saber que eles são veículos de investimento coletivo. A estrutura é formada por um gestor profissional, que toma as decisões e monta o portfólio conforme a estratégia estabelecida.

Para participar dessa modalidade, o investidor deve adquirir pelo menos uma cota de participação — que é a fração mínima do fundo. Nos fundos, a atualização dos preços das cotas acontece com base no valor de mercado dos investimentos que fazem parte da carteira.

Entenda como é feito o cálculo das cotas e por que a marcação a mercado atua sobre elas:

Cálculo das cotas

O cálculo da cota de um fundo considera o preço de mercado de cada ativo que compõe sua carteira. Para isso, são somados os preços diários de todos os investimentos do portfólio, com a divisão do resultado pelo número total de cotas.

Em um fundo de renda fixa, por exemplo, são utilizados os preços dos títulos que compõem o fundo. Já o preço das cotas dos veículos que investem em ativos de renda variável, como as ações, é diferente.

Nesse caso, ele é calculado com base na cotação média diária de negociação dos papéis que compõem sua carteira, conforme divulgado pela bolsa brasileira (B3).

Os fundos que investem em outros veículos (fundos de fundos) se baseiam nos preços das cotas dos veículos nos quais investem. Já ativos que não sejam negociados em mercado regulado ou que não tenham liquidez devem ter a precificação realizada pelo administrador do fundo.

Assim, se os ativos que compõem a carteira de um fundo se desvalorizarem, o preço da sua cota cai e ocorre um rendimento negativo. Da mesma forma, se os investimentos se valorizarem, o preço da cota sobe e o rendimento é positivo.

Razão para a marcação a mercado nos fundos

As cotas dos fundos de investimento são marcadas a mercado para que os cotistas recebam a remuneração correta no resgate, sem que haja transferência de lucro ou prejuízo entre eles. Portanto, ela garante que as cotas sejam sempre negociadas por seu valor de mercado.

Isso faz com que os ganhos e perdas sejam refletidos corretamente para os investidores. Desse modo, quem comprou as cotas no início do mês terá um resultado diferente de quem as adquiriu no final do mesmo período, por exemplo.

Por que é importante conhecer esse conceito?

Após entender o que é e como funciona a marcação a mercado nos títulos de renda fixa e em cotas de fundos, fica mais fácil compreender a importância de conhecer esse mecanismo. Afinal, se você decidir resgatar um investimento, seu desempenho pode oscilar.

Isso significa que compreender o funcionamento da marcação a mercado ajuda a fazer um acompanhamento mais adequado da sua carteira e do desempenho dos seus investimentos. Ao saber como o preço oscila ao longo do tempo, você consegue identificar as oportunidades disponíveis.

Em determinadas situações, pode ser interessante aproveitar a marcação a mercado de um título prefixado para obter ganhos maiores, por exemplo. A decisão dependerá do seu perfil de investidor, dos seus objetivos financeiros e da estratégia que você utiliza ao investir, correto?

Ademais, utilizar seus conhecimentos sobre a marcação a mercado permite que você avalie se as cotas de um determinado fundo de investimento estão caras ou baratas. Isso influencia na sua tomada de decisão e pode favorecer seus resultados.

Como se proteger dos efeitos da marcação a mercado?

Como a marcação a mercado pode causar perdas para o investidor, é essencial saber como se proteger de eventuais prejuízos causados por ela. A principal dica, nesse caso, é se planejar financeiramente para fazer o resgate dos seus investimentos apenas no vencimento.

Isso é especialmente relevante para os títulos prefixados e para aqueles atrelados à inflação. Portanto, ter uma estratégia de investimento bem definida também ajuda a evitar perdas.

Já quem investe em renda variável deve considerar o prazo dos seus objetivos. Isso ajuda a evitar o resgate antes do esperado e garante mais tempo para a maturação dos investimentos e consequente diluição dos riscos.

Se você precisar de um investimento com alta liquidez e segurança para compor a reserva de emergência, é possível escolher alternativas menos sujeitas à marcação a mercado.

Um exemplo bastante comum entre os investidores é o Tesouro Selic, que é um título pós-fixado com liquidez diária. Ele permite fazer o resgate a qualquer momento e ainda tem baixa exposição a esse mecanismo, ampliando a segurança.

Neste artigo, você aprendeu o que é a marcação a mercado de títulos de renda fixa e cotas de fundos de investimento. Ao acompanhar corretamente as variações de preços, é possível adaptar a estratégia para melhorar os seus resultados.

Precisa de ajuda para fazer investimentos mais alinhados às suas necessidades? Descubra qual a melhor forma de investir seu dinheiro!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book de Renda Fixa

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!