Ao estudar sobre investimentos e avaliar alternativas, é importante entender o que é liquidez e os seus impactos para o investidor. Sem conhecer esse conceito, as escolhas feitas podem não ser as mais adequadas e trazer prejuízos ao investidor. 

Por isso mesmo, ela é considerada parte do tripé dos investimentos, junto à rentabilidade e ao risco. Ou seja, todos os fatores devem ser avaliados no momento de decidir quais investimentos realizar, a fim de garantir decisões mais embasadas. 

Confira este conteúdo para esclarecer o que é liquidez e por que ela é tão importante! 

O que é liquidez? 

Quando você faz um investimento, é preciso avaliar como funciona o resgate dos valores para transformar o ativo em dinheiro novamente. Caso surjam imprevistos ou grandes oportunidades de negócio, a disponibilidade financeira pode ser crucial.  

É aqui que o conceito de liquidez se torna importante. O termo trata da facilidade e da velocidade em que é possível converter o investimento em dinheiro. Afinal, ao fazer o aporte o investidor não terá mais os valores realmente disponíveis, apesar de eles comporem seu patrimônio. 

Dessa maneira, um investimento com alta liquidez é aquele que permite a conversão rápida — preferencialmente, sem perdas significativas em relação à rentabilidade. Por outro lado, a liquidez baixa traz maior dificuldade para o resgate, com riscos de perdas financeiras.  

Qual é o impacto dela nos investimentos? 

Para entender como a liquidez pode afetar as decisões do investidor, é necessário entender outras características essenciais dos investimentos. Uma dica central sobre como avaliar alternativas do mercado financeiro é considerar o tripé dos investimentos. 

Ele elenca três fatores que se relacionam e apresentam níveis diferentes em cada opção. São eles: liquidez, rentabilidade e segurança.  

A seguir, você aprenderá mais sobre como os outros dois funcionam! 

Rentabilidade 

A rentabilidade reflete o potencial de retorno de uma aplicação. Na renda fixa, o investidor consegue ter mais previsibilidade, mas os rendimentos são limitados. Já na renda variável pode haver um potencial maior de ganho, contudo, são voláteis. 

Assim, geralmente há uma relação entre rentabilidade e liquidez. Quando há maior potencial, normalmente há menor liquidez. Nas aplicações financeiras de renda fixa isso fica claro. 

Aquelas que têm prazos mais longos e baixa liquidez costumam oferecer retornos maiores. Diante disso, o investidor precisa ter objetivos bem definidos para entender qual fator deve ter maior destaque em suas escolhas. 

Segurança ou risco 

A segurança ou o risco tratam da possibilidade de perdas ao investir. Na renda fixa, por exemplo, existem opções que contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que oferece cobertura em caso de falência da instituição.  

Existem diferentes tipos de riscos envolvendo investimentos, como o de crédito, o de mercado e, até mesmo, o de liquidez. Esse último diz respeito ao risco de precisar do dinheiro e não poder fazer o resgate facilmente sem perdas. 

Um dos pontos essenciais sobre o tripé dos investimentos é entender que não é possível maximizar os três fatores. Normalmente, você terá nível alto em apenas um ou, no máximo, dois. Ao focar em maior liquidez, é possível ter que renunciar à rentabilidade, por exemplo. 

Como entender a liquidez de um investimento? 

Ao tratar da liquidez existem diversas características que devem ser observadas e compreendidas pelo investidor. Primeiro, existem três termos relacionados: 

  • carência: é um período mínimo necessário até poder fazer o resgate; 
  • vencimento: data combinada para o final da aplicação; 
  • prazo de resgate: período entre o pedido de resgate e o efetivo pagamento. 

Ao tratar especificamente da liquidez, muitos investimentos apresentam termos que representam os prazos para a disponibilidade do valor no resgate. Conheça os principais: 

  • D+0: é a liquidez imediata ou diária, que pode acontecer pela venda ou pelo resgate do ativo. 
  • D+1 ou D+X: indica um prazo até que o valor seja disponibilizado após a solicitação de resgate. O número se refere ao prazo, como 30 dias, em D+30; 

Também existem opções que oferecem liquidez apenas no vencimento. Dessa maneira, o valor será depositado na conta do investidor na data indicada no título, e não pode ser recebido antes. 

O que é o risco de liquidez? 

Como você viu, a baixa liquidez pode trazer um risco específico ao investidor. Ao tratar da liquidez de um investimento, é preciso ter atenção para que a avaliação não se limite à possibilidade de convertê-lo em dinheiro. 

É essencial considerar também as possíveis perdas do resgate antecipado. Isso porque há investimentos que permitem o resgate a qualquer momento antes do vencimento (o resgate antecipado), mas podem trazer perdas. 

Ao investir em imóveis, por exemplo, você precisará vender a propriedade para recuperar os valores. Contudo, as negociações podem levar tempo e a pressa para concretizar a venda pode fazer com que o preço do contrato seja menor que o desejado. 

O mesmo se aplica a outros tipos de investimentos, como ações, cotas de fundos de investimento e títulos de renda fixa. No Tesouro Direto, o Governo se compromete com a recompra a qualquer momento, mas a marcação a mercado pode gerar prejuízo em alguns casos. 

Isso porque a taxa combinada só é garantida na data de vencimento. Em vendas antecipadas, alguns títulos estarão valendo de acordo com o preço de mercado. Logo, pode haver ágio ou deságio, levando o investidor a ganhos ou perdas quando faz o resgate antecipado. 

Como tomar as melhores decisões ao investir? 

Após aprender sobre liquidez e a sua relação com outras características dos investimentos, é normal se perguntar como tomar boas decisões. A dica essencial para isso é avaliar o seu perfil de investidor, para entender a sua tolerância aos riscos, e os seus objetivos. 

Por exemplo, se você deseja investir na reserva de emergência, não há como prever quando ela será necessária. Portanto, a alta liquidez e a segurança são importantes. Nessa situação, é comum abrir mão de uma maior rentabilidade para proteger o investimento e garantir o acesso ao dinheiro.  

Por outro lado, quando há intenção de aumentar o patrimônio e potencializar o ganho, pode ser mais interessante abrir mão da liquidez. Diante disso, cada investimento deve ser analisado de maneira individual, considerando objetivos de curto, médio e longo prazo. 

Em todos os casos, lembre-se de que é válido diversificar a sua carteira, contando com investimentos que tenham características variadas. Assim, é possível ter opções com maior liquidez, outras com foco em rentabilidade e ainda fazer o manejo de riscos! 

Quer mais dicas para investir? Confira 4 opções de investimentos que contam com liquidez diária

Comentários