Quando o assunto é investimentos, existem diferentes siglas que você deve conhecer. Seja para investir na renda fixa, seja na renda variável, o glossário do mercado financeiro é extenso. Por isso, vale dedicar algum tempo estudando o assunto. 

Sem dominar os conceitos fica mais difícil compreender os relatórios sobre empresas listadas na bolsa e avaliar os fundamentos delas. Além disso, você ficará mais suscetível a cometer erros nos investimentos. Logo, vale a pena entender as siglas — das mais simples às mais complexas. 

Para evitar problemas, nós da Genial preparamos este glossário com as principais siglas do mercado financeiro. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto! 

O que é ROE? 

ROE é a sigla para Return on Equity, que significa Retorno sobre o Patrimônio Líquido. O indicador econômico-financeiro mede a capacidade que uma empresa tem de gerar lucro a partir dos seus próprios recursos. 

Para entender esse conceito, é essencial ter em mente o que é Patrimônio Líquido. Ele aparece no Balanço Patrimonial e tem relação com a diferença entre os passivos e os ativos do negócio. Assim, o ROE pode ajudar a identificar empresas que ofereçam uma boa rentabilidade para o seu patrimônio.  

A partir dele, o investidor consegue procurar companhias nas quais pode ser interessante investir para o longo prazo. Afinal, o negócio precisa gerar lucro para oferecer resultados aos seus investidores. 

Ao investir na bolsa de valores para o longo prazo, você precisa se guiar por critérios que mostrem a vantagem de se manter sócio de uma companhia. Significa que deve buscar empresas que tenham perspectivas positivas e resiliência no mercado. 

O ROE pode ajudar nisso. Ele permite que você faça comparativos entre diferentes opções para definir em qual investir. Associado a outros dados empresariais, como o Lucro Líquido, o indicador traz uma visão sobre o rendimento da empresa ao longo do ano. 

Mas é importante entender que nenhum indicador deve ser usado de forma isolada no momento de avaliar um investimento. Junto com outros fatores que você verá neste conteúdo e com mais fundamentos, é possível realizar uma análise completa. 

O que é ROI? 

O ROI é outro termo muito comum na análise de investimentos. Ele é utilizado para identificar retornos financeiros, tanto potenciais quanto passados. Por meio de uma taxa de retorno, a métrica indica quanto um investidor ganhou ou perdeu em relação ao valor investido. 

Assim, o indicador também oferece uma análise sobre o que aconteceu com o investimento e uma perspectiva sobre o futuro dele. A sigla ROI significa Retorno sobre o Investimento e serve para diversos tipos de investimentos — não apenas no mercado financeiro. 

Pensando no proprietário do capital para um empreendimento, por exemplo, é fundamental saber quanto ele poderá ganhar em rendimentos para cobrir tudo o que foi investido. Além disso, investidores de ações também se preocupam com o ROI. 

Com o cálculo do ROI é possível avaliar diversos fatores. Ele permite analisar como iniciativas diversas contribuem para a obtenção de resultados, por exemplo. Também ajuda a planejar objetivos com base em resultados atingíveis. 

Além disso, o prazo de retorno dos investimentos pode ser identificado, bem como a curva de resposta para eles. A consideração do ROI pode proporcionar um aumento nos retornos e nos lucros e viabilizar um processo de tomada de decisões mais objetivo, pautado em números. 

O que é YoY (Year Over Year)? 

YoY é a sigla para Year Over Year, que significa ano a ano. Ela tem relação com os resultados divulgados pelas empresas de capital aberto na bolsa de valores. 

O indicador se refere a um cálculo matemático utilizado para comparar os resultados obtidos em um determinado período com o mesmo intervalo de tempo do ano anterior. Os resultados dessa apuração são expressos em porcentagem. 

Normalmente, a comparação feita pelo cálculo do YoY é com relação a um ano fiscal com outro. A análise é útil para observar como o mercado se movimenta e tem a vantagem de que pode ser feita para praticamente qualquer tipo de produto. 

Os resultados da comparação YoY são importantes tanto para as empresas quanto para os investidores. Afinal, companhias com resultados positivos e que mostram crescimento ao longo dos anos tendem a atrair a atenção de novos investidores. 

Por outro lado, se a empresa apresentar uma queda no faturamento, o resultado pode fazer com que os investidores vendam suas ações. Vale ressaltar que a comparação é válida também para outros períodos de tempo. 

Companhias que apresentam resultados positivos ano após ano estão em crescimento. Consequentemente, tendem a valer cada vez mais no mercado. 

O queé QoQ (Quarter Over Quarter)?

Agora que você sabe o que é e como funciona o parâmetro YoY, fica mais fácil entender o que é o QoQ. Em inglês, a sigla significa Quarter Over Quarter que, em português, pode ser traduzida como trimestre a trimestre. 

Nesse caso, o cálculo não faz uma comparação anual, mas sim trimestral. No YoY, o investidor pode ter uma visão de longo prazo do negócio. Enquanto isso, o QoQ permite analisar indicadores de médio prazo. 

Você também pode encontrar a sigla MoM (Month over Month, ou mês a mês) – embora com menos frequência. A análise, nesse caso, pode ser utilizada para indicadores de curto prazo. 

O que é Capital de Giro? 

Esse conceito diz respeito ao ativo circulante do negócio. Ou seja, é um recurso disponível para honrar as responsabilidades com despesas e custos sem depender diretamente da receita que entra no dia a dia. 

Toda empresa precisa ter um capital independente para manter sua saúde administrativa. Ele pode estar na forma de dinheiro, investimentos com liquidez, valores depositados em conta-corrente etc. 

O Capital de Giro deve ser considerado desde a fundação da empresa. Como você pode ver, ele permite que o negócio tenha melhores condições financeiras para gerenciar suas contas. A ideia é semelhante a uma reserva de emergência

É esse fator que diferencia negócios com boas condições de enfrentar momentos difíceis e manter as contas em dia. Em eventuais crises, contar apenas com o dinheiro das vendas pode fazer com que o empreendimento fique muito exposto a riscos. 

Imagine que os pagamentos dos clientes atrasem ou a empresa tenha uma queda na receita. Nessa situação, ela poderá passar por dificuldades para honrar as contas, pagar os fornecedores e manter o funcionamento. 

O que é Spread? 

O spread pode ser definido como a diferença entre as rentabilidades de duas operações observadas. Quando falamos em spread bancário, por exemplo, podemos pensar na subtração entre o valor que a instituição financeira paga para captar recursos e quanto ela cobra para emprestá-los. 

As taxas de juros dos empréstimos no mercado brasileiro são consideradas altas, por isso, o spread também é elevado. A diferença é ainda maior quanto menor for o custo para obter recursos para realizar suas operações. 

Nessa situação, o spread tem a função de cobrir os custos de operação, garantir o pagamento dos investidores e gerar lucro para os bancos. Mas e no mercado de capitais? Também é possível associar o conceito a ele. 

No caso da bolsa de valores, o spread está relacionado à diferença entre os preços de compra e de venda. No mercado de ações, por exemplo, ele representa a margem bruta de lucro obtida em uma operação, de acordo com os preços das posições. 

O spread também pode ser entendido como o custo para sair de uma posição. Só existe a consolidação das ordens de compra e venda se ele estiver fechado. Isso significa que em alguns casos o vendedor ou comprador precisa abrir mão do preço desejado para finalizar a operação. 

O que é Índice de Basileia? 

Quem investe em títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras pode ter dificuldades para avaliar o endividamento das instituições. Afinal, os bancos tendem a ser mais alavancados e, com isso, mais endividados do que outras empresas. 

O Índice de Basileia é útil nesses casos. Ele mostra o grau de endividamento da instituição bancária e ajuda o investidor a analisá-la a partir de uma referência média. Dessa forma, é possível identificar instituições com percentual que possa ser considerado sustentável e mais seguro. 

Esse índice também é uma métrica importante para a economia do país e para a saúde do sistema financeiro em geral. Isso porque o Banco Central exige um percentual mínimo para que as instituições financeiras continuem em atividade. 

O índice de Basileia foi criado em 1988 na Suíça e é um indicador internacional. Ao longo dos anos, ele passou por algumas modificações para deixar a análise de risco mais exata. O objetivo do Basileia III, criado em 2010, era regular a alavancagem das instituições para que o sistema financeiro não ficasse exposto a riscos tão altos. 

O cálculo do índice funciona por meio da relação entre um patrimônio de referência e a alavancagem das instituições financeiras. Ou seja, é necessário que as instituições bancárias, corretoras e financeiras tenham um percentual mínimo de recurso envolvido nas suas atividades. 

Com isso, elas tendem a ter uma estrutura mais sustentável e correm menos risco de solvência. Cada país é responsável por definir o percentual mínimo para o Índice de Basileia. Por isso, os valores praticados no Brasil podem ser diferentes de outros países. 

O que é Spin off? 

Esse é o nome dado a uma empresa criada a partir de outra. Nesse processo, a nova companhia pode deixar de fazer parte da empresa-mãe parcialmente ou totalmente. É importante entendê-lo, especialmente se você investe na bolsa. 

Afinal, o processo pode ocorrer nas empresas de capital aberto e afetar seus investimentos. Em geral, esse tipo de operação é feito quando uma nova organização está com um bom conceito de negócios e precisa se separar da empresa-mãe.  

Isso pode ocorrer por diversos motivos, como para captar recursos externos e crescer de forma acelerada. Outro motivo para a criação de uma empresa independente é a necessidade de explorar um novo mercado, uma nova tecnologia ou um novo produto. 

Uma Spin off pode ser de dois tipos: corporativa e acadêmica. No primeiro caso, as atividades iniciais costumam ser realizadas dentro da empresa-mãe. É ela quem se encarrega de fundar a nova organização e aplicar nela a mesma estrutura de processos já utilizada. 

Já a Spin off acadêmica costuma surgir a partir de pesquisas realizadas nos laboratórios das universidades. Assim, a criação da empresa vem da necessidade de comercializar os produtos derivados desses estudos. 

Portanto, uma das principais características de uma Spin off é a inovação. Mas ao contrário das startups, que surgem de ideias novas e costuma começar do zero em relação a estrutura, a Spin off aproveita a expertise e os recursos da empresa-mãe. 

O que é GMV (Gross Merchandise Value)? 

Mais uma das siglas do mercado financeiro, o GMV significa volume bruto de mercadorias. Ele é muito utilizado para identificar a receita gerada em um e-commerce e controlar de maneira simples os resultados das vendas. 

O comércio digital vem ganhando cada vez mais espaço no mercado. Assim, é normal que ele possua diversas ferramentas para que vendedores e revendedores possam analisar a saúde do seu negócio. O GMV é uma das métricas utilizadas.  

Ele foi criado para calcular o volume bruto de mercadorias dentro de uma plataforma digital. O volume total de vendas pode ser fornecido em Dólares ou em Reais. A métrica é calculada sobre um determinado período de vendas.  

O principal objetivo da fórmula é mapear o desempenho do comércio digital por meio dos números apresentados pelas vendas. Uma das desvantagens do GMV é que ele não fornece muitos dados para o vendedor.  

Não há informações sobre os custos envolvidos no comércio dos produtos, por exemplo. Com isso, não é possível calcular descontos, retornos, entre outros. 

Para contornar essa dificuldade, existem outros indicadores que podem ser combinados com o GMV para uma análise mais aprofundada. Entre eles, estão a receita, o valor médio dos pedidos, a taxa de conversão e o valor líquido da mercadoria. 

Viu como há diversos conceitos importantes para conhecer? Não deixe de consultar este glossário do mercado financeiro sempre que precisar. Assim, você mantém os seus conhecimentos atualizados e pode se aprofundar na temática! 

Quer ampliar os seus conhecimentos no assunto? Confira agora 6 filmes sobre investimentos para entender o mercado financeiro! 

Comentários