Existem diferentes fatores que são utilizados para avaliar um fundo de investimento, como a forma de rentabilidade, a composição da carteira e o prazo de aplicação. Antes de investir, portanto, você deve saber analisar esses fatores para definir o mais adequado para os seus objetivos. 

É preciso ter atenção especial ao fazer as análises quanto às perspectivas de ganhos. Isso porque conhecer o histórico do fundo não é suficiente. Afinal, rendimentos passados não são garantia de que os ganhos continuarão semelhantes. 

Além disso, a rentabilidade tem relação direta com o risco dos investimentos. Em geral, fundos mais seguros e conservadores apresentam rendimentos limitados. Por outro lado, as maiores possibilidades de lucro são acompanhadas de maiores riscos. 

Neste artigo, você entenderá o que analisar na rentabilidade de um fundo de investimento. Veja a seguir! 

Taxas 

Um fundo de investimento envolve uma estrutura que administra o capital de diversos investidores. Portanto, o trabalho dos profissionais envolvidos deve ser remunerado – o que é feito por meio das taxas cobradas. 

A taxa de administração é a mais comum, pois remunera o trabalho da gestão nas decisões de investimentos. O valor depende de cada fundo e costuma ser cobrada mensalmente.  

Além dela, alguns fundos também podem cobrar uma taxa de performance. Essa taxa é cobrada quando a rentabilidade do fundo supera um benchmark. Assim, ela funciona como um prêmio pela boa gestão.  

Depois de considerar as taxas conheça também os custos com impostos. Afinal, todas as variáveis influenciam sua rentabilidade e devem entrar na avaliação. O Imposto de Renda pode ser diferente entre diversos tipos de fundos, então observe a informação com cuidado. 

É importante avaliar as cobranças em relação ao custo-benefício do fundo. Para isso, compare o valor cobrado com o resultado entregue. É comum que fundos de gestão passiva, por exemplo, tenham taxas menores. 

A gestão passiva não exige muitas demandas em relação a escolhas de investimentos, pois o objetivo geral do fundo é acompanhar um índice do mercado financeiro. Já a gestão ativa requer mais conhecimento e trabalho dos profissionais. Logo, as taxas tendem a acompanhar a função. 

Histórico 

O histórico de desempenho apresenta informações relevantes para os investidores que estão avaliando um fundo. Mesmo que a rentabilidade passada não seja garantia de retornos futuros, essa análise ajuda a identificar como o investimento se comporta em períodos distintos. 

Conhecer o histórico do fundo ajuda a ter mais informações sobre seu desempenho. Nele, você consegue saber como o investimento tem se consolidado ao longo do tempo. Por exemplo, quais foram as possíveis perdas em momentos de crise. 

Isso permite que os investidores conheçam as possibilidades de rendimentos e estejam preparados para passar pelos altos e baixos das cotas. 

Benchmark 

Para expressar sua rentabilidade, os fundos normalmente se baseiam em um indicador – chamado benchmark. Ele é utilizado para orientar os cotistas com relação ao rendimento do fundo. 

No caso de fundos de renda fixa, por exemplo, o CDI (Certificado de Depósito Interbancário) é muito utilizado.  Já fundos que utilizam estratégias mais arrojadas, como os de renda variável, podem utilizar algum índice de ações como benchmark.  

Além disso, a gestão define se sua estratégia buscará superar ou acompanhar esse indicador. É fundamental ter atenção aqui e às taxas. Afinal, não faz sentido pagar uma taxa de administração elevada para um fundo cuja proposta é apenas acompanhar o CDI, por exemplo. 

Estratégia 

Conhecer bem a estratégia do fundo é outro ponto importante para avaliar a sua rentabilidade. Cada tipo de fundo – como o de ações, de renda fixa, multimercados, imobiliários, cambiais etc. – tem características próprias. 

Além disso, as estratégias podem diferenciar dentro do mesmo tipo. Assim, existem alternativas para diferentes perfis de investidores. Os conservadores e que buscam maior segurança ao investir podem preferir fundos com estratégias menos arriscadas. 

Por outro lado, quem busca maiores possibilidades de retornos e aceita correr riscos mais elevados tem alternativas. Independentemente da sua escolha, a estratégia costuma estar relacionada à rentabilidade do fundo. 

Outros fatores 

Além dos fatores que estão mais diretamente atrelados à rentabilidade de um fundo de investimento, existem outros pontos que devem ser avaliados na hora de investir. Afinal, o potencial de rendimento não é o único critério relevante. 

Confira outros: 

Liquidez 

Antes de escolher um fundo, é importante entender como funcionam os detalhes de aportes e resgates. Alguns fundos têm liquidez maior, enquanto outros não permitem resgates fora do vencimento, por exemplo. 

Cabe a você conhecer a política do fundo e analisar se ela combina com os seus objetivos. Se sua meta é investir uma quantia para realizar planos de curto prazo, é interessante optar por fundos com liquidez mais alta. 

Já quem tem objetivos de longo prazo ou quer impulsionar o patrimônio com estratégias mais arrojadas pode abrir mão da liquidez e investir em fundos com regras mais rígidas. Tudo dependerá das suas preferências e necessidades. 

Prazo de cotização 

O prazo de cotização é o tempo que o fundo leva para transformar as cotas em dinheiro, a partir do momento em que o investidor solicitou o resgate. A mesma regra vale para transformar o dinheiro em cotas em novos aportes, de forma que o tempo é contado a partir da data de aplicação. 

Qualidade da gestão 

Uma das grandes vantagens dos fundos de investimento é contar com o trabalho de um profissional certificado em investimentos. A gestão é a responsável pela tomada de decisão quanto às alocações do patrimônio. 

Isso significa que quando você compra cotas de um fundo não está adquirindo diretamente os ativos para a sua carteira. Na verdade, você participa dos resultados obtidos no portfólio montado pelo gestor. Assim, seus ganhos dependem do trabalho dele. 

Ou seja, a qualidade da gestão é um dos fatores centrais para serem avaliados antes de investir — e está relacionada à rentabilidade. Logo, é essencial conhecer o gestor, observar seus resultados e entender como se dá sua atuação. 

Ao avaliar as características da gestão de um fundo, é importante considerar o maior intervalo de tempo possível. Dessa forma, as informações serão mais amplas e será possível avaliar os resultados em diferentes momentos. 

Com as informações deste post você poderá analisar a rentabilidade de um fundo de investimento com mais cuidado. Assim, conseguirá escolher o mais adequado às suas expectativas e necessidades, sempre respeitando também o seu perfil de risco! 

Quer investir nos melhores fundos? Abra a sua conta na Genial Investimentos e faça seu dinheiro trabalhar por você!  

Comentários