Você já deve ter feito essa pergunta, dada a popularidade que esse tipo de investimento alcançou nos últimos anos. A resposta é mais simples do que parece: o Tesouro Direto vale a pena porque oferece duas vantagens pouco vistas em outros investimentos, que são a facilidade e a segurança para o investidor. Elas surgem mesmo em comparação com a poupança. Por que isso acontece? Porque você pode usar a internet para investir em algo que é protegido pelo Tesouro Nacional e ainda garante uma rentabilidade muito maior do que a caderneta.

Ficou interessado? Então, saiba mais sobre o Tesouro e entenda os motivos que fazem dele um investimento tão popular.

A comparação com a Poupança

A Poupança é a tradicional forma de rentabilizar o dinheiro no Brasil. Isso ocorre em função da sua praticidade: a pessoa abre uma conta-poupança e, assim, pode investir quanto e quando quiser, bastando somente ir até o banco e acompanhar a evolução dos rendimentos. Acontece que em tempos modernos, mesmo a ida até o banco pode ser evitada. Esse é um dos motivos que justificam a afirmação de que o Tesouro Direto vale a pena, sem contar a rentabilidade e a segurança, que são maiores do que a “queridinha” dos brasileiros.

Com o Tesouro, tudo pode ser feito pela internet e, dependendo da corretora de investimento, via smartphone. Além disso, enquanto quem assegura a poupança é o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), para investimentos de até R$ 250 mil por pessoa e por CPF, os títulos públicos do Tesouro são garantidos pelo Tesouro Nacional, o que representa maior proteção ao seu dinheiro investido.

A rentabilidade do Tesouro Direto

Poucos sabem, mas a Poupança segue uma regra que estabelece que, se a taxa Selic superar 8,5% ao ano, seu rendimento será de 0,5% ao mês somados à Taxa Referencial. Quando a Selic ficar abaixo de 8,5%, essa rentabilidade será 70% da Selic somados à TR. Em um cenário com a Selic a 6,5% ao ano, como atualmente, o rendimento será de cerca de 4,55% ao ano. Considerando a meta da inflação, estipulada em 4,50% pelo Banco Central, o seu dinheiro quase não irá render e você perderá o poder de compra.

Agora, vamos considerar a rentabilidade do Tesouro Direto. Ela varia de acordo com o título, que pode ser atrelado à inflação, prefixado ou indexado à Selic. Em termos de rentabilidade, o Tesouro Direto vale mais a pena porque apresenta possibilidades diferentes e vantajosas para fazer o seu investimento prosperar, enquanto, na poupança, existe o risco de o seu dinheiro ser corroído pela inflação, principalmente nos tempos atuais. No auge da recente crise econômica, a poupança rendeu muito menos do que a inflação, portanto, quem investiu nela certamente perdeu dinheiro.

Abra sua conta - CTA

A variação da Taxa Selic

Um ponto importante em relação ao Tesouro Direto é a oscilação da Taxa Selic. Até 2016, houve um forte aumento desse índice. Entretanto, nos últimos anos, temos visto quedas significativas na taxa básica de juros do Brasil. É preciso compreender essa realidade de acordo com as diferentes possibilidades do programa para entender porque o Tesouro Direto vale a pena, mesmo no atual cenário.

Com a Selic em queda, possivelmente, você não será tão bem remunerado como em situações de alta investindo no Tesouro Selic. Ainda assim, vale lembrar que, historicamente, sempre houve um período em que a taxa subiu e o investidor lucrou, caso não tenha retirado seu dinheiro antes da hora. Por isso, vale a pena contar com o tempo a seu favor. No caso dos títulos prefixados, que não são atrelados à taxa Selic, essa oscilação não impacta na remuneração do investidor na data de vencimento do título, pois os valores são previamente determinados.

Já os títulos que são indexados ao IPCA evoluem de acordo com a inflação, assim, proporcionando rentabilidade real. Nessa alternativa, o Tesouro Direto vale a pena, especialmente, para quem quer garantir resultados independentemente da Selic.

Veja também: Como investir em tesouro direto

O diferencial do Tesouro

Agora comparemos o Tesouro Direto com outros dos principais investimentos em renda fixa disponíveis. Pensando nas LCA’s e LCI’s, por exemplo, a liquidez diária apresentada pelo Tesouro faz dele um investimento mais interessante, pois os demais têm o chamado período de carência para o resgate do dinheiro.

Outro ponto a ser destacado é que o Tesouro Direto representa uma fatia da dívida pública do governo, destinada à realização de investimentos. Assim, investindo no Tesouro você empresta dinheiro para o governo, que deve honrar futuramente o compromisso acrescendo juros ao valor emprestado. Outros investimentos, por sua vez, tais como os  CDB’s, são empréstimos feitos para bancos, ou seja, eles não são garantidos pelo governo, mas sim, pelo FGC, como acontece com a poupança.

É importante destacar que o risco de crédito de um país é muito menor do que de uma instituição financeira, e o Brasil não dá indícios de que sofrerá com esse problema. Isso faz com que o Tesouro Direto seja mais seguro do que as demais aplicações em termos de proteção para o investidor.

Para quem o Tesouro Direto vale a pena?

As diferentes opções que o Tesouro apresenta permitem que diferentes perfis façam uso desse tipo de investimento. Em geral, perfis mais conservadores escolhem o Tesouro Direto para garantir segurança para seu dinheiro. Entretanto, isso não significa que não haja espaço para investidores com perfis moderados ou arrojados.

Tudo depende de fatores como o cenário econômico que se apresenta. O Tesouro Prefixado, por exemplo, define a taxa no ato da compra, o que garante ao investidor saber o que receberá no fim da aplicação. Esse tipo de investimento é ideal para fases de alta da taxa de juros, valorizando metas de médio prazo.

Já o Tesouro Selic atrela a remuneração à Selic, favorecendo momentos em que a taxa de juros tende a subir ou permanecer em alta. Por apresentar liquidez diária, também atua como alternativa mais vantajosa à poupança. O Tesouro IPCA, por sua vez, favorece investidores de longo prazo. Nele, com o tempo, você tem como garantir o seu poder de compra, independentemente do que acontecer com a economia do país. Ou seja, se a inflação subir muito, você também ganhará com isso.

Enfim, o Tesouro Direto já é uma realidade na vida de muitos brasileiros. Com as vantagens que apresenta, a tendência é que o número de beneficiados aumente cada vez mais, por isso, vale a pena investir nessa solução. Entendeu por que o Tesouro Direto vale a pena? Deixe aqui o seu comentário sobre o texto e aproveite para abrir sua conta na Genial, sua plataforma de investimentos, sem custos. Além disso, você não será cobrado da corretora em nenhum momento!

Abra sua conta - CTA

Genial

Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Deixar um comentário