O investidor interessado em expor o seu capital ao setor varejista brasileiro encontra na B3 (a bolsa de valores brasileira) uma série de alternativas de investimento. Entre elas, estão as ações da Via (VIIA3), a antiga Via Varejo.

Essa é uma das líderes na comercialização de eletrodomésticos, eletrônicos e móveis no Brasil. Assim, adquirir os seus papéis pode ser a oportunidade de participar dos resultados desse segmento. Contudo, é importante conhecer mais a respeito do negócio antes de investir em ações.

Neste artigo, você conhecerá um pouco da história da Via Varejo, quando ela foi transformada em Via e como acompanhar o sobe e desce de suas ações na bolsa.

Não perca!

O que é a Via Varejo?

Chamada atualmente de Via, a Via Varejo é uma empresa de comércio varejista especializada na venda de produtos eletrônicos, eletrodomésticos, celulares, móveis, entre outros. Em 2022, a companhia possuía mais de mil lojas físicas e cerca de 45 mil colaboradores.

Com isso, a Via marca presença em 20 Estados brasileiros e no Distrito Federal. Estima-se que a empresa atende mais de 97 milhões de clientes em todos os seus canais e marketplace. Ademais, ela oferece produtos de mais de 135 parceiros, além de soluções de crédito e serviços logísticos.

A Via é a detentora de marcas bastante conhecidas entre os brasileiros. Entre elas, estão:

  • Casas Bahia: rede de lojas criada em 1952, popularmente conhecida pela venda de móveis e eletrodomésticos.
  • Ponto (antigo Ponto Frio): outra rede varejista brasileira, fundada em 1946 com o foco na venda de eletrodomésticos e eletrônicos;
  • Bartira: uma das maiores fábricas de móveis da América Latina, nascida em 1962 e que passou a pertencer às Casas Bahia em 1981;
  • Extra.com: também é uma rede varejista que atua com hipermercados, sendo um dos primeiros e-commerce do Brasil;
  • BanQi: é uma fintech proveniente da parceria entre a Via Varejo e a Airfox em 2018, voltada a oferecer serviços financeiros acessíveis e eficientes para a população brasileira;
  • VVAtacado: trata-se de uma unidade da Via Varejo criada para atender pequenos e médios varejistas, passar orientações e oferecer soluções customizadas.

Como a Via Varejo surgiu?

A Via Varejo surgiu no ano de 2010, sendo resultado da fusão de duas gigantes varejistas brasileiras: a Casas Bahia e a Globex Utilidades — detentora da marca Ponto Frio.

A história dessa fusão teve início em 2009. Na época, o Grupo Pão de Açúcar (GPA) adquiriu parte das Casas Bahia do seu fundador Samuel Klein e transferiu o seu comando à Globex Utilidades. Após a associação, a empresa começou a operar no varejo online por meio da Nova Pontocom.

Contudo, a partir de 2012, a Globex Utilidades mudou a razão social do conglomerado para Via Varejo, visando trazer uma nova identidade para a marca. No ano seguinte (2013), a família Klein decidiu vender uma parte de sua participação na empresa por meio de IPO (initial public offering).

A oferta levantou por volta de R$ 2,8 bilhões. Nessa oportunidade, foram lançadas ações ordinárias da organização sob o ticker VVAR3 no segmento do Novo Mercado — o nível mais alto de governança corporativa da B3.

Em 2019, o GPA anunciou a aprovação da venda dos seus ativos mediante leilão na B3 e deixou o controle acionário da empresa. Grande parte dos ativos leiloados foram adquiridos por Michael Klein (filho de Samuel Klein), fazendo com que o controle da companhia voltasse à família.

Já em abril de 2021, a companhia anunciou a mudança do seu nome Via Varejo para Via, visando trazer um novo posicionamento da marca. Segundo o comunicado para a empresa, a proposta é fazer com que a organização seja conhecida como “a melhor Via de compras”.

Esse processo de rebranding fez com que a organização mudasse o ticker de suas ações ordinárias na bolsa. Logo, a partir de agosto de 2021, o código de negociação deixou de ser VVAR3 e passou para VIIA3.

Qual é o histórico das ações da Via Varejo?

Como você viu, as ações da Via Varejo já estão presentes na bolsa desde 2013. Como o mercado acionário é movimentado pela lei da oferta e demanda, os papéis já passaram por diversas altas e baixas ao longo do tempo.

Os movimentos de alta são justificados pelo aumento do interesse dos compradores nas ações. Com isso, a maior demanda gera escassez e faz com que os interessados na compra precisem pagar cada vez mais caro pelo ativo.

Por outro lado, os movimentos de baixa acontecem quando há aumento nas ofertas de venda, sem que haja demanda suficiente para supri-la. Nesse cenário, é comum que o detentor da ação tenha que reduzir o seu preço para conseguir se desfazer do papel — gerando a queda de preços.

Essas altas e baixas permitem que investidores e especuladores realizem lucros com a diferença de preços entre a compra e venda de papéis. Geralmente, o interesse do investidor é se posicionar por longos períodos, evitando a alta volatilidade do curto prazo.

Por sua vez, o especulador aproveita as constantes mudanças de preço em prazos menores para obter ganhos rápidos. O interessado em especular ações precisa ficar atento aos riscos desse tipo de operação, pois eles são altos devido ao comportamento imprevisível do mercado.

Como acompanhar o sobe e desce das ações VIIA3 na bolsa?

Quem deseja acompanhar o sobe e desce das ações da Via Varejo na bolsa de valores poderá fazê-lo por meio de um home broker, plataforma trader ou até pela internet.

Saiba mais sobre cada uma dessas opções!

Home Broker

O home broker é uma plataforma digital fornecida por corretoras de valores que insere o investidor no ambiente de negociação da B3. Nele, você poderá acompanhar as movimentações de preços das ações em tempo real, bem como enviar ordens de compra e venda.

O sistema costuma ser disponibilizado gratuitamente com ferramentas limitadas, sendo mais voltadas para quem tem interesse em realizar investimentos. Já para quem deseja especular, o seu uso tende a não ser muito eficiente, diante da ausência de recursos para fazer a leitura de gráficos e indicadores técnicos.

Plataforma trader

As plataformas trader são ferramentas criadas para atender os especuladores do mercado. Além de permitir o acompanhamento das movimentações de preços das ações em tempo real, elas oferecem uma série de recursos para auxiliar o trader na realização de suas operações.

Isso inclui gráficos, indicadores técnicos, histórico de negociações, livro de ofertas, volume financeiro, entre outras ferramentas. Ou seja, por meio dela, é possível fazer estudos e acompanhar as movimentações com uma quantidade de dados maior que em um home broker.

Internet

Existem diversos sites, plataformas e aplicativos que disponibilizam a cotação de ações, fundos imobiliários (FIIs) e outros ativos e derivativos financeiros. Contudo, destaca-se que nem todos oferecem uma leitura do preço em tempo real.

Nesse sentido, não é aconselhável tomar decisões com base apenas nesse tipo de análise. Contudo, a consulta do preço na internet pode ser útil para a realização de uma leitura rápida e simples, visando entender um panorama das altas e baixas históricas.

É válido lembrar que, a partir de agosto de 2021, a Via Varejo mudou seu nome empresarial e o seu ticker para Via e VIIA3, respectivamente. Caso você queira saber uma movimentação de preços em período anterior a esse, utilize o seu antigo código de negociação VVAR3.

As ações da Via Varejo pagam dividendos?

Muitos investidores buscam o investimento em ações com a finalidade de receber renda passiva por meio dos dividendos. Eles correspondem a parte do lucro empresarial distribuído proporcionalmente a todos os acionistas de uma empresa.

Inclusive, toda companhia de capital aberto na bolsa de valores é obrigada legalmente a fazer essa distribuição quando obtém lucros em um determinado período. No entanto, destaca-se que caso a empresa não realize ganhos, o pagamento pode ser suspenso.

Em relação às ações da Via Varejo, embora a companhia conte com um histórico de distribuição de dividendos, o último pagamento ocorreu em abril de 2018. Diante disso, quem investe com o foco no recebimento desse provento pode não se interessar por suas ações.

Contudo, o fato de a empresa ter deixado de realizar o pagamento de dividendos nos últimos anos não significa que no futuro ela não reúna condições para voltar a distribuí-los. Dessa forma, é preciso que o investidor acompanhe os seus resultados para analisar se vale a pena investir nessa alternativa.

Como saber se vale a pena investir em ações da Via Varejo?

Até aqui, você aprendeu o que é a Via Varejo, quando ela surgiu e como acompanhar as altas e baixas de suas ações. Entretanto, é possível que você ainda tenha dúvidas se vale a pena investir em seus papéis.

Certamente, não há uma única resposta para esse questionamento. Isso porque cada investidor possui um perfil próprio e objetivos financeiros distintos que influenciam na análise e decisão se efetivamente esse é um investimento que faz sentido.

Então, para você saber se o investimento em ações da Via Varejo vale a pena no seu caso, é preciso observar fatores como?

Perfil de investidor

A análise do seu perfil de investidor é fundamental para a realização de um investimento. Com isso, você descobrirá o seu nível de abertura aos riscos e poderá selecionar os investimentos apropriados para a sua carteira.

Por ser um ativo de renda variável, o investimento em ações possui um risco maior que as aplicações de renda fixa. Afinal, como você viu, o preço de um ativo pode variar conforme o ânimo e o momento do mercado.

Ou seja, é possível obter lucros com a valorização dos papéis adquiridos, bem como realizar prejuízos caso eles desvalorizem. Dessa forma, esse é um investimento que costuma atrair quem tem um amplo apetite ao risco.

Existem três principais tipos de perfil:

  • conservador: prefere alternativas com baixo risco, embora o retorno também seja baixo;
  • arrojado: aceita tomar um alto risco em busca de um retorno elevado;
  • moderado: costuma montar uma carteira equilibrando o risco e retorno.

De toda forma, nada impede que um investidor conservador tenha ações na carteira, bastando reduzir a sua exposição, por exemplo. O mesmo vale para os outros tipos de perfil, que podem aumentar ou diminuir a sua exposição ao mercado acionário com base em seus interesses.

Objetivos financeiros

Outro fator importante a ser avaliado para a tomada de decisão está relacionado aos seus objetivos financeiros. Traçá-los previamente ajuda a identificar quais são as alternativas de investimento que permitem alcançar cada meta proposta.

Por exemplo, quem tem o interesse de investir em busca de receber renda passiva encontra essa possibilidade ao fazer investimentos em ações. Afinal, toda empresa de capital aberto na bolsa é obrigada a distribuir parte de seus lucros, como você aprendeu.

Nesse sentido, ao adquirir ações, você terá direito a participar das rodadas de distribuição de lucro que a companhia fizer. Porém, apesar da obrigatoriedade, o pagamento de dividendos acontece apenas quando a empresa realizar lucros, o que pode não acontecer em todo exercício.

O investimento em ações também permite realizar ganhos com a valorização dos ativos — especialmente a longo prazo. Logo, ainda que as ações passem por momentos de altas e baixas, a tendência é que ocorra a valorização dos papéis em períodos maiores.

Desse modo, o prazo contribui para diminuir o risco da volatilidade e aumenta as chances de você obter lucro, embora isso não seja garantido.

Análise fundamentalista

A realização de uma análise fundamentalista pode ser determinante para decidir se o investimento em um papel, de fato, vale a pena. Por meio dela, você avalia os fundamentos de uma empresa e poderá concluir se eles estão alinhados ao seu perfil e objetivos.

A proposta é analisar os dados fornecidos pela empresa para identificar a sua situação atual, bem como as suas perspectivas futuras. Logo, esse tipo de análise foca na compreensão da condição econômica, financeira e mercadológica do negócio.

Se a empresa estiver com um alto endividamento, por exemplo, isso pode indicar que ela terá dificuldades financeiras no futuro. Com isso, o risco do investimento aumenta, bem como a possibilidade de não receber dividendos.

Ademais, com o uso da análise fundamentalista, é possível fazer comparações entre empresas do mesmo setor em busca daquela com maiores chances de apresentar resultados positivos. Dessa maneira, as suas decisões podem ser mais conscientes e mais próximas dos seus interesses.

A análise também pode ser usada para revelar se o preço do papel é correspondente ao seu valor. No mercado financeiro, o conceito de preço e valor são diferentes. O primeiro corresponde ao custo do papel, enquanto o segundo corresponde aos benefícios que ele pode proporcionar.

Em decorrência das oscilações comuns do mercado, há momentos em que o preço de uma ação descola do seu valor. Caso o valor seja maior que a cotação, a ação é considerada sobrevalorizada ou cara, em uma linguagem popular.

Do contrário, quando o valor encontrado é menor que o preço, conclui-se que a ação está subvalorizada, descontada ou barata. Adquirir papéis descontados pode potencializar os seus ganhos, já que é comum o mercado identificar e corrigir essas assimetrias entre preço e valor.

Suporte profissional

Ainda que o investidor possa acessar o mercado por conta própria, pode ser interessante contar com suporte profissional. Se você já acompanhou a bolsa de valores, talvez tenha notado as constantes oscilações de preços — especialmente no curto prazo.

Mas nem todos os investidores possuem tempo ou conhecimento para entender as razões dessas movimentações. Além disso, comprar um ativo apenas porque o seu preço está subindo ou vendê-lo quando está caindo não é uma estratégia que costuma trazer resultados positivos no longo prazo.

Ao contar com um suporte profissional, você poderá embasar as suas decisões em uma análise ou leitura feita por alguém que entende do mercado. É o caso, por exemplo, de se valer das avaliações e carteiras recomendadas feitas pela Genial Analisa.

Essa é a nossa plataforma destinada a descomplicar o investimento no mercado financeiro. Nela, você acessa conteúdos preparados por uma equipe de analistas qualificada e que disponibiliza conteúdo de qualidade para você tomar as melhores decisões.

Isso inclui análises de mercado, relatórios de ações, carteiras recomendadas, oportunidades de swing trade, notícias econômicas atualizadas e muito mais. O material é bastante detalhado e pode facilitar a realização de investimento ou de especulação.

Vale destacar que os analistas da Genial possuem certificação profissional para atuar no mercado, exigida pelos órgãos fiscalizadores. Dessa maneira, eles têm autorização para recomendar investimentos, fazer calls de day trade ou swing trade, entre outras possibilidades.

Além disso, conosco, você pode contratar as melhores plataformas operacionais para comprar e vender ações, sem custo adicional. Basta acionar o RLP (retail liquidity provider) para obter essa e outras vantagens que só a Genial oferece, vale conferir!

Conclusão

Após conhecer mais sobre a Via Varejo, como acompanhar a sua cotação e o que avaliar antes de investir, você entende que vale a pena comprar as suas ações? Caso ainda tenha dúvidas e precise de ajuda, não deixe de buscar o suporte profissional.

Quer começar a investir em ações ou em outros ativos e derivativos presentes na bolsa de valores? Abra a sua conta conosco e seja Genial!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book Trader

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!

Planilha Comparativa de Renda Fixa