investimento em ações envolve muitas possibilidades e, por isso mesmo, exige critérios na hora de fazer as escolhas. Para compor a sua carteira para o longo prazo, a análise fundamentalista de ações pode ser de grande ajuda. 

Ela compreende uma metodologia de avaliação que considera pontos importantes sobre a situação atual e sobre o futuro dos empreendimentos. Sabendo como ela funciona e como realizá-la, é possível aproveitar seus aspectos positivos. 

Nós da Genial Investimentos separamos o que você precisa conhecer sobre o assunto. Veja! 

O que é análise fundamentalista de ações? 

A análise fundamentalista consiste em uma metodologia que busca entender a situação atual e as previsões de desempenho de uma empresa. Para que isso seja possível, ela avalia os chamados fundamentos.  

Ou seja, elementos e informações essenciais e representativos da atuação da companhia. Portanto, não é uma avaliação de apenas um aspecto e, sim, um entendimento completo a respeito do negócio em questão. 

O papel da análise fundamentalista é identificar as características principais da empresa e avaliar como anda seu desempenho. Conhecer a situação real não envolve apenas saber se ela é lucrativa ou não. Muitos negócios têm lucro e, mesmo assim, fecham as portas após algum tempo. 

Então, o objetivo da análise é fazer uma observação mais profunda e focada em pontos que alcançam o médio e o longo prazo. Com isso, é possível entender se uma empresa tem chances de crescer, de se consolidar e de oferecer segurança, por exemplo. 

A análise fundamentalista de ações também é útil para comparar os ativos. Ao avaliar os fundamentos, é viável cruzá-los entre empreendimentos do mesmo setor. Portanto, há como ter uma ideia de qual negócio atende melhor a critérios como a robustez ou o potencial de crescimento. 

Desse modo, uma avaliação do tipo ajuda na identificação das melhores oportunidades de investimento. Logo, é possível desenvolver uma tomada de decisão mais estratégica e embasada. 

Quando ela é utilizada? 

Por causa de sua função, a análise fundamentalista costuma ser utilizada por quem realiza o investimento em ações para o longo prazo. Ela permite entender a situação do negócio e ajuda a definir qual é o melhor caminho para seguir com a alocação dos recursos. 

Na proposta conhecida como buy and hold, os investidores adquirem os ativos e os mantêm na carteira por anos ou décadas. Para que isso seja possível, é preciso selecionar empresas sólidas e com bom desempenho — e a análise fundamentalista de ações é utilizada. 

Portanto, ela serve para quem deseja explorar o mercado de Ações por meio de investimentos. Já quem busca lucros no curto prazo, com operações de especulação, costuma utilizar outra estratégia de análise: a gráfica ou técnica. 

Quais são as vantagens da análise fundamentalista de ações? 

Analisar ações com base nessa metodologia pode oferecer muitos benefícios para os investidores da bolsa de valores — desde que seja feita corretamente. Para se convencer de sua importância, separamos alguns dos principais pontos positivos.  

Confira! 

Entendimento completo sobre a companhia 

Um dos aspectos mais importantes da análise fundamentalista é que ela oferece uma visão completa sobre todos os pontos relevantes da empresa e de seu desempenho. 

Então, você não apenas entende sobre lucro ou avanço do faturamento, mas passa a compreender melhor a relação entre indicadores internos e externos. 

Ou seja, essa avaliação ajuda a compreender como o negócio se comporta em determinados cenários do mercado e como, possivelmente, passará a se comportar. Também permite contextualizar os números em termos de desempenho e consolidação para o futuro. 

Assim, você não tem uma visão parcial da empresa, que é o que acontece ao considerar apenas sua situação atual. Em vez disso, passa a enxergá-la de modo panorâmico, com uma percepção mais apurada sobre suas características. 

Apoio na tomada de decisão sobre os investimentos 

Quem deseja investir na bolsa de valores em longo prazo precisa ter a confiança de que a escolha feita é a melhor possível. Porém, só há como alcançar esse patamar com informações sólidas e que sejam representativas da realidade.  

Do contrário, estaríamos apenas confiando na sorte, não é? O papel da análise fundamentalista de Ações é fornecer as ferramentas para que você possa tomar decisões completas e informadas.  

Com um entendimento claro do negócio, do seu modelo de atuação e das suas perspectivas de crescimento, você pode ter clareza na escolha. 

Não significa que, com essa avaliação, não exista a chance de errar. Porém, você terá muito mais subsídios para seguir por um caminho promissor se puder fazer uma avaliação complexa do cenário. 

Identificação de boas oportunidades 

Na hora de investir em ações, é comum se deparar com ativos que já são consolidados no mercado financeiro. Normalmente chamado de blue chips, são ações de empresas de grande capitalização, que pagam bons dividendos e que costumam ser líderes de mercado. 

Com isso, elas podem ser consideradas oportunidades atraentes, ainda mais para quem deseja fazer um investimento a longo prazo. No entanto, nem toda blue chip será um bom investimento, assim como companhias menores também podem apresentar alto potencial de crescimento. 

A análise fundamentalista ajuda justamente a identificar onde estão as boas oportunidades. Além daquelas que parecem óbvias, você poderá identificar alternativas que podem ter resultados acima da média. Assim, seu portfólio pode ser favorecido. 

Redução dos riscos na composição de carteira 

Da mesma forma que essa avaliação de ações ajuda a melhorar o potencial de rentabilidade, ela pode ser útil para manejo de risco. Mas atenção: estamos falando de um investimento de renda variável e que, por isso, tem mais riscos do que uma alternativa de renda fixa

No entanto, há diferentes níveis de risco para considerar ao compor uma carteira de ações — e usar a análise fundamentalista pode ajudar nisso. Para quem investe no longo prazo, ter informações embasadas diminui as chances de escolher uma empresa com alto perigo. 

A análise também é uma forma de prevenir riscos por efeito manada. Conhecendo os fundamentos das companhias e sabendo identificar oportunidades, você se torna menos suscetível aos movimentos de compra e venda motivados apenas pelo mercado. 

Alinhamento de expectativas 

Apesar de todos os benefícios atrelados à análise fundamentalista de ações, convém entender que não existe uma fórmula universal e infalível. Mesmo com um entendimento completo, podem ocorrer mudanças inesperadas ou uma companhia alcançar patamares surpreendentes. 

Logo, não significa que fazer essa avaliação torna sua carteira imune a riscos ou previsível. Na verdade, é possível ter um alinhamento maior entre as expectativas. Por conhecer a empresa mais profundamente, você poderá entender melhor o que a afeta. 

Assim, é possível saber o que pode esperar, em termos de segurança, valorização ou distribuição de lucros das empresas escolhidas, por exemplo. Claro, mantendo o entendimento de que o curto prazo pode trazer volatilidade descolada dos fundamentos do negócio. 

Para quais investidores a análise fundamentalista faz sentido? 

Por causa de suas características, a análise fundamentalista de Ações costuma ser mais adequada para quem deseja equilibrar riscos e ganhos, buscando melhor atuação na renda variável. Como visto, também é mais recomendada para quem tem objetivos de longo prazo. 

Nesse sentido, grandes investidores da história, como Warren Buffett, utilizam a estratégia para encontrar oportunidades de como devem investir. 

Portanto, investidores com diversos níveis de experiência e com diferentes tamanhos de patrimônio podem recorrer a essa alternativa. Note que um conhecimento mais aprofundado do mercado leva a avaliações melhores. 

Como fazer uma boa análise de fundamentos? 

Após entender o papel da análise fundamentalista, é o momento de colocá-la em prática. Para tanto, você deve seguir os passos atrelados ao funcionamento dessa metodologia.  

Na sequência, veja o que separamos para você considerar! 

Conheça e explore o mercado de ações 

Primeiramente, você deve saber que uma análise do tipo requer um conhecimento geral sobre o mercado acionário e suas características de negociação. Então, antes de focar em uma companhia específica, é interessante aumentar seus conhecimentos sobre a bolsa de valores. 

Entenda o que significa investir em ações, como as ordens de compra e venda são executadas, como as empresas divulgam as informações para acionistas e como é a relação das companhias com os investidores. 

Também é oportuno explorar conceitos como a divisão de lucros e o pagamento de proventos, como por meio de dividendos ou juros sobre capital próprio (JCP). Com isso em mente, você terá mais facilidade para lidar com os termos e com os fatores da análise. 

Considere fazer análises qualitativas e quantitativas 

A análise de fundamentos tem foco especial na situação financeira do negócio, mas não se limita a ela. Embora os números sejam importantes, outros componentes afetam a saúde e o potencial de continuidade do negócio. 

Portanto, convém montar a sua análise com base tanto em elementos quantitativos quanto em aspectos qualitativos. O valor e o reconhecimento de marca, por exemplo, são qualitativos, mas dizem muito sobre a situação do negócio. 

Isso não significa tornar a avaliação altamente subjetiva. Os critérios ainda são objetivos, com base em conceitos fundamentais para o sucesso da companhia. A diferença é que os números não são a única forma de avaliar ações

Busque informações diretamente na fonte 

Sua análise fundamentalista deve ser, acima de tudo, confiável. Para tanto, precisa conter dados atualizados e que realmente representam a realidade das companhias. Por isso, o ideal é buscá-los diretamente na fonte. 

Todas as companhias de capital aberto são obrigadas a divulgar informações, como seus balanços e resultados financeiros. Logo, muitos relatórios e documentos ficam disponíveis nos canais oficiais de comunicação institucional. 

Também há como encontrar informações nas páginas de empresas listadas da B3, a bolsa brasileira. Nesse ambiente, estão comunicados de mercados e diversos relatórios. Eles certamente podem ajudar na análise. 

Selecione e avalie os indicadores fundamentalistas 

Os indicadores fundamentalistas são ferramentas de medição de fundamentos que os investidores podem utilizar. Eles ajudam a identificar uma situação específica sobre a companhia e, portanto, abastecem a análise fundamentalista de ações. 

Alguns indicadores são múltiplos, ajudando a entender relação entre fatores. Por exemplo, entre o preço e o valor justo da ação. Entre os principais indicadores fundamentalistas, estão: 

  • balanço patrimonial; 
  • Preço/Lucro (P/L); 
  • Preço/Valor Patrimonial por ação (VPA); 
  • EBITDA (Earnings Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization) ou Lajida (Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização);  
  • Dividend Yield (DY); 
  • Retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE), entre outros. 

Cada um apresenta uma forma específica de cálculo e, embora haja valores de referência, não existe um mínimo ou máximo a ser atingido. Tudo depende da situação da empresa, do cenário econômico atual e dos riscos que são aceitos. 

Além disso, é preciso ter atenção que usar somente um indicador pode dar uma ideia errada sobre o que está realmente ocorrendo na empresa. O ideal é compor uma avaliação cruzando diversas métricas e seus resultados. 

Como usar as informações obtidas para investir? 

Tão importante quanto levantar e extrair os conhecimentos da análise fundamentalista é saber como aplicá-la na tomada de decisão. Assim, você poderá selecionar quais ações farão parte da sua carteira. 

Nesse sentido, antes de tudo é preciso definir o seu perfil de investidor. Investir na bolsa significa estar disposto a correr mais riscos em renda variável. Ademais, as diferenças entre os perfis podem se refletir nas conclusões obtidas com a análise. 

Um investidor arrojado, por exemplo, tem maior tolerância ao risco e pode investir em uma empresa pequena e que ainda não está consolidada, mas que apresenta bom potencial de crescimento. Já um investidor moderado pode dar preferência a ações cuja análise aponte mais segurança. 

É preciso, ainda, pensar em seus objetivos financeiros. Na bolsa, é aconselhável focar no longo prazo, para melhor manejo de risco. Além disso, você deve pensar nas expectativas quanto à alocação de recursos. 

Se quiser conquistar renda passiva será necessário focar em companhias com melhor capacidade de pagamento de dividendos, por exemplo. Conhecendo essas características individuais, é possível fazer escolhas mais efetivas e que atendem às suas necessidades! 

Percebe como a análise fundamentalista de ações pode melhorar a tomada de decisão? Ela gera uma visão mais clara para escolher como alocar recursos. Com apoio dos indicadores fundamentalistas, você conseguirá realizá-la e aproveitá-la em sua estratégia. 

Agora que você conhece esse método, veja o que é a análise gráfica de ações e saiba como ela se diferencia da versão fundamentalista! 

Comentários