Você sabia que é possível alugar ações? A locação é conhecida como custódia remunerada no mercado financeiro. Na prática, pode servir para que o investidor tenha ganhos extras com ativos que já fazem parte da sua carteira. 

O procedimento funciona da seguinte forma: ao comprar ações para se tornar sócio de uma empresa, você pode ceder momentaneamente esses papéis para terceiros. Tudo acontece mediante a cobrança de uma taxa, o que permite lucrar e ganhar renda extra. 

Ficou interessado nessa alternativa? Nosso time da Genial Investimentos organizou tudo o que você deve conhecer acerca do tema. Confira! 

Como funciona o aluguel de ações? 

mercado de ações abre espaço para diferentes tipos de operações. Entre eles está a chamada venda a descoberto. Para entender o que isso significa, pense que existem momentos nos quais o mercado dá sinais de baixa, mesmo para empresas consolidadas em seus segmentos. 

Com a devida experiência no mercado, o investidor pode buscar formas de ganhar com esse movimento de baixa. Avaliando que o preço de um ativo tende a cair, é possível alugar papéis dessa empresa e vendê-los, aguardando a sua desvalorização. 

Quando a queda acontecer, o investidor recompra os papéis por um preço menor. A diferença entre o preço de venda e o preço de compra é o lucro da operação. Para realizar a negociação, é importante acordar um preço de aluguel de ações que permita obter lucro. 

Além disso, é importante lembrar que para efetuar uma venda a descoberto, se faz necessário ter o produto termo de alavancagem intraday aderido. 

Comparação com o mercado imobiliário 

Para entender melhor, pense em um exemplo do mercado imobiliário. Imagine que alguém alugue um imóvel para ganhar dinheiro, como ocorre com os edifícios comerciais.  

Quando uma pessoa aluga uma sala comercial, a sala ainda pertence a seus donos, mas as pessoas que alugam o espaço podem usá-la. Ela serve para fazer negócios, vendendo produtos ou prestando serviços, desde que o aluguel e as demais obrigações do contrato sejam atendidas. 

Em uma analogia, é o que acontece com a custódia remunerada. A diferença é que, neste caso, os agentes envolvidos são investidores e os ativos são ações na bolsa de valores

Agora veja como, na prática, o aluguel de ações pode ser vantajoso. Pense que o investidor decide alugar ações que têm cotação de R$ 20 no mercado atual para vendê-las, prevendo que existe uma tendência de queda.  

Caso a queda se concretize e o ativo chegue ao preço de R$ 15, ele poderá comprar a ação com esse preço menor. Com isso, terá um lucro bruto de R$ 5 e poderá devolver as ações. Os números finais referentes ao lucro ainda envolvem a subtração das taxas e do aluguel acordado.  

Por que alugar ações? 

Do ponto de vista do tomador do empréstimo, é possível entender o motivo de ir ao mercado e alugar ações. Afinal, é uma solução para lucrar com a desvalorização de ativos sem ter as ações na própria carteira. 

Já para quem aluga, as vantagens também existem. É possível ter uma fonte adicional de renda com o dinheiro do aluguel. Assim, você pode aumentar sua rentabilidade em longo prazo, pois é viável colocar as ações em oferta constantemente. 

Além disso, vale lembrar que, por ser o dono dos ativos, o locador segue sendo o beneficiário de remunerações como dividendos e bonificações pagos pela empresa na qual investe. 

De uma maneira geral, a custódia remunerada representa uma possibilidade de o investidor lucrar com seus ativos em curto e médio prazo sem precisar vendê-los. Dependendo do caso, os recursos podem ser usados como reinvestimento, melhorando a capacidade de gerar resultados. 

Também pode funcionar como uma estratégia de investimento para obter ganhos ao longo do tempo. Isso porque o pagamento de dividendos não está garantido, pois depende do desempenho do negócio. Com o aluguel, é possível incrementar a remuneração sem se desfazer dos ativos. 

Quais são os riscos envolvidos no processo de aluguel de ações? 

Saber como alugar ações também significa compreender os riscos que podem existir. Na prática, quem se responsabiliza pelas operações é a bolsa de valores. Então não existe um contato direto entre doador e tomador do aluguel na operação. 

Isso dá maior segurança para o dono dos ativos, já que cabe a ele apenas disponibilizar suas ações de acordo com as taxas acordadas e esperar o prazo para receber a remuneração. É praticamente como acontece no aluguel de um imóvel, com a B3 atuando como se fosse a imobiliária. 

Quanto aos valores, é o doador ou seu representante quem define as taxas e os prazos envolvidos no processo de alugar ações. Elas podem ser combinadas e registradas em contrato, sendo toda a operação fiscalizada e regulada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). 

Para o tomador, existe o risco de o ativo se valorizar e ele precisar recomprar a ação por um preço mais alto. É preciso saber que não há garantias de que os ativos se desvalorizarão. Portanto, as operações precisam ser devidamente planejadas e executadas com precisa – embora sempre haja riscos envolvidos. 

É por isso que a prática é recomendada para quem possui experiência na compra e venda de ações em curto prazo. Assim, esta é uma operação indicada para o trader – investidor com perfil especulativo, que busca ganhar dinheiro com as oscilações do mercado. 

Vale destacar que, no chamado day trade, operação na qual a abertura e o fechamento de posição ocorrem no mesmo dia, pode não ser necessário realizar o aluguel dos ativos. Muitas vezes, é possível operar apenas com uma margem de garantia. 

Qual é o passo a passo de como alugar ações? 

Primeiramente, é preciso que o investidor interessado em alugar ações procure a corretora de valores para informar os ativos que pretende negociar, a rentabilidade desejada e o prazo. Em seguida, caberá à corretora exigir garantias da parte do tomador para viabilizar o negócio.  

Em geral, essas exigências envolvem títulos de renda fixa ou renda variável. Eles representam a segurança de que a pessoa que está tomando o empréstimo tenha como arcar com os custos da operação mesmo que ela não dê certo. 

Por fim, a transferência das ações é realizada dentro de um prazo determinado. No vencimento, as ações retornam para a carteira do investidor, garantindo que o doador não tenha que se preocupar com a operação. 

Diante das diferentes formas de operar na bolsa de valores, saber como alugar ações é um meio de aproveitar mais uma alternativa para rentabilizar a carteira. Dessa maneira, você poderá ganhar uma renda extra sem precisar se desfazer dos seus ativos. 

Que tal começar a alugar suas ações? Abra sua conta na Genial Investimentos e faça o seu dinheiro trabalhar por você! 

Comentários