Com a grande quantidade de investimentos disponíveis no mercado financeiro, é preciso ter muita atenção ao compor um portfólio. Afinal, escolhas erradas podem prejudicar a rentabilidade da sua carteira e até causar prejuízo. 

Os investimentos a curto prazo, por exemplo, são indicados em determinadas situações, mas não em outras. Por isso, nós, da Genial, preparamos este post para ajudar você a encontrar as alternativas adequadas para investir no curto prazo. 

Leia até o final e aproveite as informações para saber como escolher investimentos a curto prazo! 

O que são investimentos de curto, médio e longo prazo? 

Para escolher investimentos adequados, é preciso ter em mente que eles podem ser indicados para objetivos de: 

  • curto prazo — que levarão até um ano para serem alcançados; 
  • médio prazo — que levarão entre dois até cinco anos para serem alcançados; 
  • longo prazo — que levarão mais de cinco anos para serem alcançados. 

Dependendo do prazo do investimento, geralmente há diferenças em aspectos como rentabilidade, liquidez e segurança. Para ter liquidez e segurança, por exemplo, você pode ter que abrir mão da rentabilidade — o que geralmente acontece nos planos de curto prazo. 

Pense, por exemplo, na reserva de emergência. Ela é um montante acumulado para servir em casos de imprevistos e urgências que impactem seus ganhos ou gastos. Com isso, precisa estar alocada em um investimento seguro e de fácil acesso, mesmo que renda menos. 

Quais investimentos são adequados para o curto prazo? 

Para os seus objetivos de curto prazo, geralmente é indicado encontrar investimentos que ofereçam segurança e liquidez. Assim, você garante que terá o valor necessário para alcançar sua meta dentro de um período menor. 

Se o dinheiro estivesse em um investimento mais volátil, como ações, haveria um grande risco de ter prejuízo quando precisasse resgatar o valor. Afinal, não há previsibilidade de ganhos na renda variável. 

Quer conhecer algumas opções de investimentos com características condizentes com o curto prazo? Confira os tópicos a seguir! 

Tesouro Selic 

Um dos investimentos geralmente usados para a reserva de emergência é o Tesouro Selic. Trata-se de um tipo de título público negociado na plataforma Tesouro Direto e cuja rentabilidade está atrelada à taxa Selic. 

Quanto à segurança, os títulos públicos são considerados os mais seguros do país, uma vez que são garantidos pelo próprio Governo Federal. Por isso, sua rentabilidade é uma das mais baixas, embora seja superior à da poupança. 

Outro aspecto importante para adequar o Tesouro Selic a planos de curto prazo é que ele tem liquidez diária. O Governo garante a recompra sempre que você quiser vendê-lo. 

CDB com liquidez diária 

Os CDBs (certificados de depósito bancário) existem com as mais diversas características em relação a prazos, rentabilidade e liquidez. Caso você precise do dinheiro a qualquer momento, é indicado buscar uma alternativa com liquidez diária. 

Já se o seu plano tiver data certa para acontecer, é possível procurar um título com prazo próximo. Os CDBs também são considerados seguros, pois têm a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Ele cobre até R$250 mil por CPF e por instituição, sendo R$ 1 milhão o limite global, renovável a cada quatro anos. 

Fundo de renda fixa 

Os fundos de investimento são uma modalidade coletiva. No caso de fundos de renda fixa, o foco está em investimentos dessa classe. Assim, as aplicações são escolhidas pelo gestor de acordo com um regulamento.  

Esse tipo de fundo pode ser adequado para objetivos de curto prazo. Contudo, é preciso considerar as diferentes características de liquidez e segurança. Afinal, nem todos os fundos de renda fixa serão iguais. 

Para o curto prazo, pode ser interessante os chamados fundos DI. Eles investem em títulos públicos ou títulos privados com objetivo de seguir a taxa do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), apresentando alta liquidez. 

LCI e LCA 

As LCIs e LCAs (letras de crédito imobiliário e do agronegócio) são semelhantes aos CDBs. No entanto, quando você investe nelas, seu dinheiro é direcionado especificamente para os setores imobiliário e do agronegócio. Por isso, são isentas de Imposto de Renda. 

Algumas LCIs e LCAs podem apresentar um prazo de alguns anos para resgate, outras são de curto prazo. Há, ainda, as que oferecem liquidez diária depois de 90 dias da aplicação. Por isso, antes de investir nelas, certifique-se de que você não precisará do dinheiro durante esse período. 

Para o objetivo de reserva de emergência, por exemplo, as LCIs e LCAs podem não ser o ideal. De todo modo, elas são um investimento de curto prazo e podem ser adequadas a outras metas.  

Como escolher investimentos de curto prazo? 

Depois de conhecer algumas alternativas, é preciso entender como escolher investimentos de curto prazo. Um dos primeiros aspectos é conhecer o seu perfil de investidor, que pode ser: 

  • conservador — não tem tolerância ao risco, de modo que prefere investir em alternativas mais seguras da renda fixa
  • moderado — visto que tem alguma tolerância ao risco, consegue alcançar um equilíbrio entre a segurança e o risco; 
  • agressivo, ou arrojado — tem bastante tolerância ao risco e busca maior potencial de ganho. 

De acordo com o seu perfil, é possível decidir entre os títulos mais ou menos arriscados para o curto prazo. Além disso, você precisa ter objetivos claros em mente. Por exemplo, reserva de emergência, viagens, compra de um bem etc. 

Os investimentos que você viu neste post se encaixam nas características necessárias a curto prazo, visando a segurança. No entanto, há pessoas que aproveitam o curto prazo para especular na bolsa de valores, buscando obter lucro.  

Nesse ponto, é preciso destacar que não se trata de investimento. A renda variável oferece alternativas mais arriscadas e não há garantias de que seu dinheiro poderá ser utilizado quando necessário. 

Sua intenção é investir — e não especular — em investimentos de maior risco? Nesse caso, tenha em mente que os investimentos arriscados geralmente são indicados para o longo prazo, pois há melhor possibilidade de manejo de risco. 

Conclusão 

Os investimentos de curto prazo são essenciais em um portfólio, já que envolvem objetivos relevantes — como a reserva de emergência. Pensando nos prazos específicos de cada meta — e apostando na diversificação, seu portfólio tem condições de se manter muito mais sólido ao longo do tempo! 

Que tal começar a montar a sua carteira de investimentos agora mesmo, considerando cada uma das suas metas pessoais e seus respectivos prazos? Abra uma conta na Genial!

Comentários