As incertezas em relação à classe de investimentos de renda variável podem trazer inseguranças para os investidores. E quando se fala em aportar em ações é comum ficar em dúvida se vale a pena investir a longo prazo.

Afinal, fazer aportes visando lucros no futuro é uma estratégia possível com os papéis? Entender como isso funciona direciona seus investimentos e ajuda a atingir os seus objetivos financeiros.

Então, se você ainda não sabe se faz sentido construir seu portfólio com ações no longo prazo, este artigo é para você. Continue conosco e descubra se a alternativa faz sentido para você!

Como funciona o investimento em ações?

Quando compra ações, o investidor adquire uma parte do capital social de uma empresa. Assim, ele se torna sócio dessa companhia. Dessa maneira, pode participar dos resultados do negócio — mas também assume os riscos dele.

Assim, se há ganhos no período, os acionistas podem recebem a divisão de lucros, em proventos como os dividendos, ou usufruem da valorização do preço da ação. Quanto mais lucros obtidos ao longo dos anos, mais retornos o investidor pode ter em determinado aporte.

Contudo, no curto prazo podem ocorrer momentos em que a empresa na qual você investiu enfrente dificuldades. Nesse caso, é preciso lembrar que o retorno não é garantido. Inclusive, há o risco de prejuízo.

A principal dica nesse momento é não se desesperar, principalmente no curto prazo. Vender os papéis em qualquer sinal de perda pode ser um erro grave. Afinal, a volatilidade existe e deve ser manejada.

Escolhendo companhias com bons indicadores e solidez no mercado, é preciso ter calma e controlar as emoções, pensando na sua estratégia. Momentos de perdas são comuns no mercado, mas é importante pensar a longo prazo, pois a volatilidade tende a ser menor.

Assim, tenha em mente que o longo prazo tende a diluir os riscos da renda variável – e aumentar o potencial de retorno, seja com a valorização dos ativos ou recebimento de dividendos. Então, se as ações fazem sentido no seu portfólio, mantê-las pala o longo prazo pode ser uma decisão acertada.

Qual o papel da análise fundamentalista nas suas escolhas?

Quando você opta por comprar ações, deve escolher com cuidado a empresa em que direciona seu dinheiro. Na bolsa de valores brasileira existem diversos segmentos e companhias com papéis disponíveis para serem avaliados.

Para isso, existem dois tipos de análises: a técnica e a fundamentalista. A primeira estuda o comportamento dos preços e do volume negociado dos ativos ao longo do tempo. Assim, é usada por especuladores com visão de curto prazo — que assumem riscos maiores.

Por outro lado, a análise fundamentalista é mais indicada em operações de longo prazo, pois considera os fundamentos e indicadores da empresa. Assim, considera-se a estratégia do negócio, a competência da gestão, governança e outros indicadores.

A saúde financeira da empresa também é um fator importante nesse momento. Saber seu patrimônio líquido, taxa de endividamento e o balanço patrimonial é fundamental. É possível conferir esses dados na divulgação obrigatória por parte das companhias de capital aberto.

Assim, é possível analisar todas as principais informações respeito da empresa. Essa é uma análise complexa, mas fornece subsídios para tomadas de decisão em relação aos seus investimentos. Assim, pode trazer mais segurança para quem investe pensando no futuro.

O que considerar para investir em ações em longo prazo?

Se você considera que vale a pena investir em ações a longo prazo, é preciso saber como escolher as empresas. A seguir você conhecerá os pontos que devem ser analisados para essa decisão.

Confira!

Defina seus objetivos

O primeiro passo para basear os seus investimentos é definir objetivos. Antes de cada aporte você deve se perguntar: qual é o resultado esperado? O que você fará com esse dinheiro e para que ele se destina?

Geralmente, quem investe em longo prazo busca obter renda passiva, por meio dos dividendos, ou constante valorização do capital. A manutenção e aumento do patrimônio são objetivos que devem ser considerados.

Foque na diversificação da carteira

Quando se fala em investimentos, uma boa estratégia é direcionar seus recursos a papéis de diversas companhias. Isso porque, ao diversificar ,você dilui os riscos e evita que todo o seu capital fique relacionado à oscilação de apenas um ativo.

Como vimos, é essencial entender que as ações sofrem variações de preços de acordo com diversos fatores. Dessa forma, situações que influenciam negativamente no preço de uma determinada ação, podem não afetar outro papel.

Para colocar a diversificação em prática, é preciso ter atenção. Não basta investir em empresas diversas. É importante diversificar os setores e áreas de atuação. Assim, você evita investir em negócios diferentes, mas que estão expostos aos mesmos riscos.

Analise o histórico dos ativos

Outro ponto importante é considerar o investimento em companhias que possuam um bom histórico financeiro. Empresas que apresentam lucros recorrentes e que contam reconhecidamente com uma boa gestão e governança podem ser mais interessantes.

Mas é preciso ficar atento a essa análise. O histórico de rendimentos de uma empresa não garante resultados positivos no futuro. Assim, utilize esse fator como um indicador, mas não espere que ele traga previsibilidade de rendimentos.

Acompanhe as carteiras recomendadas

Se você quer investir em ações, mas tem dúvidas quanto às escolhas que deve fazer, pode se beneficiar das carteiras recomendadas.  Elas são oportunidades indicadas por profissionais com amplo conhecimento do mercado financeiro.

Essa é uma solução interessante para quem ainda não tem conhecimentos aprofundados, mas deseja dar os primeiros passos. Mesmo investidores mais experientes podem se aproveitar desta estratégia, caso não queiram despender tanto tempo na análise de ativos.

A Genial possui recomendações de analistas atualizadas constantemente. Os profissionais são certificados no mercado financeiro e montam carteiras que podem ser seguidas pelos investidores. Com os relatórios divulgados, é possível entender as estratégias e o histórico do portfólio.

O relatório Genoma Ações, organizado pelo analista Filipe Correa Villegas, da Genial, é um bom exemplo. Nele, é possível verificar carteiras recomendadas para diversos perfis e objetivos. O profissional indica ativos para quem foca em dividendos ou em menor volatilidade, por exemplo.

Afinal, vale a pena investir a longo prazo em ações?

Como você viu, a decisão de investir ou não a longo prazo em ações é uma decisão individual de cada investidor. Você deve considerar as características do investimento, a análise fundamentalista e suas próprias necessidades antes de fazer sua escolha.

Caso a resposta seja positiva, lembre-se de que é fundamental definir seus objetivos e fazer uma análise das empresas adequadas. Assim você poderá pautar suas decisões em fatores relevantes e terá melhor manejo de risco!

Quer começar a investir em ações? Então conte conosco da Genial para intermediar os seus aportes!

Comentários