Quando se fala em investimento na bolsa de valores, é comum pensar em longo prazo. No entanto, essa não é a única forma de aproveitar as oportunidades do mercado financeiro. Também é possível se tornar um especulador, atuando como diferentes tipos de traders

Cada um adota um método específico, o que envolve riscos, vantagens e desvantagens diferentes. Assim, ao se aprofundar sobre cada alternativa, você terá a chance de definir qual estratégia faz mais sentido para as suas operações no mercado financeiro. 

Para facilitar, nós, da Genial Investimentos, trouxemos as informações sobre 4 tipos de traders e as estratégias utilizadas por eles para operar na bolsa. Vamos lá? 

O que é um trader? 

O termo trader é utilizado como sinônimo de especulador, se referindo às pessoas que fazem operações na bolsa de valores. Nesse caso, o foco é obter ganhos no curto ou no curtíssimo prazo a partir das oscilações dos ativos e derivativos.  

Para que isso seja viável, o trader assume mais riscos, devido à imprevisibilidade do comportamento do mercado. Em troca, ele espera conseguir ganhos consideráveis no curto prazo, devido à relação de risco e retorno. 

Assim, temos diferentes tipos de traders. Portanto, é importante entender o que muda em cada estratégia e identificar se é viável fazer as operações — e qual é o modelo mais adequado para essa tarefa. 

Quais são os 4 principais tipos de trader? 

Você já percebeu que há mais de uma maneira de operar com os ativos e derivativos na bolsa de valores. No entanto, é comum que surjam dúvidas sobre o que muda em cada tipo de especulação.  

Pensando nisso, explicamos quais são os 4 tipos de traders e como funcionam as estratégias que eles utilizam. Confira! 

1. Day trader 

Começando nos tipos de trading, as operações de day trade são conhecidas por serem de curtíssimo prazo. Logo, a principal característica é a abertura e o fechamento da posição dentro do mesmo pregão, o que leva à realização de resultados no mesmo dia. 

day trader, portanto, precisa atuar com agilidade e dinamismo, fazendo análises constantes das movimentações do mercado. Aqui, o foco maior trata das oscilações intradiárias, apesar de também ser possível observar resultados ao longo de períodos maiores.  

A intenção das análises é encontrar oportunidades e variações de preços que possam ser antecipadas. Dessa maneira, é possível montar operações para buscar o desempenho de interesse. 

Uma das vantagens dessa operação é a alavancagem. Com o day trade em ações, por exemplo, é possível operar com um valor maior do que o montante que você efetivamente dispõe. Afinal, os resultados são dados pela diferença entre compra e venda. 

Porém, para operar alavancado será necessário apresentar a margem de garantia exigida pela instituição financeira, como forma de proteger o mercado. 

Outro possível benefício é que a operação permite aproveitar momentos de alta volatilidade do mercado. Com a grande variação nos preços, o day trader pode obter ganhos em pouquíssimo tempo. 

Ao mesmo tempo, é um tipo de trading com alto risco atrelado. Isso porque as oscilações de preço têm maior impacto e você se expõe a maior volatilidade devido ao volume de negociações, aumentando o potencial de perdas. 

2. Swing trader 

Também é possível atuar como swing trader. Esse tipo de especulador atua em uma janela de tempo um pouco maior — o fechamento da operação costuma ocorrer dias ou semanas após a abertura. 

No swing trade, é comum que o especulador utilize o gráfico diário para identificar tendências e montar suas operações. Por conta disso, ele não precisa acompanhar o mercado tão intensamente durante o pregão, como é o caso do day trader

Nesse caso, o especulador também costuma realizar menos operações, já que o prazo não é tão imediato. Assim, também pode ser uma alternativa para quem deseja conciliar a operação no mercado com outras atividades. 

Ao mesmo tempo, é preciso entender que, devido a suas características, o swing trade não costuma aproveitar certos movimentos curtos do mercado. Se houver volatilidade no curtíssimo prazo, o mais provável é que ela não seja explorada em tempo real, ao contrário do day trade

3. Position trader 

Já o position trader é o especulador que leva um tempo maior para encerrar a operação. Não há um limite definido, mas é comum que a estratégia demore meses ou mais de um ano para ser concluída.  

Por conta disso, é frequente que o operador utilize gráficos de períodos mais amplos, como uma semana, para encontrar oportunidades de negociação dos ativos. Em vez de verificar a movimentação diária ou ao longo das horas, a intenção é encontrar uma tendência que se consolida ao longo de um tempo maior. 

Além disso, o position trader pode buscar ações com potencial de valorização e movimento consolidado ao longo de um período, por exemplo. No entanto, considerando o seu foco e os critérios utilizados para investir, ele não se confunde com estratégias de investimento de longo prazo.  

Por fim, vale saber que a estratégia pode reduzir parte dos riscos por se expor à menor volatilidade. Contudo, também exige mais paciência por parte do especulador. 

4. Scalper 

Além dessas estratégias conhecidas, vale a pena saber como funciona o scalping. Na verdade, ele consiste em uma estratégia de day trade. Porém, ele se destaca por ter um prazo menor — cerca de alguns segundos ou minutos.  

A ideia é explorar pequenas variações, ocorridas nessas frações de tempo. Por conta disso, também é comum realizar múltiplas operações ao longo do dia. Ainda, pelas suas características, ele apresenta determinadas vantagens, como a possibilidade de realizar uma redução relativa de riscos. 

Afinal, os ganhos podem ser menores, mas as perdas também podem ser reduzidas. Se for possível acumular mais ganhos que perdas com as operações, o resultado do dia será positivo. 

Por outro lado, é uma estratégia que exige máxima dedicação do trader. Qualquer movimento que dure segundos pode ser importante para obter ganhos, o que exige atenção exclusiva e contínua. 

Qual é a melhor estratégia para especular na bolsa? 

Como você viu, as estratégias de especulação na bolsa são variadas, principalmente, em termos de duração e riscos. Com isso, elas têm exigências distintas quanto à dedicação ao mercado e diferentes potenciais de retorno. Mas como escolher qual tipo de trader você deve ser? 

Para selecionar a estratégia adequada, é necessário considerar suas características e seus interesses. Se não puder se dedicar — às vezes, exclusivamente — ao mercado, ser scalper ou day trader pode não ser adequado.  

Outro ponto que deve ser considerado é a tributação pelo Imposto de Renda (IR). As operações de day trade e scalping têm uma regra específica de tributação: 20% sobre todos os lucros, independentemente do valor negociado no mês. 

Já as operações que levam mais de um dia (swing trade) contam com a isenção para vendas com volume de até R$ 20 mil mensais. Além disso, a alíquota é menor, sendo de apenas 15% sobre os ganhos obtidos. 

Também é preciso pensar no montante que você dispõe para especular e o que isso representa para a sua atuação no mercado financeiro. Afinal, é possível ser trader e investidor, simultaneamente, para atender a objetivos distintos.  

Logo, a escolha da estratégia depende dos seus aspectos individuais e do planejamento financeiro, a fim de proteger o seu patrimônio. Considere, ainda, os seus conhecimentos de mercado, pois eles são essenciais para fazer as análises e aumentar as chances de sucesso das suas operações.  

Como operar na bolsa de valores? 

Independentemente da sua classificação entre os tipos de trader, é comum que surjam dúvidas ao especular na bolsa de valores. Para tanto, existem algumas dicas que podem auxiliar no seu preparo, na tomada de decisão e na execução das operações. 

Quer saber quais são as dicas? Confira as principais orientações para quem deseja atuar como especulador! 

Tenha bons conhecimentos sobre análise técnica 

Antes de realizar qualquer operação de trading é fundamental ter informações que embasem a sua escolha. Enquanto uma estratégia de longo prazo, como o buy and hold, exige a análise fundamentalista, a especulação se baseia, principalmente, na análise técnica ou gráfica. 

Por meio dela, você pode identificar tendências com base na movimentação dos preços, no volume de negociação e nos padrões gráficos. Portanto, ter os conhecimentos específicos é fundamental para tomar uma decisão estratégica quanto aos momentos de entrada e saída das operações. 

Ao mesmo tempo, saiba que não é apenas a análise técnica que pode ser usada. Saber executar o tape reading, por exemplo, também pode ser interessante no day trade. Isso porque ele ajuda a ter informações relevantes em tempo real do mercado e de suas operações. 

Em alguns tipos de trading, como no position, também pode ser interessante analisar alguns fundamentos dos ativos, pois eles serão mantidos por um período um pouco maior. Dessa maneira, o mais relevante é saber colher e avaliar informações para definir quando agir. 

Avalie os riscos de cada estratégia 

Ao escolher entre os tipos de trader, é fundamental estar ciente dos riscos envolvidos em cada tipo de estratégia. Sabendo que o day trade envolve tanta volatilidade, você deve ser capaz de assumir mais riscos gerados pelas oscilações, assim como acontece com o scalping.  

Por outro lado, quem busca menos exposição à volatilidade pode se beneficiar das outras estratégias. Avaliar os riscos de cada alternativa também é importante para os momentos antes de operar, auxiliando nas decisões sobre cada operação. 

Conheça seu perfil de investidor 

Seguindo a lógica da avaliação de riscos, é fundamental conhecer qual é o seu perfil de investidor ou, especificamente, a sua tolerância às perdas e à volatilidade. Como especulador, é preciso saber se você tem uma postura mais conservadora e que não tolera tantas perdas, por exemplo.  

Nesse caso, o swing trade ou o position trade podem ser mais adequados. Já quem tem maior tolerância aos riscos das oscilações podem usar essas estratégias, mas também podem se beneficiar do day trade ou scalping.  

Então analise com cuidado o quanto você pretende se expor aos riscos. Isso ajudará, principalmente, a evitar os impactos do efeito manada, que podem afetar as suas decisões.

Saiba Mais: Perfil de Investidor: Você sabe o seu tipo de investidor?

Defina seus objetivos financeiros 

Além da sua capacidade de tolerar os riscos, é preciso saber quais são os seus objetivos financeiros com a especulação. Se a ideia for aproveitar o mercado de ações para viver de trading, por exemplo, será necessário ter mais dedicação e adotar estratégias que tenham maior fluxo financeiro.  

Nesse cenário, as operações curtíssimas podem fazer sentido para o especulador. Mas se a intenção for apenas gerar ganhos extras ou sem dedicação exclusiva, uma estratégia mais demorada pode funcionar. 

Também é importante entender o quanto você pretende ganhar com as operações e de quanto dispõe para especular. Essas questões ajudarão a estabelecer limites e montar estratégias mais alinhadas. 

Saiba Mais: Objetivos Financeiros: Como se planejar antes de investir

Faça um bom manejo de riscos 

Além de colocar todas essas dicas em prática, é preciso ter atenção com a forma como você lidará com os riscos assumidos. Mesmo com uma alta tolerância à volatilidade e às perdas que podem ocorrer, é necessário se antecipar sobre os possíveis cenários. 

Depois de fazer o reconhecimento dos riscos, é interessante utilizar mecanismos de stop para um gerenciamento mais efetivo. Eles permitem configurar parâmetros que, se forem atingidos, encerram a posição de forma automática, evitando o acúmulo de resultados negativos. 

stop loss é um dos mais conhecidos e permite que você defina qual é a perda máxima que pode ocorrer na operação. Além de limitar seus prejuízos, ele ajuda a evitar o consumo de toda a margem de garantia, o que previne o encerramento compulsório de posições. 

Outro mecanismo é o stop gain, que limita os ganhos, mas ajuda na manutenção do saldo positivo da operação. O principal objetivo é impedir que você perca toda a valorização que pode ocorrer e, depois, ser revertida. Assim, não há um aproveitamento de todo o movimento de ganho, mas pode ajudar a consolidar mais lucros. 

Acerte na escolha da corretora de valores 

Para especular na bolsa de valores, você precisará ter uma conta em uma instituição financeira, certo? Para favorecer a execução da sua estratégia, o ideal é buscar uma corretora de valores que ofereça uma estrutura adequada para especular. 

Isso significa, por exemplo, avaliar quais são os custos e as taxas, a estrutura da instituição, as plataformas e os recursos oferecidos e o suporte. Desse modo, pode-se contar com uma parceria estratégica e que será capaz de auxiliar na aplicação das estratégias.  

Na Genial Investimentos, você contará com uma infraestrutura robusta, um time qualificado para ajudá-lo e ainda terá acesso à Casa do Trader. Com as ferramentas certas, será possível especular de acordo com a estratégia de operação mais adequada às suas características. 

Como você viu, os 4 tipos de trader adotam estratégias que variam em prazo, risco e potencial de ganhos. Dessa forma, antes de se tornar um especulador, vale a pena ponderar o que faz mais sentido na hora de escolher uma abordagem para as operações. 

Se você quer especular ou investir na bolsa de valores, precisa contar com uma corretora de valores. Então abra sua conta conosco e venha ser Genial

Comentários