A especulação pode trazer diversas oportunidades de ganhos, em situações distintas do mercado financeiro. Porém, ela deve ser feita com a ajuda de informações qualificadas, em especial se o prazo de operação for menor. Por isso, a análise gráfica no day trade é essencial.

Por meio dessa metodologia, você analisa os dados referentes aos ativos e derivativos e pode observar tendências e comportamentos. Para tanto, é fundamental usar as ferramentas corretas e saber como interpretá-las.

Pensando na importância dessa abordagem, nós, da Genial Investimentos, reunimos informações sobre as técnicas de análise gráfica para day trade. Confira!

O que é o day trade?

Entre as formas de atuar na bolsa de valores, existe a chance de realizar a especulação. Ela consiste na negociação de ativos ou derivativos em curto ou médio prazo. O objetivo principal é obter lucros com base nas oscilações de preço de compra e venda ao longo do tempo.

As estratégias especulativas costumam se dividir pelo período da abertura ao fechamento da posição e, entre elas, há o day trade. Ele consiste em realizar operações que são iniciadas e finalizadas dentro do mesmo pregão.

Como funciona essa estratégia de especulação?

Para funcionar, o day trade prevê que o início e o encerramento da posição ocorram entre a abertura e o fechamento do mercado. Portanto, a operação dura, no máximo, poucas horas. Dependendo dos objetivos ou da volatilidade do mercado, pode levar apenas minutos.

Para que a operação seja lucrativa, deve haver diferença positiva entre a compra e a venda do ativo ou derivativo. Logo, o day trader busca os períodos mais propícios para entrar ou sair de uma posição, considerando seus objetivos e seu gerenciamento de risco.

O que é a análise técnica?

O alcance de objetivos do day trade depende de uma tomada de decisão embasada. Somente assim é possível operar de forma estruturada, em vez de depender apenas da sorte, por exemplo. Nesse sentido, uma das metodologias adotadas é chamada de análise técnica ou gráfica.

Por meio dela, o trader pode identificar padrões e tendências de mercado. A partir disso, tem a chance de definir quando é o melhor momento de agir, considerando a própria estratégia.

Como funciona a análise técnica?

Quanto ao funcionamento, a análise técnica do day trade e em outros métodos especulativos se baseia na interpretação de informações apresentadas de maneira gráfica. O objetivo é compreender a movimentação dos preços por meio dos gráficos, em busca de indicações sobre pontos de entrada e saída.

Além dos preços, a análise gráfica considera o volume de negociações de determinado ativo ou derivativo. A lógica envolve a força das tendências: quanto maior é o volume, mais provável é que a tendência se concretize da forma prevista.

Logo, a análise gráfica para day trade utiliza uma metodologia baseada nas informações já consolidadas, com o objetivo de tentar antecipar o que ocorrerá em um futuro próximo no mercado financeiro.

Por que a análise gráfica é importante para quem especula?

Ao conhecer o funcionamento da análise técnica, é mais fácil compreender como ela pode ser fundamental para o day trade. Na prática, sua realização correta oferece diversos benefícios e você saberá, a seguir, quais são os principais.

Confira!

Apoia a tomada de decisão

Uma das principais funções da análise técnica é fornecer informações que ajudem na tomada de decisão. Com o resultado da avaliação, quem especula consegue ter mais clareza para definir quando é o melhor momento de agir.

Assim, existe a chance de criar uma estratégia e de colocá-la em prática. Note que a análise técnica não é importante apenas para o trader iniciante. Todo especulador pode se beneficiar ao utilizar os princípios dessa metodologia.

Favorece o encontro de oportunidades

Com a adoção dessa estratégia, é possível reconhecer onde estão as principais oportunidades e como elas podem ser aproveitadas. Se a análise gráfica indica uma tendência de alta, por exemplo, pode ser o momento de abrir uma operação comprada.

Nela, você adquire o ativo por um preço mais baixo com o intuito de vender por um preço mais elevado. Já na operação vendida, a queda pode trazer a oportunidade de vender de forma descoberta mais caro e comprar depois mais barato.

Logo, a análise gráfica pode ser útil para alcançar resultados de interesse com o day trade. Embora ela não seja uma garantia quanto ao desempenho, é um recurso a mais para identificar momentos interessantes de negociação.

Auxilia o gerenciamento de risco

Como uma operação de day trade tem início e fim no mesmo pregão, a exposição à volatilidade é maior. A queda de uma hora ou de poucos minutos, por exemplo, pode trazer boas chances ou gerar perdas para o operador, dependendo do cenário.

Sendo assim, um aumento de volatilidade representa também um aumento nos riscos das operações. Uma das formas de mitigar esses riscos e de fazer o gerenciamento do day trade é com a realização da análise de gráficos.

Com base nos dados, é possível evitar tomar decisões que sejam precipitadas e que podem resultar em perdas, por exemplo. Embora os riscos ainda existam, há um controle de ao menos parte deles ao dedicar tempo para fazer uma análise técnica de qualidade.

Quais as diferenças entre análise técnica e análise fundamentalista?

Além de compreender que a análise gráfica é essencial para day trade, vale entender que ela é diferente da chamada análise fundamentalista. Enquanto a primeira foca no histórico de preços e em sua movimentação junto ao volume, a análise fundamentalista avalia os pilares do emissor.

Por isso, a análise técnica é utilizada mais para a especulação, enquanto a análise fundamentalista foca nos investimentos no longo prazo. Considere, por exemplo, o mercado de ações.

Um day trader utilizará a análise gráfica para compreender se o mercado está em um período de alta ou de baixa. Com isso, saberá qual é o momento em que pode haver valorização ou queda — que justifique a compra ou a venda no mercado.

Já no caso da análise fundamentalista, o investidor considera os fundamentos da empresa. Ele busca informações sobre a situação financeira e de mercado para tentar prever como a companhia estará no futuro. Assim, pode decidir se é uma oportunidade que vale a pena ter em longo prazo.

Com base nessas diferenças, fica claro que a análise de gráficos faz mais sentido para o day trade e para o cotidiano de qualquer trade. A análise fundamentalista, por sua vez, costuma ficar destinada a investidores que visam ter uma carteira para o futuro.

Como fazer uma boa análise gráfica no day trade?

Ciente da importância de fazer uma análise gráfica no day trade, saiba que existem dicas que tornam seu uso melhor e mais fácil. Ao adotar as dicas que daremos a seguir, você poderá executar operações de day trade com mais embasamento.

Descubra como colocar a análise técnica em prática!

Conheça os tipos de gráfico do mercado

Como as principais informações serão obtidas a partir do gráfico, é importante conhecer quais são os tipos disponíveis que são mais comuns.

O gráfico de linha é um dos mais simples e se baseia em unir os preços de fechamento. Por meio dele, é especialmente fácil identificar fundos e topos ou comparar o desempenho a outra linha.

Já o candlestick utiliza as chamadas velas (candles), que contam com o preço de abertura, fechamento, máxima e mínima dentro de um intervalo de tempo especificado. Por exemplo, se o período gráfico for de 5 minutos a cada 5 minutos teremos a construção de um candlestick com os respectivos preços de abertura, fechamento, máxima e mínima daqueles 5 minutos.

O gráfico de barras apresenta as mesmas informações do candlestick, mas o faz de maneira menos visual ou intuitiva. Então, dependendo dos seus interesses, será possível escolher um tipo de gráfico, em detrimento dos outros.

Aprenda sobre a leitura de gráficos

A análise de gráficos por parte do trader envolve diversos conceitos e elementos que ajudam a entender a situação do mercado. Portanto, é fundamental conhecer quais são os elementos que influenciam na leitura e como utilizá-los.

A seguir, veja quais são os pontos principais!

Suporte e resistência

O suporte e a resistência são muito utilizados na análise técnica porque podem apontar quando ocorrerá uma mudança no preço de negociação do ativo. O suporte é uma região que tende a limitar um preço mínimo para o ativo ou derivativo.

Ele é formado por uma sequência de fundos, ou seja, os preços mais baixos de negociação em determinado momento. Normalmente, ele indica o ponto em que a força vendedora não é capaz de superar a força compradora. Com o aumento da demanda, o preço volta a subir.

Porém, o preço pode continuar a cair abaixo do suporte, se houver uma força vendedora que seja forte o bastante. Em períodos de alta volatilidade e amplo volume de negociação, por exemplo, pode acontecer a chamada perda de suporte.

Quando isso ocorre, o antigo suporte se transforma na nova resistência. A resistência corresponde a uma região de preços que atua como um limite máximo, ainda não superado pelo mercado. Graficamente, ela é formada pela união de uma série de topos (os pontos mais altos do gráfico).

A resistência indica que a força compradora não supera a força vendedora. Contudo, em situações específicas também pode haver o rompimento de resistência. Assim, os preços sobem acima desse limite e a antiga resistência se transforma no novo suporte.

Linhas de tendência

Outro elemento importante para considerar é a linha de tendência. Ela ajuda a identificar qual pode ser o comportamento dos preços dos ativos e derivativos, com base no histórico obtido até o momento.

Existem dois tipos: a linha de tendência de alta (LTA) e a de baixa (LTB). Na prática, uma LTA conecta os fundos de um momento de alta do gráfico. Ela é apresentada de forma ascendente e, portanto, fica elevada à direita.

Já a LTB é formada pela conexão dos topos em um movimento de baixa. Ela é descendente e fica mais baixa à direita. Em ambos os casos, existem elementos que indicam a força da linha de tendência. No geral, eles são:

  • comprimento da linha de tendência;
  • número de vezes em que topos/fundos encostam na linha;
  • inclinação, entre outros.

Figuras gráficas

Para fazer a análise gráfica para day trade, é igualmente importante conhecer as figuras gráficas. Elas servem para indicar a continuidade ou a reversão de tendência e, com isso, podem ajudar a definir a tomada de decisão.

Essas figuras são formadas pelos elementos dos gráficos, como topos e fundos, além do posicionamento e do tamanho dos candles, por exemplo. Há diversas possibilidades, como triângulos, retângulos, bandeiras e flâmulas, que são de continuidade.

Já o ombro cabeça ombro é um padrão de reversão, assim como acontece com os topos e fundos duplos ou triplos.

Saber identificar o surgimento dessas figuras pode antecipar movimentos importantes no mercado. Assim, você consegue planejar o momento de abrir ou de fechar sua operação.

Use os indicadores técnicos

Embora os padrões sejam relevantes para a análise gráfica, eles não são os únicos elementos que você deve utilizar. Para basear sua estratégia de especulação, também é interessante conhecer os indicadores técnicos.

Eles servem para indicar movimentações de preços e outras características relevantes, como a volatilidade. Assim, é possível ter uma visão mais completa sobre o cenário.

Veja exemplos para considerar!

Médias móveis

As médias móveis podem ajudá-lo a enxergar a variação dos preços ao longo do tempo, o que ajuda a identificar tendências — e a duração delas. Para fazer a média móvel, é necessário utilizar os dados referente ao número desejado de períodos.

Se ela for de 15 períodos, por exemplo, as informações fazem referência a 15 dias. Para o day trade, uma média móvel curta pode fazer mais sentido, por ela ser mais sensível a alterações pontuais.

Porém, usar períodos mais longos também pode ser interessante para rastrear uma tendência e identificar se a alta ou a baixa permanece.

IFR

Também é importante entender como os preços oscilam ao longo do tempo. Oscilações maiores podem criar mais oportunidades dentro do mesmo pregão, mas também podem aumentar o risco. Uma das formas de medir essa característica é por meio do Índice de Força Relativa (IFR).

Ele ajuda a compreender qual é a velocidade da mudança, em uma escala que vai de 0 a 100. O cálculo é feito com base na média de preços em determinado período, como a semana ou a quinzena.

Sempre que o seu valor estiver acima de 70%, o IFR entra na região chamada de sobrecomprado, o que indica que esta se tornando uma região de alta concentração de vendedores. O contrário ocorre quando o IFR estiver abaixo dos 30%, que é uma região chamada de sobrevendido, indicando alta concentração de compradores. Alguns traders preferem definir a região de sobrecomprado acima dos 80% e a região de sobrevendido abaixo dos 20%. Ao combiná-lo com a análise dos padrões gráficos, também é possível tirar conclusões de comportamento.

OBV

Na análise gráfica, além dos preços, é preciso dar atenção ao volume. Afinal, um volume maior de negociação tende a reforçar a tendência, o que favorece a análise de fluxo no day trade.

Nesse sentido, um indicador que pode ser interessante é o On Balance Volume (OBV). Ele representa a soma dos volumes dos dias de alta menos a soma dos volumes dos dias de baixa.

Assim, é possível saber onde está a concentração de operações, o que interfere no preço e no comportamento em um futuro próximo. Dependendo do resultado do OBV e do acompanhamento dele ao longo do tempo, é possível identificar a continuidade ou a reversão de tendência.

Bandas de Bollinger

As Bandas de Bollinger são muito conhecidas por medirem a volatilidade do ativo ou derivativo em determinado período. Na prática, para quem faz day trade, um aumento na volatilidade pode trazer mais oportunidades com a oscilação de preços.

Esse indicador se baseia na dispersão dos preços em relação ao conjunto de dados. Quanto mais as bandas se abrem, maior é a volatilidade, pois maior é o distanciamento em relação ao conjunto.

A partir disso, é possível identificar momentos de compra ou venda. Normalmente, a abertura das bandas traz oportunidades em relação à negociação. Já o fechamento do indicador pode indicar um momento de espera de períodos mais propícios.

Além desses, existem outros indicadores técnicos que podem fazer sentido para a sua estratégia. Não é tão relevante saber como fazer os cálculos de cada um manualmente. Uma boa plataforma já trará as informações para o trader.

Porém, é fundamental saber o que os resultados representam e como eles influenciam a decisão. Assim, os indicadores se tornam ferramentas importantes para definir pontos de entrada e de saída.

Contextualize as informações gráficas

Tão necessário quanto identificar padrões gráficos ou calcular indicadores técnicos é saber o que eles representam na prática. Para tanto, você deve integrar esses diferentes elementos e contextualizá-los na análise.

Em vez de apenas identificar que existe uma tendência de baixa, por exemplo, vale a pena compreender por que isso acontece. Foi um movimento pontual? Ou é reflexo de uma situação de mercado que tende a continuar? Há quanto tempo ocorre essa baixa?

Responder a essas (e outras) perguntas poderá ajudá-lo a identificar se é o momento de abrir ou fechar posição ou se é melhor esperar. A contextualização também é importante para confirmar as análises.

Se o preço tiver rompido a resistência, por exemplo, pode ou não haver uma reversão. Afinal, pode ter sido apenas uma negociação acima do patamar, com queda logo em seguida. Para se antecipar a isso, será necessário avaliar os indicadores e os padrões para obter uma conclusão embasada.

Se a análise dos padrões gráficos e dos indicadores for destoante, será preciso entender os motivos. Quanto mais você se aprofundar nas condições de mercado, mais efetiva poderá ser a conclusão. Portanto, conhecer as ferramentas e entender como elas se relacionam é essencial para ter sucesso nesse tipo de análise.

Busque livros sobre o tema

Fortalecer sua base de conhecimento é outro cuidado indispensável para fazer uma análise gráfica, em especial para o day trade. Por isso, vale a pena buscar leituras especializadas para reforçar os conceitos e aprender ainda mais.

Com um livro de análise gráfica ou técnica para day trade, seja físico ou em PDF, você pode aprender muito sobre o tema. Entre as leituras recomendadas, é possível citar obras como:

  • “Manual de Análise Técnica”, de Marcos Abe;
  • “Análise Técnica Explicada”, de Martin J. Pring;
  • “Análise Técnica do Mercado Financeiro”, de John J. Murphy;
  • “Dominando o Ciclo de Mercado”, de Howard Marks;
  • “Análise Técnica dos Mercados Financeiros”, de Flávio Lemos
  • “Negociando Ações com Foco no Curto Prazo”, de Carlos A. Debastiani;
  • “Candlestick Charting Explained”, de Gregory Morris, entre outros.

Faça cursos de análise técnica

Continuando a ideia de reforçar seus conhecimentos, vale a pena fazer um curso de análise gráfica, com foco em day trade. Quanto mais completo ele for, mais ferramentas você terá para operar day trade.

A Genial Investimentos tem uma área exclusivamente dedicada à educação e, entre as alternativas, conta com um curso de Análise Técnica. Ao longo de mais de 20 aulas, o curso aborda temas como:

  • Conceitos introdutórios;
  • Essência da análise técnica;
  • Principais padrões de candlestick;
  • Figuras gráficas;
  • Indicadores técnicos;
  • Controle de riscos.

Você também terá acesso a exercícios e materiais de apoio. Ao cumprir a carga de 8 horas, é possível emitir um certificado, atestando seus conhecimentos.

Componha sua própria técnica de análise

Com todos esses conhecimentos, você terá condições de desenvolver a própria metodologia. A partir das ferramentas da análise técnica, é possível escolher quais recursos usar para a interpretação de dados, conforme seus objetivos.

Também é possível definir limites e parâmetros, de acordo com o seu gerenciamento de risco. Então você pode desenvolver uma forma própria de analisar os ativos e derivativos e seus preços, analisando quando abrir e fechar posições.

Agora que você sabe como a análise gráfica para day trade funciona e por que ela é importante, use esses conhecimentos para tomar decisões. Assim, poderá ter mais chances de aproveitar as condições do mercado!

Para operar com conhecimento, suporte qualificado e experiência diferenciada, conheça a Sala ao Vivo da Genial Investimentos com transmissões diárias no YouTube das 08h55 às 13h. Se você ainda não é inscrito, clique aqui e garanta sua participação na primeira fila!

Comentários