O trader, profissional que compra e vende ativos na Bolsa, precisa, antes de começar a operar, entender todas as operações que o mercado utiliza. Basicamente, os tipos de operações são baseadas nos períodos de trabalho, de curto, médio ou longo prazos.

Cada uma tem sua particularidade e cabe ao trader escolher a que mais lhe atrai, sempre considerando o seu estilo e os seus objetivos. Quer conhecer? Então, confira abaixo!

Day Trade

É a modalidade de negociação que ocorre no mesmo dia, ou seja, o investidor nunca leva a operação para os próximos, sempre zerando a operação na mesma data em que foi iniciada. Não importa se ele compra na primeira hora do pregão e vende na última ou se compra as 11h55 da manhã e vende as 11h59, ambas as operações são denominadas Day Trade.

O Day Trader utiliza basicamente a análise gráfica, com gráficos intraday de 5, 15, 30 e 60 minutos min, 15min, 30min e 60min (os mais comuns). Também opera ativos de alta liquidez, que possibilitem entradas e saídas rápidas. Ele não pode correr o risco de não encontrar compradores ou vendedores quando quiser encerrar sua a operação. Precisa ter tempo disponível para operar no mercado, além de pagar uma tributação mais alta que as outras opções: 20% sobre o lucro, sendo que não há limite de isenção. Ele também gasta mais em corretagens.

Swing Trade

É a modalidade de trabalho que ocorre no prazo de, pelo menos, dois dias até 1 mês. Quem utiliza essa modalidade também se baseia na Análise Gráfica, em geral, utilizando gráficos diários. Tem como objetivo ganhos em torno de 5%, 6% e 8% em poucos dias.

O Swing Trade exige paciência, diversificação e estratégia bem definida. Opera-se menos vezes com o propósito de acertar o ponto exato de reversão dos movimentos. A liquidez dos ativos operados pode ser um pouco menor que no caso do Day Trade, mas também se exige uma boa liquidez dos papéis.

Position Trade

É a modalidade de trabalho que pode durar de 1 mês até 12 meses. Também é baseado em análise gráfica, sendo que os tempos gráficos mais comuns são semanais e mensais. Pode contar com a análise fundamentalista como aliada. Tem como objetivo ganhos acima de 10%, 15% e 20%.

Também exige bom conhecimento em análise gráfica e uma boa estratégia definida de forma antecipada. A liquidez dos ativos negociados pode ser bem menor que no caso do day trade e do swing trade, pois o investidor tem mais tempo para entrar ou sair de uma posição.

Scalping Trade

É a modalidade de negociação que envolve movimentos curtos com alvo pequeno. O objetivo é fazer dinheiro rápido. Nos EUA, essa modalidade é também chamada de traders de momentum, ou seja, traders que buscam capturar aqueles movimentos sequenciais de preço sem ficar muito tempo exposto no ativo.

A grande desvantagem do Scalping é que a relação risco/retorno não é muito maior do que 1/1. Claro que, às vezes, é maior, mas via de regra o não é tão bom. A compensação vem na eficiência. É comum obter taxas de acerto de 80/85%. Outra grande desvantagem é a necessidade do trader desenvolver uma habilidade a mais: agilidade. Você precisa ser extremamente ágil para conseguir operar Scalping.

Aqui na Genial é muito mais tranquilo ser trader. Além de oferecermos planos muito abaixo do custo de mercado para as plataformas de trading, é possível ter descontos em cursos e muitos outros benefícios. Abra sua conta na Genial e confira!

Leonardo é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, com passagens por grandes veículos da imprensa brasileira, como TV Cultura, Veja e Estadão. Especializou-se em jornalismo econômico, com aprovação pela FGV, no curso de trainee promovido pelo Grupo Estado.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *