Quem opera na bolsa de valores em busca de lucros no curto prazo precisa dispor de todas as ferramentas necessárias para aumentar as chances de sucesso com a estratégia. Por isso, os especuladores ou traders devem recorrer à chamada análise técnica. 

Ela considera o histórico do ativo ou derivativo na bolsa de valores e permite encontrar, a partir dos dados consolidados, tendências de comportamento. Portanto, sua aplicação pode antecipar cenários e favorecer a tomada de decisão. 

Para que você possa aproveitá-la, nós, da Genial Investimentos, separamos tudo o que é relevante sobre a análise técnica. Confira! 

O que é a análise técnica? 

renda variável é considerada mais arriscada por não ter previsibilidade sobre o comportamento e o retorno dos investimentos, ao contrário do que acontece na renda fixa. Porém, isso não significa que não seja viável tirar conclusões para embasar a tomada de decisão. 

Na hora de obter informações relevantes sobre o comportamento do mercado perante ativos e derivativos, é possível utilizar a análise técnica. Também conhecida como análise gráfica, ela consiste em uma avaliação das operações na bolsa de valores com base nos gráficos de movimentação. 

A ideia é que, a partir das informações que são apresentadas visual e numericamente, a avaliação ajude a identificar oportunidades de realizar operações. 

Como essa análise funciona? 

Para conhecer o funcionamento da análise técnica é importante entender quais são as informações apresentadas no gráfico e como elas podem ser interpretadas.  

Na prática, há dois elementos principais: 

Preço 

No gráfico da análise técnica, é possível acompanhar as variações de preço. Ou seja, há uma indicação de qual é a cotação de negociação dos ativos ou derivativos ao longo do tempo. Isso cria as movimentações no gráfico, como os picos e os vales. 

Volume de negociação 

Já o volume de negociação aponta qual é a quantidade de ordens de compra e venda executadas sobre o ativo ou derivativo em determinado momento. 

Um volume elevado, normalmente, indica uma tendência ou a preparação para um movimento ganhar força. Um volume baixo, por outro lado, pode apontar que a variação ocorreu apenas de maneira pontual. 

Essas duas informações são essenciais para identificar padrões e verificar a existência de tendências. Para que isso seja possível, considera-se que o preço de negociação já reflete todas as informações e expectativas do mercado. 

Também é necessário entender que o mais provável é que se formem tendências diante de grandes volumes e que é comum que ocorram movimentos cíclicos ou que se repetem depois. A partir disso, as informações do gráfico são analisadas, de modo que seja possível prever certos comportamentos. 

Imagine uma ação que esteja em um movimento de subida no preço. Porém, devido ao volume de negociação, pode-se perceber que a força vendedora tem se tornado maior que a força compradora. Isso significa que, provavelmente, haverá uma reversão de tendência e o preço cairá. 

Considerando a repetição de certos padrões, é possível tentar estimar quando essa queda ocorrerá. Com isso, o especulador pode usar as informações para ajudar na tomada de decisão. 

Dependendo dos interesses, os gráficos das operações financeiras podem ser de tempo real ou com preços e volumes diários, semanais, mensais e assim sucessivamente. Tudo depende do período adotado para verificar as informações. 

Para que serve a análise técnica? 

Descobrir o que é análise técnica também significa entender qual é a sua função. Na prática, ela utiliza o histórico de negociação e de preço de ativos e derivativos para tentar prever como será o comportamento do mercado financeiro. 

É por meio dela que se pode avaliar se uma ação manterá o movimento de preço e negociação ou passará por uma reversão de tendência, por exemplo. Ela também ajuda a compreender até onde o movimento tende a acontecer — como qual será o valor mínimo atingido pela ação. 

Outro ponto importante é que essa avaliação não serve apenas para o mercado acionário. Além da análise técnica de ações, é possível aplicar essa estratégia a fundos de investimento negociados em bolsa e aos mercados de derivativos (como opções ou contratos futuros). 

Além disso, é comum que a análise técnica no mercado financeiro seja realizada com o curto e o curtíssimo prazo em mente. Quando o objetivo é focar no longo prazo, realiza-se a análise fundamentalista

Por conta dessa característica, a análise técnica é bastante utilizada entre especuladores, como por quem faz day tradeswing tradeposition trade ou scalping

Assim, ela ajuda a identificar oportunidades para abrir ou fechar posições, em busca dos lucros que são obtidos pela oscilação nos preços. Com as informações necessárias, é possível fazer especulação na bolsa de valores de modo mais embasado e estratégico. 

Saiba Mais: Análise fundamentalista de ações: você sabe como funciona?

Quais são as suas principais ferramentas? 

Para que a análise gráfica seja viável, é necessário utilizar recursos que favoreçam a interpretação de dados. Por meio das ferramentas adequadas, é possível conhecer quais são as expectativas de comportamento dos preços com mais precisão. 

A seguir, veja quais são as principais ferramentas que podem ser adotadas na análise técnica da bolsa de valores! 

Suporte e resistência 

Entre os elementos mais famosos e utilizados da análise técnica estão o suporte e a resistência. Eles são fatores que ajudam a identificar o comportamento dos preços, apontando limites mínimos e máximos. 

A resistência, por exemplo, indica qual é o preço máximo que um ativo ou derivativo tende a alcançar. Já o suporte serve como um limite mínimo para o preço de negociação. 

Porém, pode acontecer de o movimento ser tão forte que ele rompe a resistência ou perde o suporte. Em casos assim, a antiga resistência se torna um novo suporte ou o antigo suporte assume a função de resistência, a isso damos o nome de mudança de polaridade ou bipolaridade. 

Padrões gráficos 

Os padrões gráficos correspondem a formações que podem ser identificadas pela maneira como se apresentam no gráfico. Há desde padrões simples, como uma sequência de topos, até formações na forma de bandeira, retângulo, triângulo, topos e fundos duplos, ombro-cabeça-ombro dentre outros.  

Os padrões gráficos também podem ser identificados pela posição e tamanho de um candle no gráfico do tipo candlestick. Existem diversos exemplos e o trader pode escolher os que mais lhe interessam para avaliar. 

Médias móveis 

Nem sempre o acompanhamento do desempenho imediato das operações financeiras é a melhor alternativa para avaliar os gráficos. Em vez disso, é possível consolidar informações de um período maior para identificar e entender tendências. 

Nesse sentido, uma das ferramentas da análise técnica envolve o uso das médias móveis. Elas correspondem à média do preço médio de um número de períodos. A média móvel de 5 períodos, por exemplo, utiliza os preços de negociação dos últimos 5 dias. 

Essa é uma forma de diminuir o impacto de oscilações pontuais, como uma variação muito grande de preço ocorrida em apenas um dia. Para quem utiliza as informações para swing trade ou position trade, as médias podem ajudar a identificar tendências mais duradouras. 

Bandas de Bollinger 

Além de serem utilizadas individualmente, as médias móveis podem ser complementadas na ferramenta bandas de Bollinger. Esses são elementos que representam o desvio padrão da distribuição dos preços em relação à média móvel. 

Considerando que a tendência é que os preços voltem para a média, as bandas de Bollinger permitem identificar uma tendência de alta ou de baixa. Se o preço tocar a banda superior, por exemplo, a expectativa é de queda até a média. O contrário também é verdadeiro. 

Índice de força relativa 

O índice de força relativa (IFR) é mais uma ferramenta importante da análise técnica. Ele é dado pela média de ganhos (ou seja, quando o ativo ou derivativo subiu) pela média de preços de determinado período. Esse fator é aplicado a uma fórmula matemática e, então, é expresso de 0 a 100. 

Quanto mais perto de 100 ele estiver, maior é a indicação de sobrecompra, o que significa que o mais provável é que haja uma queda no preço. Em geral, a região se caracteriza por um IFR igual ou maior que 70. 

Já a região de sobrevenda fica mais próxima do 0, em especial quando o IFR é igual ou menor a 30. De modo contrário à anterior, ela aponta a expectativa de valorização. 

Sequência de Fibonacci 

A sequência de Fibonacci foi descoberta no século XII, por Leonardo Fibonacci que encontrou uma proporção que aparece com frequência na natureza. Na sequência, o próximo número é sempre a soma dos dois anteriores, partindo de 1. 

Com ela, encontra-se a chamada proporção áurea, que também pode ser utilizada na análise técnica. Nesse caso, é possível fazer análises em proporções específicas para entender a força de continuidade de um movimento. 

Assim, há como verificar quais são as chances de continuidade do movimento observado no momento e, portanto, entender quais são as previsões de tendência. 

Como fazer uma boa análise técnica? 

Agora que você conhece os principais recursos dessa estratégia de avaliação, é o momento de saber como colocá-la em prática. Com um aproveitamento melhor das informações obtidas, será possível tomar decisões alinhadas. 

Por isso, veja como elaborar uma boa análise técnica e entenda quais são os principais pontos para observar! 

Aumente seu conhecimento no mercado 

Para fazer uma análise técnica de qualidade e com bom potencial de resultados é necessário mais que aplicar suas ferramentas. Será preciso avaliar os resultados e tomar decisões com base no que você pretende alcançar. 

Sendo assim, o ideal é formar boas bases para fazer a análise gráfica. Você deve investir em conhecer mais o mercado no qual pretende operar, o que permitirá entender melhor o comportamento e as tendências de preços. 

Também é importante ampliar seus conhecimentos sobre a aplicação das ferramentas e o entendimento dos resultados. 

Selecione recursos e períodos de acordo com sua estratégia 

É essencial também pensar em seus objetivos e interesses para fazer uma análise técnica eficiente. O período avaliado, por exemplo, dependerá do tipo de especulação. Quanto maior for o tempo entre a abertura e o fechamento da operação, mais extenso será o período de análise. 

Além disso, é fundamental saber selecionar as ferramentas e os recursos que possam ajudá-lo na execução da estratégia. Assim, é possível obter as informações que são realmente relevantes, o que ajudará na tomada de decisão. 

Busque confirmações do movimento 

Outro ponto: o ideal é não depender de apenas uma ferramenta ou fonte de avaliação. Pode acontecer de surgir um padrão gráfico que indique a reversão de tendência, por exemplo. Porém, antes de tomar decisões com base nessa conclusão, é preciso confirmar o movimento. 

Então, é interessante utilizar mais de uma ferramenta ao mesmo tempo para verificar se o movimento aparece em mais de uma análise. Com a confirmação, você poderá tomar uma decisão mais segura. 

Faça um gerenciamento de risco 

Ter boas habilidades de fazer análise técnica não significa que não há riscos nas operações. Por melhor que seja sua capacidade de prever movimentos, o mercado pode mudar a qualquer momento e perdas podem acontecer. 

Portanto, o ideal é elaborar um gerenciamento de risco completo, que considere seu limite de perda e ações de mitigação. Também é importante aliar isso à análise técnica, como ao definir indícios de alta volatilidade e que desaconselham a operação. 

O que considerar antes de fazer análise técnica e especular? 

Como você viu, a análise técnica é especialmente útil para quem especula na bolsa de valores, já que ela considera o histórico para identificar tendências de curto prazo. Porém, antes de realizá-la e de utilizar suas informações é preciso ponderar aspectos relevantes. 

Deve-se, por exemplo, identificar seu perfil de investidor. Como a especulação sofre um forte efeito da volatilidade, os riscos são consideravelmente maiores. Portanto, é preciso ter uma tolerância maior ao risco e à perda para fazer essas operações financeiras. 

Também é necessário alinhar seus objetivos. Quem especula está em busca de lucros de curto prazo e que são obtidos pelas oscilações de preço. Se o seu objetivo for construir patrimônio no longo prazo, por exemplo, as operações e a análise técnica podem não ser adequadas. 

Não menos importante, é preciso contar com o apoio de uma boa corretora de valores. Com a infraestrutura da instituição, você pode utilizar recursos para acompanhar a bolsa e fazer a análise técnica com mais facilidade. Assim, poderá alcançar seus objetivos ao aplicar a avaliação. 

Ao descobrir o que é análise técnica, você viu que ela é essencial para especular na bolsa de valores. Com indicadores financeiros e ferramentas gráficas, é possível encontrar tendências e padrões que orientam a tomada de decisão sobre abrir ou fechar posições. 

Considerando que o apoio de uma boa corretora faz toda a diferença nas suas operações, abra sua conta conosco e venha ser genial! 

Comentários