O termo ESG (environmental, social and governance ou ambiental, social e governança) está ganhando cada vez mais relevância no mercado financeiro. Portanto, quem se interessa por essas pautas ao investir pode gostar de saber como funcionam os fundos ESG.

Essa estratégia de investimento se destaca pelo objetivo de aportar recursos em projetos sustentáveis. Desse modo, a sigla não se refere especificamente a uma classe de ativos ou a um tipo de investimento, mas sim a critérios capazes de nortear a tomada de decisão.

Acompanhe o artigo para entender o que são e como funcionam os fundos ESG!

O que é ESG?

A palavra sustentabilidade é ligada, muitas vezes, apenas ao meio ambiente. No entanto, ela aborda outras questões. Como você viu, o conceito de ESG também envolve aspectos sociais e de governança corporativa.

Nesse sentido, o termo ESG se refere a investimentos atrelados a empresas ou projetos que seguem princípios que se comprometem com os critérios das três áreas presentes na sigla. É possível fazer investimentos com essa estratégia de modo autônomo ou via fundos.

Qual a relação da sustentabilidade com os investidores?

Nos dias atuais, diversos consumidores têm buscado manter mais responsabilidade ao comprar no dia a dia. O tema tem ganhado força a cada dia entre os investidores. Afinal, como você viu, as discussões sobre sustentabilidade estão se potencializando nos últimos anos. Em um cenário mundial, isso vem acontecendo desde a Guerra do Vietnã, na década de 1970.

Nessa época, despertou-se o interesse por aplicações mais responsáveis. Isso culminou até mesmo na criação do primeiro fundo de investimento sustentável dos Estados Unidos, o Pax World Fund. Já no Brasil, os critérios ESG ganharam destaque recentemente, mas já têm bastante espaço.

Considerando os movimentos de diversos países para atualizar a legislação, a necessidades de empresas se adequarem à práticas cada vez mais sustentáveis, independente de seu setor, é uma tendência. Logo, é possível esperar um aumento crescente na criação de alternativas de investimento voltadas ao conceito de ESG.

Como funcionam os fundos ESG?

Os fundos ESG surgiram acompanhando toda a movimentação acerca da sustentabilidade ao redor do mundo. Eles funcionam na forma de condomínio. Ou seja, diversos investidores aplicam recursos em torno de um objetivo comum.

Quem compra as cotas do fundo é chamado de cotista e passa a participar de seus resultados. A proporção de eventuais rentabilidades tem resultado com a quantidade de cotas de cada investidor.

Também há um gestor profissional por trás do gerenciamento do dinheiro dos envolvidos. Assim, quem já está familiarizado com fundos de investimento pode perceber que o funcionamento de um fundo ESG é similar à de outros fundos.

A especificidade dele está na estratégia de gestão, já que o objetivo é selecionar ativos ou títulos que correspondam à critérios ESG definidos pelo próprio gestor. Os gestores definem quais serão os critérios e formas de avaliação através de sua política de investimento de crédito privado

Como eles são compostos?

A composição dos fundos ESG é o que mais os diferencia das demais alternativas. Confira mais detalhes sobre o que os gestores consideram durante a seleção dos ativos que comporão o portfólio!

Meio ambiente

Para respeitar esse ponto, os gestores analisam as práticas ambientais das empresas. Nesse momento, são considerados fatores como a emissão de carbono, o uso de matéria-prima sustentável, a poluição gerada nos processos, o descarte de lixo, entre outros – a depender da materialidade desses pontos nas atividades das empresas.

Social

Em termos sociais, observa-se a forma como as organizações se relacionam com a sociedade, de forma direta, como seus funcionário, quanto de forma mais ampla, como comunidades que possam ser impactadas pelas suas atividades. Para isso, o gestor avalia a responsabilidade do negócio com os consumidores, o respeito aos direitos trabalhistas, a contribuição da empresa aos mais vulneráveis, valorização da representatividade e diversidade, entre outros.

Governança

Essa esfera trata das políticas de controle e direcionamento usado na companhia. Por isso, são avaliados fatores como:

  • a ética no negócio;
  • a capacidade de liderança;
  • a composição da diretoria;
  • as finanças da organização;
  • o respeito ao direito dos acionistas;
  • a estrutura do Conselho de Administração;
  • a prevenção de fraudes etc.

É importante pontuar que a análise de cada um desses aspectos é geralmente feita junto a uma análise quantitativa. Logo, o intuito é encontrar boas empresas, com perspectivas financeiras interessantes.

Também é interessante verificar o track record da gestora quanto aos seus investimentos, se a estratégia ESG é recente ou já consolidada, e se ela faz parte de alguma iniciativa pública para investimentos responsáveis e responsabilidade social, como o PRI ou a Agenda2030.

Vale a pena investir nos fundos ESG?

Para quem se interessa por temáticas ambientais, sociais e de governança corporativa, o investimento em fundos ESG pode valer a pena.

Isso porque uma das vantagens é contar com um gestor profissional e não precisar escolher os ativos diretamente. Você pode fazer investimentos ESG por conta própria, mas isso demandaria mais tempo e conhecimento do mercado.

Outra vantagem é a diversidade de opções. Podem existir fundos ESG tanto de renda fixa, renda variável e multimercados. Alguns fundos podem optar inclusive por ativos alternativos, como créditos de carbono. Portanto, é possível encontrar alternativas de acordo com o seu perfil e objetivos — não deixe de considerar os riscos na hora de escolher. Um benefício de optar por investimentos ESG é a maior confiança e transparência, principalmente por envolverem critérios mais robustos de governança corporativa. Assim, você pode ter mais segurança no modo como as empresas conduzem seus negócios, por exemplo. Mas é sempre importante acompanhar a empresa e verificar se ela está correspondendo às expectativas.

Além disso, há, claro, o fato de a sustentabilidade ser uma tendência relevante no mundo. É esperado que as empresas focadas em tais critérios apresentem resultados positivos. Contudo, considere sempre que na renda variável não há garantias.

Agora você sabe como funcionam os fundos ESG. Caso tenha interesse neles, vale conhecer as alternativas disponíveis no mercado. Além disso, é importante acompanhar a lâmina do fundo antes de escolher quais investimentos se adéquam melhor às suas necessidades!

O que você pensa sobre os fundos ESG? Ainda tem alguma dúvida acerca do tema? Deixe um comentário com a sua opinião ou pergunta!

Comentários