A sustentabilidade é um tema que tem sido valorizado por pessoas e empresas em todo o mundo. O assunto também influencia o mercado financeiro. Desse modo, há como encontrar possibilidades como os Fundos ESG. 

Esses Fundos de Investimento têm características diferenciadas em relação a outras estratégias e podem entregar diversas vantagens. Ao mesmo tempo, é preciso considerar se a escolha é, de fato, indicada para você. 

Neste artigo, você conhecerá melhor os fundos ESG e saberá se vale a pena investir neles. Confira! 

O que é ESG? 

Sigla para Environmental, Social e Governance ou Meio Ambiente, Sociedade e Governança, o investimento ESG é focado na sustentabilidade. Os Fundos ESG, portanto, direcionam os recursos para empresas sustentáveis, que sejam capazes de atender aos critérios ESG. 

A motivação por trás da criação dessas alternativas de investimento envolve as mudanças que o mundo tem sofrido e os impactos que elas podem causar para todos. Assim, no mercado financeiro também há iniciativas para tentar conter os efeitos negativos ao meio ambiente e à sociedade. 

Como funcionam os fundos ESG? 

Ao saber o significado de ESG, já é possível entender como o investimento funciona. Os Fundos ESG são Fundos de Investimento que reúnem investidores interessados no tema. Eles adquirem cotas para participarem dos resultados obtidos pela modalidade. 

O patrimônio do fundo é, comumente, investido em empresas ESG. Ou seja, que atendam aos critérios definidos de sustentabilidade. É possível que o foco esteja em negócios que usam matérias-primas recicladas ou que cuidem melhor do descarte de resíduos no meio ambiente, por exemplo. 

Também podem fazer parte da carteira do fundo os empreendimentos que apresentem boas práticas junto aos trabalhadores e à sociedade, além daqueles que prezam pela transparência de atuação. 

É importante notar que o investimento ESG funciona de forma diferente do que é conhecido como greenwashing. Esse termo se refere a uma abordagem superficial, que indica mais uma aparência de foco na sustentabilidade. 

No caso dos ESG, há uma procura por companhias que, de fato, valorizem os critérios ambientais, sociais e de governança. De preferência, que promovam políticas estruturais de sustentabilidade.  

Quais são seus diferenciais sobre outros Fundos de Investimento? 

Os fundos ESG são semelhantes aos títulos verdes, com a diferença que servem como uma modalidade coletiva e, portanto, mais diversificada. Quando comparados com outros fundos, a principal diferença está nos critérios de seleção de investimentos. 

Cada Fundo de Investimento e estratégia de gestão tem critérios específicos. Alguns Fundos de Ações, por exemplo, podem focar em Ações de empresas menores e com maior potencial de valorização. Outros podem ter o intuito de reunir boas pagadoras de dividendos. 

No caso de fundos com estratégia ESG, a sustentabilidade é o aspecto principal avaliado. Então, ao escolher fundos assim, você faz com que o seu dinheiro financie iniciativas verdes e seja aportado em empresas responsáveis ambiental e socialmente. 

Na prática, tem sido um caminho buscado por pessoas que desejam investir com esse propósito. Ao mesmo tempo, não significa deixar os resultados financeiros de lado. Muitos Fundos ESG têm conseguido bons retornos. 

Na questão da rentabilidade, as empresas sustentáveis podem apresentar vantagens em relação ao mercado consumidor. Afinal, cada vez mais consumidores utilizam a sustentabilidade como critério para realizar compras e manter fidelidade às marcas. 

As políticas sustentáveis também podem fortalecer e otimizar a estrutura dos negócios. A governança corporativa, por exemplo, ajuda na conquista de resultados. Além disso, empresas com responsabilidade estão menos propensas a sofrerem multas ou sanções. 

Assim, esses são aspectos que podem influenciar nos resultados dos fundos. Inclusive, permitindo um manejo de risco, especialmente ao considerar empresas sólidas e com boa adequação às leis. 

Vale a pena investir em fundos ESG? 

Apesar das vantagens dos Fundos ESG, não existe uma resposta definitiva se você deve ou não considerar a possibilidade. É uma decisão que depende de fatores e características individuais. 

É preciso começar conhecendo seu perfil de investidor e sua tolerância aos riscos. Embora os fundos com essa estratégia possam ter critérios de seleção que otimizem a segurança, não é possível neutralizar os riscos da renda variável.  

Então a volatilidade continua existindo e a possibilidade de perdas também. Talvez, investidores conservadores não fiquem totalmente confortáveis com a ideia. Também é necessário pensar nos seus objetivos. De modo geral, as Ações são vistas como investimento de longo prazo. 

Isso é feito considerado que os aportes levam tempo para amadurecer e diluir os riscos do curto prazo. Além disso, é comum que impactos das políticas sustentáveis, como o reconhecimento de marca e a fidelização de público, demorem um período até que se concretizem. 

Se a sua intenção for obter desempenho em curto ou médio prazo talvez seja mais indicado adotar uma estratégia diferente. Por outro lado, os Fundos ESG podem valer para quem está disposto a correr um pouco mais de riscos e, principalmente, deseja investir com propósito. 

Também pode ser uma escolha para diversificar a carteira. Mas, antes de decidir, é necessário ponderar se o investimento faz sentido para a sua realidade, para as suas características e para o que você pretende alcançar no futuro. 

Como investir em fundos ESG? 

Como você viu, os Fundos ESG são uma estratégia de seleção de ativos. E estão, geralmente, relacionados aos Fundos de Ações. Assim, os gestores definem como foco a busca por empresas sustentáveis no mercado financeiro, em diversos setores. 

No entanto, há outro tipo de fundo que também pode ser interessante — e mais prático: os Fundos de índice (ETFs). Eles também podem adotar a estratégia ESG, replicando índices de sustentabilidade. 

Logo, ao adquirir cotas de participação, seu dinheiro será investido nas empresas que compõem um índice, na proporção específica da carteira teórica. Como consequência, os resultados são equiparados ao desempenho do indicador. 

Como as duas alternativas não são concorrentes, é possível conciliar ambas na sua carteira. Principalmente, considerando as diferenças entre a gestão passiva dos ETFs e da gestão ativa de muitos Fundos de Ações. Assim, são diversas as possibilidades para quem visa investir em alternativas ESG no mercado. 

Neste conteúdo, você viu que saber se investir nos Fundos ESG vale a pena depende do alinhamento com a sua tolerância ao risco e com seus objetivos. A estratégia está cada vez mais forte no mercado internacional e vem crescendo também no Brasil. Então aproveite nossas informações para avaliá-la! 

Se quiser entender mais sobre essa oportunidade de forma ainda mais completa, baixe nosso e-book sobre as práticas ESG e saiba como investir! 

Comentários