Ao montar uma carteira de investimentos, não são apenas os fatores do mercado interno que podem afetar seus resultados. Decisões geopolíticas também podem ter efeitos nos seus resultados, como é o caso dos conflitos entre Rússia e Ucrânia.

Embora as disputas não sejam recentes, em fevereiro de 2022 eclodiu uma guerra entre os países, que foi iniciada pela Rússia. Na prática, essa situação pode impactar os seus investimentos — em especial, os de renda variável.

Por isso, nós, da Genial Investimentos, separamos o que você precisa saber sobre os conflitos entre Rússia e Ucrânia e os efeitos que eles podem gerar no seu portfólio!

Qual é o contexto do conflito entre Rússia e Ucrânia?

Antes de conferir os impactos do conflito entre os dois países no mercado financeiro, é importante ter contexto sobre a disputa entre Rússia e Ucrânia. Ao voltar algumas décadas, você notará que esses dois países do Leste Europeu faziam parte da União Soviética (URSS).

Com a dissolução do bloco, a Ucrânia foi um dos países que alcançou a independência. No entanto, os laços com a Rússia sempre foram estreitos — tanto pela proximidade física, quanto pela conexão sociocultural.

Tanto é que existem regiões separatistas da Ucrânia que desejam ser anexadas pela Rússia, por exemplo. Esse é um dos argumentos da Rússia para o conflito, que coloca em xeque a soberania ucraniana.

Internacionalistas apontam que outro fator também interferiu na decisão de invasão tomada por Vladimir Putin: a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O grupo militar é formado, principalmente, por países ocidentais e foi criado após a Segunda Guerra Mundial.

Com mais países do Leste Europeu aderindo à união militar, a Rússia passou a questionar um possível cerco à sua fronteira. Um dos argumentos de Putin é que, em 1960, a Otan teria se comprometido a não se expandir na região.

Com o interesse da Ucrânia em se juntar ao grupo, a Rússia passou a fazer exigências, como a garantia de que o país vizinho não se juntaria à aliança. Inclusive, o impasse não é o primeiro na história recente. Afinal, em 2014, a Rússia anexou a Crimeia — que, antes, era território ucraniano.

Com o acirramento das tensões sobre a Ucrânia e sua condução política, Vladimir Putin, presidente da Rússia, iniciou a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022.

Como os conflitos entre Rússia e Ucrânia podem impactar os investimentos?

Diante do cenário de disputa entre a Rússia e a Ucrânia, os mercados financeiros de diversos países podem ser afetados — o que inclui brasileiro. Por isso, é preciso entender quais podem ser os impactos nos seus investimentos.

A seguir, apresentamos como esses conflitos podem interferir no seu portfólio. Confira!

Aumento no preço das commodities

Diante de um conflito com proporções globais, existe a tendência de aumento no preço das commodities. Esse é um cenário relacionado a diversos fatores. O primeiro deles envolve as sanções financeiras e econômicas impostas à Rússia.

Por exemplo: os Estados Unidos proibiram a importação do petróleo russo. Com o isolamento do país europeu, a tendência é que a oferta da commodity diminua, gerando o aumento do preço do barril no mercado internacional.

As commodities agrícolas também podem ser afetadas. Em retaliação ao movimento dos EUA, a Rússia decidiu suspender a exportação de diversos produtos, incluindo fertilizantes e insumos agropecuários, além de produtos como o trigo e grãos.

Como consequência, o preço desses produtos também será afetado. Em teoria, isso pode favorecer empresas produtoras e exportadoras dos insumos.

De acordo com o relatório “O que o conflito na Ucrânia simboliza para as mineradoras e siderúrgicas?”, da Genial Analisa, o cenário pode favorecer empresas brasileiras como a Vale e a CSN.

Isso ocorre porque a Rússia e a Ucrânia são grandes exportadoras de minério de ferro. Com a diminuição da oferta, a Vale pode aumentar sua participação no mercado internacional.

Ademais, a maior produtora de níquel do mundo é uma empresa russa, seguida pela Vale. Logo, a empresa brasileira também pode se beneficiar desse movimento, segundo a análise de Gabriel Tinem.

Flutuações no preço do dólar

A cotação do dólar também pode ser afetada pelos conflitos entre Rússia e Ucrânia, passando por flutuações com base no desenrolar da situação. Por exemplo: em 23 de fevereiro de 2022, um dia antes da invasão russa, o dólar fechou a R$ 5,00.

Como mostra o relatório da Genial Analisa, um dos motivos para a desvalorização do dólar é o aumento do preço de commodities. Como os países exportadores recebem em dólar, há maior fluxo da moeda no mercado interno, como no caso do Brasil. Com mais oferta da moeda norte-americana, a tendência é que a cotação caia.

Além disso, o aumento da taxa Selic para 11,75% ao ano e as perspectivas de outras elevações tornam o mercado mais atraente para investidores estrangeiros. Como consequência, há uma oferta maior de dólar no cenário nacional, o que ajuda a valorizar o real.

Por outro lado, o contexto de instabilidade pode fazer com que haja uma procura maior pela moeda norte-americana, já que o dólar é considerado forte. Esse movimento pode levar à valorização da moeda.

Volatilidade das bolsas mundiais

Da mesma forma que o dólar pode passar por flutuações diante dos conflitos entre Rússia e Ucrânia, as bolsas de valores também tendem a sofrer variações. Desde que o conflito teve início, foi possível observar um aumento no nível de volatilidade das bolsas pelo mundo.

No geral, as bolsas têm refletido os movimentos internacionais, como novos ataques, tentativas de negociação pelo fim da guerra e sanções econômicas. Portanto, enquanto durar o conflito, a tendência é que os índices das bolsas pelo mundo passem por flutuações.

Efeitos sobre a inflação

Uma das consequências dos conflitos entre Rússia e Ucrânia está relacionada à inflação. Esse movimento corresponde ao avanço generalizado de preços na economia e pode ganhar força pelo avanço de preços das commodities, por exemplo.

O aumento do petróleo costuma ser repassado nos preços dos combustíveis. Com isso, atividades de transporte e logística também ficam mais caras e diversos produtos e setores podem ser afetados.

Além disso, as sanções econômicas e comerciais impostas podem limitar o comércio internacional tanto em relação às matérias-primas como sobre os produtos finais. Considerando que o mundo enfrentou problemas com a cadeia produtiva gerados na pandemia, a disponibilidade no mercado pode ser afetada.

Essas questões podem levar a um aumento da inflação, que já se mostrava persistente antes mesmo do início do conflito. Para quem investe, o principal efeito pode ser observado na rentabilidade real da carteira.

Esse retorno corresponde ao desempenho do portfólio descontada a inflação. Quanto maior ela for, mais elevada deve ser a rentabilidade nominal para que o resultado real esteja acima do avanço de preços.

Por que é importante acompanhar essas movimentações?

Agora que você sabe quais podem ser os impactos dos conflitos entre Rússia e Ucrânia, vale entender por que é tão relevante ter esse conhecimento. Na prática, isso se relaciona aos resultados dos seus investimentos.

Ao manter seu dinheiro alocado, é preciso pensar nos diversos aspectos que podem interferir na performance da carteira — como o cenário global e suas relações geopolíticas. Portanto, ao considerar essas questões, a sua tomada de decisão pode ser favorecida.

Veja os motivos que mostram por que é importante fazer o acompanhamento!

Proteção de carteira

Um dos pontos que demonstram a relevância de acompanhar essas movimentações envolve a proteção de carteira. Ao entender quais podem ser os impactos sobre o seu portfólio, é possível tomar medidas para se prevenir de efeitos indesejados e alcançar mais facilmente seus objetivos.

Considere, por exemplo, que você nota uma expectativa de aumento do dólar. Para proteger seus investimentos de renda variável, pode ser interessante dolarizar parte da carteira.

Dessa forma, mesmo que a moeda se valorize, o preço dos ativos com exposição cambial também pode se elevar. Com isso, há como fazer o chamado hedge cambial, aumentando a proteção do portfólio.

Aproveitamento de oportunidades

Dependendo do seu perfil de investidor e dos seus objetivos, um cenário de instabilidade pode trazer oportunidades de investimento. Você pode optar por investir em commodities e suprimentos agrícolas, visando aproveitar uma eventual elevação de preços.

Também pode ser o caso de investir em certos veículos, como fundos de investimentos que ofereçam exposição internacional e proteção relativa contra o dólar, por exemplo. O fato é que um cenário como esse pode trazer alternativas para quem deseja aproveitar as condições no portfólio.

Para tanto, é preciso conhecer bem o funcionamento delas e como elas podem se encaixar em sua realidade, como investidor. Ainda, é preciso ter em mente que os movimentos esperados podem não se concretizar, então há mais riscos envolvidos.

Adaptação da estratégia

Diante de um conflito com potencial para causar impactos em escala mundial, pode ser que sua estratégia tenha que passar por alinhamentos. Então é necessário entender o contexto do mercado para compreender se é interessante adaptar a estratégia e como isso deve ser feito.

Em um cenário desse tipo, pode ser que você se torne mais conservador, ainda que temporariamente. Logo, seus novos investimentos podem priorizar alternativas mais seguras e fora da renda variável, por exemplo.

Por outro lado, se você tiver uma reserva de oportunidade, essa pode ser a chance de usá-la. Então, sua estratégia pode se tornar mais voltada para alternativas da renda variável que sejam sensíveis a esse cenário.

Note, entretanto, que a ideia não é mudar toda a estratégia de longo prazo. Afinal, com o passar do tempo, a tendência é que o conflito seja solucionado e deixe de afetar o mercado. A intenção é fazer mudanças pontuais justamente para se proteger ou aproveitar oportunidades.

Como investir diante desse conflito internacional?

Agora que você entende quais podem ser os impactos dos conflitos entre Rússia e Ucrânia, é preciso pensar em como tomar decisões de investimento no cenário. Assim, é possível passar por esse período de forma preparada e, possivelmente, com menos perdas.

Na sequência, descubra como investir e como proteger a sua carteira em um cenário de guerra entre Rússia e Ucrânia!

Avalie seu perfil de investidor

Se você já investe, é esperado que seu perfil de investidor seja conhecido. Porém, diante de uma situação atípica como o conflito internacional, ele pode mudar temporariamente. Por isso, vale a pena fazer uma nova avaliação quanto ao seu perfil.

Identifique se você continua tendo tolerância ao risco para a renda variável ou se é melhor investir mais em renda fixa para diminuir o peso da primeira classe de investimentos, por exemplo. Essa também é uma forma de entender a quais riscos vale a pena se expor nesse momento.

Reveja seus objetivos

Tendo uma carteira de investimentos já formada, você também deve ter objetivos definidos previamente. Assim como acontece com o perfil de investidor, é preciso rever essas metas para entender o que faz sentido durante os conflitos.

Pode acontecer de os planos para uma viagem internacional em família ou de trocar de carro ficarem suspensos, por exemplo. Se for interessante, você pode pensar em como remanejar os recursos, como reforçar a reserva de emergência ou focar em planos de médio prazo.

Diversifique a carteira

Em um momento de incertezas, é especialmente importante diversificar a carteira — até mesmo dentro da renda variável. Em vez de investir em ações de um só setor, pode ser interessante focar em segmentos diversos. Você também pode investir em ativos internacionais, já que não há como saber quais segmentos ou setores serão mais afetados.

Para tanto, é possível pensar nos diferentes fundos de renda variável, certificados de depósito mobiliário (BDRs) e outras alternativas fora e dentro da bolsa de valores. Dessa forma, você consegue diluir parte do risco de um cenário volátil.

Acompanhe o mercado

Ao tomar decisões de investimentos, é essencial que elas sejam embasadas. No cenário de conflitos entre Rússia e Ucrânia, é ainda mais importante se basear em informações e dados relevantes.

Para tanto, você deve acompanhar o mercado, como por meio das notícias e atualizações do cenário. Também é interessante contar com relatórios e análises profissionais.

Com a Genial Analisa, você tem acesso a relatórios, carteiras recomendadas e newsletters de profissionais altamente capacitados do mercado financeiro. Dessa maneira, é possível se abastecer com mais informações e fazer escolhas adequadas para as suas características e para o momento.

Como você viu, os conflitos entre Rússia e Ucrânia podem interferir diretamente na sua carteira de renda variável. Com conhecimento sobre suas características e acompanhamento do mercado, há como fazer as adaptações necessárias para proteger ou até impulsionar o portfólio diante desse cenário.

Essas informações foram úteis? Se quiser investir em estrutura e ainda contar com as análises completas do nosso time, abra sua conta na Genial Investimentos!

Comentários