É comum que você tenha diferentes objetivos ao longo da vida, como atingir a estabilidade financeira, aumentar o padrão de vida ou ficar menos dependente do trabalho. Porém, para realizar essas e outras metas, é importante ter um bom controle financeiro pessoal. 

Também é comum que alguns objetivos sejam para o longo prazo. Nesses casos, eles podem ser alcançados com mais facilidade se você começar a investir, visando acumular patrimônio. Aqui, o planejamento ajudará a poupar para fazer investimentos e conquistar as suas metas.  

Quer saber mais sobre a importância do controle financeiro pessoal que antecede os investimentos? Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto! 

O que é o controle financeiro pessoal? 

O controle financeiro pessoal é o hábito de organizar o orçamento de cada período, considerando os seus gastos e receitas. A ideia é que você conheça melhor os seus padrões de consumo e consiga melhorar a gestão das suas finanças. 

Com todos os registros, é possível analisar os dados com mais exatidão para se organizar e manter a saúde financeira. Para isso, é importante que o controle se torne um hábito, anotando todas as suas movimentações para avaliar resultados e acompanhar a sua evolução a cada mês.  

Qual é a importância desse controle? 

Agora que você sabe o que é o controle financeiro pessoal, fica mais fácil entender a sua importância. Ele ajuda a aliviar o orçamento, eliminar dívidas, acumular capital e começar a investir. Além disso, o hábito pode trazer a segurança material necessária para ter mais qualidade de vida. 

A partir desse controle, com organização e planejamento financeiro, você poderá traçar estratégias para realizar os seus objetivos. Ou seja, a ferramenta pode viabilizar diversas conquistas, como comprar um bem, fazer uma viagem, pagar a faculdade e realizar diversos sonhos.  

Outro ponto importante do controle financeiro pessoal é poder ter uma aposentadoria mais tranquila. Quanto mais preparado você estiver para essa fase da vida, maiores serão a segurança, o bem-estar e o conforto no dia a dia. 

Como fazer um controle financeiro pessoal eficiente? 

Depois de conhecer a importância do controle financeiro, é necessário saber como colocá-lo em prática. Para isso, existem alguns passos que você pode seguir.  

Confira: 

Registrar o orçamento 

O primeiro passo para quem deseja controlar as finanças é ter o hábito de registrar todas as movimentações. Para montar um orçamento mais enxuto e estratégico, você precisa saber exatamente quais são os seus ganhos e gastos.  

Portanto, ao fazer as anotações, é preciso incluir todas as entradas, mesmo aquelas variáveis, pequenas ou esporádicas. O mesmo vale para as despesas, que devem incluir até mesmo os menores gastos. Afinal, os valores somados podem fazer diferença no orçamento final.  

Assim, você terá maior clareza para avaliar a sua renda e a forma como utiliza o dinheiro recebido. Esse registro pode ser feito em um caderno, no computador ou com o auxílio de aplicativos. Então procure a alternativa que mais se encaixe em sua rotina.  

Para facilitar, você pode concentrar todos os seus gastos no cartão, pagando com débito ou crédito à vista. Fazendo isso, todas as movimentações ficam registradas nas faturas e extratos. 

Acompanhar o consumo 

Após registrar o orçamento, é importante fazer um acompanhamento constante do seu padrão de consumo. Isso porque os seus hábitos estão diretamente relacionados à forma como você gasta dinheiro, o que pode facilitar ou dificultar o controle financeiro pessoal. 

Com a visão geral do seu orçamento, é possível identificar os entraves do seu consumo e rever escolhas. Além disso, se os gastos forem registrados por categorias, fica ainda mais fácil reconhecer em quais momentos você gasta mais dinheiro. 

Reduzir os custos 

O principal objetivo do controle financeiro é regular o orçamento. Muitas vezes, nossos custos atuais podem ser otimizados para que sobre uma quantia no fim do mês. Depois, o valor guardado pode ser destinado aos investimentos para gerar mais capital. 

Então, busque maneiras de reduzir custos em sua rotina. Você pode, por exemplo, negociar contas fixas e reavaliar as suas práticas de consumo, evitando as compras feitas por impulso para não ter gastos desnecessários.  

Contudo, saiba que não é necessário cortar todas as despesas supérfluas: basta ter moderação, mantendo as que são mais relevantes para a sua qualidade de vida. Custos com lazer, por exemplo, trazem benefícios e podem ser mantidos. No entanto, vale adaptá-los ao seu padrão de vida atual. 

Começar a investir 

Por fim, o controle financeiro permite que você comece a investir. Como você viu, quando você estiver gastando menos do que ganha, poderá poupar recursos para os investimentos. Essa prática permite que você busque um retorno capaz de aumentar a sua qualidade de vida. 

Uma medida importante é se organizar para fazer aportes frequentes, preferencialmente mensais. Essa constância é fundamental para o acúmulo de capital, permitindo realizar objetivos em menos tempo. Ainda, os investimentos podem proteger o dinheiro dos impactos da inflação. 

O que se atentar antes de começar a investir? 

Após entender como fazer um controle financeiro pessoal eficiente, você pode se organizar para colocar o hábito em prática para começar a investir. Mas, antes disso, vale reforçar alguns pontos. 

O primeiro deles trata da formação da reserva de emergência. Ela representa uma quantia guardada para situações de imprevisto que podem acontecer. Assim, o ideal é que o montante seja capaz de cobrir suas despesas por, pelo menos, seis meses. 

A ferramenta é essencial para que, diante de imprevistos, você não precise retirar dinheiro de outros investimentos ou se endividar. Para que cumpra sua função, a reserva de emergência deve ser alocada em aplicações seguras e com alta liquidez

Ainda, antes de começar a investir, você deve conhecer o seu perfil e objetivos. Considerando essas características, será possível escolher os investimentos mais alinhados às suas necessidades e que respeitem a sua tolerância ao risco. 

Por fim, estude as opções de investimento disponíveis no mercado. Na renda fixa, por exemplo, é possível conhecer a regra de rentabilidade das aplicações no momento do aporte. Por outro lado, a renda variável não oferece essa estabilidade em relação ao retorno do capital.  

Também há diferenças em relação aos riscos e liquidez de cada investimento. Portanto, é fundamental considerar todas as questões para tomar as decisões sobre o seu capital.  

Como você viu, ter controle financeiro pessoal é o primeiro passo para investir cada vez mais e melhor. Isso permite que você consiga acumular patrimônio ao longo do tempo para realizar os seus objetivos e garantir mais qualidade de vida no futuro. 

Vai começar a investir? Abra a sua conta e conte com a Genial Investimentos para aproveitar as melhores oportunidades do mercado! 

Comentários