O interesse dos investidores brasileiros pela bolsa de valores tem aumentado e, em 2020, a B3 alcançou a marca de 3 milhões de CPFs cadastrados. Porém, para aproveitar as oportunidades disponíveis, é importante saber como começar a investir em Ações. 

Afinal, os ativos têm diversos pontos positivos, mas também apresentam riscos que devem ser considerados na tomada de decisão. Antes de tudo, é necessário entender o funcionamento do mercado para identificar as alternativas de atuação. 

Para facilitar essa tarefa, nós, da Genial Investimentos, separamos informações que você precisa conhecer sobre o assunto. Confira! 

O que são Ações? 

As Ações são as menores partes do capital social de uma empresa. Em termos do mercado financeiro, são ativos de renda variável negociados na bolsa de valores, com preços que variam com base em diversos fatores. Assim, ao comprar Ações, você se torna sócio do negócio. 

Elas podem ser negociadas em lotes ou em unidades — no chamado mercado fracionário. Além disso, há diferentes tipos de Ações. As preferenciais dão preferência ao acionista na distribuição de lucros, enquanto as ordinárias oferecem direito de voto ao acionista. 

Como elas funcionam? 

O investimento em Ações funciona com base na negociação dos papéis na bolsa. Tudo começa com a Oferta Pública Inicial (IPO), que ocorre quando a empresa abre seu capital e negocia suas ações pela primeira vez na bolsa de valores, captando recursos para o negócio. 

Depois, as compras e vendas acontecem no mercado secundário, entre os próprios investidores. Para isso, você precisa emitir uma ordem de compra para determinada Ação e, ao encontrar uma ordem de venda equivalente, ou seja, na quantidade e valores desejados, o processo é finalizado. 

Ao comprar Ações para compor sua carteira de investimentos, você pode obter retorno de duas formas. A primeira é pela valorização da cotação dos ativos. Ao vender os papéis por um preço maior que o de compra, por exemplo, é possível ter um ganho de capital. 

Além disso, há a distribuição de proventos. Todas as empresas negociadas na bolsa brasileira são obrigadas a dividir parte dos lucros. Então o pagamento de dividendos e outros proventos pode oferecer uma renda passiva ao longo do tempo. 

Quais as vantagens e os riscos de investir em Ações? 

Ao começar a investir em Ações, você poderá aproveitar os benefícios desse investimento. Um deles é a liquidez de negociação, já que é possível vender os papéis durante o pregão e  ter o valor líquido na sua conta na corretora em D+2, ou seja, em dois dias úteis.  

Além disso, há a vantagem da diversificação e maior potencial de rendimento do que na renda fixa. Mas, ao mesmo tempo, é necessário pensar nos riscos. Considerando isso, as Ações são vistas como investimentos de longo prazo

Afinal, há um processo de amadurecimento do investimento e o tempo também ajuda a diluir riscos. Como são alternativas de renda variável, pode haver elevada volatilidade no curto prazo. Os preços dos papéis variam de acordo com a lei de oferta e demanda. 

Em relação aos tipos de estratégias na bolsa, vale ponderar que o investimento de longo prazo não é a única. Também é possível lucrar com a especulação, estratégia utilizada pelo trader.  

Ela se baseia no aproveitamento de oscilações de curto e curtíssimo prazo para ter a chance de consolidar lucros. Mas pode oferecer maiores riscos. 

Como começar a investir em Ações? 

Agora que já tem uma visão geral a respeito do mercado acionário e seu funcionamento, é importante saber como realizar seus primeiros investimentos. Seguindo os passos adequados, você terá a chance de explorar esse tipo de aporte em sua carteira com mais tranquilidade e confiança. 

Anote os conselhos mais importantes para quem deseja começar a investir em Ações! 

Tenha um planejamento financeiro 

Em primeiro lugar, é necessário organizar suas finanças para que haja recursos disponível para realizar o investimento. Entenda quanto você ganha e quanto gasta e monte um orçamento, prevendo recursos para os aportes. 

Antes de investir em Ações, é essencial criar uma reserva de emergência. Ela dará segurança para alocar outros recursos em ativos mais arriscados, se for adequado ao seu perfil e objetivos E servirá como um colchão financeiro para situações de necessidade. 

Além disso, para fazer seu patrimônio crescer é importante fazer aportes frequentes. Logo, você deve prever recursos mensais para investir na bolsa. Ao receber dividendos, sugerimos que realize o reinvestimento para acumular mais patrimônio.  

Conheça seu perfil de investidor 

Para montar uma carteira de investimentos em Ações também é essencial entender se o seu perfil de investidor é adequado para isso. O intuito é compreender qual é a sua tolerância ao risco. Conheça os perfis e veja em qual deles você se encaixa: 

  • conservador: tem baixa tolerância aos riscos, o que o faz priorizar a segurança acima da rentabilidade; 
  • moderado: tem tolerância média para correr riscos, desde que isso signifique ter a chance de ganhar mais; 
  • arrojado ou agressivo: tem grande tolerância aos riscos e está disposto a corrê-los de forma controlada e estratégica. 

Um investidor conservador geralmente não é indicado para comprar Ações. Caso deseje, é importante alocar apenas uma pequena parte do capital, como meio de diversificação. 

Já um investidor moderado pode ter uma alocação um pouco maior, enquanto o arrojado pode priorizar tal tipo de investimento. Portanto, é fundamental compreender o perfil para saber como tomar suas decisões. 

Aprenda a analisar Ações 

Para entrar no mercado de Ações, é preciso, ainda, saber avaliar os papéis para identificar oportunidades. A análise fundamentalista envolve os fundamentos do negócio e busca entender a capacidade de obter resultados no presente e no futuro.  

Ela é indicada para o longo prazo. Já a análise técnica ou gráfica é mais utilizada pelos traders. Ela busca avaliar padrões e encontrar comportamentos com base na variação das cotações das Ações e outros ativos. Portanto, é usada no curto e no curtíssimo prazo. 

Se você tiver dificuldades para selecionar indicadores e interpretar informações, pode recorrer a uma carteira recomendada. Ela é elaborada por analistas financeiros, que estudam conjuntos de Ações e indicam a compra ou venda de acordo com as condições das empresas e do mercado. 

A Genial Investimentos possui carteiras mensais e trimestrais, elaboradas pelo estrategista Filipe Villegas. 

Além disso, a Genial desenvolveu um HUB de educação financeiro, com o propósito de conectar você ao mundo dos investimentos de forma inteligente e segura, e lá você encontra o curso “Aprenda a Investir em Ações”, desenvolvido por Filipe Villegas em parceria com a Estacio, uma das maiores instituições de ensino no Brasil. (https://educacao.genialinvestimentos.com.br/aprenda-a-investir-em-acoes) 

Busque suporte na corretora 

Para começar a investir em Ações você precisará ter uma conta em corretora de valores. Por meio dela será possível acessar o home broker e emitir ordens de compra e venda. Logo, poderá realizar as negociações. 

Além da estrutura, a corretora pode oferecer ajuda para quem deseja entender melhor os investimentos. Isso pode acontecer por meio dos assessores de investimento. Portanto, para dar os primeiros passos com mais segurança vale a pena utilizar o suporte da instituição a seu favor. 

Aprender como começar a investir em Ações exige um pouco de preparo e conhecimento sobre o mercado, não é? Ao reconhecer sua tolerância ao risco, seus objetivos e as oportunidades, você poderá aproveitar essa alternativa e incluir os ativos em sua carteira! 

O apoio de uma corretora faz a diferença nesse processo! Abra a sua conta conosco e venha ser Genial

Comentários