Se você é um investidor ou pretende se tornar um em breve, é fundamental conhecer alguns termos e estratégias que fazem parte desse universo. Afinal, elas podem contribuir para o aumento do seu patrimônio e para o alcance dos seus objetivos financeiros.

Nesse contexto, vale a pena entender com mais profundidade o que é aporte mensal. Ao adotar esse tipo de estratégia, você pode acelerar os resultados da sua carteira de investimentos e aumentar as suas chances de sucesso.

Neste artigo, elaborado pelo nosso time da Genial Investimentos, você entenderá o que é aporte mensal, qual a sua importância, como colocar essa estratégia em prática e muito mais!

Vamos lá?

O que é aporte mensal?

O aporte mensal está relacionado à estratégia de investir dinheiro mensalmente — seja na renda fixa, seja na renda variável. Devido a essa regularidade, torna-se mais fácil alcançar as metas e objetivos que você estabeleceu para sua vida.

Vale ressaltar que diversas pessoas acreditam que, para investir e ter bons resultados com investimentos, é preciso muito dinheiro. Isso pode ajudar, porém, essa não é a única maneira de ter retornos expressivos no mercado financeiro.

A disciplina, o foco e a constância nos aportes são elementos cruciais para ter sucesso com investimentos — mesmo que você não consiga investir grandes quantias. Portanto, além de escolher bons títulos e ativos para o seu portfólio, é essencial que os seus aportes financeiros sejam feitos mensalmente.

O aporte mensal pode ser comparado com o hábito de regar uma árvore que acabou de ser plantada. Se você cuidar bem dela, regando-o regularmente, ela crescerá forte e saudável. Por outro lado, se não houver esse cuidado, ela simplesmente pode não se desenvolver.

O mesmo vale para os seus investimentos. Se você fizer aportes todos os meses, a tendência é que o seu patrimônio cresça consideravelmente. No entanto, caso isso não seja feito, será mais difícil para ele se desenvolver e aumentar como você gostaria.

Qual a importância de fazer aportes mensais nos investimentos?

Após entender o que é aporte mensal, vale a pena compreender com mais detalhes porque essa estratégia é tão relevante.

A seguir, veja as principais vantagens relacionadas a esse hábito!

1. Ajuda a aumentar o seu patrimônio

Mesmo que você não disponha de muito capital para investir, ao destinar parte dos seus recursos mensalmente ao mercado financeiro, o seu patrimônio crescerá pouco a pouco. No início, o aumento pode não parecer muito expressivo, mas o foco no longo prazo faz com que ele possa se tornar bastante significativo.

Se você apenas poupar, por exemplo, R$ 200 por mês, depois de um ano terá R$ 2.400. Depois de dois anos, R$ 4.800. E depois de 10 anos? O montante já será de R$ 24.000 (uma multiplicação de 120 vezes da quantia inicial).

2. Potencializa o efeito dos juros compostos

No exemplo acima, você viu como o seu patrimônio pode aumentar ao longo do tempo apenas guardando uma determinada quantia mês a mês. Agora, você sabia que esse montante pode se tornar muito maior? Esse cenário é possível graças ao efeito dos juros compostos.

No mercado financeiro, há diversos investimentos que rendem juros sobre juros e essa é uma característica que pode aumentar os seus ganhos significativamente. Para entender essa questão de maneira prática e clara, acompanhe um exemplo.

Suponha que você investiu R$ 10.000 em uma aplicação prefixada com prazo de quatro anos e que rende 10% ao ano. Ao final dos doze primeiros meses, por conta dos juros, você terá R$ 11.000 no total.

No ano seguinte, a rentabilidade do título não será sobre os R$ 10.000 investidos, mas sobre os R$ 11.000. Como resultado, após mais 12 meses, você terá R$ 12.100, sendo que esses juros sobre juros ocorrerão ao longo dos anos restantes do investimento.

Como você pode ver, apenas com os juros compostos o seu capital pode crescer consideravelmente. Agora, imagine se além dos R$ 10.000 investidos, você investisse, todo mês, mais R$ 1.000. Ao final dos 12 primeiros meses você teria cerca de R$ 23.500 (já que existirão depósitos com diferentes prazos).

No ano seguinte, a rentabilidade da aplicação seria sobre o montante atualizado. Mantendo aportes frequentes, o valor principal e o total de juros também aumenta, gerando um efeito bola de neve positivo para o seu capital.

Portanto, como você pode perceber, os juros sobre juros aumentam cada vez mais a rentabilidade dos seus investimentos. Com os aportes mensais, essa vantagem é potencializada.

3. Permite diversificar a sua carteira

Outro ponto relacionado à importância dos aportes mensais refere-se à possibilidade de diversificar a sua carteira de investimentos. Afinal, a cada mês você pode investir em uma determinada aplicação ou ativo, de acordo com o cenário do momento.

Por exemplo, considere que você investiu em uma ação. Porém, desde a data do aporte, o ativo valorizou muito e ficou caro, segundo suas análises.

Logo, em vez de investir na ação novamente e pagar caro por ela, você pode escolher outro ativo que esteja em uma situação mais interessante. Inclusive, você poderá balancear melhor a sua carteira e aproveitar as oportunidades que o mercado financeiro oferece.

Assim, o aporte mensal pode ser realizado em apenas um ativo a cada mês ou dividido entre diferentes investimentos do seu portfólio. A escolha dependerá do momento deles e da sua estratégia de alocação.

Como montar um plano de aporte mensal?

Você já viu que existem diversos motivos para fazer aportes mensais. Agora, para executá-la corretamente é necessário entender como montar um plano adequado.

Descubra o que você deve fazer para estruturar e organizar os seus aportes mensais!

1º Faça um planejamento financeiro

Manter as suas finanças em ordem é fundamental para você conseguir investir mensalmente. Afinal, é por meio do planejamento financeiro que você tem um controle apropriado sobre as suas receitas e despesas de modo a destinar sempre uma parte do que recebe para investir.

Portanto, procure utilizar uma planilha de controle financeiro ou um aplicativo para anotar todas as entradas e saídas de dinheiro da sua conta. Dessa forma, você conseguirá visualizar de maneira mais fácil e clara como está o seu orçamento mensal e o que fazer para otimizá-lo.

Realizar esse acompanhamento financeiro também é importante para saber quanto você pode investir mensalmente. Com a prática, há a possibilidade de verificar se não há gastos desnecessários que podem ser cortados ou reduzidos.

Se as finanças estiverem em dia, permitindo investimentos recorrentes, o ideal é se planejar para investir assim que o dinheiro entrar na sua conta. Então, se você recebe o seu salário no dia 5, já separe uma parte dele (como 10% dos ganhos) para fazer o seu aporte mensal.

O restante poderá ser utilizado para outros compromissos, sem riscos de você gastar mais do que deve. Por esse motivo, o planejamento financeiro é essencial.

Baixe agora a sua cópia da nossa planilha de controle financeiro pelo QR-CODE ou através do link baixo. Compartilhe com todos.

2º Defina seus objetivos

Após organizar as suas finanças e fazer um planejamento financeiro adequado, é hora de definir os seus objetivos financeiros. Qual é o seu propósito ao investir mensalmente? Alguns exemplos comuns são:

  • comprar uma casa;
  • comprar um carro;
  • viajar para o exterior;
  • fazer um intercâmbio;
  • tirar um ano sabático;
  • aposentar-se.

Independentemente das suas motivações, é preciso estabelecê-las de maneira clara. Isso significa não apenas dizer “eu quero investir para me aposentar”, mas definir quando deseja realizar esse objetivo, qual é o patrimônio necessário e como ele será conquistado.

Por exemplo: você pode estabelecer que deseja se aposentar em 2045. Para tanto, será preciso ter um patrimônio de R$ 1.000.000 investido para ter uma renda que você considera suficiente para viver.

Percebe como o objetivo é muito mais específico e direcionado? Desse modo, vale criar metas detalhadas dessa forma para aumentar suas chances de alcançá-las.

3º Escolha os investimentos

Após definir os objetivos, é importante pensar em quais investimentos do mercado financeiro poderão ajudá-lo a transformar essas metas em realidade. Portanto, estude as alternativas disponíveis no mercado financeiro e avalie aspectos como:

  • investimento mínimo;
  • liquidez;
  • data de vencimento;
  • rentabilidade;
  • riscos;
  • taxas.

A partir desses pontos, você poderá escolher investimentos que atendam às suas necessidades e que correspondam ao seu perfil e objetivos. Veja algumas alternativas para fazer aportes mensais:

No geral, há alternativas tanto na renda fixa quanto na renda variável. Assim, você pode escolher o que for mais interessante para o seu planejamento.

4º Crie lembretes

Até se tornar um hábito, pode ser difícil colocar em prática os aportes mensais. Então crie lembretes para não se esquecer deles. Isso pode ser feito no seu celular, na sua agenda ou até mesmo em uma nota física colada em um local que você sempre olhe.

Escreva uma mensagem como “dia 5: dia de investir” ou “dia 10: dia de fazer o aporte do mês”. Embora seja simples, essa medida pode ser muito útil e ainda evita que você perca o foco no processo.

5º Trace um plano para reinvestir dividendos

Alguns ativos do mercado financeiro, como ações e fundos imobiliários, podem fazer a distribuição de dividendos. Esse provento é uma parcela do lucro líquido das empresas e dos fundos, dividida entre os acionistas e cotistas.

Nesse sentido, se você tiver esses ativos em seu portfólio ou se quiser incluí-los na sua carteira, trace um plano para reinvestir os dividendos recebidos. Assim, você poderá potencializar o seu aporte mensal e, consequentemente, o seu capital investido.

Suponha que você invista R$ 1.000 mensalmente e, devido a alguns fundos imobiliários que já estão no seu portfólio, você recebe cerca de R$ 200 de dividendos todo mês.

Você pode optar por gastar esse dinheiro “extra” ou somar com seu aporte mensal de modo a investir R$ 1.200 todo mês. Assim, em vez de você comprar, por exemplo, 100 ações que custam R$ 10, você conseguirá comprar 120.

6º Faça o rebalanceamento da sua carteira

Ao montar a sua carteira de investimentos, é necessário definir como ela será estruturada. Será com mais aplicações de renda fixa? Ativos de renda variável? Ou será equilibrada 50-50?

Essa definição é necessária para que você consiga criar um portfólio adequado às suas metas e ao seu perfil de investidor. Contudo, quando você começa a fazer aportes todo mês, talvez a proporção que você estabeleceu inicialmente se altere.

Portanto, para não perder o controle da sua carteira, procure fazer o rebalanceamento com certa frequência — trimestral, semestral, anual etc. Dessa forma, os investimentos do seu portfólio poderão ficar mais bem distribuídos, sempre na proporção que você planejou.

Inscreva-se no nosso canal do YouTube

Quais são as opções de investimentos para fazer aportes mensais?

Agora que você sabe como montar um plano para colocar os seus aportes mensais em prática, é oportuno se aprofundar para saber quais são as opções de investimentos que permitem adotar essa estratégia.

Nós, da Genial Investimentos, separamos as principais alternativas tanto da renda fixa quanto da renda variável para você conhecer.

Confira!

1. Títulos públicos

Na renda fixa, a primeira opção de investimento que permite fazer aportes mensais são os títulos públicos. No caso, o Tesouro Selic, Tesouro Prefixado, Tesouro IPCA+ e o Tesouro RendA+.

Por meio dessa alternativa, o dinheiro que você investe funciona como uma forma de empréstimo para o Governo Federal. Este, por sua vez, devolve a quantia que você aplicou com o acréscimo de juros no vencimento.

Cada título possui uma característica específica em relação à rentabilidade.

  • Tesouro Selic: tem retorno pós-fixado que segue a variação da taxa Selic;
  • Tesouro Prefixado: rende conforme uma taxa prefixada no momento da aplicação, de modo que você já sabe quanto renderá exatamente no vencimento;
  • Tesouro IPCA+: é híbrido, rendendo a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais uma taxa prefixada;
  • Tesouro RendA+: também é híbrido, mas a diferença é que o resgate ocorre em 240 parcelas mensais, ao longo de 20 anos. Assim, você recebe uma renda mensal após a data estabelecida.

No geral, os títulos do Tesouro Direto têm liquidez diária, pois o Tesouro Nacional garante a recompra. Porém, o resgate antecipado pode gerar perdas por causa da marcação a mercado — principalmente nos títulos prefixados e híbridos. Então é preciso ter cuidado em seu planejamento.

Ademais, no Tesouro RendA+ há uma carência de 60 dias. Logo, o resgate só pode ser solicitado após esse prazo.

2. Títulos privados

Além dos títulos públicos, há na renda fixa diversos títulos privados que podem compor a sua carteira. Por exemplo:

  • CDBs (certificados de depósito bancário);
  • LCIs (letras de crédito imobiliário);
  • LCAs (letra de crédito do agronegócio);
  • CRIs (certificados de recebíveis imobiliários);
  • CRAs (certificados de recebíveis do agronegócio).

O funcionamento desses investimentos é semelhante ao dos títulos públicos. Porém, em vez de o empréstimo ser para o Governo, ele é feito para instituições financeiras, empresas não-financeiras ou securitizadoras.

As condições de rentabilidade, liquidez e vencimento variam com cada título. Além disso, existem aplicações protegidas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), como CDBs, LCIs e LCAs. Nesse caso, a entidade garante o ressarcimento de até R$ 250 mil por CPF ou CNPJ e instituição, com limite global de R$ 1 milhão renovável a cada 4 anos.

Já CRIs, CRAs e debêntures não têm proteção do FGC e, com isso, podem se tornar operações mais arriscadas dependendo do volume financeiro. Por outro lado, podem apresentar condições mais elevadas de retorno.

3. Ações

Agora que você já conhece as principais possibilidades do mercado financeiro para fazer aportes mensais na renda fixa, é interessante saber quais são as alternativas presentes na renda variável. Entre elas, estão as ações.

Ao investir em ações, você compra uma pequena parte do capital social de uma empresa. Logo, ao incluí-las em seu portfólio, você passa a ser sócio da companhia e a participar de seus resultados. Aqui, existem duas principais formas de buscar lucros.

A primeira é por meio da valorização dos papéis que você tiver na carteira. Caso o preço supere o valor pago na compra, você pode vendê-las com lucro. Já a segunda forma de ganhar dinheiro com ações refere-se à distribuição de proventos, como dividendos e juros sobre capital próprio (JCP).

4. BDRs

Outro investimento presente na renda variável que permite fazer aportes mensais são os BDRs (brazilian depositary receipts). Eles consistem em certificados de depósito emitidos e negociados na bolsa de valores brasileira, a B3.

Na prática, eles são lastreados em ativos estrangeiros. Com eles, você pode investir com exposição a ações de outras empresas, cotas de exchange traded funds (ETFs), títulos de renda fixa internacionais (bonds) e mais.

5. Fundos imobiliários

Também é possível investir mensalmente em fundos imobiliários (FIIs). Eles consistem em veículos financeiros cujo portfólio é formado por ativos ligados ao mercado de imóveis.

Os FIIs são administrados por um gestor profissional, que faz a escolha dos ativos de acordo com a estratégia do fundo. Confira os principais tipos:

  • fundos de tijolo: investem em imóveis físicos, obtendo ganhos com a venda ou aluguel deles;
  • fundos de papel: priorizam o investimento em títulos lastreados em imóveis, como LCIs e CRIs;
  • fundos de fundos: focam na aquisição de cotas de outros FIIs do mercado.

Vale destacar que os FIIs são obrigados a distribuir, no mínimo, 95% do lucro líquido semestral na forma de dividendos. Esse pagamento deve ocorrer, no mínimo, semestralmente.

6. ETFs

Outra alternativa que você pode considerar para sua carteira de investimentos para fazer aportes mensais são os são os ETFs ou fundos de índice. Eles são fundos de investimento que espelham um indicador de referência do mercado.

O BOVA11, por exemplo, replica o índice Bovespa (Ibovespa). Logo, ele acompanha o desempenho das ações mais negociadas da bolsa de valores brasileira. Se o indicador apresentar resultados positivos, o preço da cota do ETF tende a subir. Por outro lado, se o desempenho for negativo, a cota costuma desvalorizar.

Genial Investimentos - Abra sua conta

Por fim, lembre-se de que essas são apenas algumas das alternativas do mercado financeiro, existindo outras opções, como fundos de investimento multimercados, em ações, em renda fixa e outros. Portanto, pesquise as alternativas e avalie as possibilidades conforme o seu perfil e objetivos para tomar melhores decisões.

Ao longo deste artigo, você aprendeu o que é aporte mensal e aprendeu como montar um plano para economizar e investir mensalmente. Agora, analise as suas finanças e as alternativas do mercado financeiro para montar a sua estratégia de investimentos e conquistar os seus objetivos.

Quer aprofundar seus conhecimentos sobre investimentos? Conheça os nossos cursos e continue aprendendo!

Perguntas Frequentes (FAQ):

O que são aportes mensais?
Aportes mensais referem-se a investimentos regulares feitos em intervalos mensais. Essa estratégia ajuda a construir o hábito de poupar e pode aproveitar o efeito do custo médio do dólar, potencialmente reduzindo o risco de mercado.
O que significa fazer um aporte?
Fazer um aporte significa contribuir com uma quantia de dinheiro para um investimento. É uma forma de adicionar capital a um investimento existente ou iniciar um novo.
O que quer dizer a palavra aporte?
A palavra “aporte” vem do termo em latim “apportare”, que significa “trazer”. No contexto financeiro, refere-se ao ato de trazer ou adicionar fundos a um investimento.
Como fazer aportes mensais?
Para fazer aportes mensais, você deve escolher um investimento e decidir sobre o montante a ser investido regularmente. Em seguida, pode configurar transferências automáticas do seu banco para o investimento escolhido.
O que é aporte financeiro?
Aporte financeiro é o ato de investir dinheiro em um ativo financeiro com o objetivo de obter retorno futuro. Pode ser feito de uma só vez ou em intervalos regulares, como mensalmente.
Como posso fazer aportes mensais no Tesouro Direto?
Para fazer aportes mensais no Tesouro Direto, você precisa ter uma conta em uma corretora autorizada que ofereça o serviço. Após o cadastro, você pode programar a compra automática de títulos todo mês.
Qual é o significado de aporte mensal?
Aporte mensal é um valor que você decide investir em um ativo financeiro de forma recorrente todo mês. Isso ajuda a diluir o risco do investimento ao longo do tempo e pode contribuir para o crescimento do patrimônio devido ao efeito dos juros compostos.
É possível fazer aportes mensais em CDB?
Sim, é possível fazer aportes mensais em CDBs, dependendo das condições oferecidas pela instituição financeira. Alguns CDBs permitem aportes adicionais, enquanto outros podem ser de aplicação única.
Como os aportes mensais impactam o valor futuro dos meus investimentos?
Aportes mensais podem ter um impacto significativo no valor futuro dos seus investimentos devido ao efeito dos juros compostos. Quanto mais cedo e mais regularmente você investir, maior pode ser o crescimento do seu patrimônio ao longo do tempo.

Gabriel Fujimoto

Especialista em Investimentos na Genial Investimentos. Acompanha o mercado financeiro desde 2019 participando de diversas palestras e cursos com profissionais que atuam no mercado.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!